Ceticismo

Published on outubro 15th, 2007 | by Kentaro Mori

39

Mais obras psicografadas em análise

chicoxavierplagio35sdgfa ceticismo
O blog Obras Psicografadas teve várias atualizações: “A Suposta Materialização de Emmanuel” sugere pelo menos um incidente em que Xavier poderia estar envolvido em uma fraude — uma vez que materializou um espírito que não existiu, sobre o qual fornece: Mais Provas de que Emmanuel Não Existiu.

Há ainda outra análise comparando a “inspiração” de Chico Xavier em outros autores, “Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho” (1938)“. E ainda outra análise da obra de mais um médium célebre: “André Luiz Ruiz e o livro “O Amor Jamais Te Esquece“.

O espiritismo alega ter um aspecto científico como um de seus fundamentos, mas avaliações mais críticas, ainda que feitas por um espírita, não parecem ser muito bem recebidas. Seja como for, se espíritas não se interessarem em avaliar questões muito físicas, materiais, históricas de sua fé, o fato permanece de que tais alegações físicas, materiais e históricas são sim um convite para avaliação crítica mesmo a não-espíritas. É a religião pisando no gramado da ciência.

Tags: , ,


About the Author

+



39 Responses to Mais obras psicografadas em análise

  1. Carlos Merck says:

    O site “Obras Psicografadas” de propriedade de Vitor Moura apresenta enormes discrepâncias em suas abordagens.

    A iniciar pela informação deste site, que o Sr. Vitor é espírita, segundo o próprio Vitor em resposta a um comentário em seu site, ele se denomina ateu e espírita (?).

    Em relação a abordagem dos livros de Chico, as discrepâncias são ainda maior, utilizando de evidências anedotas em suas críticas, como a de que Chico Xavier em sua pobreza teria tido uma professora particular, de nome desconhecido, misteriosa, talvez até invisível…

    Ainda, como ponto fundamental para críticar Chico, o autor utiliza argumentos lamentáveis como de que Chico teria tido uma “educação de alto nível”, quando na verdade estudou 4 anos do primário apenas, o que o autor do site acha suficiente pois segundo o mesmo “4 anos de primário no início do século 20 era educação de alto nível”.

    Argumentos fracos e evidências anedotas são a marca do “obras psicografadas”…

    Lamentável.

  2. gabriela says:

    Concordo plenamnte com o comentario de Calos Merck sobre o lamentável site referente a “obras psicografadas” da propriedade de Vitor Moura, sendo repudiante a forma de colocação e distorção sobre fatos relacionados a Chico Xavier.
    VERGONHOSO PARA UM ESPIRITA, QUE É O VITOR MOURA DIZ SER!

  3. Jesa Nideck says:

    são tolos aqueles que ressumem tudo o que existe no universo que conhecemos e fora dele tambem,afirmam que tudo pode ser explicado pelas leis da relatividade, ou da matéria.Hoje através da física quantica sabemos que não é bem assim,a teoria das super cordas vem com grandes possibilidades de unir as duas teorias em uma só.para isso é necessário que haja várias dimensões e até vários universos,os físicos estão entrando em parafuso estudando o mundo dos infinitamente pequenos e não entendem os comportamentos das partículas que desafiam as leis da física clássica que está longe de tudo explicar com as atrazadas definições conhecidas.
    Bom, tudo tá ai em nosso tempo sendo desvendado, e muitos resultados que virão, principalmente no lhc serão de arrepiar os cabelos e embaraçar os neurônios dos ciêntistas. Alguns deles já acreditam na própria espiritualidade( vida após a morte física, reencarnação etc.)visto que tudo que está sendo descoberto, só fortalece estas crenças que acompanham a humanidade desde os tempos mais longincuos.

    É muito difícil ser cético, com tantas evidencias batendo toda hora em nossa porta, DIGO QUE PARA SE SER CÉTICO TEM QUE TER MUITA FÉ, tem que ter muita fé no materialismo absoluto que não existe, e nem as grandes possibilidades quanticas fará existir.
    Materialismo é suicídio para a humanidade, é se achar poderoso coisa que estamos longe de ser.Porque o verdadeiro poder vem do espírito e não da matéria. Os próprios físicos já estão dizendo com grande convicção que a “conciência” antecede a matéria, e que a matéria é foi e sempre será obra da consciência.

  4. Jeas Nideck says:

    Divaldo de franco entre tantos outros médiuns ainda estão entre nós e podem se defender.Porque não deixam o Chico em paz com sua obra de caridade e amor ao próximo que com certeza não acabou com sua morte carnal, ao contrário está só começando.
    Critiquem o Divaldo que está em nossa própria localidade e sem dúvida colocará todos esses verdadeiros (anti cristo) no balaio da completa ignorancia diante dos fatos espirituais.
    Acorde já, porque depois dificil vai ser te acordar!!!

  5. Jorge Generoso do Nascismento says:

    Pois se o crentianismo e o espiritismo forem de fato coisas certas, o Cristianismo como um todo seria uma farsa, pela sua incompatibilidade completa. Concordo que o materialismo possa ser o suícidio para a humanidade, mas a existencia de um tribunal que condena o infrator ao pagamento de uma pena que não se lembra mais, ai, já é entrar no campo do ridículo. Ora, se o fundamento filosófico é imoral e irreal, seus corolários (como psicografia e etc…) também o são.
    O espiritismo é uma filosofia que, engraçado, muda suas concepções de acordo com o avançar da ciência. Mas o mais interessante ainda, é que se “houver confronto entre o espiritismo e a ciência, o espírita deverá se conformar com a explicação ciêntifica…..” Credo, creio na metamorfose como meio de viver não de se suicidar…..

  6. Jesa Nideck says:

    Sr Jorge Generoso

    As religiões em todas as épocas da humanidade, sempre nos deram muitas pistas da espiritualidade.

    O dito cristianismo que veio de um conselho de niceia bem depois de cristo, não pode representar toda a beleza e “sabedoria” do evangelho do cristo, que é exato espiritual e futurista.Muito se perdeu ao longo da história, muitos outros evangelhos não foram aceitos pelo conselho, e poucos apóstolos estão na bíblia sagrada. O pouco que restou, pode servir bastante para a raça humana se fosse entendida na visão real e espiritual, que era realmente o que o Cristo veio nos dizer,´somos espíritos imortais, seremos perfeito como perfeito é o pai que estás no céu,na ca sa de meu pai há várias moradas etc.. etc.. o espírito, o mundo espiritual, sempre foi pregado por Jesus e até a própria reencarnação sempre foi pregada no velho e no novo testamento. O espiritismo não criou o espírito nem a espiritualidade, mais aprendeu a conhecer, e reconhecer aquele homem que bate em sua porta, querendo lhe dizer que a morte não existe e que há outros lugares e que a vida continua. O povo da época não entendeu Jesus poriço o crucificaram, por causa da ignorancia, os ensinamentos do Cristo eram muito adiantados para aquela época, e continua sendo muito adiantado para nossa época, época da ciência moderna,física quantica,super cordas etc. Ainda não entendemos o Cristo, e as religiões como tudo também evoluirão e junto com a ciência entenderemos o Verdadeiro Jesus Cristo um dia.
    O cristianismo só não é completo por causa do nível de consciência da humanidade que ainda é imcompleta.Vamos nos completando a medida que evoluimos para a verdade e a vida.

    Existem muitas provas nas obras do espiritismo que foram escritas a quase 200 anos,o átomo por exemplo; o espiritismo sempre disse que ele era divisível, e mais ainda ,que era divisível até o infinitamente observado, e isso só foi descoberto pouco tempo atras.
    Veja a parte científica do espiritismo e se confundirá com a própria física moderna. Existem várias e várias provas nas obras de kardec que não é nenhuma divindade foi só um codificador.
    O espiritismo é verdadeiro, mais também é incompleto, é incompleto porque nós somos ainda incompletos e no nível de consciência que nos encontramos, não podemos entender o espiritual.

    • Jesa Nideck says:

      Digo concílio de niceia no ano 325 dc
      Muita coisas não foram aceitas e outras foram incluídas, criando assim um novo cristianismo.
      É claro que muita coisa foi mudada.

  7. Jorge Generoso do Nascimento says:

    Sr. Jesa Nideck,
    O dito cristianismo que veio de um conselho de niceia bem depois de cristo, não pode representar toda a beleza e “sabedoria” do evangelho do cristo, que é exato espiritual e futurista.

    Não foi um conselho de nicéia, mas uma Reunião Ecumênica de Nicéia, o qual estudou com profundidade assuntos de interesse de então. Não foi a partir dai que as pessoas foram chamadas de Cristãos, mas foi muito antes mesmo (desculpe-me lembrar isto, mas penso que isto é assunto pacífico entre os historiados, portanto, não nos cabe sua alteração de sentido, uma vez que a cientificamente haveria a necessidade da repetição das provas, coisa q

  8. Jorge Generoso do Nascimento says:

    Sr. Jesa Nideck,
    O dito cristianismo que veio de um conselho de niceia bem depois de cristo, não pode representar toda a beleza e “sabedoria” do evangelho do cristo, que é exato espiritual e futurista.

    O grande problema do espiritismo ou espiritualismo ou qualquer outra coisa que possa ser chamado é essa presença onipotente do pensamento protestante de que nada no homem é bom. Isso é terrível, pois tal ideia autoriza os senhores a fazer uma igualdade do homem por baixo. Ou seja, nesta terra nada presta, tudo é inferior, tudo e atrasado, e vai por ai.
    Meu amigo espírita do trabalho fala até de um “desencarnado” (não perguntei o nome do tal arauto) que chama nossa música de inferior, que há musica superior, e outras asneiras de matar-a-pau. Penso que se o tal espírito, como meu amigo, entendesse alguma coisa de música ficariam de boquinha fechada para não falar asneiras(sou músico!), pois a música nada tem de superior ou inferior,JÁ que todos os acordes podem ser medidos e previstos matematicamente. A música, como qualquer outra arte, é valorizada pelos sentimentos que inspiram nas pessoas. Não há nada de superior ou inferior, pois se não há ninguém que escute a música, mesmo que ela estivesse sendo executada, não faria barulho. Portanto, na música o importante é quem a registra, pois este é que é inspirado pelos acordes tocados.
    O Povo da época que matou Cristo, não foi porque não entenderam sua mensagem: foi exatamente porque entenderam.
    Quanto ao perfeito como Deus citado, vamos corrigir a afirmação bíblica: devemos ser bons, como nosso Pai do Céu é. E não perfeitos, porque para haver essa perfeição, haverá a necessidade de nos sermos iguais a Deus, e,convenhamos, nem a sua crença admite tal. Portanto, vamos corrigir o pensamento.
    Re-encarnação pregada no Velho e Novo Testamento? Nesse ponto os senhores viajam a mais de mil quilômetros por hora, pois isto é uma fábula muito interessante, mas que traz uma consequência muito letal para o espiritismo ou espiritualismo…. Caso a Bíblica realmente falasse disso com a letras que os senhores tentam impegi-la, será que o espíritismo a consideraria SOMENTE como um livro histórico, como de fato vocês a consideram? (e o pior, revogado, nas palavras do Sr. Imbassahy!!).Não, não perderiam essa fonte de corroboração. Portanto, essa afirmação gratuita é também desmentida pelos próprios senhores.
    Os ensinamentos de Cristo eram muito adiantados para aquela época? Qual parte do que ele falou realmente era isso?. Repito: ele foi morto exatamente porque foi entendido no que ele falou!
    O pior mesmo é chamar a ciência como testemunha: isso no espiritismo é até hilário, pois essa mesma ciência não reconhece a existência de espírito. Com relação as pseudas revelações científicas do tal codificador Alan Kardec, não são nada mais e nada menos o que a ciência de então já sabia (Júlio Verne que o diga!!!). Mas tem um fato curioso: naquela época acreditava-se que nada poderia estar no vácuo, por isso a ciência admitia a existência de um fluido que cobria as partes vazias entre um corpo celeste e outro, chamado de éter. Mesmo a ciência já tendo negado esse princípio teórico, o espiritismo ainda vive com matéria sutil, fluídos e vai por ai….
    Por fim, se o sr. Alan Kardec vivesse nos dias de hoje, com o conhecimento das cerimônias dos druidas com se tem hoje, será que realmente ele gostaria de ter este nome? Penso que não. Acho que o espírito que falou isso para ele, como aquele que não era músico e deu conselhos musicais, também não entendia nada de história.

    • Jesa Nideck says:

      “vós sois deuses” em Salmo 82:6 e João 10:34?”

    • Jesa Nideck says:

      Mc 9,11-13 A vinda de Elias
      E fizeram-lhe esta pergunta: «Porque afirmam os doutores da Lei que primeiro virá Elias?»
      Jesus respondeu-lhe: «Sim; Elias, vindo primeiro, restabelecerá todas as coisas; porém, não dizem as Escrituras que o Filho do Homem tem de padecer muito e ser desprezado?
      Pois bem, digo-vos que Elias já veio e fizeram dele tudo o que quiseram, conforme está escrito.»

    • Jesa Nideck says:

      Se o espírito fosse criado junto com o corpo, a este seria subordinada a existência daquele, mas o que aconteceu é justamente o contrário, pois jamais o espírito é subordinado ao corpo. Este é vivificado pelo espírito, sem o qual não vive; todavia o espírito vive sem o corpo: “O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita” (São João 6:63).
      Como o espírito é criado por Deus, enquanto que o corpo é criado diretamente pelo homem, subordinar a criação do espírito à criação do corpo – e isso querem os anti-reencarnacionistas – seria querer colocar a criação das obras do homem acima da criação das obras de Deus. Além disso, submeter a criação do espírito à criação do corpo implicaria sujeitar o livre-arbítrio de Deus ao livre-arbítrio do homem. Em outros termos, Deus, para criar um espírito, dependeria da vontade de um casal de ir para a cama para realizar uma cópula.

    • Jesa Nideck says:

      Após a transfiguração de Jesus, no Monte Tabor, seus discípulos então o interrogam desta forma: “Por que dizem os escribas ser preciso que antes volte Elias?” – Jesus lhes respondeu: “É verdade que Elias há de vir e restabelecer todas as coisas: – mas, eu vos declaro que Elias já veio e eles não o conheceram e o trataram como lhes aprouve. É assim que farão sofrer o Filho do Homem.” – Então, seus discípulos compreenderam que fora de João Batista que ele falara. (S. Mateus, cap. XVII, vv. 10 a 13; – S. Marcos, cap. IX, vv. 11 a 13.)

    • Jesa Nideck says:

      A ideia de que João Batista era Elias e de que os profetas podiam reviver_na_Terra se nos depara em muitas passagens dos Evangelhos. Se fosse errônea essa crença, Jesus não houvera deixado de a combater, como combateu tantas outras. Longe disso, ele a sanciona com toda a sua autoridade e a põe por princípio e como condição necessária, quando diz: “Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.” E insiste, acrescentando: Não te admires de que eu te haja dito ser preciso nasças de novo.

      [65 - Capítulo IV item 5 - página 85]

  9. Claudio Branco says:

    O que mais me agrada nisso tudo é que vcs ficam se degladiando em idéias, teorias, etc…, mas que logo logo todas essas dúvidas ou relativas certezas vão dar lugar a “experiência”… Vcs vão viver e ver com os próprios olhos(espirituais?) como as coisas são de fato… Nesse campo não há verdade relativa, assim como a terra ou “é redonda” ou “não é”… Façam suas apostas e aguardem a hora da “verdade”…

    Jorge, respeito sua posição, mas sobre sua contestação ao argumento de que os ensinamentos de Jesus eram avançados para a época, o próprio afirmou isso em João 16: 8,12,13,14

    “Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça, e do juízo.
    Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora.
    Quando vier, porem, o espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão vir.
    Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar”.

    Abraços a todos…

  10. Jorge says:

    RIDICULO. Isso abaixo é argumento da ignorância:
    “O que mais me agrada nisso tudo é que vcs ficam se degladiando em idéias, teorias, etc…, mas que logo logo todas essas dúvidas ou relativas certezas vão dar lugar a “experiência”… Vcs vão viver e ver com os próprios olhos(espirituais?) como as coisas são de fato… Nesse campo não há verdade relativa, assim como a terra ou “é redonda” ou “não é”… Façam suas apostas e aguardem a hora da “verdade”…”
    Sim, e o senhor Claudio Branco se acha tão superior assim que pode me julgar?? Estultisse:o que o sr. é ? Um “espirito superior em missão aqui??
    Estou falando sânscrito antigo? Se for, vou traduzir:
    A tal ciência que os senhores querem usar para corroborar essa idiotice chamada de espiritismo não RECONHECE e nem IMAGINA um mundo espiritual.
    Devo ainda lembrar ao senhor, que o absurdo de sua filosofia chamada de espiritismo (ou mistificação, tanto faz…) diz que deus cria os espíritos “simples e ignorantes” para os infelizes viverem, morrerem, viverem, morrerem para se aperfeiçoarem. PORTANTO ,não se julgue superior a nós com o “O que mais me agrada nisso tudo é que vcs ficam se degladiando em idéias, teorias, etc…, “, pois como espírito simples e ignorante eu estou “tentando” me aperfeiçoar. Se caso o senhor já seja um “espírito de luz”, acho que o sr. está em um lugar errado. Deveria ter ido para, digamos, “alfa centauro” ou qualquer outro buraco mais adiantado do que a terra, já que neste nível aqui é para pessoas que se degladiam… Idiotisse arrematada: será como estará o pessoal de Capella??. Ah! Talvez o senhor seja de lá, e, pelo que a ciência diz sobre tal estrela, o senhor lá deve viver no sol, já que seu decodificador diz que há “espíritos” morando no sol, em marte, na pqp, e vaí por ai ( o pqp é porque nós cristãos acreditamos que o inferno seja assim, como Capella. E nós temos certeza que o inferno é habitado por satanás e seus anjos!)
    Quando ao texto de São João, pelo amor de Deus, escreva ele de forma correta e não faça como Lutero que falsificou a Bíblia para provar suas falsidades. Está escrito lá ASSIM: “8 Quando o Advogado vier, ele vai desmascarar o mundo, mostrando quem é pecador, quem é o Justo e quem é o condenado. 9 Quem é pecador? Aqueles que não acreditaram em mim. 10 Quem é o Justo? Sou eu. Mas vocês não me verão mais, porque eu vou para o Pai. 11 Quem é o condenado? É o príncipe deste mundo, que já foi condenado.»
    12 «Ainda tenho muitas coisas para dizer, mas agora vocês não seriam capazes de suportar. 13 Quando vier o Espírito da Verdade, ele encaminhará vocês para toda a verdade, porque o Espírito não falará em seu próprio nome, mas dirá o que escutou e anunciará para vocês as coisas que vão acontecer. 14 O Espírito da Verdade manifestará a minha glória, porque ele vai receber daquilo que é meu, e o interpretará para vocês. 15 Tudo o que pertence ao Pai, é meu também. Por isso é que eu disse: o Espírito vai receber daquilo que é meu, e o interpretará para vocês.”
    Tenha, então, a paciência de LER o que está escrito e não DISTORCER ao seu favor, vendo no texto coisas que sinceramente DESMENTEM o espiritismo ( foi por isso que o sr. ocultou a condenação de satanás?? = Ah, eu sei porque: meu amigo espírita diria que “Cristo jamais teria dito isso. Isso foi acrescentado por alguém….);
    Amigo, a Bíblia para os senhores é um livro histórico, ultrapassado. Não usem dela para corroborar as estultisses que aquele sr. Kardec repassou, pois se fosse hoje, a ciência que ele defende, o teria enfiado em um manicômio judiciário por loucura mesmo.Uns dizem que são Napoleão Bonaparte. Ele, que era um Alan Kardec, sacerdote druida.
    Por fim: o espírito da enganação confundiria os eleitos, se isso fosse possível!
    Não escreverei mais aqui a não ser que os argumentos melhorem.

  11. Ricardo RJ says:

    Kardec defendia a polêmica saudável e construtiva no debate das idéias,sem ofensas aos contraditores,nem deselegância no vernáculo.Um bom debate de idéias exclui a linguagem grosseira e as ofensas pessoais.A idéia espírita incomoda tanto alguns,que eles se sentem pessoalmente ofendidos por ela.A doutrina espírita coloca nas mãos do homem a condução de seu própio destino,sem intermediários(sacerdotes,gurus ou similares),e explica claramente as questões trancedentais que interessam a humanidade desde sempre.Não concordar com a ideia espírita é direito sagrado de qualquer indivíduo,até porque a mesma não ameaça com penas eternas seus detratores,mas para negá-la faz-se necessário estudá-la e compreendê-la,isso para não ultilizar velhos chavões do cristianismo ortodoxo,como “o espírito da enganação confundiria os eleitos,se isso fosse possível”Ora,a doutrina espírita é uma proposta de vida,formando,quando bem compreendida,adeptos de boa índole e bom proceder na sociedade,não estamos aqui para enganar ninguém,tanto que não se faz proselitismo na doutrina espírita,não temos interesse financeiro nenhum,não vendemos lugar no céu,nem bençãos ,nem graças ,nem nada do gênero.Só nos interessa melhorar a humanidade através de nossos postulados

  12. anderson says:

    olaa
    nao me considero um espirita mas sim um simpatizante, já que há alguns anos ouvia uma radia espirita, quaze todos os dias.
    por isso digo que minha opiniao pode ser corrompida, por minha simpatia a tal doutrina, observei que, quando gostamos de uma coisa é muito dificil aceitar, algumas verdades que a cercam, neste sentido, algumas criticas co relação o espiritismo ao meu ver são de grande importancia.
    porém vejo algumas criticas de pessoas que realmente são inteligentes, e estudas, o que de fato, difere muito de pessoas plenamente bem informada, ou mais proximas da verdade.

    pois as pessoas criticam uma doutrina, ou religião, de maneira muito bem argumentada, mas por outro lado, precisamos ter em mente que a verdade não é absoluta, éla é apenas um reflexo, daquilo que pensamos ser verdade. o que quero dizer é que verdades mudam, pensamentos mudam, isso se refere tanto aos ceticos(os quais me simpatizo), e aos espiritas(os quais tambem me simpatizo).

    mas as vezes, as coisas se complicam:
    é meio dificil esta em cima do muro, aceitando meias verdades daqui ou lá, porem, não podemos esquecer que samos uma parcela disto tudo.

    o que me decepciona as vezes é que dificilmente vejo alguém ou alguns comentario, que se preucupa, em harmonizar tais verdades, mesmo que elas sejem opostas uma das outras.
    me parece que o gosto, pelo desafio, é maior do que o gosto investigativo da auto consciencia, e das relaçoes intrisicas e sujetivas do ser, pensamento, intereçoes,emoções.

  13. Sonia N. says:

    Olá amigos, sou nova nessa área, mas gostaria de participar. O último comentário do Sr. Jorge em 5 de dezembro, confirma, em vez de corrigir, possíveis erros de interpretação de Claudio Branco, ao citar aqueles trechos do Evangelho de Jesus. Negação fanática, cega o negador, a ponto de dar munição para o inimigo. Na tentativa desesperada de corrigir, o Sr. Jorge se socorre do próprio Cristo, que cita a palavra espírito várias vezes e profetiza a vinda do Espírito da Verdade para esclarecer o que Ele ainda não poderia, pois, não seria entendido. Parece que o Cristo referia-se a um futuro distante; porém, se a reencarnação não existe, a quem Ele estaria prometendo um esclarecimento melhor? Se não era para aqueles que o estavam ouvindo naquele momento, então para que prometer? Mas, se Ele estava profetizando para aqueles mesmos, então isso aconteceria numa vida futura, possivel apenas pela reencarnação. Levando-se o trecho evangélico ao pé da letra, é isso que se entende.
    Outra coisa: porque outros futuramente mereceriam esta deferência e não aqueles que estavam ao seu lado naquele momento, tão interessados na sua mensagem, a ponto de confrontarem o judaísmo e se converterem a uma nova doutrina que nascia (cristianismo), correndo sérios riscos? É fato histórico o horror enfrentado pelos cristãos no início do Cristianismo. Foram esses heróis da fé que semearam a Boa Nova pelo mundo de então, sem avião, sem celular,sem rádio, sem televisão, sem jornais, sem dízimo, sem conversíveis, sem hotéis 7 estrelas, sem “acompanhante de viagem”, sem roupas e sapatos de marca, sem microfone, etc. Levavam consigo apenas a certeza de terem encontrado “O” significado para suas vidas e queriam compartilhar essa dádiva com tudo e com todos.
    Outra coisa, o que aconteceu com os que nasceram antes de Jesus Cristo e não tiveram a graça de receber o Seu ensinamento? Estão condenados eternamente? Em caso afirmativo, por que? Em caso negativo, então prá que Jesus nasceu?
    Abraços

  14. Leandro Lemos de Oliveira says:

    Adorei o artigo. Adorei o autor.
    Espiriritismo é por definição folclórico. As imagens de materialização são as mais absurdas. Quero ver em plena era de detetives digitais e com a mídia super avançada fotos como aquelas serem tiradas por aí.

    Assim como sumiram os milagres católicos, sumiram as materializações espíritas. O que aparece, hahaha, prefiro acreditar em fotos de disco voador, pois algo no céu posso ver e chamar de ovni, agora, fantasmas… desafio os espíritas do mundo inteiro a se concentrarem e me mandarem um.

  15. alessandro campos says:

    todos os ceticos um dia vão se questionar ,ou por uma doença grave ou por uma perca familiar ,esperem a vida ensina ,tudo é bonito quando nao se esta perto da morte.

  16. Jesa nideck says:

    O intercâmbio com os espíritos é um movimento sagrado, em função restauradora do Cristianismo puro e verdadeiro; que ninguém, todavia, se descuide das necessidades próprias, no lugar que ocupa pela vontade do senhor. Que a maior surpresa da morte carnal é de nos colocar face a face com a própria consciência, onde edificamos o céu, estacionamos no purgatório ou nos precipitamos no abismo infernal; vem lembrar que a Terra é oficina Sagrada, e que ninguém a menosprezará, sem conhecer o preço do terrível engano a que submeteu o próprio coração. Nossa consciência diz bem alta que não basta à criatura apegar-se à existência humana, mas precisa saber aproveitá-la dignamente; que os passos do Cristão,em qualquer escola religiosa, devem dirigir-se verdadeiramente ao Cristo, e que, em nosso campo doutrinário, precisamos, em verdade, do Espiritismo e do Espiritualismo, mas , muito mais, de ESPIRITUALIDADE.

  17. Jesa nideck says:

    Esta planeta não é morada definitiva dos seres humanos, nosso espírito não começou a evolução aqui, não somos donos da Terra, somos espíritos vindos de passados de outras regiões do universo, material e espiritual, já que hora estamos na matéria e hora fora dela no mundo real, onde a verdadeira vida é infinita e não está sujeita ao fim, pois é eterna para todo o sempre.
    Nossos irmãos inferiores de dna, estão fazendo sua evolução neste planeta,eles não perturbam seu equilíbrio nem destroem a casa. Estamos aqui a bem pouco tempo, e foi o suficiente para desordenar a casa toda.Temos que ser consciente porque somos seres que espirituais, e nosso espírito apesar de estar muito, mais muito mais a frente dos nativos deste planeta (os animais “irracionais”).
    Temos o livre arbítrio, podemos decidir, escolher.Podemos fazer o bem ou o mal, dependendo do nível de consciência de cada um. Nosso corpo carnal aida está bem próximo da animalidade selvagem, e ainda conservamos vários instintos que é de origem deste planeta. Somos espíritos imperfeitos ainda, porque temos toda a eternidade para aprender, e as vezes escolhemos caminhos errados e podemos descer mais baixo do que os próprios selvagens. Devemos superar a matéria porque ela é somente temporária e moldavel para nossas necessidades. Devemos pensar mais em ficar bom do que ficar rico. O dinheiro nunca pode falar mais alto do que a justiça, o certo, o bem o espiritual, ele deve ser usado somente para nossas necessidades e não para o nosso descontrole e excesso. temos que pensar conscientemente, e temos inteligência o suficiente para entender o bem, porque pertencemos a eternidade espiritual, e não a terra material.
    Temos que evoluir não somente a parte material, que podemos interferir para melhor ou para pior , mais temos que evoluir por obrigação de espíritos divinos e belos que somos, principalmente a espiritualidade.A nossa consciência espiritual habita temporariamente este corpo carnal descartavel. Acorda para a verdadeira vida e não durma na hora da morte, porque morrer não existe nem mesmo para a matéria, nós inventamos esta palavra para poder expressar nossas próprias inseguranças medo e covardia diante do infinito e eterno. Não podemos ser céticos em relação a espiritualidade porque ela é real, tão real como nossa consciência.

  18. Jesa nideck says:

    Em todas as épocas da humanidade tivemos, gênios, artistas incomparáveis, homens de grande inteligência.
    Todos eles foram inspirados, e buscaram inspiração, afinal o que é a inspiração?
    De onde vem?

  19. Jesa nideck says:

    Os fenõmenos espíritas modernos têm chamado atenção sobre os fatos análogos que ocorreram em todas as épocas, e jamais a história foi mais compulsada, sob esse aspecto, que nestes ultimos tempos. Da semelhança dos efeitos, conclui-se a unidade da causa.
    Como para todos os fatos extraordinários cuja razão é desconhecida, a ignorancia viu uma causa sobrenatural, e a supertição as ampliou acrescentando-lhe crenças absurdas; dai uma multidão de lendas que para a maioria, são uma mistura de um pouco de verdade e muito de falso.
    As doutrinas sobre o demônio, que prevaleceram por tempo tão longo, tinham de tal modo exagerado seu poder, que haviam, por assim dizer; feito esquecer Deus; foi por issoque se lhe fazia honra por tudo que parecia sobrepujar a força humana; por toda parte aparecia a mão de satã; as melhores coisas, as descobertas mais uteis,sobretudo todas aquelas que podiam tirar o homem da ignorância e alargar o círculo de suas ideias, muitas vezes,foram olhadas como obras diabólicas. Os fenômenos espíritas, mais multiplicados em nossos dias, sobretudo melhor observados com a ajuda das luzes da razão e dos dados da ciência, confirmaram, é verdade, a intervenção de inteligências ocultas, mas agindo sempre nos limites das leis da natureza, e revelando, pela sua ação, uma nova força e leis desconhecidas até agora. A questão se reduz, pois, em saber de qual ordem são essas inteligências.’

  20. Jesa nideck says:

    Enquanto não houve, sobre o mundo espiritual, senão noções incertas ou sistemáticas, pôde-se enganar; mas hoje, quando observações rigorosas e estudos experimentais lançaram luz sobre a natureza dos Espíritos, sua origem e seu destino, seu papel no universo e seu modo de ação, a questão se resolve pelos fatos. Agora sabe-se que são as almas daqueles que viveram sobre a terra. Sabe-se também que as diversas categorias de Espíritos, bons e maus, não constituem seres de diferentes espécies, mas não marcam senão diversos graus de adiantamento. Segundo a classe que ocupam, em razão do seu desenvolvimento intelectual e moral, aqueles que se manifestam se apresentam, sob aspectos muito opostos, o que não os impede de terem saido da grande família humana, tão bem quanto o selvagem, o bárbaro e o homem “civilizado”

  21. Jesa nideck says:

    Em meio à crescente proliferação de doutrinas exóticas no seio mesmo do nosso movimento, sobremodo nos preocupam aquelas cujo resultado é a deturpação da legitima visão espírita de Jesus de Nazaré.

    Ao contrário do que a negligência de muitos confrades pode supor, Allan Kardec deixou-nos bem definida a concepção espírita sobre a natureza do Cristo, quer física, quer, sobretudo, espiritualmente.

    No comentário ao nº 226 de O Livro dos Espíritos, o codificador estabelece que, quanto ao estado no qual se encontram, os espíritos podem ser encarnados, errantes ou puros. Acerca dos puros, dizem os espíritos superiores: “Não são errantes… Esses se encontram no seu estado definitivo.”

    Tal é a condição espiritual de Jesus: a dos espíritos puros, ou seja, a dos espíritos que “percorreram todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria” (Ob.cit.,nº 113). Apesar de integrar o número dos que “não estão mais sujeitos à reencarnação em corpos perecíveis”, dos que “realizam a vida eterna no seio de Deus” (id. Ibid.), entre nós, por missão, o mestre encarnou-se. Conforme o nº 233 de O livro dos espíritos esclarece, “os espíritos já purificados descem aos mundos inferiores”, a fim de que não estejam tais mundos “entregues a si mesmos, sem guias para dirigi-los”.

    É bem verdade que no comentário ao nº 625 da mencionada obra, Allan Kardec apresenta Jesus como “o tipo da perfeição moral a que a humanidade pode aspirar na Terra”, em quase exata conformidade com o que diz sobre os espíritos superiores, os quais, segundo ele: “Quando, por exceção, encarnam na Terra, é para cumprir missão de progresso e então nos oferecem o tipo da perfeição a que a humanidade pode aspirar neste mundo” (nº 111).

    Cumpre-nos salientar que na doutrina espírita o rigor do conceito de pureza se concentra na expressão “puro espírito”, que Kardec explicou ser o estado dos seres que tradicionalmente são chamados “anjos, arcanjos ou serafins”; entretanto, com isso, não quis o codificador estabelecer a existência de gradações no estado de pureza espiritual; basta confrontarmos o item 111 com o item 226 de O livro dos espíritos.

    Contudo, o sacrifício tipicamente missionário de um retorno à Terra, mesmo quando já não há necessidade desse tipo de experiência para evoluírem, é meritório aos espíritos superiores, do ponto de vista de sua progressão, pois não integram ainda a classe dos puros espíritos, não se encontram ainda no seu “estado definitivo”.

    Alguns entendem que este seria o caso de Jesus de Nazaré. Ele teria atingido a perfeição, ou, quiçá, um grau evolutivo mais alto entre os filhos do homem somente após o cumprimento de sua missão, o que, alias, é sugerido pelo autor da Epístola aos hebreus, o qual entende que Jesus, por seus sacrifícios, teria passado, de `sacerdote’, à condição de `sumo sacerdote’ da ordem de Melquisedeque.

    Não desposamos essa idéia, embora admitamos que não confronta com o ensino de O livro dos espíritos, no qual, de fato, Jesus figura ainda como espírito superior; passível seria ele, portanto, de aperfeiçoamento.

    A codificação espírita, todavia, não termina em O livro dos espíritos, começa nele. Allan Kardec desenvolveu e aprimorou o conceito espírita sobre a condição espiritual de Jesus como fez com relação a outros temas. Se não, vejamos.

    Já mesmo em O livro dos médiuns, obra que constitui, segundo o próprio codificador, a seqüência de O livro dos espíritos, Allan Kardec passou a classificar Jesus como espírito puro. Na nota que escreve à dissertação IX do cap. XXXI, distingue, com absoluta clareza “os espíritos verdadeiramente superiores” daquele que representa “o espírito puro por excelência”, por desvelada menção a Jesus Cristo.

    Ora, Allan Kardec diz que tais espíritos, mesmo superiores, não têm as qualidades do Cristo; de novo estabelece, portanto, diferença entre Jesus e os espíritos superiores, como fez em O livro dos médiuns, na aludida nota à dissertação IX do cap. XXXI. Isso tão- só porque os espíritos superiores ainda não são puros.

    Do livro: “Reencarnação – Lei da Bíblia, Lei do Evangelho, Lei de Deus.” – Sergio Fernandes Aleixo, ed. Lachâtre

  22. Jesa Nideck says:

    ´VEJA NESTE VIDEO DE 1971, CHICO JÁ DIZIA QUE EXISTE ÁGUA NA LUA , Shttp://youtu.be/eGjqhJ09BY4 E ISTO SÓ FOI DESCOBERTO EM 2009.

  23. Jesa Nideck says:

    No comentário à questão 188 de “O Livro dos Espíritos”, Kardec diz que, segundo informações da espiritualidade, a população marciana é mais atrasada que a terrestre.

  24. Jesa Nideck says:

    A ciência sempre falou e provou segundo ela , que marte não tem vida , vejamos quem estava certo.

  25. Jesa Nideck says:

    É verdade ,que sômos Deuses porque sômos filhos de DEUS-
    Na realidade ainda nos falta muito para realmente sermos chamados filhos de DEUS,mas um dia destes(risos)chegaremos lá,e, ai sim iremos fazer coisas que hoje parecem ser extraordinárias,que serão normais no futuro,fruto do nosso trabalho evolutivo.

  26. jesa nideck says:

    Ser cético, é colocar uma parede no limite e viver do lado de dentro dela!

  27. jesa nideck says:

    Nossa ciência é como um bebê que está abrindo os olhos agora, não entende ainda nem mesmo o que consegue ver.

  28. jesa nideck says:

    A ciência desconhece uma das principais faculdades presentes nos seres pensantes, a intuição.

  29. jesa nideck says:

    A própria ciência, pode ser filha da religião.
    E a religião que conhecemos pode guardar vestígios de uma ciência ainda mais antiga e mais reveladora do que a atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑