MENU

Menino filma “fantasma” com celular?

macaco2.jpg

Se a evolução é real, por que nenhum chimpanzé...

24 de fevereiro de 2009 Comments (17) Views: 2057 Ceticismo

Atualizações em “Obras Psicografadas”

O blog “Obras Psicografadas” foi atualizado com três notas interessantes sobre a mediunidade de Chico Xavier:

Tags: , , ,

17 Responses to Atualizações em “Obras Psicografadas”

  1. Sr. Spock disse:

    Seres Interplanetários

    Adoro as descrições dos seres, sociedades e civilizações.

    Adoro como a Política de Não-Interferência entre civilizações-mundos não considera os Médiuns.

    Adoro as datações dos testemunhos e as coincidências com descobertas científicas (terrestres), nunca achamos termos e conceitos precisos em previsões, apenas em pró-visões.

    Adoro a influência/plágio da literatura de ficção científica nos testemunhos, e…

    Adoro como plagiadores argumentam que suas descrições-testemunhos se assemelham por se tratarem da mesma coisa, servindo para comprovar sua “veracidade”.

    Adoro como estas mesmas semelhanças se contradizem em outros fragmentos de seus testemunhos.

    Adoro os partidários que pipocam para suportar seus líderes, os relatos emocionados daqueles que vivenciaram um “milagre”.

    Adoro a criatividade destes partidários ao discursar estórias de conhecidos, e…

    Adoro como estes conhecidos não estão dispostos a fornecer evidências, ou elas evaporam, ou ainda tratam-se de apenas testemunhos pessoais.

    Adoro como opositores anônimos não verificáveis aparecem do nada atacando, ofendendo e agredindo as testemunhas, partidários e líderes, com tanto furor e má educação.

    Adoro então como os partidários prontamente apresentam-se à responder, complacentes e educados, elucidando-os e instruindo-os sobre o assunto, para que outros leitores vejam como são perseguidos e oprimidos, mas sua causa é nobre.

    Adoro tanto tudo isso. Toda essa interação. Todo o esforço.

  2. Carlos Magno disse:

    Amo cada vez mais a vida terrena, com seus contatos darwinianos do terceiro grau s demonstrar que o homem é um produto sabidamente hereditário de uma espécie hominídea, que ninguém sabe nem nunca viu.

    Amo as falácias de que as espécies evoluíram sozinhas por seleção natural e sobreviveram unicamente por conquistas dos mais fortes.

    Amo toda a parafernália darwinista, que busca introduzir na mente dos estudantes que nunca existiu uma evolução criada e conduzida por uma grande inteligência super-humana, chamada simplesmente Deus.

    Amo quando pesquisadores teóricos alcançam patamares intelectuais do ceticismo “não vi, logo não existe” e se tornam técnicos da negação com associações e títulos beneméritos, vivendo um mundo de literatura e sonhos, porque odeiam admitir que há um Criador.

    Amo quando céticos da negação misturam o Deus bíblico de Moisés, um deus local e racial, com o grande arquiteto dos mundos e sistemas solares, e quando não sabem sequer o que sejam simbolismos e história.

    Amo quando os ávidos por derrocar todo o tipo de comunicação espiritual buscam esperançados, afanosa e febrilmente nos grosseiros argumentos, nos depoimentos falaciosos e apócrifos dos doutos despeitados, – depositários de um pensamento mirabolante e ambicioso de reconhecimento, – a afirmação pífia e risível de haver desmascarado a crença de milhões de otários por todo o planeta.

    Amo quando aqueles que nunca pisaram uma nobre casa de espiritualidade lançam imprecações contra os pacíficos médiuns e seguidores de uma doutrina espiritualista, porque odeiam a tudo o que ascende e espelha um trabalho não entendido por eles, não sabido e odiado, e os odeiam mais ainda porque aqueles seguidores ousam demonstrar que a vida não é somente matéria.

    Amo quando ateus e céticos não sabem explicar da incoerência de o homem sendo um Eu-Matéria, vir inventar um Deus, as religiões, as abstrações, fatores dimensionais não captados por suas metodologias científicas, mas inerentes ao homem, tais como o pensamento, as emoções, o psiquismo em si mesmo, a alma, o espírito, etc, – justamente para se contrapor a lógica unilateral dela própria, a inteligente matéria, pai-mãe dos infinitos e grandiosos mundos e da pequeníssima e privilegiada Terra.

    Amo quando os ateus e céticos lançam mentiras e anátemas contra a hombridade de médiuns sinceros, de místicos, esotéricos e espíritas honestos, e afirmam que Deus não existe, mas nunca conseguiram provar que Ele de fato não existe, pois somente boquejam com argumentos impregnados pelo hálito da besta que os mediunizam através de brumas de seus próprios pensamentos.

    Amo e adoro a toda essa patuscada jactante dos desesperados que buscam inversamente por um objetivo e sentido verdadeiro da vida, porque sei que quanto mais procuram negar e se afastar de uma realidade latente, latejante e inerente ao homem, e ao exercitar sentimentos destrutivos e razões rastejantes, mais se aproximam da verdade!

    Amo, principalmente, porque sei que os sinceros espíritos e crentes têm Deus no coração, assim enxergam o que os orgulhos doutos e seguidores dos gênios da matéria não conseguem enxergar, e por isso os entendem e absolutamente com nada do que imprecam e maldizem se importam, agradecendo-os com ternura e amor por lhes conceder mais uma oportunidade de amar a quem os odeia.

  3. jesa nideck disse:

    Adoro as pessoas que só porque tem alguns aninhos de estudos na terra, que são insignificante diante de tantas verdades desconhecidas e até totalmente descompreendida.Adoro a ignorancia diante de fatos espirituais.
    Adoro saber que o professor jesus por muitos ainda não foi compreendido,e assim se prova o verdadeiro sentido da ignorancia humana. Adoro saber que por mais que a ciência sabe, ainda nada sabe.
    E adoro saber que a ciência mesmo sabendo quase nada, conseguirá provar a existencia dos espíritos, e nesse dia o intelectual ficará analfabeto diante de tantas informações.

  4. Isaias disse:

    Eu não amo nada disso e me parece, no mínimo, incoerência, uma pessoa dizer que a ciência nada sabe e mesmo assim fazer uso da medicina.

    • Carlos Renato disse:

      A ciência nada sabe mesmo. Está engatinhando e enquanto afirmar que nada existe acima do mundo material em que vivemos, vai continuar assim.

  5. aline disse:

    Ora pois: DEUS nós deu inteligência atravez dos anjos para que possamos de alguma forma ajudar pessoas…..quem somos, pra criticar o que de fato não conhecemos, temos que agradecer a DEUS…e pedir entendimento;mais acredito que so compreenderemos quando sairmos do nosso cativeiro terreno e encontrarmos com DEUS nosso PAI.então façam algo de util por alguem, que de fato se procurarem vão encontrar tanta gente precisando de ajuda….

  6. rosangela de noronha disse:

    AH! Adoro também e saber que existe pessoas como eu… criticos,leigos,que acreditam em histórinhas as vezes não, adoro saber que jesus cristo era filho de Deus, depois disseram que era o proprio Deus, agora li acima que ele é um professor, pode ser que seja tudo isso… quem sabe? aline ai de cima DEUS deu a INTELIGENCIA…. PARA AJUDAR PESSOAS….pode ser…mas voce concorda que seria mais faci ELE com “SEU PODER DE CRIAÇÃO, ajudasse mmmmuuuito mais com muito mais facilidade do que nos pobres e ignorantes mortais sem poderes?ME DESCULPE MAS EU NÃO ENTENDO O QUE DEUS QUER COM A GENTE OU DA GENTE ,EU QUERIA ACREDITAR NELE, SABER DELE , SE ELE REALMENTE EXISTE, ENFIM…VEJO PESSOAS PEDIREM, PEDRIREM, não alcanção a graça e diz que foi a vontade de DEUS que aquela pessoa morreu ou foi atropelada ou assasinada , soterrada… essa foi a vontade de DEUS? MAS ele NÃO É NOSSO PAI? continuo não entendendo DEUS.

  7. Sonia N. disse:

    Rosangela, as suas dúvidas são as mesmas de muita gente. A religião fez isso conosco, ao ensinar que tudo que acontece na Terra é pela
    VONTADE DE DEUS. Tudo que acontece na Terra, seja para o indivíduo, seja para as coletividades, está relacionado à vontade dos homens e às leis da Natureza. Se um sujeito resolve usar o seu livre arbítrio (sua vontade) para matar alguém, como responsabilizar Deus por essa insensatez?
    “As chuvas estão fazendo grandes estragos…” assim tem começado a maioria dos noticiários, atualmente. Mas a que estragos nos referimos?
    A tudo aquilo que é inconveniente ao homem, que pensa no imediatismo das suas necessidades e fantasias e, por isso, mesmo comete desatinos, construindo moradias na beira de rios, na beira das praias, nos barrancos, no sopé de vulcões, no caminho dos furacões, na vertical em vez da horizontal, economizando material viando lucro… E aí quando a natureza faz a sua parte, que a curto, médio e longo prazo, beneficiará o ar, o solo, as águas e, consequentemente, a nossa fonte de sobrevivência, olhamos para cima, a cobrar de Deus: será o fim do mundo, Senhor? Que terei feito eu para merecer tão rude castigo? Por que eu, se nunca fiz mal a uma mosca? E mais um amontoado de asneiras, próprias de crianças inconsequentes, sem qualquer noção do que seja EXISTIR. Perde-se o chão, mas nunca uma promoção (de tênis, de jaquetas, camisetas, boné ou tops de marca).
    É Rosangela, a gente faz besteira e depois póe a culpa em Deus… é mais fácil, não é?
    Mas, para crer em Deus, basta olhar a natureza. Nada foi feito pelo homem e tudo obedece a uma lei de harmonia e equilíbrio. Harmonia e equilíbrio não resultam do acaso, portanto, são resultados de uma inteligência superior, que desconhecemos. E a essa Inteligência Superior é que chamamos de Deus. Basta OBSERVAR o nosso sistema solar – o nosso Sol é uma estrela de quinta grandeza em nossa galáxia, ou seja, é pequena. Entretanto o seu volume comportaria 2.000 vezes o tamanho de nosso planeta, a Terra. O nosso sistema solar está na periferia de nossa galáxia, a Via Láctea. E a nossa galáxia tem mais de 300 bilhões de estrelas, e possivelmente planetas em suas órbitas. E existem trilhões de galaxias maiores do que a nossa. Nada disso foi feito pelo homem. Então, como foi feito? A resposta É DEUS! Agora, querer explicar Deus é insano de nossa parte. A maioria dos habitantes do nosso planeta não sabe nem onde fica o seu fígado ou o seu estômago e para que eles servem.
    O cérebro e a mente têm inúmeras capacidades e funções por descobrir. Não conseguimos debelar uma doença como a gripe, cujo vírus, inteligentemente, a cada ano, promove mutações. Se fosse inumerar todas as nossas ineficiências, ficaríamos aqui dias e dias a digitar sem parar. E queremos SABER QUEM OU O QUE É DEUS! Fixar o pensamento nesta questão é candidatar-se à loucura.
    Abraços

  8. eduardo costa disse:

    Todos nós somos seres interplanetários, pois já passamos por vários planetas e hoje estamos no planeta terra q é simplesmente um planeta onde serve de expiação de erros e acertos anteriores

  9. William disse:

    COPIADO DE ““Obras Psicografadas”.

    Vitor,

    Mais uma vez, não há plágio em descrição geográfica, a menos se simplesmente copiar documentos sem renovar os estudos de uma determinada área, como procedia muitos monges na idade média.

    Vamos analisar sua acusação de plágio:

    Você relacionou a pág. 186 (Ernest Renan) com pág. 74 (Emmanuel).
    E. Renan nesse momento está em Carfanaum, assim como Emmanuel. A descrição realmente se assemelha, seria a parte que mais aparenta plágio, porém, enfraquecida demais diante do contexto dos dois livros imensos.Não significa nada.

    Você relacionou a pág. 186 e 105 (Ernest Renan) com pág. 74 (Emmanuel).
    E. Renan na pág. 105 está em Nazaré*, e Emmanuel em Carfanaum. Note que aqui você usa um procedimento desonesto, pois além de inverter a seqüência para enfraquecer a opinião de que não há plágio (colocou pág. 186 em cima e pág. 105 em baixo para relacionar com pág. 74), você não contextualiza*.
    Ernest Renan estando em Nazaré diz que o horizonte da cidade é estreito mas, por pouco que suba o planalto à perspectiva é esplendida (ou seja, é fácil avistar as características do horizonte). Parece que você “não sabe” a diferença entre planaltos e planície também, “nem nota” que a descrição do próprio Renan não está perfeitamente conforme nessa junção pretensiosa que você fez, pois está sob perspectivas diferentes (pág. 186 está em Carfanaum e pág. 105 em Nazaré). Por isso mesmo ele diz objetivamente (pág. 105) que “quase se entrevia, sobre os flancos de Hermon, Cesaréia de Filipe”, o que não acontece com Emmanuel em Carfanaum. As descrições objetivas dos dois autores em Carfanaum, naturalmente se aproximam mais (eu irei trazer descrições próximas de outras pessoas, concordando com as descrições dos autores). Seu plágio está muito fraco para olhos atentos, duvido que você consegue provar entre pessoas acostumadas a lidar com esse tipo de acusações.

    Sua acusação se limita a pequenos trechos, e não nas duas obras gigantescas no sentido até mesmo moral, além do material, por assim dizer, escritas com primor, que fique claro para todos. Enfim, “pequenos grãos de uma imensa praia” evidenciando sua intenção de “fazer chuva em copo d’água”.

    Resta a relação entre pág. 186-187 (Ernest Renan) com pág. 75 (Emmanuel).
    Não há plágio, há descrições razoavelmente próximas (diferem em detalhes suficientes para descaracterizar o plágio), objetivas.

    Seu plágio foi desmascarado.

    Vai ser preciso eu postar mapa aqui?!

  10. cristiano moura da silva disse:

    Esses sites de ceticismo são bons,pq ajudam a desmascar muitas fraudes.Mas o que eles não consegue desmascarar,se calam em sua tamanha ignorância.Pois é melhor calar-se do que dar uma de sabe tudo.
    Como no caso das fotos de espiritos as quais não sabem dizer se é fraude ou não.Ora se não conseguiram mostrar que é fraude,então ela é verdadeira.

    A sobrevivencia do espirito após a morte do corpo e a existência do mundo espiritual é inegável.É impossível tapar o sol com a peneira.
    Temos hj em dia a TVP,transcomunicação,psicografia,materialialização de espiritos.Só falta provar cientificamente a reencarnação.

    “Basta um único corvo branco para provar que nem todos são negros” (Loeffer)

  11. Diogo Menezes disse:

    Eu acho muito importante o trabalho feito neste site,nao sou ateu,nem cetico em varios assuntos,pois pra mim existem dois lados que atrapalham o entendimento,que sao os que idolatram,e os que ignoram,sao dois pontos que nao se diferem,apenas em suas crenças,um cre demais e em tudo que ve,outro nega tudo e se apega a uma materia que nem comprovada pode ser,vi acima que a ciencia nao sabe nada,nao e verdade,mas esta mais perto de nao saber nada,do que saber tudo,nao estamos angatinhando,estamos amamentando ainda cientificamente,mas quem nao se beneficia da ciencia???
    Mudando um pouco
    A maioria dos cientistas que fizeram nome,que descobriram coisas importantes,eram alvo de ceticos como alguns atuantes neste site(alguns)e como dizia nosso grande Albert Einstein
    ”No momento que uma mente se abre a uma ideia nova,ela nunca retrocede ao tamanho anterior” concordo c ele(olha minha pretensao,kk)
    Acho que enquanto nao acabar esta ”guerrinha” entre ceticos e fanaticos,dificilmente um conseguira convencer o outro de que cada um esta um pouco errado
    MINHA OPINIAO!
    PAZ A TODOS

  12. Claudio Cunha disse:

    O único problema que vejo em questionar é não sabermos fazer a pergunta certa. Pelo que deprendo desta página, ninguém quer ser dono da verdade ou desqualificar qualquer crença. É lógico que o que sabemos é uma gota e o que não sabemos é um oceano e blá, blá, blá… Mas avançamos bastante desde que saímos das cavernas. E avançamos pela imensa curiosidade, e a partir daí, capacidade de transformar nosso entorno para melhorar nossa qualidade de vida. Imaginem se não nos tivéssemos questionado nunca? Imaginem se tivéssemos nos acomodado? O ser humano ainda moraria nas cavernas e nem estaríamos debatendo se há ou não espíritos, sobrenatural etc., pois tudo seria sobrenatural. Então, o questionamento é fundamental. E seguir os passos da ciência também. E compreender que a ciência é limitada também. Sem que isto signifique acatarmos qualquer explicação que nos dê conforto momentâneo e explore nossa boa fé…

  13. Bruno L. Rocha disse:

    O mais engraçados, são a turminha dos espiritismo pegar o bonde andando e nem se dão conta que é um comercial do desodorante Axe.

  14. jesa nideck disse:

    Amo a ignorancia dos céticos que põe limite na própria consciência, isso é bom porque sabemos que a consciência não tem limite! A maior prova da ignorancia espiritual !

  15. jesa nideck disse:

    Como seria bom se os charlatões causassem resultados tão magníficos e grandiosos, nosso mundo seria perfeito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *