MENU
ovnisets.jpg

OVNIs e Extraterrestres – eles existem e nos visitam?

dr-fritz.jpg

Engenheiro que incorpora ‘Dr. Fritz’ é condenado por cirurgia...

28 de abril de 2009 Comments (22) Views: 1680 Ceticismo

The Brights – iluminando e elevando a cosmovisão naturalista

brightsbrasil

O mais novo sítio hospedado pelo projeto HAAAN é a tradução autorizada do site “The Brights’ Net”, realizada por Gilberto de Paiva. Nem todas as páginas foram traduzidas, mas isto é algo em que você, leitor e leitora, pode ajudar! “Ilumine e eleve uma cosmovisão naturalista” na tradução The Brights’ Net em português.

Tags:

22 Responses to The Brights – iluminando e elevando a cosmovisão naturalista

  1. Martinho disse:

    Em que consiste a vantagem de se ter “uma visão de mundo livre de elementos sobrenaturais e místicos?”. Mais um ponto para a dogmatização da ciência…

  2. Jairo disse:

    OS DOGMAS DA CIÊNCIA NÃO SÃO ETERNOS COMO OS DA RELIGIÃO, ESTÃO EM CONSTANTE EVOLUÇÃO.

  3. A ciência não tem “dogmas”. Tem apenas algumas imposições: metodologia, ceticismo, etc.

  4. P.S.: Esse Richard Dawkins é parente do Sagan? ;^)P

  5. Anon disse:

    Mori, além do teste com mapas astrais que você está preparando com Debbio (how’s that going?), você planeja mais alguma coisa a esse respeito?

    Estive lendo uns artigos antigos da TdC e ele estava disposto a ser submetido a qualquer tipo de teste. A certeza com que Marcelo fala disso tudo em que ele crê me espanta. Fico imaginando que se ele vivesse nos EUA, muitos céticos já o teriam testado inúmeras vezes, e teríamos vários resultados disponíveis na internet.

    Não existe alguma união cética brasileira para refutar essas coisas e criar experimentos controlados? Eu sei que você e Marcelo são amigos e conversam bastante sobre tudo isso. Que conclusões você tirou dessas conversas? Qual sua opinião sobre tudo que ele alega? Já que parece que ele descobriu algo que ninguém mais sabe e tem certeza de que está certo. Você já foi nos tais centros kardecistas, onde ele diz que se pode obter prova irrefutável dessas coisas?

    Desculpe ser tão incisivo. Não quero ser mal compreendido. Acho que se existe algo tão tangível e de fácil acesso para se ter evidências desse tipo, deveria haver certa prioridade, não?

    Estou deixando meu email verdadeiro, caso prefira responder por lá. Ando me interessando muito por isso e queria poder ter mais acesso a, pelo menos, o que você sabe sobre o assunto. Apreciaria ter uma conversa séria, se não for incômodo.

  6. Ombroseko disse:

    Peculiar e surpreendente essa filosofia bright, me interessou conhecê-la melhor…
    Dei uma olhada em muito dos hiperlinks, tem uma parte do site a do SUPORTE FINANCEIRO que ainda não está traduzida e que me chamou muito a atenção. Pelo que eu li “Na COMPRA de qualquer livro ou qualquer produto via website, (somente via web site) o Amazon retorna 6% de COMISSÃO a um Bright Net em cada compra”. Você DEVE COMPRAR através deste web site para receber o CRÉDITO. Puxa tá aí uma grande vantagem!

    Posso contribuir também com donativo, via PayPal, se minha contribuição for igual ou maior que $100 (cem dólares) receberei uma confirmação automática da contribuição nessa transação há taxa de 2%…

    “Junte-se ao Time-tarefa! Seja um Líder Time-tarefa! Acompanhe os periódicos Boletins Bright para oportunidades e uso do seu talento nesse movimento.”

    Alguém já entrou nessa? E aí? Vamos aderir?

  7. Ombroseko disse:

    Os Brights são a “religião da anti-religião”, é uma filosofia/ceita com uma nova e interessante roupagem
    sendo que esta lhe faz tornar o culto do ceticismo muito interessante.
    Penso que os fundadores estão tirando um enorme sarro das religiões convencionais, usam discursos pseudo-céticos, digo, naturalistas… e arrebanham simpatizantes.
    Lema: “equitatividade civil” bonito! Mas não é diferente de “igualdade social” clichê de tantas outras, digo a vocês que filosofia Bright é mais sofisticada e é vanguardista mas continua sendo ceita.

  8. “Que consiste a vantagem de se ter uma visão de mundo livre de elementos sobrenaturais e místicos?”

    Criar remédios e tratamentos verdadeiros
    Aumentar a expectativa de vida das pessoas
    Criar tecnologia e progresso
    Fazer leis úteis
    Criar um estado laico
    Igualdade entre os sexos
    Fim da escravidão
    etc
    etc
    etc

    Esses e muitos outros assuntos só tiveram vantagens e progressos quando as pessoas começaram a encará-los de modo racional e naturalista. Não precisando mais recorrer ao sobrenatural para solucionálos e explicá-los.

    Por exemplo, foi uma tremenda vantagem para a humanidade descobrir que as doenças são causadas por vírus, bactérias, genes defeituosos etc ao invés de castigo divino, demônios ou espíritos sombeteiros…:-)

    Outro exemplo, foi a criação de tecnologia, como a internet, para se comunicar com as pessoas, mesmo pessoas ignorantes que usam essa mesma tenologia para criticar a ciência (visão naturalista).

  9. Martinho disse:

    A ciência é dogmática. Dogmática não em seu método ou lógica, mas sim em suas idéias defendidas pelos homens. Então eu poderia dizer que os cientistas são dogmáticos. A resistência em desenvolver teorias ou em realizar determinadas pesquisas, por simplesmente achar absurda é dogmática. A ciência, em seu sistema lógico, é perfeita, mas não se pode dizer ao certo se é absoluto, como difundido pelos cientístas.
    A ciência é arrogante. Só admite o erro quando se prova por n métodos que está errada, quando as vezes a verdade é patente. Diga a um médico que existem transfusões de sangue docuemntadas à idade média e ele vai rir de você. Mostre o docemnto e ele dirá que são equivocados.

    Minto, não é a ciência que é dogmática ou arrogante. Somos nós.

    [# Jairo Diz:

    abril 28th, 2009 at 5:21 pm

    OS DOGMAS DA CIÊNCIA NÃO SÃO ETERNOS COMO OS DA RELIGIÃO, ESTÃO EM CONSTANTE EVOLUÇÃO.

    Mário César M. de Araújo Diz:

    abril 28th, 2009 at 7:25 pm

    A ciência não tem “dogmas”. Tem apenas algumas imposições: metodologia, ceticismo, etc.]

  10. Martinho,

    Risos..:-)

    Primeiro, você pergunta “que vantagens o pensamento naturalista deu ao mundo”. Eu listei vários. E na sua mensagem seguinte VOCÊ NEM COMENTA ISSO!!

    Depois você acusa a ciência de ser dogmática, e na mesma mensagem escreve:

    ” [a ciência] admite o erro quando se prova por métodos que está errada ”

    Eu pergunto: Isso é comportamento de uma instituição “dogmática”? Recorrenher erros e mudar de idéias? Isso é comportamento de pessoas “arrogantes”?

    Por fim vc seleciona frases dos colisteiros Jairo e Mario Cesar e afirma que são “exemplos de dogmatismo e arrogância”, quando na verdade são exemplos mais e simples e cabais de como a ciência e seu método são livres, progressistas e intelectualmente honestos.

    Na boa, se tem alguém preso às mesmas idèias (e portanto dogmático) é você, Martinho. Se tem alguém se achando mais inteligente do que milhões de pesquisadores ao redor do mundo (e portanto arrogante) é você novamente, Martinho

    Risos…:-)

  11. Ombroseko disse:

    No fundo Bright é uma SEITA…

    Estão disfarçados de não-religião
    “Cultuar” esse movimento é o que afinal?

    Não paga dízimo mas paga donativo!
    Tem comercialização de produtos e até tem crédito para compras no Amazon…
    Isso é ridículo e o pior é que NÃO é DELÍRIO nem PIADA isso é SÉRIO!
    basta olhar com cuidado o site!
    http://www.the-brights.net/action/support/

  12. Bob Alicesson disse:

    Como se define o que é sobrenatural, objetivamente???
    Para uma pessoa que acredita em deus, deus não é algo natural para ela?

    Além disso, mesmo eu sendo ateu, acredito que a experiencia mística(que na minha visão tem muitíssimo pouco a ver com as religiões que eu conheço) é das melhores coisas que a pessoa pode ter. Varios cientistas já expressaram a opnião de que é possivel encontrar experiencias misticas na propria pesquisa científica.

  13. Eduardo Vianna disse:

    Salve, meus caros.

    Tenho para mim que um certo mal-estar em relação a esse movimento, se é que se pode chamar assim, está com o nome. Os Brilhantes… Talvez algum aspecto do que denunciam ou esmiuçam os céticos fique subentendido por esse nome, por essa autodenominação. Se um determinado segmento da cultura surgisse publicamente se autocognominando Os Geniais, ou Os Superiores, penso que o mal-estar seria semelhante. Para considerar um aspecto científico do assunto, a partir de uma ciência extremamente desafiadora, é possível que tenhamos aqui um problema de ordem semiológica. Muito barulho por nada: “novos” problemas em torno de questões tão “circulares”, tão ao redor de si mesmas. Não quero aqui diante de vocês, gente inteligente e rigorosa, parecer um idealista; não vou cair na armadilha de divulgar o idealismo como filosofia, mas quem sabe uma escola do pensamento genuinamente “brilhante” (a ser apontada pelos outros desse modo, sem autoproclamações quanto a seu próprio “brilho”), neste momento da técnica e da cultura em geral, fosse aquela que, sem abraçar nenhum esoterismo e sem idealizações grandes demais, propusesse objetos novos para a interpretação e a polêmica. É uma pena, nós ainda somos os mesmos, radicalmente os mesmos.

  14. Eduardo Vianna disse:

    Olá, meus amigos, deixem-me exemplificar o que eu disse agora há pouco, para não bancar o choramingas.

    Vocês se lembram de uma produção para TV chamada Arte & Matemática, do renomado matemático Luís Barco? Quanto interesse, quanta simplicidade, quanta criatividade, quanta surpresa! Penso que esse tipo de divulgação da ciência seja a mais bem-vinda em todos os momentos. Pra quem nunca viu, não é difícil conseguir a série Arte & Matemática pela internet. É como dizia Vinícius de Morais, beleza é fundamental. Sem essas chatices intermináveis entre “ciência” e “não-ciência” (a coisa não é tão simples assim, pelo menos eu não concebo uma associação entre a boa divulgação científica e o culto à personalidade de fulanos e troianos), sem esses bairrismos intelectuais, sem o risinho aristocático e sem a insuportável petulância de gargalhar na cara de uma pessoa só porque ela sente a necessidade de dizer acreditar em Deus — mesmo que se tenha quase sempre disposição pra dar esse tipo de gargalhada apenas pela internet. E tem o seguinte: muita gente no mundo inteiro considera o Luís Barco um sujeito simplesmente brilhante, sem que ele mesmo faça muito caso disso.

  15. Martinho disse:

    Fábio, eu axo que você não leu direitinho o meu texto :D, você diz que eu perguntei “que vantagens o pensamento naturalista deu ao mundo”, quando eu “pergunto em que consiste a vantagem de se ter “uma visão de mundo livre de elementos sobrenaturais e místicos?””
    Outra coisa, aciencia não reconhece seus erros facilmente, como eu havia dito no texto, enfim. Axo que ma segunda leitura seria salutar ;)
    Abraços!

  16. Marcelo disse:

    Mais uma seita entre tantas milhares que se espalham.

    Aliás, como já estava previsto na Bíblia.

    A diferença é que eles acham que podem impor sua visão distorcida como se fosse superior a qualquer outra.

    É a volta dos que não foram : “Iluministas” que acham que uma ditadura de tecnocratas seria o melhor para a humanidade.

    Gente que confude laico com laicista.

    Viúvas do marxismo assassino de mais de 100 milhões de pessoas.

    ri ri ri

  17. Eduardo Vianna disse:

    Olá, Marcelo, desculpe-me da demora em responder, não tinha voltado a ver este tópico. Você faz uma afirmação bastante estranha ao fim de seu comentário, segundo o qual os “brilhantes” seriam viúvas(?) do marxismo(?!). Você poderia dar algum fundamento ao que está dizendo? Ao que me conste, e é preciso ter um conhecimento mínimo em filosofia e história para afirmar coisas nesse terreno, movimentos como o dos “brilhantes” (com o qual eu também não simpatizo) não têm absolutamente nada a ver com o marxismo. Se você faz uma afirmação dessa natureza, pretendendo a sério se fazer entender, o ônus da prova recai sobre você, que é quem está concluindo seu pensamento com esse tipo de afirmativa. E então?

  18. Eduardo Vianna disse:

    Ônus da prova, ou pelo menos “ônus da evidência”, enfim, não se me expressei corretamente.

  19. Eduardo Vianna disse:

    Digo, não sei se me expressei corretamente, perdão.

  20. Eduardo Vianna disse:

    Bem, eu gostaria de rever a minha opinião a respeito desse movimento. Apesar de não gostar nem um pouco do nome, a meu ver extramamente infeliz por muito presunçoso e pouco eficiente, o princípio central de justiça cívica é de fato urgentíssimo. Concordamos quanto a isto, e é isto o principal.

  21. Renato M disse:

    Cara, quanta confusão por aqui. Esse movimento nada mais é que um estudo memético – estudo da difusão de um rótulo, idéia ou “meme”.
    Não é uma seita, é algo que questiona justamente isso.

    “pergunto em que consiste a vantagem de se ter “uma visão de mundo livre de elementos sobrenaturais e místicos?”

    Aí depende. Se você considera vantagem abrir os olhos para fatos e não mentiras, ou se acha que é mais feliz viver sem entender sua próprias ações, baseando-se em argumentos que não tem fundamento. Fique à vontade. Alguns se maravilham com a física quântica, outros acham que felicidade é acreditar na vida após a morte. Tem gente que é feliz com uma boa taça de sorvete.

  22. Douglas disse:

    O termo não é brilhante, e sim lúcido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *