MENU

Pé-Grande Ninja

Um zoom na (ex-)Face em Marte

16 de janeiro de 2007 Comments (2) Views: 1136 Ceticismo

Desmascarando um charlatão

James Hydrick ficou famoso por demonstrar que conseguia movimentar canetas em bordas de mesa e folhas de lista telefônica sem tocar com as mãos. Alegava que eram poderes paranormais e que requeriam algum treino para serem feitos.
Tudo não passava de um truque de respiração. Sua destreza em artes marciais permitiu que desenvolvesse um bom controle do abdomem, fazendo com que conseguisse exalar ar pela boca sem que ninguém percebesse.

No primeiro vídeo ele é desmascarado por James Randi, que espertamente colocou pedaços de isopor sobre a mesa em que estava a lista telefônica. Assim qualquer sopro seria prontamente visualizado. Neste momento Hydrick alegou que a luz e a eletricidade estática estariam atrapalhando, tentando justificar o seu fracasso.

No segundo vídeo outro mágico novamente desmascara os truques de Hydrick. Desta vez o charlatão decide revelar que era tudo fraude e que fazia aquilo para demonstrar o quão idiota eram os americanos e o mundo todo.

[Glúon Blog]

Tags: , ,

2 Responses to Desmascarando um charlatão

  1. Samuel Pelegrini disse:

    Até há uma maneira de acumular eletricidade estática e depois conseguir mover pequenos objetos, quanto mais objetos deslizantes, pedacinhos de papel etc, mas obviamente não como as pessoas imaginam ou esses idiotas tentam fraudar, é claro. Nada ‘sobrenatural’, apenas eletricidade estática que em certa quantidade e direcionada até proporciona alguma cinesia, mas nada extraordinário. Aquele lance de psi-wheel mesmo, o trequinho giratório de papel que neguinho move com a mão a alguma distância, é algo elétrico, não tem nada ‘yogi’ na coisa como dizem.

  2. Samuel Pelegrini disse:

    PS: Aliás, o lance todo é físico, mas aqueles bastardos (messias, avatares, santos e afins) mistificaram tudo pra viver de pernas pro ar com a grana doss crédulos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *