MENU
descobertas-cientificas.jpg

Quase vinte textos em Carnaval Científico

Médium incorpora espírito de pintor em contato com comandante...

18 de outubro de 2008 Comments (17) Views: 1598 Ceticismo, Ciência

Semana Cética na UFRGS: “Quem de nós é o Dodô?”

evolucaocriac423

Durante a V Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, cujo tema este ano é "Evolução e Diversidade", o Coletivo Ácido Cético articulou-se com o Projeto Ciência no Planetário e organizou um painel completo sobre o Criacionismo e suas diferentes vertentes em constante confronto com a Ciência e o Ensino Laico.

Em pleno século XXI, o movimento ressurge com a denominação de Projeto Inteligente (Intelligent Design), uma pseudociência que traz novos desafios à comunidade científica em seus esforços de divulgação e educação.

Não perca essa oportunidade de conhecer um dos grandes embates da Ciência moderna às portas do aniversário de 150 anos da publicação de A Origem das Espécies, a ser comemorado durante o ano de 2009.

Local: Planetário da UFRGS (sala multimeios)
Datas e horário: dias 21, 22 e 23/10/2008, sempre às 19h

Confira mais detalhes e programação completa aqui.

Tags: , , , , ,

17 Responses to Semana Cética na UFRGS: “Quem de nós é o Dodô?”

  1. Velho disse:

    Viu que hackearam o MundoGump? O cara é muito louco…

  2. Marcel disse:

    150 anos e nada de provas. Teoria,só teoria. Ademais, se a famigerada teoria se mostrasse exata, coisa da qual sou cético, isso implicaria que Deus não existe ? Ou apenas que Deus é o autor das leis que regem a evolução ?
    Só mesmo tolos que aderem à ciência de modo bobo sem que tenham, de fato, um treinamento científico é que imaginam isso.
    Se entendessem um pouco de ciência de verdade , em vez de apenas a cultuarem como se fosse uma seita, entenderiam isso.
    É por desonestidade intelectual que você senhor Mori apaga meus comentários ou por raiva por destruir suas esperanças vãs deixando-o sem argumentos ?
    Pobre Mori.

  3. Renato Z. Flores disse:

    Marcel: estudou pouco ou matou as aulas de biologia? Leu o blog daquele desinformado,um tal de Enézio Almeida Flho, um ignorante em evolução humana que até hoje clama pelo elo perdido?
    Só uma profunda, ampla, gigntesca, elefantina falta de estudos em biologia evolutiva permite a alguém dizer algo tão alienado como “nada de provas” em evolução dawiniana.
    Volta pra escola, brother, ou continue nela, se tiver oportunidade. Mais um conselho, para não parecer parco de luzes, não fale ou escreva sem estudar antes.

  4. sartori disse:

    Deus é o autor das leis que regem a evolução ?
    deixa ver…tu quer que eu acredite que no paraiso tem uma mesinha onde deus escreve e desenha a evolução do mundo, dai manda pro arte finalista que deve ser algum anjo de oculos, que depois de finalizar, devolve pra deus que aprova o design do produto e la na terra logo depois surge um sapo……!!!

  5. Filósofo disse:

    A questão de Deus e as ciências deve ser repensada diariamente.

    Em modernos tempos em que as ciências humanas avançam, ateus e agnósticos confessos estigmatizam o religioso por cultuarem unicamente um Deus antropomórfico.

    Como se o inverso de um Deus-Criador do universo inexistente para as ciências, fosse um inexistente Deus religioso com características humanas. Nem um nem outro, duas falsas idéias, sem possibilidades de antíteses.

    Se tudo no universo é basicamente energia e força, não há porque o cético debater que o Deus dos crentes é um ente super-humano, pois nem todos os religiosos entendem Deus dessa maneira.

    O religioso culto, estudioso ou mesmo erudito, não pensa em Deus em termos mitológicos. Mas seria muito mais aproveitável apresentar-se uma versão opositora a um Deus-Criador, elucidando sempre sem formalismos ou falsas premissas, sobre o que seja um Princípio mais consistente próximo do tempo zero que as ciências debatem. Ou seja, aquilo que pré-existiu ao tudo real!

    E se houve um Princípio, esse Princípio pode tanto simbolizar o Deus antropomórfico risível ao cético, como representar um Arquétipo-Base universal entendido e formulado pelos pensadores acadêmicos. Pois até o momento o grande enigma da criação está longe de ser desvelado e o religioso e o cientista estão absolutamente sem o controle do leme, submersos às mesmas leis governantes de todas as estrelas.

    Em suma, a questão, quem somos, de onde viemos e para onde vamos, está em aberto para discussão como sempre esteve.

  6. Transeunte disse:

    “O religioso culto, estudioso ou mesmo erudito, não pensa em Deus em termos mitológicos.”
    E pensa como?

  7. José Luís Santana disse:

    Peraí, até onde entendo, mesmo o religioso considerado como mais culto pensa SIM em Deus em termos mitológicos!!
    Se não pensa assim não é religioso.

  8. Marco Idiart disse:

    Caro Marcel
    Como deves saber Teorias científicas não podem ser provadas. Só
    desprovadas. E obviamente sempre é possível ridicularizarmos qualquer
    teoria. Também se pode acusar qualquer um de sectário ou fanático,
    até alguém que valoriza o conhecimento científico.
    A questão é quais são as opções disponíveis para entendermos a diversidade de vida sobre a terra?
    1) Temos a teoria da evolução. Uma explicação muito engenhosa feita por homens como tu ou eu. Que possui um gigantesco número de evidências
    a favor ( mas obviamente não “provas”), que pode ser discutida, debatida e até melhorada a medida que avançamos o conhecimento.

    2) Tem as teorias científicas antigas que cairam por terra, por
    força de evidências contra. O Lamarquismo por exemplo.

    3) Tem teorias sobre colonização alienígena. Mas estas só transferem o problema pra ali adiante.

    4) E finalmente tem as teorias religiosas cuja origem vem de histórias contadas, ou escritas por civilizações humanas antigas. Nestes relatos fala-se sobre origens mágicas da humanidade. E em geral as pessoas oiu grupos que contam tais histórias também nos dizem que temos que acreditar nelas como estão e parar que ficar metendo o nariz onde não devemos.

    Sinceramente Marcel. Qual delas te parece mais razoável?

  9. Fabiano disse:

    É fácil depois de anos de luta e pesquisa da ciência dizer que Deus é responsável por tudo. Difícil é admitir que a religíão está errada. Falar que deus é o Princípio que a ciência vem estudando não é tirar dele exatamente o que o torna um deus?

  10. Gatsby disse:

    Se estou entendendo o que disse o Filósofo, o Deus dos eruditos religiosos, não é um Deus religioso na acepção comum do termo. Logo seria um Deus que se aproxima dos ideais de energia e força dos místicos, acrescido de um atributo chamado amor que os leva ao êxtase quando com ele se identificam.

    Dá para entender então que é o mesmo Deus que as ciências não admitem porque dizem que não há um Deus,e sim, um Princípio ou Origem permeado pela lógica pura ainda que não comprovado na sua real essência. E, no entanto, por existir de maneira não condicionante foge sempre das equações matemáticas e dos modernos postulados quânticos.

    Resumindo: O filósofo quer mesmo dizer que Deus existe de fato, somente não pode ser demonstrado nem pelo religioso ou pelo místico, e nem pelas ciências. Será?

  11. Marcel disse:

    Meu amigo Marco idiart .

    A Bíblia não é um livro de ciências é um livro escrito para demonstrar como Deus e o homem se relacionaram através dos tempos e como o homem deve honrar Deus.

    Só tolos, estou falando dos neopentecostais e protestantes ignorantes, usam a Bíblia para criar teorias sobre tudo e a lêem literalmente e totalmente fora do contexto.

    Há ainda os “ateus espertos” que dizem que a Bíblia não é um livro aceitável por não falar em dinosauros, como você vê há ignorantes de todos os espectros.

    Minha pergunta é simples: Sendo Deus criador de todo o Universo haveria algum problema ele ser autor das leis, se um dia a teoria da evolução se mostrar correta, que regem a evolução ?

    Eu tenho certeza que não e é absolutamente natural imaginar que Deus sendo Onipotente pode criar leis e saber de forma precisa como as mesmas irão progredir no que chamamos de tempo.

    Alguns “ateus espertos” por pura ignorância acha que existe uma oposição irreconcíliável entre Deus e a teoria da evolução.

  12. Marco Idiart disse:

    Caro Marcel
    Veja você a confusão que se forma quando colocamos o conceito
    de deus e divindades no assunto. A biblia é apenas um livro
    de histórias. Muitas histórias de muitas épocas diferentes
    unidas, reescritas muitas vezes com diversas traduções ao
    longo do tempo. Como ela existem muitos outros. Cada pessoa, pastor, padre, denominação lê a bíblia de um jeito. Tu achas que o teu jeito é o certo, e chamas o pessoal que lê diferente de ignorantes. Estranho, não? Entre tantos, o que tens de especial?

    Infelizmente deuses não estão presentes no universo que vivemos. (Digo “infelizmente” pois gostaria de um mundo cheio de divindades andando por ai. Seria interessante).
    Mas não tem. E por isso a confusão de interpretações. O fato das divindades só aparecerem para civilizações atrasadas é de causar suspeita. Por isto a discussão sobre deus é muito
    precária. Ninguém sabe nada de deus. Nem tu nem os Brahmanistas, nem os Xintoistas, nem os neopentecostais.
    Para mim, discutir se as leis por trás da evolução foram
    ou não criadas por um deus, não parece algo muito frutífero.
    É como discutir qual é a melhor forma de massagear um venusiano.

    Se existirem divindades haverá uma forma inequívoca de nos comunicarmos com elas. E sabe a ironia? Quem tem mais chance de fazer esta comunição somos nós “céticos cientistas” e não os os que brandem livros sagrados.
    Até lá… sejamos honestos.

  13. Filósofo disse:

    Gatsby disse:

    “Resumindo: O filósofo quer mesmo dizer que Deus existe de fato, somente não pode ser provado nem pelo religioso ou místico e nem pelas ciências. Será?”

    Evidente, caro Gatsby, a dúvida foi sempre a mãe das reflexões e das pesquisas. Mas a questão da existência de Deus deveria ser sempre de foro íntimo. O verdadeiro pesquisador conclui por seu próprio trabalho e não pelo trabalho alheio. Mas chegar de fato ao conhecimento é ainda outra abordagem.

    Concluir sobre Deus não é como concluir sobre a energia do átomo, os níveis de gravitação de elétrons, e nem como fissurá-lo transformando-o em energia pura. Isso é manipulação com elementos pré-existentes da natureza. O homem já encontrou tudo pronto, o que ele faz é simplesmente transformar e inúmeras vezes destruir.

    Afirmar sobre Deus filosoficamente ou com aforismos também não é para qualquer um. É necessária muita sensibilidade, experiência vivida na meditação e na reflexão, são primordiais os estudos profundos dos livros deixados por antigos e sábios conhecedores. E atitudes. E o bom e inteligente religioso, com sua necessária simplicidade, detem também percepções humanas e limitadas da existência desse Moto Gerador ou Princípio Único. Mas as detem!

    E seria estupidamente ilógico admitir unicamente que a lógica humana científica fosse soberana num julgamento simples e objetivo sobre a inexistência de Deus. Se nossas ciências conhecerem objetivamente 1% do que nos rodeia, fiquem felizes e comemorem.

    Entenda bem, Gatsby, muitos falam em nome das ciências, mas simplesmente utilizam o epíteto a fim de apoiar suas índoles revoltadas, pois carecem de conhecimento. O verdadeiro conhecedor estuda com profundidade os temas para depois debatê-los. Se alguém deseja derrotar um oponente num debate é necessário conhecer o que ele conhece e um pouco mais, pois, contrariamente, suas réplicas serão farsas e sofismas.

    E quem no ocidente sabe mais do que o oriente de onde o conhecimento de Deus se originou? Assim, falsos debatedores é que mais conhecemos.
    Abs.

  14. Marcel disse:

    Marcos Idiart

    Mais uma vez você não entende quando fala de Deus.Dizer que Deus só aparece, como se Deus de repente se materializasse, para civilizações “atrasadas” é típico de quem não entende nada de Deus.
    Há sim uma forma de se comunicar com Deus e o aparelho para essa comunicação fica atrás de seus olhos e é chamado de cérebro, basta usá-lo.
    Sim eu acho , ou melhor , eu tenho certeza que a maneira que leio a Bíblia é a correta. Textos não podem ser interpretados de maneira livre e pessoal sem que o mesmo deixe de ser um texto e passe a ser um reflexo de quem lê.Cada texto tem sua coesão seus implicítos e seu contexto próprio quem o ler fora desses parâmetros de fato não lê nada.
    Você pode achar que a Bíblia é um livro de história e de fato acha isso primeiro porque não conhece Deus e segundamente porque não a lê de verdade só isso.

    Só espero que você não seja daqueles que sai por aí dizendo que a Bíblia é falsa porque não se refere a dinossauros.

    ri ri ri

  15. Marco Idiart disse:

    Caro Marcel
    Eu sei que não entendo nada de deuses. O curioso é tu achares que tu entendes.
    O cérebro é um órgão complexo com múltiplas funções. Não tenho dúvida que usas o teu quando dizes que entendes de deuses, ou que tens certeza que tens o modo correto de interpretação de textos. A questão é que tu e eu estamos usando regiões cerebrais bastante diferentes. Nada vai te demover de tuas certezas, e eu vou continuar com a minha honestidade.
    Um abraço

    Ps: Eu nunca usaria o argumento dos dinossauros. Todo mundo sabe que dinossauros nunca existiram.

  16. Transeunte disse:

    Saiu pela tangente Filósofo?

  17. sartori disse:

    deus=papai noel=coelhinho da pascoa=mula sem cabeça=saci perere

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *