MENU

Gregor Samsa

Histórias da Carochinha: A Mulher que nasceu um Sapo

28 de junho de 2004 Comments (1) Views: 1568 Ciência, Geral

Globsters, Globs, Blobs… Baleias

Globsters, Globs, Blobs… Baleias



Há quase um ano uma massa gelatinosa e putrefata de mais de dez toneladas (que dá seguimento à série de imagens censuradas por nosso blog, planejamos colocar vozes de pato em breve) encalhou em uma praia chilena. Confira a cobertura do blog ao evento: inicialmente pensou-se que seria uma lula gigante, realmente gigantesca. Mas logo análises morfológicas do tecido permitiram descobrir que era parte decomposta de uma baleia cachalote. Ainda assim, os exames dos fragmentos de DNA da massa gelatinosa, ou “globster”, só foram divulgadas há pouco. O trabalho científico confirmou que eram os restos de uma baleia. E não só isso. Também mostrou que outros “globsters”, massas gelatinosas encontradas periodicamente (o caso chileno não é em absoluto o primeiro) também eram restos cetáceos, como o “monstro” de 1896, ou este dos anos 60 na Tasmânia. Restos de baleias não são confundidos apenas com massas gelatinosas ou lulas e polvos gigantes, mas também com plesiossauros, ou o Monstro do Lago Ness.

Tags: , , , , ,

One Response to Globsters, Globs, Blobs… Baleias

  1. […] Loren Coleman divulga no Criptomundo o que seria uma “Tartaruga Marinha Gigante Misteriosa”, embora note que há poucas informações além de que seria o registro de uma carcaça encalhada em uma praia do oceano Pacífico. Mas mesmo estas poucas informações parecem incorretas, já que todas as pessoas nas imagens são negras (alguma praia do Pacífico?) e não só não existem tartarugas tão grandes, como a carcaça tem toda a aparência dos restos de uma baleia — se você apenas acompanhar a criptozoologia há algum tempo. O mexicano Luis Ruiz Noguez abordou a história do “Monstro de Tecolutla” — uma baleia — e também há o caso recente no Chile em 2004, que se especulou de início ser uma lula gigante, mas provou ser apenas uma baleia cachalote. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *