MENU

Mito-Ufologia: Estimulante para o cérebro

Entrevista: Martin Kottmeyer

6 de julho de 2009 Comments (0) Views: 630 Ceticismo, Ufologia

A UFOmania de Illinois em 1897

por Robert Bartholomew, publicado em REALL News de março de 1998

Por que nós devemos ser cautelosos com os relatos modernos de OVNIs

Entre novembro de 1896 e maio de 1897, muitos americanos ficaram convencidos de que um de seus cidadãos havia construído a primeira máquina voadora mais pesada que o ar do mundo. Enquanto esta crença generalizada se espalhou, uma mania de aeronaves varreu os Estados Unidos. Este episódio pouco conhecido da história americana foi extraordinário, a ponto de que no clímax dos rumores estima-se que dezenas de milhares de americanos em vários estados de fato relataram que haviam visto a aeronave em vários pontos pela nação – a milhares de milhas de distância – ao mesmo tempo! As manobras descritas pelas testemunhas estavam muito além de qualquer tecnologia do período – mesmo para os padrões atuais. Embora o episódio em geral tenha sido examinado como um caso de "histeria em massa", neste artigo eu vou documentar a onda de aeronaves em Illinois e sugerir uma explicação. Ela é tipicamente descrita como oval ou com forma de charuto com uma armação anexa, tendo um poderoso farol dianteiro e hélices gigantes ou asas protuberantes de ambos os lados. Alguns observadores até alegaram que as asas batiam vagarosamente como as de um pássaro! 
A Histeria de Aeronaves em Illinois

O estado de Illinois foi inundado com relatos de aeronaves durante abril de 1897. O primeiro avistamento conhecido foi em Nashville, Illinois, em que uma aeronave parecida com um balão com uma grande luz vermelha foi vista às 8 horas da noite por muitos residentes. Em 8 de abril, um oficial de polícia de Rock Island alegou que durante sua vigília, ele ficou perplexo com a aeronave iluminada a meia milha de altura. Ele a descreveu como tendo "um casco brilhante de aço, com hélices escuras parecidas com asas em ambos os lados e ela oscilava gentilmente em seu vôo". Em 9 de abril centenas de pessoas a observaram sobre Chicago, Evanston, Niles Center e Schermerville. Na noite de 10 de abril, multidões de residentes de Jacksonville viram a aeronave passar sobre a cidade. "Ela foi vista por todos oficiais de polícia em serviço, os bombeiros e centenas de cidadãos". À noite do dia 11, os avistamentos alcançaram Springfield enquanto Richard Scriver, chefe da cadeia do condado, a viu por 30 minutos junto com outro homem. Ela foi descrita como "uma luz radiante não parecida com o farol de uma locomotiva". Às 8 horas da noite em Lincoln em 12 de abril "Mais de cinqüenta pessoas ficaram na rua Pulaski e sempre que a luz piscava e as nuvens se separavam" elas achavam que podiam discernir a luz da aeronave à distância.
Em 13 de abril, mais de 200 pessoas viram suas luzes brancas e verdes enquanto ela passava perto de Lincoln às 8 da noite, enquanto 30 minutos depois foi vista sobre Moline por vários fazendeiros incluindo Benjamin Carr que disse que ela era "um corpo ou casco em forma de charuto, com aparentemente 15 pés [5 metros] de comprimento, com grandes projeções parecidas com asas em cada lado."
Estas são apenas algumas das centenas de avistamentos em Illinois que ocorreram durante abril. Não apenas há impressionantes paralelos entre a onda de aeronaves e relatos atuais de OVNIs como há também relatos de contatos imediatos. Eu mencionarei brevemente três casos de encontros imediatos. Tenham em mente que eles são apenas três de muitos outros de Illinois e pela nação durante 1897.
De acordo com o Decatur Daily Republican de 16 de abril de 1897, p. 1, a aeronave pousou perto de Springfield na noite anterior. O trabalhador agrícola John Halley e o dono do vinhedo local Adolf Wenke disseram que ela pousou a três milhas [5 Km] a oeste da cidade ao longo da estrada Jefferson. Eles disseram que um homem de barba longa emergiu e perguntou onde estava. "Dentro do carro estava sentado outro homem e também a esposa dos cientistas [sic]". Ele disse que eles geralmente descansavam durante o dia em partes remotas do país para esconder as enormes asas da nave. Quando eles perguntaram o nome do cientista "ele sorriu e apontou para a letra M., que estava pintada do lado do carro". Depois de dar adeus aos fazendeiros, ele apertou um botão e a nave voou para longe.
O Springfield News também relatou uma aeronave tocando o chão perto de Carlinville em 12 de abril. Ela foi alegadamente vista entre a cidade de Nilwood e Girard por volta de 6:15. William Street, Frank Metcalf e Ed Temples e o operador de telégrafo, todos a viram em Girard. "Estes homens a viram acesa, e um homem saiu e consertou alguma parte da maquinaria. Eles andaram para o lugar onde ela acendeu, mas em um quarto de milha ela elevou-se e desapareceu de vista" para o norte.
Meu encontro favorito veio de Elburn, Condado de Kane, em 10 de abril. De acordo com o relato na primeira página do Rockford Daily Republic de 12 de abril, "Ferroviários andando por lá dizem que o operador diz que alguns donos de gado dizem que alguns fazendeiros dizem que a nave teve um colapso perto de lá e desceu para reparos".
Perto do ápice da onda, o seguinte é uma amostra modesta dos avistamentos de Illinois que apareceram no Chicago Tribune:
  • Monte Vernon, Illinois, 15 de abril — (Especial.) — O que se acredita ter sido a misteriosa aeronave foi vista aqui por mais de 100 pessoas na última noite. …
  • Carlyle, Ill., 15 de abril — (Especial.) — A aeronave foi vista esta tarde viajando rapidamente em um curso noroeste. …
  • Quincy, Ill., 15 de abril — (Especial.) — O trem de passageiros de Wabash que chegou aqui às 10 horas esta noite correu por 15 minutos com a alegada aeronave. Eles avistaram a coisa primeiro perto de Perry Springs, 52 milhas a leste de Quincy… Todos os passageiros a viram, mas tudo que puderam ver eram luzes, uma branca, a outra vermelha.
  • Hillsboro, Ill., 15 de abril — (Especial.) — … a aeronave foi vista no céu ocidental por um número de cidadãos de reputação na última noite.
Perto do fim do mês, a imprensa tornou-se cada vez mais cética em sua discussão da aeronave, e vários avistamentos em massa estavam sendo atribuídos a pregadores de peças depois que os restos de balões de seda ou balões de fogo foram achados nas cercanias dos relatos. Também houve casos onde pipas iluminadas eram empinadas e causaram alguns avistamentos. Entre os céticos estava um jornalista para o Monmouth Daily Review que notou que "O ‘pescoço da aeronave’ deverá ser considerado uma enfermidade moderna da mesma forma que a ‘face da bicicleta’ e outros males afins". No Chicago Record foi observado que a aeronave tinha sido vista em vários lugares ao mesmo tempo.
Qual é a explicação mais provável para os avistamentos? No calor da excitação, será que as testemunhas perderam a racionalidade e se deixaram levar pela mentalidade de um rebanho? Estariam elas puramente imaginando coisas? Pouquíssimas testemunhas devem ter criado suas percepções apenas da pura imaginação, mas provavelmente estavam confundindo objetos existentes de seu ambiente como estrelas ou planetas. Eu penso que nós não precisamos olhar além das teorias básicas de psicologia social. A percepção humana é muito pouco confiável, e influenciada pela "condição mental" da pessoa na hora da observação. Estrelas e planetas freqüentemente parecem se mover, mudar de cor e piscar, e má identificação de estrelas e planetas é a explicação mais comum para av
istamentos de OVNI contemporâneos. Ao examinar o contexto histórico de OVNIs nos últimos dois séculos, nós somos presenteados com uma fascinante gama de similaridades incluindo casos de encontros imediatos. A única diferença significante entre estes dois períodos é a forma do OVNI. Durante a onda de 1897 em Illinois, as pessoas esperavam ver aeronaves, enquanto hoje elas esperam ver OVNIs com forma de discos. Em cada caso, os residentes viram, ou acharam que viram exatamente o que esperavam.

***

Robert E. Bartholomew é um sociologista na universidade James Cook em Townsville 4811, Queensland, Australia ([email protected]). Ele é co-autor de UFOs and Alien Contact: Two Centuries of Mystery (Prometheus Books, March 1998), com o professor George S. Howard, ex-chefe do departamento de psicologia da universidade de Notre Dame, Notre Dame, Indiana.

Tags: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *