Ceticismo

Published on julho 6th, 2009 | by Kentaro Mori

2

Stendec! O sumiço e o encontro do Stardust

por Kentaro Mori

stardust ufologia destaques ceticismo Em agosto de 1947 um avião britânico chamado Stardust sumiu momentos antes da hora programada de seu pouso em Santiago no Chile. Era um avião Lancastrian, uma adaptação civil do famoso e robusto bombardeiro britânico Lancaster, que deveria suportar muito bem as condições de vôo sobre os Andes. Ele era comandado por um piloto britânico altamente experiente, que dispunha ainda de um navegador e outros três tripulantes, levando seis passageiros que parecem saídos direto de uma história de ficção. Entre eles estava um homem de negócios palestino com um grande diamante costurado em sua blusa, uma emigrante alemã levando as cinzas de seu marido e um mensageiro do rei inglês carregando correspondência confidencial.
Nenhum traço do avião foi achado a despeito de intensas buscas. Ele simplesmente sumiu. Este desaparecimento permaneceu um dos mais famosos na história da aviação por mais de 50 anos. Um dos mais intrigantes aspectos da história foi a última mensagem de rádio do Stardust, onde o operador de rádio avisa que eles iriam pousar em quatro minutos e então teria sido interrompido por uma misteriosa palavra: ‘Stendec’. O operador de rádio chileno em terra não a entendeu e pediu clarificação, ao que recebeu de volta a mesma palavra ‘Stendec’ mais duas vezes. E então o Stardust ficou em silêncio para sumir.
Todos estes elementos, principalmente a mensagem final ‘Stendec’ não poderiam levar a outro fim senão a especulações de que o avião foi seqüestrado por alienígenas (ver ‘Os Ufólogos Alienistas‘). Stendec tornou-se até o título de uma revista ufológica, ‘Stendek‘. Eu me deparo com livros em português que não hesitam em implicar que as palavras finais no rádio foram ditas pelos próprios alienígenas tomando o avião. Minha memória não é das melhores, mas me lembro de ter visto no ‘Fantástico’ essa exata especulação, incluindo desenhos de alienígenas tomando a nave. Isso pode tornar as coisas muito mais dramáticas, mas o pequeno detalhe é que ‘Stendec’, assim como toda a mensagem, foi transmitida em código Morse! É um deleite todo especial imaginar a seguinte imagem: alienígenas tomando um avião e respondendo ameaçadoramente em código Morse…
Finalmente, em 1998 pedaços do Stardust foram encontrados por dois montanhistas escalando um dos mais altos montes dos Andes, o monte Tupangato com 6,5 quilômetros de altura e a 80 quilômetros fora do curso esperado do Stardust. Um motor Rolls-Royce e o trem de pouso do avião bem como parte da fuselagem e trágicas partes dos corpos dos tripulantes permitiram a identificação: era mesmo o Stardust, ressurgindo mais de 50 anos depois de seu desaparecimento.
Análises dos destroços mostraram que o Stardust bateu violentamente contra o monte. O trem de pouso estava recolhido e os motores ainda funcionavam na hora da colisão. O que leva a uma teoria bem plausível do que levou o Stardust àquele fim.
helicestardust ufologia destaques ceticismo Sabia-se que o tempo estava ruim durante o vôo, o que o fez subir acima das nuvens para evitá-lo. Acima das nuvens turbulentas dos Andes o Stardust teria se deparado com um fenômeno atmosférico pouco conhecido na época, os jet streams, jatos de vento com alta velocidade. Tais jatos reduziram drasticamente a velocidade do avião sem que o navegador tomasse conhecimento já que naquele tempo não existiam meios mais sofisticados de navegação à disposição em nossa América do Sul. A velocidade reduzida do avião levou o navegador a pensar que eles já haviam cruzado os Andes e a recomendar uma descida. Ao invés de se depararem com a esperada visão do aeroporto em Santiago, eles teriam se deparado com o Monte Tupangato. O Dr. Carlos Bauza diz que, dada a velocidade estimada do avião no momento do impacto, os tripulantes não devem ter sentido nenhuma dor.
O monte Tupangato foi parte das buscas pelo Stardust na época de seu desaparecimento. Por que o avião não foi encontrado nessas buscas? Especula-se que ao chocar-se com o monte o avião teria sido completamente coberto por neve, impossibilitando sua localização. E o choque teria sido bem mais perto do pico do monte. Com o tempo ele teria descido junto com a neve que o cobria até altitudes mais baixas, onde a neve derreteu e expôs novamente partes dele – décadas depois. 
Esta é uma boa explicação do que ocorreu com o Stardust, embora seja bom notar que não temos certeza se tudo realmente foi assim. A última comunicação do avião, contudo, pode ter sido finalmente entendida. STENDEC seria um acrônimo utilizado por pilotos aliados na Segunda Guerra Mundial, significando "Severe Turbulence Encountered, Now Descending, Emergency Crash-landing" — "encontrada turbulência severa, descendo agora, pouso de emergência". Encontramos o Stardust, e podemos ter finalmente entendido sua última mensagem. Não foram aliens.

***

Leitura on-line Recomendada:

Vanished! – A página do programa Nova sobre o encontro do Stardust, do qual este texto é pouco mais que um resumo.

Tags: , , ,


About the Author

+



2 Responses to Stendec! O sumiço e o encontro do Stardust

  1. STENDEC says:

    …-.-.-…-.-.

  2. Pingback: O RADIO OPERADOR NA HISTÓRIA « RADIO OPERAÇÃO TOTAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑