MENU

Abduções e predisposição em pesquisa

O OVNI da Ilha de Trindade: Um estudo...

20 de julho de 2009 Comments (2) Views: 1306 Ufologia

À procura de OVNIs verdadeiros

por John Harney, original em Magonia

Nos primórdios da investigação dos relatos de OVNIs, tornou-se geralmente aceito que se um número significante de relatos verificados permanecessem inexplicados depois de investigação exaustiva, então tais OVNIs deveriam ser naves interplanetárias. Algumas pessoas argumentaram porém que não havia nenhum caso realmente bom e que todo o negócio era apenas uma manifestação da irracionalidade e credulidade humana. Estudiosos do tema dividiram-se assim em crentes e cépticos. Isto criou calorosos debates, mas fez pouco pelo avanço da pesquisa científica sobre fenômenos raros ou inexplicados.
A razão para este estado das coisas está no uso da hipótese extraterrestre (ETH) por entusiastas de OVNIs como uma explicação geral para todos casos de OVNIs não solucionados. O problema com a ETH não é que ela é absurda. Ela é, de fato, perfeitamente racional. Muitos cientistas têm dedicado muito esforço para montar equipamentos de rádio e monitorar sinais para ver se podem detectar sinais de outras civilizações que podem ou não existir em algum outro lugar na galáxia. Por que, muitos ufologistas poderiam perguntar, eles simplesmente não estudam os melhores relatos de OVNIs para então aprender algo sobre o ETs?
A razão é que se eles descobrirem sinais e puderem demonstrar que são artificiais e vêm de uma fonte a anos-luz de distância, então isso seria uma prova positiva de inteligência extraterrestre. Este raciocínio não se aplica aos OVNIs, já que ninguém vê para onde eles vão ou de onde eles vêm. A ETH, quando aplicada a OVNIs, não é uma teoria científica porque pode responder por todos os relatos para os quais não são achadas explicações convencionais de forma fácil. Uma teoria que explica tudo tão facilmente não explica nada. Se você disser que este, esse e aquele OVNI eram astronaves alienígenas, então você não tem que se aborrecer em investigar qualquer outra coisa.
É muito parecido com um homem que assiste a um show de ilusionismo. Ele não pode imaginar como os efeitos são alcançados, assim ele chega à conclusão de que o ilusionista de fato tem poderes paranormais surpreendentes. Isto o salva do esforço de estudar a literatura sobre mágica e descobrir como os truques são executados de fato.
É este tipo de atitude que resultou na negligência de alguns relatos interessantes. A pergunta que surge é: Há algum relato de OVNI bom para o qual uma explicação física ou psicológica convincente não foi encontrada? Bem, há alguns relatos realmente extraordinários, mas poucos deles podem resistir a um exame crítico. O que nós precisamos são de relatos com as seguintes características, e eu não detalharei as razões para elas porque devem ser bastante óbvias:
  1. Testemunhas independentes separadas umas das outras;

  2. Relatos feitos com todos detalhes pertinentes a uma pessoa ou organização responsável logo após o evento; 

  3. Nenhuma inconsistência interna significante nos relatos; 

  4. Nenhuma explicação óbvia aos fenômenos relatados.

Eu começarei olhando para três relatos da literatura. Eu os escolhi porque são muito diferentes uns dos outros e porque revelam um fio de más interpretações.
St. Louis, Missouri, 14 de julho de 1954

O incidente aconteceu na calçada e estacionamento do Laboratório de Propulsão, McDonnell Aircraft Corporation, St. Louis. Um objeto descrito como um retângulo irregular, 18 18 8 polegadas, de um pálido branco lácteo, e tendo a consistência de algodão-doce ou vidro opaco foi visto. Aproximou-se vindo do leste, enquanto descia de 30 pés ao chão. Parou no chão, então se levantou para 4 pés, virou em ângulo reto ao norte, avançou aproximadamente 75 pés a uma cerca de 8-pés, ergueu-se sobre ela e eventualmente desapareceu na neblina. Esteve à vista durante aproximadamente 3-5 minutos. Viajou a uma velocidade de 3-8 mph. Cinco observadores informaram isto, e acredita-se que havia aproximadamente 10 testemunhas no total. A testemunha mais distante estava a aproximadamente 200 pés, mas uma testemunha acompanhou o evento a uma distância de apenas 5 pés. O vento na ocasião estava no sentido sul-leste, a aproximadamente 2-6 mph. 
A explicação Blue Book foi escombros ao vento. O dr J. Allen Hynek rejeitou esta explicação devido ao vento muito fraco. (1) Se o incidente realmente aconteceu como descrito é muito difícil de explicar. Se o objeto fosse um pedaço de material de embalagem de peso leve, tal brisa fraca poderia tê-lo movido ao longo do chão, mas dificilmente parece bastante para levá-lo às nuvens. Como o céu estava nublado não teria havido nenhuma corrente térmica que pudesse enviar objetos pequenos flutuando para cima. A conclusão do Blue Book parece certamente estar em conflito com os detalhes informados deste caso. 
Gatchellville, Pennsylvania, 8 de março de 1977 

Onze testemunhas em seis grupos separados viram uma bola vermelha de fogo que parecia uma segunda lua no céu às 7.30 da noite. Ela moveu-se contra o vento em um movimento cambaleante da esquerda para direita durante aproximadamente 2-5 minutos, a algumas centenas de pés sobre o chão. Foi então que foi vista caindo no gramado de uma casa. Alguns minutos depois alguém chamou o corpo de bombeiros para lidar com um fogo de grama, mas quando eles chegaram o fogo já tinha se extinguido. Investigadores acharam uma área queimada de grama de 100 30 pés com um buraco de 1 pé de diâmetro a 132 pés ao sul-leste. Parece que a própria grama não sustentou a combustão (presumivelmente estava muito úmida). Testes não mostraram qualquer rastro de substância combustível. Contou-se que o solo tinha sido queimado e ficado negro a uma profundidade de 3 polegadas, como se tivesse sido sujeito a intenso calor. Dentro da área queimada estavam três buracos, de 1 polegada de diâmetro e quase 3 polegadas de profundidade, que formavam um triângulo de 54 52 72 polegadas. O investigador de campo (do Center for UFO Studies) não chegou ao local até que vários dias tivessem passado, assim estes buracos podem ter sido feitos por alguma pessoa maliciosa depois do evento. (2) 
A explicação óbvia que se sugere é um relâmpago globular, mas este é um fenômeno que por si só ainda é um mistério, uma vez que ninguém pôde desenvolver uma teoria coerente a respeito de como a energia de um relâmpago globular poderia ser contida. (Ainda há alguns cépticos que se recusam a aceitar a realidade dos relâmpagos globulares.) Da descrição deste incidente parece que uma quantidade muito grande de energia foi liberada quando o objeto atingiu o gramado. Os relâmpagos globulares são um fenômeno muito complexo, e há muitas variedades distintas deles aparentemente. Não tenho dúvida de que um relato mais detalhado deste caso está disponível, mas minha referência não dá qualquer detalhe sobre o tempo na hora do incidente. 
Rapid City, Dakota do Sul, 12 de agosto de 1953 

Logo após escurecer, a estação de radar do Comando de Defesa Aérea na Base da força aérea de Ellsworth recebeu uma chamada do Ground Observer Corps Filter Center local. Uma observadora em Black Hawk, cerca de 10 milhas a oeste de Ellsworth tinha relatado uma luz extremamente luminosa baixo no horizonte para o nordeste. O scanner do radar foi virado para cobrir essa parte do céu e um alvo luminoso, bem definido foi
visto na direção na qual a luz tinha sido informada. O radar de altura foi virado então para o objeto e descobriu-se que estava a 16.000 pés. 
O controlador entrou em contato com o observador do GOC e junto eles compararam notas sobre o objeto. O observador notou que estava começando a se mover para Rapid City. Isto foi confirmado pelo radar. O controlador enviou dois homens para fora a fim de olhar e eles viram o objeto. Ele fez uma larga volta ao redor de Rapid City e então voltou a sua posição original. 
O controlador chamou então o piloto de um F-84 para interceptá-lo. O OVNI começou a se mover quando o piloto chegou a aproximadamente 3 milhas de distância. O piloto perseguiu o OVNI por 120 milhas ao norte aproximadamente, e então teve que retroceder porque não tinha bastante combustível. Ele tinha ido além do alcance do radar, mas o blip dele reapareceu alguns minutos depois, seguido a uma distância de cerca de 15 milhas pelo OVNI. Outro piloto foi enviado para interceptar o OVNI, e a mesma coisa aconteceu; desta vez o OVNI foi a nordeste. 
Quando o objeto saiu do alcance do radar, estava indo em direção à Fargo, Dakota do Norte, assim o controlador chamou o Fargo Filter Center. Pouco tempo depois eles ligaram de volta para dizer que tiveram relatos de uma luz brilhantes movendo-se rapidamente. 
O relato anterior é uma versão condensada do relato dado por Ruppelt. (3) Porém, Menzel explicou os contatos de radar como falsas imagens causadas por uma inversão de temperatura, e os avistamentos como a estrela Capella. (4) Ele tinha pouco além do resumo de Ruppelt para seguir em frente, e sua explicação era muito simples, como nós podemos ver do relatório Condon. (5) Júpiter e pelo menos um meteoro estavam envolvidos nos avistamentos. Os investigadores concordaram com a teoria de Menzel sobre os ecos de radar. A descrição dos avistamentos dados no relatório Condon dão uma impressão muito diferente daquelas dadas no relato de Ruppelt. 
Discussão 

Eu escolhi estes relatos em uma tentativa para demonstrar quem nem todos relatos sérios de OVNIs apontam obviamente à ETH como explicação, até mesmo quando eles permanecem inexplicados, e que a única coisa que a maioria dos relatos de OVNI têm em comum é uma convicção por parte das testemunhas na ETH ou um desejo, freqüentemente inconsciente, de acreditar nela. 
Um fator que pode enfraquecer o primeiro caso é que as testemunhas demoraram algum tempo antes de dar um relato oficial. Parece provável assim que eles tenham comparado notas para apresentar relatos mutuamente consistentes. Também é provável que as testemunhas eram todas bem conhecidas umas das outras, já que trabalhavam no mesmo lugar. Pode-se argumentar que eles devem ter subestimado a velocidade do vento e possivelmente falharam em apreciar os efeitos locais da velocidade do vento e direção causada por prédios próximos. 
O segundo caso parece muito mais forte. A altura do objeto foi calculada comparando os relatórios de grupos diferentes de testemunhas. O objeto parece ter contido energia muito mais energia e durado bem mais tempo que os raios-bola comuns. Parece certamente válido acrescentá-lo à lista de possíveis ou prováveis relatos de relâmpagos globulares. Um bom número de casos bons de relâmpagos globulares foram indubitavelmente perdidos pela ciência porque foram informados como OVNIs e publicados nos tipos de livros ou jornais que dificilmente estão disponíveis na maioria das bibliotecas de ciência. 
O caso de Rapid City é um bom exemplo do que pode ocorrer quando as pessoas estão predispostas a considerar a ETH como uma possível explicação para alguns relatos de OVNIs. O avistamento de uma estrela luminosa perto do horizonte por um voluntário do Corpo de Observação do exército desencadeou uma série de contatos visuais e de radar do parecia àqueles envolvidos ser um único, enigmático OVNI, por causa de uma combinação incomum de circunstâncias naquela noite em particular. 
Se a idéia de OVNIs extraterrestres não estivesse disponível às testemunhas para excitar suas imaginações é muito improvável que duas aeronaves fossem enviadas para perseguir estrelas. 
Outra lição deste caso é que relatos de incidentes de OVNIs, até mesmo em livros por tais autoridades como Ruppelt, podem ser muito enganadores e sempre devem ser checados com outras fontes. 
Conclusões 

Os efeitos nas testemunhas da ETH sempre devem ser considerados quando na leitura ou investigação de relatos de OVNI. A ETH distorce grandemente muitos relatos de fenômenos incomuns, ou objetos normais vistos em condições incomuns. Alguns relatos bons podem ser avistamentos de fenômenos naturais raros e pouco compreendidos. Embora seja preferível que haja múltiplas testemunhas independentes, elas não são nenhuma garantia de que qualquer coisa realmente estranha ou incomum aconteceu. 
Ao rejeitar a ETH como uma explicação geral para todos relatos enigmáticos de OVNIs é importante não substitui-la por outra explicação geral, como miragens ou raio bola. Comparando relatos novos com casos descritos na literatura deve-se perceber que muitos destes são resumos altamente inexatos dos relatos originais, e alguns deles são totalmente falsos. 
É apenas separando a ETH dos OVNIs que qualquer progresso provável será feito em obter informação segura sobre os fenômenos naturais incomuns que provavelmente geram alguns dos OVNIs mais interessantes. 

***

Referências 

1. Hynek, J. Allen. The Hynek UFO Report, London, Sphere Books, 1978, 149-151
2. Hendry Allan. The UFO Handbook, London, Sphere Books, 1980, 120-121
3. Ruppelt, Edward J. The Report on Unidentified Flying Objects, New York, Ace Books, 1956, 304-308
4. Menzel, Donald H. and Boyd, Lyle G. The World of Flying Saucers, New York, Doubleday, 1963, 167-170
5. Thayer, Gordon D. Optical and radar analyses of field cases , in Gillmor, Daniel S. (ed.), Scientific Study of Unidentified Flying Objects, New York, Bantam Books, 1969, 132-136

Tags: , ,

2 Responses to À procura de OVNIs verdadeiros

  1. Gilberto disse:

    Os raios e relampagos podem ser aproveitados como energia eletrica.Veja se construissemos uma rede especial para para-raios,esta rede seria fomadas por baterias recarregaveis de 15v e 700amperes recarregaveis assossiadas em série.Os para-raios seriam isolados do terra e ligados a essa rede proximo a entrada de uma bateria,a qual imortalizara o raio transformando-o em uma energia acumulativa.A tensão do raios em comparação a esta rede seria um terra.Esta rede possuira transformadores de sua tensão para tensão das usinas,as quais possuiriam um dispositivo para quando as baterias tiverem grande potencia ligara-as e quando não tiver potencia desligara-la,tudo isso localizado nas usinas.

  2. stephane disse:

    Olá meu nome é stephane eu ontem e antes de ontem assisti contatos de quarto grau e resolvi pesquisar sempre pensei q olvesse ovnis e continuo pessando pois relatos reais já mostraram isso bem eu estou vendo os sites sobre ovnis e amei esse por isso deixo meu recado e hoje eu to pesquisando sobre linguas sumerias obrigada tchauu..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *