MENU

Estimulação magnética transcraniana repetitiva

Adorável

22 de março de 2006 Comments (3) Views: 2008 Ufologia

O primeiro contatado transsexual do mundo

No ano de 1974 Carlos Roberto Paz Wells, mais conhecido como Charlie, e seu irmão de sangue, Sixto Paz Wells, tiveram uma experiência de contato extraterrestre com seres do planeta Júpiter. Desde o ano de 1998 Charlie transformou completamente sua situação física. Em uma entrevista exclusiva, realizada na cidade de Toronto em junho de 2005, Investigación y Contacto teve a oportunidade de trocar impressões abertamente e sem preconceitos por parte da renomada, conhecida e polêmica personalidade de Verônica Paz Wells, ex Charlie.
Leia a entrevista, em espanhol: PRIMER CONTACTADO TRANSEXUAL DEL MUNDO (La historia de Charlie Paz Wells)

Um pesquisador, comentando a entrevista, notou que uma das mais controvertidas descobertas de Kevin Randle et al sobre as abduções alienígenas é que seus protagonistas parecem mostrar uma preponderância estatisticamente significativa à homossexualidade. Segue um excerto traduzido de “Red Herrings and Alien Abductions” escrito por Kevin D. Randle e publicado no nº 9 da revista norteamericana “The Anomalist” (2001).

“O tamanho de nossa amostra foi de 316 indivíduos. … Nossa amostra foi tomada de todas as partes dos Estados Unidos e vários outros países. Cada indivíduo foi filmado, e a cada um foram feitas as mesmas perguntas, aproximadamente na mesma ordem. … Tivemos 100% de cooperação. Cada entrevistado assinou um termo, cada um tinha o direito de se recusar a responder qualquer pergunta ou recusar que a entrevista fosse filmada. … Em contraste com o que outros pesquisadores afirmam, Estes notou que os abduzidos estavam freqüentemente ansiosos para aparecer na câmera. A razão dada era que o abduzido parecia acreditar que partilhar sua história poderia ajudar outras pessoas, e se este fosse o resultado, então a possível exposição ao ridículo valia a pena. … Um outro ponto sobre nossa amostra é importante. A faixa de idade foi dos 26 aos 47 anos. Todos decidimos não lidar com crianças porque as memórias infantis são facilmente manipuláveis como mostrado por diversos estudos científicos. …
Agora, no que se tornou um ponto explorado por críticos de nossa pesquisa, descobrimos um número desproporcionalmente alto de homossexuais em nossa amostra. Cento e setenta e quatro deles expressaram tendências homossexuais. Estes podem ser dividos naqueles que eram bissexuais (23%) e aqueles que expressaram preferência homossexual mas que não haviam participado de atividade sexual há mais de cinco anos (29%). Antes que digam que as porcentagens não combinam com os números, lembrem-se de que aqueles que disseram ser bissexuais também podiam estar no grupo dos abstêmios. E não, não investigamos a precisão das declarações de cada indivíduo. Nós aceitamos, prima facie, seus relatos de preferência e atividade sexuais, assim como outros pesquisadores de abdução aceitaram prima facie muitos dos fatos relatados pelos próprios indivíduos.
Antes de continuar, devo dizer como fizemos esta descoberta. Não foi uma questão de sentar para falar sobre homossexualidade, mas algo que surgiu do processo de entrevista. Russ Estes perguntou sobre o gênero das criaturas alienígenas. As mulheres lhes disseram que a maioria dos abdutores eram do sexo masculino, mas que os líderes aparentavam ser do sexo feminino. Em discussões anteriores, enquanto estas distinções eram feitas, Estes seguiu com a pergunta natural em seqüência que revelou o padrão de identidade de gênero. Uma vez que a observação preliminar havia sido feita, a questão sobre orientação sexual, derivada de uma tentativa de descobrir o gênero das criaturas alienígenas, foi adicionada ao questionário.
A estatística tornou-se importante não porque lida com homossexualidade, mas porque há mais homossexuais que o esperado em nossa amostra. Dependendo de qual estudo psicológico ou sexual é citado, a representação de homossexuais na população está entre 2 a 10 por cento. Isto significa que sua representação em nossa amostra é de seis a trinta vezes maior do que deveria. Dado que não há uma forma precisa de identificar um indivíduo homossexual por sua mera aparência, assumiríamos que uma raça alienígena capturando pessoas aleatoriamente acabaria com uma amostra estatisticamente representativa da população em geral. Este não é o caso, baseado em nossas descobertas.
Talvez devamos notar aqui que negros, hispânicos e asiáticos estão em grande parte ausentes da população de abduzidos…”.

Tags: , , , , ,

3 Responses to O primeiro contatado transsexual do mundo

  1. Tim Toni disse:

    Estou muito curioso.
    Segundo esta pesquisa a maioria dos abduzinos pelo menos por eliminação são arianos… lí bem?
    Existe um percentual expressivo de homosexuais ou com tendências nessa população de “abduzidos”
    Gostaria de saber porque isso é mencionado… há alguma insinuação nisso? Tendências homo tem algo a ver com precisar “aparecer”?
    Outras raças negros, asiáticos e etc. estão ausentes dessa população. Não foi por causa da região da pesquisa?
    Raças e tendências sexuais…
    Bem, se essa pesquisa foi feita em San Francisco, podemos insinuar conclusões… que convenham…
    Gostaria de entender… onde realmente quer se chegar com esse levantamento.

  2. Mori disse:

    De minha parte, o único lugar seguro a que pretendo chegar é informar que esses dados existem.
    Em uma amostra envolvendo mais de trezentos supostos abduzidos, de diversas origens geográficas, a porcentagem daqueles que declararam tendências homossexuais é de seis a trinta vezes maior do que nos resto da população. Este dado é notável, e estudos adicionais poderiam confirmá-lo.
    Já o de que negros, latinos e orientais são uma minoria dos que se dizem abduzidos é algo percebido há muito. Evidentemente existem inúmeras exceções — Barney Hill era negro — mas estatisticamente, há particularmente menos negros entre abduzidos do que no resto da população.
    Interpretar os dados é muito, muito complicado. Por isso não comentei nada.

  3. Mori disse:

    O ensaio completo (há também um livro) de Kevin Randle sobre sua pesquisa pode ser lido aqui:
    http://kevinrandle.blogspot.com/2007/08/abduction-enigma.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *