Pequeno Humanóide no Chile: Toy Story

“Concepción, Chile — Em 1 de outubro de 2002, enquanto aproveitavam as férias da cidade ao sul do Chile de Concepción, um grupo de familiares encontrou o que parecia uma pequena criatura humanóide. O minúsculo ser media em torno de 7,2 centímetros de tamanho. Possuía uma cabeça relativamente grande, dois braços com dedos longos e duas pernas. (…) Uma criança supostamente retirou o ser e o enrolou em um pedaço de papel. Ela diz que a criatura permaneceu viva por oito dias, e por vezes teria inclusive aberto os olhos. Alguns dias depois de morta, a pequena criatura já exibia sinais de decomposição avançada; parece estar em um estranho estado de mumificação. Especialistas da Universidade do Chile indicaram a possibilidade de que fosse o feto da vida selvagem local, como um gato selvagem. Porém não chegaram a uma conclusão para determinar a espécie exata do suposto feto. Esperam conduzir um teste de DNA para tal”. [Ufocasebook: Tiny Alien Found in Chile?]

A criança era Armando Henríquez Carreño, então com 15 anos. Seu tio, Julio Carreño, também esteve envolvido na promoção da criatura, chamada “Toy”. Sim, um ET chamado Toy. Pouco depois da exposição no canal de TV a cabo local, vieram os primeiros “especialistas”: um grupo de mulheres que dizia possuir poderes especiais e que poderia conversar telepaticamente com a criatura (já morta). Nem mesmo a mãe de Armando, Luisa, parece tê-las levado a sério. Então vieram os ufólogos locais. Mario Dussuel declarou confiante que o ser “não possui as características próprias de um feto humano ou de um animal”. Eric Martínez e Enrique Sariego da “Corporación para INvestigación OVNI” (CIO) também compareceram.

Quando o frisson já era grande, veio no entanto uma figura para estragar tudo. O veterinário e professor da Universidade San Tomás, Arturo Mann, analisou o espécime e declarou que:

“Depois de análise preliminar, sem vê-lo em ‘macro’, concluí que é terreno. Em outras palavras, é um pequeno animal, um mamífero que apresenta pêlos, unhas, dedos. É muito terreno e mesmo terrestre, isto é, não é um animal voador, já que mostra apêndices próprios para caminhar e mesmo para cavar, como longas unhas. O corpo mostra algum dano, possivelmente por depredação animal ou descuido [no manuseio] deste pequeno animal”.

Um animal terrestre, mais precisamente…

“Um pequeno mamífero, conhecido como micromamífero, especificamente um marsupial e dada a região em que foi encontrado, corresponderia com alto grau de segurança a um ‘monito del monte‘. Para chegar à conclusão de que este é um ‘monito’ ou um marsupial nos baseamos principalmente no fato de que os membros anteriores apresentam cinco dedos e um polegar opositor. Isto significa que o cnimal pode segurar galhos com sua mão. Por isso é chamado de ‘monito’ (macaquinho)”.

Enfim, um pequeno marsupial parecido com um rato. A conclusão irritou aos ufólogos, e é interessante notar que buscaram seus próprios especialistas para analisar a criatura, incluindo análise genética. Isso seguramente provaria que Mann estava errado e este seria um alienígena vagando pelo Chile! Infelizmente, como Luis Ruiz Noguez nota, “quando o momento da verdade chegou, os ufólogos recuaram”. Segundo explicaram, Eric Martínez teria recebido várias ameaças em seu telefone celular exigindo que ele parasse as investigações, e em sua declaração pública atribuiu o abandono do caso como devido à “pressão exercida tanto contra a família quanto ao nosso diretor de investigação”. Quem poderia estar tentando silenciar a Verdade? Haveria mesmo algo aqui? Qualquer comparação superficial entre os ossos de um monito del monte e a criatura “Toy” mostra claramente diferenças! Exigimos respostas! Felizmente, a criatura foi analisada também por um programa de TV japonês, que tomou radiografias. Programas de TV japoneses sobre o insólito não são particularmente notórios por sua seriedade, mas neste caso citaram as conclusões do doutor Tadaaki Imaizumi do Instituto Zoológico Japonês. A partir de uma análise visual, Imaizumi também considerou que este é provavelmente um mamífero. E dos raios-X, pôde determinar que o ser possui sete vértebras no pescoço, evidência clara de que era de fato um mamífero. A análise também indicou, ao mesmo tempo, de que o corpo havia sido mesmo bem danificado, talvez mesmo adulterado, especialmente na área da mandíbula. Noguez também sugere que a área do nariz pode ter sido manipulada, bem como as pernas, tornando a identificação mais difícil. Isto explicaria as diferenças superficiais entre um monito del monte e “Toy”. Porque esta também foi a conclusão do doutor Imaizumi, de que “Toy” era apenas um pequeno marsupial. O programa da TV japonês ao fim mencionou que como não puderam enxergar dentes na criatura, ainda haveria pontos a explicar e que uma análise genética estaria por ser conduzida, o que finalmente definiria a questão. O comentário, que não veio do doutor, foi provavelmente inserido porque o programa de entretenimento não seria tão divertido se terminasse revelando que não há mistério algum nesta história. Como realmente não há. Toy era um monito del monte. – – – Referências

12 comentários sobre “Pequeno Humanóide no Chile: Toy Story

  1. É incrível como as pessoas “querem acreditar”.
    Sou fã de Arquivo X, mas qualquer um que veja na série algo além de puro entretenimento realmente precisa de ajuda.

  2. quando Jesus veio a terra ninguem confiava nele inclusive seu discipulo mais importante Pedro, ja pensou se daqui algins anos a gente ficar sabendo que somos descendentes de carne seca? acho que devemos levar a vida mais a serio

      1. Jesus veio a terra sim. Agora se você não acredita no Jesus que querem que você acredite é outro lance, mais que ele esteve na terra…isso é historia meu caro; HISTORIA!

  3. Lembro me de quando era criança, matava passarinhos e depois enterrava seus corpos na terra preta e, depois de algumas semanas, desenterrava e só restava os ossos. Adorava brincar de “desenterrar fósseis de dinossauros”. Ai… assistir Jurassic Park me deixou meio obcecado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *