MENU
papaasno-nuremberg.jpg

O Papa-Asno e os OVNIs de Nuremberg

antigravitywg106.gif

Areia Colorida Vibrante, Tigelas Budistas Cantantes e Megalitos em...

1 de dezembro de 2011 Comments (44) Views: 9468 Ceticismo, Destaques

Ganhe o livro “Por que as pessoas acreditam em Coisas Estranhas” de Michael Shermer!

shermer-coisas-estranhas

Uma das mais importantes obras de divulgação do pensamento crítico acaba de ser publicada em português. Saiba como concorrer a cinco exemplares!

É “Por que as pessoas acreditam em coisas estranhas”, o primeiro livro do historiador de ciência Michael Shermer já à frente da Skeptics Society, mergulhando na “pseudociência, superstição e outras confusões de nossos tempos”, em um espectro indo de extraterrestres e discos voadores a espíritos e profecias, passando mesmo por temas particularmente espinhosos como a negação do Holocausto e cultos suicidas.

Com uma abordagem rigorosa mas acima de tudo humana e compassiva, Shermer demonstra de forma prática o “poder positivo do ceticismo” defendido no prefácio por Stephen Jay Gould. Um exercício que vai além da mera derrubada de falsas crenças, promovendo o modelo alternativo da “própria racionalidade, associada à decência moral – o instrumento conjunto mais eficaz para o bem que o nosso planeta já conheceu”.

Por que as pessoas acreditam em coisas estranhas” foi publicado logo após o falecimento de Carl Sagan, e é dedicado à sua memória. Ao lado de “O Mundo Assombrado pelos Demônios” é uma leitura essencial de introdução ao ceticismo, e uma que escolhe o caminho de se aprofundar e destrinchar em detalhes práticos cada uma das aventuras e pesquisas que colocaram o historiador de ciência e líder cético muitas vezes frente à frente com supostos paranormais ou líderes muito reais de movimentos um tanto duvidosos.

Em todo este contato direto com as confusões de nossos tempos à frente de uma Sociedade de Céticos, em nenhum momento aqueles que acreditam em coisas estranhas são menosprezados, afinal, o próprio Shermer assim como todos nós acreditamos vez por outras em coisas estranhas.

E é este o mote para concorrer a um livro desta edição revisada e expandida em português, em um lançamento cortesia da JSN editora. Basta responder à pergunta:

Por que você acreditava em uma coisa estranha?

Contando em até 1.500 caracteres (com espaços) os quês e porquês de uma coisa estranha em que você acreditava. Envie sua resposta ao e-mail ceticismoaberto@gmail.com com o assunto “Por que eu acreditava em uma coisa estranha” até o final do dia 16/12 (sexta-feira).

As cinco melhores serão selecionadas e publicadas aqui em Ceticismo Aberto, e seus autores receberão um exemplar cada, enviados antes do solstício mais conhecido como Natal. Participe!

Tags: , , ,

44 Responses to Ganhe o livro “Por que as pessoas acreditam em Coisas Estranhas” de Michael Shermer!

  1. Bruno Alberto disse:

    Porque acreditar em coisas estranhas impedia que meus pensamentos sobre a existência humana se tornassem devidamente mais amplo, deixando que o medo do sobrenatural prendesse o raciocínio medieval que existia em mim, me fazendo crer na divindade ou no paranormal ao invés de ser cético e encarar a realidade humana.

    • Macc disse:

      Tai a resposta letra: O Adventista de Marcelo Nova

      Eu acredito no bem e no mal
      Eu acredito no imposto predial
      Eu acredito, eu acredito

      EU ACREDITO NOS LIVROS DA ESTANTE
      Eu acredito em Flavio Cavalcante
      Eu acredito, eu acredito

      Eu acredito no seu ponto de vista
      Eu acredito no partido trabalhista
      Eu acredito, eu acredito

      Eu acredito em toda essa cascata
      Eu acredito no beijo do Papa
      Eu acredito, eu acredito

      Eu acredito em quem anda com fé
      Eu acredito em Xuxa e em Pelé
      Eu acredito, eu acredito

      Eu acredito na escada pro sucesso
      Eu acredito em ordem e progresso
      Eu acredito, eu acredito

      Eu acredito que o amor atrai
      Eu acredito em mamãe e em papai
      Eu acredito, eu acredito

      Eu acredito no Cristo que padece
      Eu acredito no INPS

      Eu acredito, eu acredito

      Eu acredito no milagre que não vem
      Eu acredito nos homens do bem
      Eu acredito, eu acredito

      Eu acredito nas boas intenções
      Mas esse papo já encheu os meus botões
      Eu não acredito
      Eu não acredito

      Nao vai mais haver amor
      Neste mundo nunca mais

    • Julio disse:

      É isso ai, é muita cara de pau desse povo criticar a fé religiosa dos outros e não perceber que eles tem a mesma FÉ cientifica nos LIVROS DA ESTANTE!!!! alguem conferiu tudo que eles dizem?
      Apóstolo Darwin
      O papa é o Carl Sagan
      Pastor Dawkins
      Amém
      kakakaka…. parabens..
      acreditar é acreditar é acreditar é acreditar

      • Fabrício disse:

        O termo ‘Fé em ciência’ é usado inapropriado uma vez que a verdadeira ciência apresenta evidências para aquilo que expõe.
        Fé sem tem por aquilo que não se pode provar, mas que escolhemos consciente ou inconscientemente acreditar.

      • Assir disse:

        Ou tu é burro ou ignorante..Fé científica = evidencia e comprovação. Não como crendicie sem comprovação alguama. Acorda arigó.

  2. Laís Xavier disse:

    O ser humano tem necessidade em acreditar, pois traz uma sensação de bem-estar, é reconfortante e consola . O fato de acreditar em coisas estranhas também vem da simplicidade que as suas perguntas mais difíceis são respondidas. O Local também influencia na necessidade. Quanto mais incerteza o ambiente oferece maior se torna a necessidade de acreditar em coisas bizarras, para que o bem-estar seja instantâneo.

  3. marcos disse:

    Em uma entrevista à BBC, um repórter perguntou ao psicanalista Carl Jung se ele acreditava em Deus. Ele respondeu : “I don’t believe, I know”, por fim explicou que acreditar é uma coisa estranha, é preciso saber. Na mesma entrevista ele foi interrogado sobre vida após a morte. O psiquiatra afirmou que existe uma parte da nossa mente que é atemporal e “não-espacial”, com isso explicitou que tal parte pode não estar sujeita as leis da matéria.

    Portanto, muito cuidado com esse “pseudo-ceticismo”. Acreditar que existe uma verdade no universo já é uma atitude anti-cética. Estudem mais, assim se tornarão céticos melhores, ou libertar-se-ão dessa estupidez.

  4. raph disse:

    Pessoal, esse é o espírito:

    “Em todo este contato direto com as confusões de nossos tempos à frente de uma Sociedade de Céticos, em nenhum momento aqueles que acreditam em coisas estranhas são menosprezados, afinal, o próprio Shermer assim como todos nós acreditamos vez por outras em coisas estranhas.”

    Afinal, acho que todos (os leitores de divulgação científica, cientistas e céticos) acreditamos no princípio da incerteza da MQ, no fato de que o tempo é relativo ao observador, que tudo o que vemos são fótons, que tudo o que “tocamos” é a força eletroestática (senão apertos de mão seriam explosões nucleares), etc. Eu pessoalmente acho tudo isso MUITO estranho :)

    Abs
    raph

  5. José Américo C Medeiros disse:

    A questão não é acreditar, mas entender que a realidade humana, tão dissecada pelo ceticismo respeitoso, ou ironizada pelo pseudo-ceticismo, talvez surpreenda, no futuro, trazendo novas como a decadência da própria pergunta em pauta.
    Talvez, porque nem a ciência pode negar totalmente, irrefutavelmente, a manifestação não considerada apta para a bancada laboratorial.
    Então, cautela nos enunciados.
    E um pouco mais de humildade, pois, mesmo com toda racionalidade, toda ciência atual, nada sabemos sobre quem somos, de onde viemos, e se vamos para algum destino após morte que não seja a volta ao pó.
    Ou alguém sabe?

  6. JEAN BLUM disse:

    A Fé é uma doença psíquica, está comprovado cientificamente por “Neurocientistas”.
    Ela age como uma droga, trazendo bem-estar ao usuário.
    Mas como toda droga, seu uso excessivo causa problemas. No caso da fé, causa alucinações ao indivíduo e o faz fugir da realidade.
    Felizmente, a maioria das pessoas desenvolvem a fé em um nível que não as prejudica. Porém, alguns elementos se tornam reféns da sua própria fé, viram fanáticos e acabam por fazer qualquer coisa em nome dessa fé, sendo ela de ordem religiosa ou política, entre outras.
    Exemplos catastróficos do excesso de fé: Holocausto, Cultos com sacrifício de animais ou pessoas, Inquisição, Guerras, etc, etc…

    E é claro que a religião está no topo dos absurdos cometidos em nome da fé…

    • marcos disse:

      Meu Deus! Muito cuidado ao afirmar que a neurociência “comprovou” que a fé causa alucinações. Por favor, cite a referência da onde você tirou esse informação ridícula.

      Aliás, você anda bem desinformado, pois os cientistas já demonstraram que pessoas religiosas e espiritualistas ficam menos doentes. Qual a explicação que você me dá pra isso? Seria puro placebo?

    • Macc disse:

      E a fé na ciencia ninguem fala por aqui?

      Ora, é tão bonito ficar tagarelando que FOI PROVADO PELA CIENCIA e tal e qual… e que essa é a verdade, que pelo metodo da ciencia se pode CONFERIR as alegações… parece até que a ciencia é uma mãezona em que a gente pode confiar.
      Bom, pois é, mas quem é que já conferiu as grandes alegações “DA CIENCIA” por ai.. é cidadão comum tu tá numa de ter MUITA FÉ….e quem tem dinheiro do proprio bolso para replicar os experimentos em todas as áreas DO CONHECIMENTO (biologia, fisica, astronomia… e etc…etc..), refazer os estudos (história, antropologia, etc… etc..), é muita esquizofrenia achar que não temos fé nos livros da estante meu caro.
      No final, se isso for uma doença mental (mais um conceito desenvolvido pela ciencia médica), estamos todos os SERES HUMANOS malucos, igualzinho aos que os céticos rotularam de crentes para se sentirem melhor, aqueles que leram a verdade no livro sagrado ou que confiaram no que o padre falou…

  7. Jovelino S.Oliveira disse:

    Olá equipe do ceticismo aberto.
    Hoje no dia 19 de Dezembro deste Domingo às 23h12min resolvi visitar o site Ceticismo Aberto me deparando assim com a promoção “Ganhe o livro de Michael Shermer”. Interessou-me a pergunta proposta de modo que escrevi no calor da vontade uma resposta. A minha leitura foi desatenta não me dando conta de que a promoção era válida até o dia 16 de dezembro passado. Envio-lhes este E-mail não mais com a ideia de concorrer ao livro e sim com a ideia de dar meu veredito. Segue a resposta abaixo:

    “ Acreditava em uma série de coisas estranhas (e ainda me dou ao luxo de acreditar em algumas delas) pelo simples fato de que gosto de histórias fantásticas. Quando descubro algo novo que foge a minha compreensão, sinto-me entorpecido por essa nova perspectiva. Compara-se a aquilo que chamo de “o prazer da descoberta”. Gosto muito de ler e isso acontece com frequência. Trata-se de uma válvula de escape. Ora! Sou jovem e tenho muito que conhecer! Mesmo que eu me torne um homem velho, quero encarar o mundo e o universo como uma criança explorando a casa dos avós.
    Sem pormenores. Abraço. ”

  8. Julio Emanuel disse:

    Eu acreditava por que era mais simples simplesmente acreditar. Perguntar, pesquisar, contestar, duvidar, poderiam me levar a um mundo desconhecido que eu considerava ameaçador. O mundo da fantasia era mais simples e belo. Ao decidir tomar a pílula vermelha, a realidade que surgiu à minha frente fez-me sentir derrotado, vazio e com a sensação de que parte importante de mim sempre fora uma ilusão. Mas estranhamente senti-me muito mais leve sem as correntes da ignorância. A sensação de que não seria mais manipulado, de que não sabia tudo, é verdade, mas de que poderia procurar as respostas sem medo de decepcionar-me, isso me confortava. Com o tempo aquelas absurdidades foi ficando em minha lembrança como parte de meu passado, e que agora teria uma missão, oferecer também a pílula vermelha do conhecimento aos que tivessem a coragem de tomá-la.

  9. PeDrO Vidal disse:

    realmente eu creioo que existe muitas coisas estranhas nesse mundo pois a muitos boatos tem um certo ponto que nao dar para duvidar como uma pessoa do campo q nao tem muito o conhecimento pode invertar estas coisas olhem depois o caso de betty e barney como eles descreveram o mapa de estrelas, depois de um tempo com a tecnologia eles descobriram que existiam aquelas estrelas na mesma localização a fragmentos ate hj no vestido de betty acham q e mentira procurem no youtube history channel abduções caçadores de ovinis encerando eu creio em vida extraterrestre pq o universo e tão imenso e muito egoismo pensar que ele foi feito exatamente so para os seres humanos e eu creio que nos vamos descobrir isto muito em breve nao sou um cara sabio mais quero aprender me add no msn aee [email protected] vlw…

    • Assis Utsch disse:

      Vidal,
      O universo não “foi feito para os seres humanos”, conforme você imagina. Nós só estamos aqui porque o arranjo cosmológico aleatoriamente estabelecido permitiu que na Terra moléculas pré-biológicas se tornassem biológicas, e evoluíram.

  10. Vagner disse:

    Bom, eu acredito pq sei q ñ tem quem vai acreditar por mim, e tbm eu sei q ñ são coisas estranhas e sim coisas mais q normal.Basta abrirmos a mente e acreditar no q vemos e eu digo isso, pq eu já vi coisas q seu espalhasse, iriam me chamar de louco e q iriam fazer uma vaquinha para me internar.
    Eu acredito em coisas estranhas, ñ só pq eu já vi e sim pq eu gosto de coisas estranhas e por mais q me xinguem eu continuo à acreditar

  11. Mauricio disse:

    Vejo que o povo em geral continua confundindo fé com conhecimento. Acreditar sem provas, sem conhecimento comprovado de algo é ter fé, ou seja, é crer por querer não importando se aquilo é real ou não, se existe de verdade ou é apenas a imaginação.
    Os céticos (como eu) acreditam apenas naquilo que se pode comprovar ou que se tenha sérios indícios que a comprovação será possível um dia.
    Os céticos não tem fé na ciência pois a ciência só é ciência quando existe a comprovação de algo e por isso o ceticismo, a necessidade de comprovar a verdade das coisas.
    No ceticismo não se cultua pessoas, apenas divulga-se o trabalho daqueles que por meio da ciência conseguem comprovar a verdade. Um cético pode mudar de opinião quando se comprova que algo estava errado e não há nenhum incômodo nisso. Não existe uma verdade absoluta e a evolução sempre nos mostra algo novo a ser descoberto e comprovado.
    A necessidade de crer em algo maior como um “deus” criador das coisas, na vida após a morte ou ainda na ressurreição são típicas do ser humano que teme não apenas a morte, mas a vida com um todo pois precisa de uma justificativa para a existência humana e não consegue viver pelo bem da sociedade humana mas tão somente por meio da religião que pune aquele que não se mantém dentro de normas muitas vezes absurdas e desnecessárias.
    Não existe coisa mais estranha do que ter fé ao invés de acreditar no potencial humano para o bem do futuro de nosso planeta.

    • MACC disse:

      Poxa Maurício, me deculpe,não sabia que você tinha conferido pessoalmente tudo que esta escrito nos artigos científicos aceitos do mundo todo…eta cético poderoso esse.

      Sério, mil desculpas, errei na terminologia, você não “acredita em ninguem”, você “conhece a realidade”; Você não lê textos sagrado, você lê livros científicos; não tem confiança no pastor nem na Igreja, você confia no Carl Sagan e na Ciencia do governo.

      O religioso é como o cetico, ele não acha que acredita em nada, se você perguntar ele vai responder: Eu, eu não acredito eu sei a verdade!

      Cuidado, alguns dos LIVROS DA ESTANTE já TÃO ACUMULANDO PÓ…
      Amem…. para aqueles que não conseguem entender “no que acreditam aqueles que em nada acreditam”…

    • marcos disse:

      Engraçado mesmo. Diz que não tem fé, mas utiliza-se da ciência para estabelecer uma verdade absoluta materialista.

      Deixa eu te fazer uma pergunta: Você acredita que a matéria é a única realidade do universo?

      Se sim, reconheça que isso também é uma questão filosófica, pois a ciência nunca “comprovou” até hoje que a materialidade é absoluta.

      O que vocês praticam tem nome: pseudoceticismo.

      • Assis Utsch disse:

        John Searle, autor de O Mistério da Consciência diz: “Se o mundo sobrenatural existisse, ele seria parte do mundo natural”. Evidentemente, temos muito a descobrir sobre o mundo natural. Mas de uma coisa já sabemos: o mundo sobrenatural é criação humana, tal como todos os seus complementos: as divindades, o paraíso, a suposta vidas após a morte, etc, etc.

  12. ca34 disse:

    ao MACC,

    Você quer dizer que o conhecimento da ciencia é um tipo de fé.

    Mas a ciencia não pode ser conferida?

  13. MACC disse:

    “Ca34”, Não é nada disso não, ta confundindo tudo:

    A ciência é uma instituição, ela tem um método diferente da religião de obter conhecimento (o MC), ate ai tudo bem…

    O que estou dizendo é que todo mundo que foi educado dentro de um determinado sistema pensa saber a verdade, não porque foi conferir pelo MC, mas porque “confia” e tem “fé” no sistema e nas autoridades.
    Essa é a armadilha da ciência, vou dar um exemplo:
    Situação 1- O sujeito esta debatendo a astrologia neste site e cita um artigo científico publicado na revista “Nature” (texto de autoridade para ele) que afirma serem nulas as previsões do astrólogo. A partir disso ele sai dizendo por ai que a ciência provou que a astrologia é cascata pura. Situação 2- Outro sujeito lê na bíblia (texto de autoridade para ele) que o mundo foi feito em sete dias, a partir dai ele diz que a geologia só pode estar errada.

    O que tem de igual nos dois: Eles ACREDITAM nos TEXTOS SAGRADOS dos seus respectivos sistemas culturais. Não tem diferença, é fé pura e simples!!!
    “ha, mas podemos conferir a ciência e ver se a argumentação esta correta… bem, para alguns casos podemos conferir os dados, assim como podemos na religião, para ouros não… e temos que confiar simplesmente…

    A única verdade é que a sociedade e principalmente os indivíduos comuns não tem recursos nem tempo de conferir 99% da ciência… e os livros estão ai na escola e na estante, e não percebemos que temos uma FÉ enorme neles, é grave isso. E ainda tem aqueles iludidos como o Michael Shermer, que ainda assim, sem perceberem isso, se sentem superiores e dão risada daqueles que chamaram de crentes…

    Assim, a ciência não é como a religião na lógica, mas é na pratica, pois para confiar no conhecimento da ciência só se utilizando de MUITA FÉ!

  14. Body&Soul disse:

    Alguns falam em fé na ciência? De onde tiraram isso? Sou cientista de microorganismos. Nenhuma afirmativa científica é provada por uma única teoria. Após qualquer pesquisa, como a idade de uma simples pedra, por exemplo, é necessária uma analise por toda uma comunidade, para então, finalmente, ter a prova final.

    Experiências pessoais não são e nunca serão provadas apenas com palavras – esse é o caso religioso. (Só para citar um exemplo, a bíblia diz que o mundo tem 8 mil anos e poucos sabem que o que está escrito lá, não foi escrito por testemunhas oculares). Vocês que defendem a fé, acreditam na bíblia?

    São dois mundos que não se conectam. Céticos procuram provas na matéria, racionalidade… Quem pratica a fé, acredita simplesmente por acreditar, seja por experiência pessoal, ou por ter tal necessidade.

    “Acreditar que existe uma verdade no universo já é uma atitude anticética”? De onde tirou isso? Conhece física quântica? Lei da atração? Fala inglês? Então leia este artigo do MindBridge, deve te ajudar. “Quantum-Physics-for-beginners” http://www.mindbridge-loa.com/Law-of-Attraction-Quantum-Physics-for-beginners.html

    • marcos disse:

      Da onde eu tirei isso? Da filosofia. Vá estudar.

      Pesquise as bases do ceticismo. Você sabe com ele surgiu e qual era o pressuposto dos seus adeptos, a priori?

      O cético vive em um constante duvidar, e nada, incluindo a ciência, pode ser referência da verdade absoluta. Nem a própria ciência, para o verdadeiro ceticismo, responde às questões do universo, pois, segundo o seus autores a verdade não existe. Fora disso amigo, é PSEUDOceticismo.

      É duro lidar com pseudocéticos viu… Saem por aí achando que existe um Senhora Ciência no seu trono ditando as verdades do universo, mas se esquecem que toda teoria científica possui um pressuposto FILOSÓFICO. Inclusive o materialismo.

      • Assis Utsch disse:

        Marcos, o que você acha da Revelação?

        Revelando as Religiões
        As religiões são apenas superstições mais elaboradas. Mais elaboradas porque ao longo de sua formação seus criadores foram incorporando seus rituais, suas narrativas, primeiro orais, depois escritas, forjaram seus livros, sua doutrina, teologia, sua literatura, etc. As crenças foram perpetuadas através da doutrinação, repetição, usos, costumes e tradições.
        Os livros sagrados de todos os credos são coleções de fábulas, mitologias, lendas e fragmentos de culturas antigas. A prova de que esses livros são mitologias está em seu próprio conteúdo fabulesco. Eram narrativas sujeitas àquela regra: quem conta um conto lhe acrescenta um ponto. Além das supressões, adições, reinterpretações e recriações que esses textos foram recebendo. Não houve nenhuma revelação.
        O Deus é um ser da mesma natureza dos deuses, semideuses, divindades, fetiches, xamãs, toténs, etc, etc, e todos são criações humanas. Todos os salvadores, messias, profetas e pregadores são os precursores dos atuais exploradores de nossa credulidade. Ainda assim, afastar de nossas mentes o Deus herdado desde o colo da mãe é uma tarefa quase impossível.
        O conceito de espírito ou alma surgiu quando o homem primitivo começou a interpretar o sonho como uma entidade que habitava nosso interior. Surgiu então o animismo, de alma, um ente imaginário, pois o que temos de imaterial é a nossa consciência, o pensamento, a imaginação, a mente, mas gerados por nossa própria condição biológica.
        A ética (ou a moral) independe de qualquer fundamento teológico, já que ela resulta da própria necessidade da convivência harmônica dos homens. O grande balizador da ética é a regra de ouro – Não fazer aos demais aquilo que não gostaria que lhe fizessem – e que vem desde os livros antigos e repetida inclusive nos Evangelhos.
        Existindo o Universo desde sempre, por suas próprias contingências imanentes, ele não teve um Criador. Se o Nada não existe nem nunca existiu, o Universo só pode ser eterno. E nós existimos porque o arranjo cosmológico aleatoriamente estabelecido permitiu que na terra moléculas pré-biológicas se tornassem biológicas, e evoluíram.
        Todo o mundo sobrenatural ou transcendente que imaginamos é resultante de nossos medos, fragilidades, compulsões, nosso autoengano e de nossa inconformidade com a finitude da vida.

    • MACC disse:

      Para o “Body&Soul”:

      Então leia meu último post, acima do seu.

      Eu não dou religioso, mas conheço filosofia da ciência e história da ciência, sem falar na sociologia, portanto sei bem do que a ciência se trata, de mito! E não sou eu que digo isso não, são os maiores pesquisadores dessas áreas, quem não sabe disso esta muito desatualizado (há uns bons 60 anos ou mais).
      Bom, tudo que vc afirmou sobre a comunidade ter “aceito as evidencias e as teorias depois de muitos testes”, de que vc não precisa ter fé na ciência, te faço uma pergunta: como tu es microbiolólogo, tudo que vc aprendeu em microbiologia vc sabe por experiência própria ou através dos livros e artigos que leu durante sua graduação e pós? (vc acredita nos modelos celulares, nas descrições da regulação gênica, na fisiologia e em milhares de informações que não foram pesquisadas por vc mesmo???)
      Pois é, vc teve que acreditar nos livros não é mesmo, e garanto que na época e mesmo agora vc nunca parou para pensar se eles eram confiáveis não é mesmo? Vc pensa que acredita em evidencias pois é cientista,, mas na realidade, vc só acredita em PALAVRAS escritas em LIVROS! Qual a diferença de ter FÈ na BIBLIA?
      E porque vc confia tão cegamente?, pois te ensinaram desde pequeno isso também ( a confiar nos livros e os professores), Todo esse papo de que podemos confiar cegamente na ciência nos foi ensinado goela abaixo, será que podemos mesmo?
      Ao mesmo tempo é impossível conferir toda a informação ao nosso redor… como disse é um sistema de muita fé!!!
      Além do mais a ciência não pode ser um modelo de referencia para nenhuma VERDADE absoluta como querem os pseudocéticos, qualquer investigação profunda de qualquer assunto científico nos revela uma miríade de controvérsias inconciliáveis baseadas no MC, o que fazem os pseudo céticos frente a isso? Apenas vomitam a propaganda dos autores populares do reducionismo científico e neopositivismo, dos “divulgadores da ciência” a lá Richard Dawkins e companhia, que mentem sobre o que é a ciência e seus problemas, que omitem a filosofia da ciência. Por que? Simples: pois este tem interesses e objetivos políticos muito bem conhecidos e são financiados pelos Neohumanistas.

  15. MACC disse:

    Sobre o “pseudoceticismo” de internet ser ridiculamente crente na CIENCIA, achei essa citação em um blog, muito boa:

    “Para responder ao cético arrogante, não adianta insistir que deixe de duvidar. É melhor estimulá-lo a continuar a duvidar, para duvidar um pouco mais, para duvidar cada dia mais das coisas novas e loucas do universo, até que, enfim, por alguma estranha iluminação, ele venha a duvidar de si próprio.”

    G. K. Chesterton, in Ortodoxia

    • marcos disse:

      Citação perfeita!

      Na onda, citarei outra, de Freud:

      “Quando um indivíduo se considera um cético é bom, às vezes, duvidar do seu próprio ceticismo.”

      • Assis Utsch disse:

        Quem comete desonestidade intelectual, ao atribuir a Freud seus próprios delírios, deve cometer também falcatruas.

  16. Eu acreditava em coisas estranhas porque pra mim elas não eram estranhas. E também porque eu era um estúpido.

  17. Macc disse:

    correção:

    “te disseram que neles estava a verdade e vc se acha mais sabido não é?”

  18. Rodrigo Luciano de Godoy disse:

    Como dizem por aí de gênio e de louco todo mundo tem um pouco.
    O problema é que meu lado louco se sobrepõe em muito meu lado gênio.
    Eu acreditava nas conspirações illuminatis (que loucura! Ainda acredito um pouco);
    Eu acreditava na farsa do WTC (que absurdo! Ainda acredito um pouco);
    Eu acreditava na teoria da terra oca (loucura, loucura, loucura! Ainda acredito um pouco);
    Eu ainda acredito em muitas outras bizarrices que leio por aí!
    Como podem ver amigos esse livro para mim contribuiria em muito com a minha sanidade mental, então me ajudem não quero parar num hospício, e olha que eu moro pertinho de um!

  19. Eu mandei meu relato mesmo depois da promoção. Achei que vale apena ler. Obrigado e parabéns aos vencedores. =))

  20. Ednilson Oliveira disse:

    Ao ver e ler algumas publicações, e as mesmas estarem postadas no ano de 2011 e 2012, não li posts do ano 2013, gostaria de dar a minha humilde opinião sobre a fé;
    1. Para ela existir você tem que acreditar.
    2. se voçê pede a Deus com fé o seu pedido vem, mas na forma que Deus acha melhor para voçe.
    3. Esta aí as comprovações de fé em vários relatos científicos, tanto na medicina, quanto na área da religiosidade.
    4. fatos inesplicaveis aconteçem-concordo, mas devemos lembrar que esta humanidade que vemos hoje ela está em crescimento /desenvolvimento espiritual, estamos todos em busca de uma paz verdadeira. Mas o caminho somente existe um DEUS,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *