MENU

Robô contra Lula Gigante: Confronto Final

emanpareidolia.jpg

Pareidolia “Robocop”

2 de abril de 2009 Comments (41) Views: 7352 Fortianismo, Paranormal

A Biblioteca de Chico Xavier

por Vitor Moura Visoni, responsável pelo blog “Obras Psicografadas

Este artigo revela que Francisco Xavier, muito mais que apenas cadernos, acumulou uma verdadeira biblioteca, que chegou a possuir cerca de 400 obras.

Em novembro de 1971, o repórter Hamilton Ribeiro publicou na revista Realidade extensa matéria sobre Chico Xavier. A reportagem pode ser conferida integralmente aqui.

Selecionamos alguns trechos da reportagem referente ao seu ambiente de trabalho até o ano de 1959:

“No quarto de trabalho, uma mesinha tosca, quatro cadeiras, um velho baú cheio de papéis e uns quatrocentos volumes de sua biblioteca – livros de história, uma coleção de “Seleções”, almanaques “Bertrand” e “do Porto”; “A Divina Comédia”, antologias, o “Lello Universal”, divulgação científica e, sobretudo, livros de espiritismo”.

Devido a um escândalo com um sobrinho, Chico saiu de Pedro Leopoldo em 4 de janeiro de 1959 e foi morar com Waldo Vieira. Lá chegando, deparou-se com uma biblioteca muito maior que a sua. O número exato de obras à época não conseguimos precisar, mas segundo informa o site da International Academy of Consciousness, hoje a biblioteca de Waldo conta com 63.000 títulos!

Um dado importante a ser destacado é que, segundo uma mini-biografia, Waldo, nascido em 1932, iniciou a sua biblioteca particular quando tinha 9 anos. Assim, é certo que Waldo já possuía em 1959 algumas dezenas de milhares de títulos. Inclusive, Waldo, diferentemente de Chico, cursou faculdade, e graduou-se em Medicina e Odontologia, possuindo ainda pós-graduação em Plástica e Coméstica. Waldo e Chico se separaram em 1966.

Segundo o livro Chico Xavier, um herói brasileiro no universo da edição popular, de autoria de Magali Oliveira Fernandes, na página 54 somos informados da produção de Chico em 5 períodos:

1932-1940: 11 obras
1941-1950: 29 obras
1951-1960: 24 obras
1961-1970: 41 obras
1971-1980: 84 obras

O livro Espiritismo à Brasileira, de Sandra Jacqueline Stoll, na página 121, nos apresenta dados com períodos e diferentes, e assim obtemos médias levemente divergentes:

1931-1947: média de 2 livros por ano
1947-1958: média de 3 livros por ano
1959-1969: média de 4 livros por ano
1970- julho de 1977: média de 8 livros por ano
agosto de 1977-1979: média de 7,5 livros por ano
1980-1989: média de 15 livros ao ano
1991-1992: média de 6 livros ao ano, devido a problemas de saúde
1993: 18 livros lançados

A relação completa pode ser encontrada aqui.

O link acima, do Universo Espírita, classifica as obras de Chico do seguinte modo:

[1] Poesias: Poemas, trovas e poesias.

[2] Crônicas: Apresenta textos curtos desenvolvidos com elegância literária.

[3] Contos: Histórias com começo, meio e fim, caracterizadas por uma conclusão ou ensinamento.

[4] Romance: Narrativa mais ou menos longa na qual se relata a vida de pessoas em outras encarnações. Apresenta o diálogo e as seqüências segundo o tempo: presente, passado, futuro e o espaço: vida encarnada e vida espiritual.

[5] Vida Espiritual: Relatos e explicações sobre a erraticidade, isto é, a vida no plano espiritual.

[6] Filosofia: Fornece explicações, apresenta definições, mostra causas e conseqüências para reflexão do leitor.

[7] Evangelho: Discorre e procura se aprofundar sobre partes específicas dos evangelhos e de outros livros da bíblia.

[8] Evangélico: Aborda de modo geral assuntos ligados aos evangelhos.

[9] Mediunidade: Apresenta casos e/ou explica sobre médiuns e mediunidades.

[10] Científico: Apresenta temas doutrinários com abordagem científica.

[11] Obsessão: Explica e orienta sobre obsessão, obsessores, obsidiados, reuniões de desobsessão e todo o tratamento espiritual característicos destes casos.

[12] Doutrinário: Esclarece sobre a doutrina, ampliando conceitos, muitas vezes fazendo referência direta a trechos dos livros da Codificação.

[13] Infantil: Assuntos diversos com abordagem própria para a infância.

[14] Cartas: Cartas de desencarnados para consolação da família.

[15] Mensagens: Coletânea de mensagens curtas de diversos temas, para reflexão e meditação dos leitores.

[16] Dissertações: Apresentação de temas diferentes de forma mais abrangente que as mensagens.

[17] Comportamento: Orientação para o comportamento das pessoas com base no conhecimento espírita.

[18] Biografia: Obras que apresentam informações biográficas sobre Chico Xavier e de outros espíritos.

[19] Entrevista: Perguntas e respostas com abordagem espírita e relatos biográficos.

[20] Frases: Frases ou parágrafos extraídas de mensagens.

Do modo que vejo, a produção de Chico pode ser entendida da seguinte forma (vou me basear inicialmente na classificação da página 54 do livro da Magali e usar a mesma definição de conteúdo existente no site do Universo Espírita):

No 1º período, como Chico tinha poucos livros para ler, sua produção era escassa, pouco mais de um livro por ano. O conteúdo, não coincidentemente, era sobre que ele tinha lido até então: poemas (centenas encontrados em um caderno, o que gerou Parnaso de Além Túmulo e Lira Imortal), crônicas e contos (facilmente encontrados em revistas e folhetos da época, e que deram base a Palavras do Infinito, Crônicas de Além-Túmulo e Novas Mensagens), livros de história (como Vida de Jesus, de Ernest Renan, que forneceu material para o romance histórico Há Dois Mil Anos), escritos de Flammarion (que influenciaram Cartas de Uma Morta).

No 2º período, no entanto, após ter feito fama, começa a ganhar livros e automaticamente a produzir mais, chegando a uma média de quase 3 livros por ano. Ainda percebemos a presença de romances históricos, tendo produzido escritos como Paulo e Estevão, e Renúncia, mas percebemos também a presença de livros de cunho evangélico (Jesus no Lar) e com ‘revelações’ do mundo espiritual, baseado em suas leituras de Kardec e demais espíritas, como O Consolador, Nosso Lar e Missionários da Luz, talvez no intuito de preencher as lacunas da doutrina kardecista, além de livros infantis.

No 3º período, devido ao escândalo com o sobrinho (o qual acusou o médium de ler muito – o que sabemos hoje, é a mais pura verdade – e ainda demonstrou ser capaz de escrever poemas tão bem quanto ele) e por ter saído às pressas de Pedro Leopoldo, deixando para trás toda sua biblioteca, sua produção caiu levemente. Nessa fase, antes de seu contato maior com Waldo Vieira (e antes, portanto, de perder sua biblioteca), notamos ainda a presença dos romances históricos (Ave, Cristo!) e das obras de cunho evangélico (Vinha de Luz).

Imediatamente após o contato com Waldo e com a participação dele, Chico passou a escrever livros mais ‘científicos’, como Evolução em Dois Mundos (1959) e Mecanismos da Mediunidade (1960), o último com dezenas de trechos extraídos do livro O Átomo, de Fritz Kahn.

No 4º período, Chico escreve ainda bastante com a participação de Waldo, atingindo uma média maior que 4 livros por ano, mas o conteúdo científico não será mais encontrado em nenhum de seus livros. Waldo também era um profundo conhecedor da literatura, naturalmente, assim na produção desta época encontramos apenas um romance doutrinário (Sexo e Destino), a maior parte sendo contos (Contos Desta e Doutra Vida, Luz no Lar, Estante da Vida), poesias (Trovadores no Além, O Espírito de Cornélio Pires, A Luz da Oração, Orvalho de Luz) e de cunho evangélico (Livro da Esperança, Palavras da Vida Eterna).

Finalmente, no 5º período, Chico atinge um dos seus períodos mais fecundos, com uma média superior a 8 livros por ano! Como explicar esse período de produção, se Chico não possuía mais a vasta biblioteca de Waldo à disposição, havendo se separado em 1966? Muito simples. Chico voltou-se para as únicas coisas que podia fazer sem recorrer a nenhuma obra: poesias (Conversa Firme, Chão de Flores, Recanto da Paz, Auta de Souza) e a chamada “literatura de consolação”. Diversos livros com mensagens (Companheiro, Maria Dolores, Momentos de Ouro, Coração e Vida, Caridade) e coletâneas das cartas psicografadas em sessões públicas foram lançados (Entre Duas Vidas, Jovens no Além, Somos Seis, Amor e Luz, Luz Bendita, Amor Sem Adeus, Enxugando Lágrimas, Claramente Vivos).

E depois desse período? A produção cresceu ainda mais: praticamente dobrou. Basicamente, encontramos exclusivamente mais mensagens, cartas e poesias – e aí a lista é gigantesca, quem quiser conferir basta acessar o site do Universo Espírita, já citado. Não encontramos mais romances históricos, não encontramos mais livros científicos.

Então temos as seguintes equações:

1ª) Chico + biblioteca = romances históricos, crônicas, evangelho, ciência, poesias

2ª) Chico – biblioteca = cartas, mensagens e poesias

Justamente na 1ª equação estão as matérias que mais requerem estudo. A poesia é um elemento comum a ambas justamente porque Chico sempre teve um profundo pendor literário, como ele mesmo admitiu em Parnaso de Além Túmulo.

A meu ver, são indícios de que as psicografias de Chico estavam diretamente vinculadas à presença ou não de uma biblioteca.

Tags: , , ,

41 Responses to A Biblioteca de Chico Xavier

  1. Edmilson Souza Pereira dos Santos Martin disse:

    Não subestimem que a próxima geração de psicógrafos produzirá livros científicos e históricos para comprovar que cientistas, céticos ou ateus mortos estão no outro mundo se comunicando conosco.

    Lembram da TCI Trans-Comunicação Instrumental? Relatam a construção de emissoras de rádios entre os mundos dos espíritos e dos vivos.

    É um universo fantástico, séries televisivas como Medium apresentam ao público relatos verídicos onde Allison DuBois é constantemente testada pelo ceticismo dos outros, e sempre consegue provar que os espíritos realmente conseguem avisar de eventos futuros ou remotos.

    Querem provas mais concretas da verdade do que os testemunhos daqueles que presenciaram estes fatos extraordinários?

    Para muitos 2+2=5 porque há a possibilidade apresentada por matemáticos que distorcem a realidade de variáveis ou paradoxos.

    Fazer a associação entre a alta instrução de Chico Xavier, ser auto didata mas oficialmente analfabeto, ou seja, sem diploma escolar, não significa que ele se alfabetizou fora da escola, mas sim que os espíritos se comunicavam com ele e o instruiam e influenciaram seu aprendizado. 1+1=11.

    Não subestimemos a lógica nem segundas intenções das pessoas que apoiam tais ideias, afinal o importante é consolar emocionalmente aqueles que perderam um ente-querido. A qualquer custo não podem arrancar a esperança e a ilusão de que seus amados agora são carne podre dentro de um caixão.

    O universo dos espíritos deve ser real para acabar com o sofrimento da perda e da saudade!

    • PJ disse:

      A Allison DuBois não é testada nem prova nada. Sites como o Skpetical Inquirer provaram isso. Ela diz que ajudou a polícia em vários casos, mas as poucas agências citadas por ela negam que foram ajudadas por ela ou qualquer outro psíquico.

  2. Aigaman disse:

    Alguém leu a reportagem na íntegra? Pois é, reconheço que a matéria tem trechos desconcertantes… Só não entendi porque a matéria está dentro daquele Instituto de Pesquisas Psíquicas.
    Quem colou isso lá leu a matéria? Não entendi qual era a finalidade do ícone ali, afinal o Instituto o credita ou o põe em dúvida? Será que foram tão sutis? Porque eu que não consegui “manjar”.
    Aliás a Instituição (amiga ou não) está promovendo cursos e atende pedidos de solicitação de produtos,
    sendo membro do grupo de pesquisas psiquicas tenho acesso a fita com preço mais acessível, já incluido correio.

    No entanto […]é uma entidade sem fins lucrativos.
    Toda arrecadação proveniente da venda dos produtos XXXX é repassado para: os nossos departamentos de pesquisa e desenvolvimento, para a manutenção da sede e para a criação da Cidade das Estrelas.[…].

    Enfim obteve-se mais informações sobre a polêmica em questão.

    E acho que os pesquisadores e fomentadores do tema “Biblioteca de Chico” que pretenderem lançar o livro sobre essa polemica, se realmente o lançarem, penso que venderão bastante…

  3. André disse:

    Eu gostaria que os autores da matéria, mostrassem outras pessoas que devido a terem uma biblioteca em casa, viraram prolíficos escritores de assuntos variados.
    Parece que Chico devia ser superdotado, pois todo mundo lê sobre muitas coisas, mas que eu saiba ninguém vira um bom escritor sobre aquele tema porque leu uns poucos livros sobre o assunto.

    • Mori disse:

      André, o que o texto mostra é que, ao contrário do afirmado por tantos e subentendido pelo próprio Chico Xavier, ele tinha enorme contato com literatura que mais do que torna compreensível sua prolífica produção. Incluindo obras com referência a assuntos mais técnicos, que exigiriam consulta, e que pelo visto, contaram com tal.

      O talento e pendor para escrever ainda será um elemento necessário, mas em nada necessariamente sobrenatural. Isaac Asimov escreveu mais livros, originais, que Chico Xavier, sobre temas muito mais diversos e jamais alegou fazê-lo por meios sobrenaturais. Como Chico, lia e escrevia desde a infância e passou uma vida dedicada à literatura, sempre lendo muito. Asimov morreu mesmo mais jovem que Chico.

  4. estrelinha disse:

    O Chico Xavier, ninquém pode negar, é um escritor do além, que ele tenha ou não lido livros, isso foi bom para ele e para seus leitores, pelo menos pesquisou, e garantiu a todos que leram seus livros uma outra encarnação, já que todos os mestres que passssram aqui na terra pregaram o mesmo que ele, de uma forma ou de outra denegrir O Chico não é uma coisa sensata, seus livros fazem muito bem a seus leitores, Deixem o morto em paz, que assim seja

  5. Carlos disse:

    Mori, por acaso você junto como o Vitor resolveram iniciar uma guerra santa contra o espiritismo, tal qual o exemplo de algumas religiões, no passado e no presente? É o que está parecendo…
    Agora, já que é para combater o “ópio do povo”, ou seja, a religião, porque não atacar também grupos mais poderosos como a Igreja Católica e as várias igrejas evangélicas, algumas das quais possuidoras de rádios, redes de tvs, etc. Medinho de tomar um processo? Ou será que só o Chico Xavier é mentiroso, enganador, etc?
    Cara, eu adorava o site. Mas de um tempo para cá, estou ficando enojado com esse tipo de atitude. E olha que nem sou espírita…
    O que aconteceu? E a neutralidade científica?
    Tá certo que ela é um mito,mas essa sua parcialidade tá cruel de engolir…
    Respeite e deixe as religiões para quem acredita ou necessita delas.
    Você, em relação a ciência, está agindo como um fanático religioso qualquer: condenando tudo aquilo em que você não acredita.
    Um abraço.

    • Mori disse:

      Também devemos criticar as alegações sobrenaturais da ICAR e outras religiões, Carlos. São as religiões que não respeitam a realidade ao alegar fatos e fenômenos físicos, materiais.

      Chico Xavier alegava ser capaz de se comunicar com espíritos de figuras falecidas. Nisso, ele pisou no gramado da ciência, não o contrário.

      A verdadeira espiritualidade, mesmo a religiosidade, como eu as entendo, vão além do gramado da ciência.

  6. Jesa Nideck disse:

    Veja só esse victor de carater duvidoso, apagou todos os meus comentários, não estamos mais na época da inquisição, não podem proibir o médiun de ler.

  7. Ricardo RJ disse:

    UM JOVEM COM POUCA ESCOLARIDADE,OFICIALMENTE SEMIALFABETIZADO,TEM A CAPACIDADE DE ESCREVER UMA OBRA COMO PARNASO DE ALÉM TÚMULO,TODA A SÉRIE ANDRÉ LUIZ E AS DEMAIS,MUITAS MAIS,POR SI SÓ,SEM O AUXÍLIO DOS ESPÍRITOS,SÓ COM AUXÍLIO DE UMA BIBLIOTECA CAPENGA COMO A MOSTRADA NO ARTIGO?NO CASO DE PARNASO DE ALÉM TÚMULO,SUA PRIMEIRA OBRA,COM O ESTILO DE CADA AUTOR PERFEITAMENTE EVIDENTE,SENDO RECONHECIDOS POR ACADÊMICOS ILUSTRES NA ÉPOCA,COMO OBRAS PERFEITAMENTE ATRIBUÍVES AOS FALECIDOS ESCRITORES.EXPLIQUE MELHOR,ESSA ENXURRADA DE OBRAS SOB DIVERSOS TEMAS,DESCONCERTANTES,POR UM INDIVÍDUO SIMPLES COMO CHICO. POR UM SÓ HOMEM,POR MAIS INTELIGENTE QUE FOSSE,DESCARTANDO A HIPÓTESE ESPÍRITA.

  8. Danilo PB disse:

    Se Chico fosse um analfabeto seria estranho mas era um homem riquíssimo em conhecimento literário, era CULTO e isso é FATO. E Chico conhecia estilos de diversos escritores. E só porque as obras dele eram psicografadas foram os espíritos? Psicografia é escrita inconsciente. E escrita inconsciente só prova isso, que ela é inconsciente.
    Ao contrário do que pensam esse tip ode escrita é muito eficiente.
    La Fontaine e Condillac escreveram trabalhos inteiros de noite, sonâmbulos, sem deixar de dormir.
    Coleridge afirmou ter escrito o “Kublai Khan” enquanto dormia sob a influência de um analgésico.
    Do mesmo modo, um filósofo estóico escreveu livros em várias etapas, segundo nos afirma o historiador Diógenes Laertius.
    E por aí vai…

  9. Sullivan Péricles disse:

    Na biblioteca do Chico, quero dizer nos livros que ele tinha em casa existiam detalhes conhecidos só pelas famílias das pessoas mortas? O Chico tinha um investigador particular em cada canto do país para saber apelidos só conhecidos muitas vezes só por uma pessoa da família? O Chico além de de ler muito devia voar também, para entrar no quarto de uma pessoa do outro lado do país e saber antes de pessoa morrer qual o apelido por exemplo que a esposa que iria morrer tratava o marido na intimidade do lar, ou até mesmo só entre eles e ninguém mais conhecendo o apelido.

  10. Danilo PB disse:

    Sullivan Péricles

    Acontece que toda e qualquer informação pode ser obtida indiretamente por via sensorial(Isso sem contar a possibilidade de se captar por via “extra-sensorial”, cuja existência por sinal também é provada cientificamente)

    Não existe prova de que mortos se comuniquem com vivos.

    É só ter um pouco mais de conhecimento.
    Se os fenômenos se repetem fora do ambiente espírita, porque somos obrigados a achar que estes são causados pelos espíritos?
    E se existe uma explicação científica por que se atribuir ao sobrenatural?

    A “perfeição”(entre muitas aspas) na elaboração das cartas de Chico pode muito bem ser explicada pelo talento do inconsciente.
    “””Inconscientes somos mais inteligentes que acordados”””.

    O inconsciente humano é um gênio. As fórmulas para a descoberta da benzina e da insulina(quando cientistas quebravam a cabeça e não conseguiam chegar a solução acordados) foram descobertas durante o sono e sonambulismo.

    Hipnoses hoje são feitas para fazerem pessoas lembrarem de detalhes e tratar traumas psicológicos e fobias, ajudar a esclarecer crimes, e até mesmo lembrar onde estão pertences importantes de que não lembram onde viram a ultima vez e durante a hipnose o hipnólogo consegue arrancar da pessoa e faze-la ter acesso a lembranças “guardadas” no inconsciente que as pessoas não conseguem alcançar acordadas.

    Pessoas ignorantes quando hipnotizadas ou durante crises de delírio falam/escrevem línguas completamente desconhecidas e com perfeição.

    Não da para ter uma postura tendenciosa e ignorar tudo que a ciência sabe hoje sobre o psiquismo humano.

    Ou seja, Chico misturar detalhes do além(que ele conhecia da literatura de Kardec), besteiras e até chutes com detalhes sobre a vida do morto nas suas cartas não significa nada.

    Se inconscientes somos capazes de coisa muito maior por que não imitar uma letra ou estilo de escrita?

    O transe mediúnico(quando se baixa a cabeça e começa a escrever) não é nada mais que uma auto-hipnose.

    Esqueçam o menino órfão pobre, o senhor humilde e leigo e tudo que viram na tv ou leram sobre

    No momento da psicografia(INCONSCIENTE) era outro Chico

  11. Ricardo RJ disse:

    Mais um adepto da teoria “inconsciente sabe tudo” do pseudoparapsicólogo padre Quevedo,que demérito para o nosso querido Chico!

  12. jesa nideck disse:

    mediunidade é umma coisa cultura ou conhecimento é outra , se bem que fica muito mais fácil para um espírito se comunicar com um medium culto ou com algum conhecimento análogo ao do espírito.O médium funciona como uma ferramenta para o espírito, um doutor não usa picaretas ou martelos para fazer uma cirurgia, portanto deixem Chico em paz porque ele nunca foi um farçante, ele fez tudo que podia para ajudar os menores e tenho certeza absoluta que continua fazendo.
    conheceis a verdade que a verdade te libertará.

  13. Davidson disse:

    Muito ruim a matéria
    pra você questionar a obra de Chico Xavier, você tera que ter muito mais embasamento nos seus questionamentos.
    E o que ele fez pelas pessoas mais necessitadas, é dificil apagar o nome dele da história. O mundo está precisando é disso, gente que faz, e não de gente querendo aparacer nas custas de quem fez algo. Se você queria mais um ponto de ibope conseguiu. Não terá mais nenhum acesso meu. aproveita o grande numero de acesso que o site terá depois do progama do Jô, fecha bastante contrato com patrocinadores, principalmente com bandas de Rock “anti Cristo”, e faz algumas doações para você ter cartaz.

  14. Carlos Vasco disse:

    Eu gostaria que alguém me esclarescesse , e agradeço se tiver informações sólidas, nada de achismos , por favor:

    1=Esse médium , Chico Xavier não trabalhava não? O tempo todo em sua juventude era atrás de um livro para ler , decorar e depois gastava seu precioso tempo representando no teatro da vida ,passando-se por “telefone do além”?
    2-Se trabalhava na juventude, isto explica porque passou a produzir mais depois de uma fase( sempre sobra mais tempo quando se é aposentado). Agora eu gostaria de saber quais pontos negativos das mensagens. Eram convidativas ao pessimismo,induziam ao suicídio e conformismo?
    3-Se eram pessimistas,por que durou 70 anos de atividade “mediúnica”(2x um tempo de se aposentar)?Eu quero me aposentar agora aos 55 anos…
    4-Se eram mensagens otimistas,isto talvez explique a fama e a multidão de admiradores.É o otimismo pernicioso?Será melhor vivermos uma vida de ceticismo ,acreditando que até mesmo o amor de nossos filhos é fruto de um equilíbrio de dopamina e endorfinas no cérebro?Não seria melhor investigar os casos realmente sugestivos de mediunidade(acho que nem os espíritas estudam a mediunidade em profundidade).Atacar sem estudar é bancar o fanático.
    5-Acho esta a mais importante…quem dos que aqui estiveram face -a -face com ele, registrando ” furos”, ” esquemas”, fraudes”, perguntas sem respostas,”pegadinhas”?Acho curioso que em 70 anos as explicações e sofismas em oposição a este médium sejam facilmente contornadas pelas evidências favoráveis a ele .
    6-Achei trilegal o fato dele ter uma biblioteca em casa.Aqui ,onde moro com meus pais temos quase 8 mil livros.Meu pai aposentado é fã das artes e só consegue ler um livro por semana…haja tempo ,motivação e neurônio .Como será que ele fazia?Seria o Chico Xavier um autista savant?

    Aguardo respostas dos compaheiros de discussão(mas respondam só se tiver argumento científicamente palusível, sem achismos…do contrário prefiro o Quevedo que me relaxa e me diverte mais)
    Abraços cordiais a todos!

    • Rafael disse:

      Que evidências favoráveis Carlos?

      Se alguém tem 8 mil livros e não lê nenhum é porque não quer, oras. Outra coisa, não dá pra escrever alguma história falsa lendo outra (copiando informações históricas reais) ao mesmo tempo?

  15. Gilgamesh disse:

    Prezado Carlos Vasco, Chico Xavier era funcionário público aposentado.
    Com relação às mensagens, pontos positivos e negativos, se eram pessimistas ou não, etc. Eu sugiro a você ler os livros de Chico Xavier e tirar as suas próprias conclusões. Pesquise e leia a biografia dele também. Assim, você construirá a sua visão. É melhor do que saber a opinião dos outros.
    Chico Xavier passou 75 anos psicografando. Nesse período, inúmeros opositores do Espiritismo o acusavam de charlatanismo, contudo, nenhum o desmascarou realmente. 75 anos é tempo de sobra para desmascarar qualquer embusteiro. Você concorda? Todavia, todos os detratores de Chico Xavier ficavam tão somente nas especulações. Agora que ele está morto, é mais fácil denegri-lo.
    O Quevedo, por exemplo, vivia acusando e levantado n hipóteses contra Chico Xavier, entretanto, nunca teve coragem de desmascará-lo de verdade.
    Com relação à biblioteca dele: É algo totalmente normal alguém que tenha escrito mais de 400 livros ter uma biblioteca em casa. Dizem que Chico Xavier tinha uma biblioteca com 500 livros, aproximadamente. Ora, ele escreveu 451, portanto, natural seria que tivesse, pelo menos, um exemplar de cada livro seu.
    Concorde totalmente com você quando disse que “atacar sem estudar é bancar o fanático”. É isso aí!

    • Victor disse:

      Chico sempre enfrentou indivíduos críticos, alguns mais outros menos consistentes. Enquanto vivo tirou de letra todas leviandades colocadas sobre sua capacidade mediúnica. Nos anos 70, no programa pinga fogo, ele desconstruiu de forma educada, polida e elegante as falácias de
      de seus detratores… Infelizmente vários anos depois alguns ainda teimam em querer desqualificá-lo. Isso é muito arcaico… Vira o disco meu chapa…

    • Rafael disse:

      Ninguém o desmascarou?

      Existem vários fatos que o desmascaram porém as pessoas decidiram permanecer ignorantes acreditando nele e refutando os fatos que os desmascaram sem ver a fraude que ele era!

  16. Marcelo disse:

    A crença em deus ou no diabo o faz igual a todos os seguidores desse grande enganador

  17. Lívia disse:

    Meu Deus, você julgam e questionam assuntos impossíveis de o fazer neste momento de sua existência, de sua evolução pessoal e espiritual. Chico Xavier foi o maior Espírito brasileiro e isso ninguém poderá julgar. Por mais que tentem encontrar alguma explicação para seus fenômenos, sejam eles deturpados, coesos e/ou coerentes, JAMAIS irão conseguir uma compreensão lógica para isso, simplesmente porque esta lógica não está ao alcance de vocês, espíritos/pessoas imperfeitas e duvidosas. Por que não se ocupam realizando uma das principais práticas espíritas, a caridade? Ah, isso sim é uma coisa que nenhum de você pode debater. Enquanto os ignorantes procuram acusações, os tão acusados cristãos espíritas praticam a ajuda, fato este tão necessitado em nosso mundo. E aliás, antes de sermos espíritas somos, realmente, cristão; e antes de sermos cristãos, somos seres humanos no caminho da melhoria interna diária. Pensem nisso.

  18. […] possuía “vasta” biblioteca Segundo consta, sua “vasta” biblioteca chegou um dia a possuir cerca de 500 livros e revistas, com obras em inglês, francês e até […]

  19. Antonio Augusto disse:

    Se as teorias dessa matéria são verdades, o que não consigo concordar de forma alguma, ou seja, Chico escreveu por ser leitor voraz e ter vasta biblioteca, isso o torna ainda mais brilhante e um ser ainda maior do que sabemos. Merece ser feito dezenas de filmes sobre esse vulto brilhante da humanidade. Digo isso pelo fato de um homem semi analfalbeto se dedicar a vida inteira a escrever livros belíssimos, ler de forma compulsiva para escrever ainda melhor e doar TUDO isso, absolutamente TUDO, eu disse TUDO.

    Chico nao possuia cheque, nao tinha vasta conta bancária, nunca usou um cartão de crédito, nao tinha carro, nunca aprendeu se quer a dirigir, morou praticamente a vida toda na mesma casinha simples de sempre.

    Um homem desse seria capaz de um equivoco ou uma única mentira que fosse? Vocês não são tão racionais e céticos? Então pensem, use esse cérebro, gente.

    Os mentirosos, mesmo ingênuos, os que contam apenas uma histórinha assim aumentada que seja pra obter qualquer vantagem ou notoriedade nao suportam o crivo do tempo. Mais cedo ou mais tarde sua vida, suas obras e suas pegadas revelam toda a íntimidade quem são de fato.

    E pelo o que nos consta, quanto mais o tempo passa, mais Chico Xavier se revela extraordinário.

    Escritores como Isac Assimov, Paulo Coelho, Stephen King, J.J Benitz escrevem ou escreveram centenas de obras, mas TODAS devidamente registradas em seus nomes vertendo cada centavo em proveito próprio. Até ai nao tem nada de mais, meros escritores capitalista em busca da sua fortuna pessoal cheios de contradições e dúvidas na vida pessoal, profissional e emocional, mas isso nao vem ao caso

    • Rafael disse:

      LOL, um semi analfabeto que dedicou sua vida a escrever livros? Como pode haver uma afirmação mais ridícula que essa? A segunda parte de sua frase simplesmente prova que ele não era semi analfabeto como diziam.

      Ser humilde não prova que espíritos existem.

  20. Marcos Alexandre disse:

    Gostei dos comentários, tanto dos céticos como os dos religioso, espíritas e simpatizantes.

    Sou espírita, mas sempre tenho o lado crítico e gosto de ouvir críticas sobre o mesmo!

    Mas…

    A ciência de hoje não prova e nem desaprova nada!

    A historia da humanidade mostra que fatos que eram impossíveis antes são realidades agora! O que a ciência falava que era impossível provar hoje é possível!

    E assim vai ser ate o dia em que ciência e religião se cruzarem. Mas não esta religião tão cheia de dogmas e misticismo e nem essa ciência tão ríspida e arcaica. Assim arcaica sim, pois não sabemos quase nada sobre nós ou a terra o que dirá de Deus algo que pelo que li e acho é totalmente incompreensivo para nós atualmente.

    Ainda estamos vários anos luz de qualquer conclusão então ambos temos que respeitar as opiniões alheias pois todas, pelo menos nesse exato momento, estão certas de uma maneira ou de outra.

    Agora uma duvida se Chico “inventou” tudo aquilo (livros, cartas etc.) qual foi o intuito? Sendo que não recebeu um centavo se quer pelo que escreveu, não manipulou ninguém, pregava apenas o amor e a caridade, morreu pobre, consolou diversas pessoas e mudou a vida de outras tantas com seus livros e cartas.

    Não teria lógica tanto trabalho para não ganhar nada? Isso é materialmente!

    E ainda se expôs sendo chamado de charlatão, adepto do “coisa ruim”, mentiroso, entre outras tantas coisas que o chamavam.

    Teve reconhecimento no Brasil e no Mundo e apenas pregou o evangelho de Jesus. Dando o exemplo de amor ao próximo!

    Desculpe-me, mas se ele foi uma “farsa”, como dizem, foi uma das melhores (no sentido que trouxe coisas boas) que já existiu!

    • Rafael disse:

      Que coisas boas?

      Mentiras reconfortantes para pessoas que perderam entes queridos?

      Ou moralidade? Isso é independente de religião…

      Trazer os ensinamentos de uma lógica sem sentido de que reencarnamos para sofrer porque pecamos na(s) vida(s) anteriores? Encarar homossexualidade como uma “condição” de ser um “coitado” que devemos ter pena porque nasceu gay para sofrer por este motivo? Dar uma desculpa de porque Deus faz pessoas nascerem imperfeitas (sem membros, com doenças mentais, etc), ao invés de admitir que Deus não existe e que essas coisas são naturais por causa da GENÉTICA e não porque um deus definiu assim. Porque é isso que o espiritismo é.

  21. Ana Tedesco disse:

    Cara… nem li todos os comentários, mas quando as pessoas querem se iludir, elas conseguem, é incrível.

    O ser humano precisa tanto de uma explicação pras coisas que acredita em qualqueeer coisa!

    Tá, larguei de mão, antes que eu me irrite.

  22. Ana Tedesco disse:

    O ser humano ainda tem muito o que evoluir… religião é da época das cavernas. O que me consola é que eu vejo que o mundo está cada vez mais ateu. É uma pena que provavelmente eu vou morrer antes de ver o mundo 100% ateu, mas tenho certeza de que esse dia vai chegar, não é possível continuar nessa ignorância pra sempre! O ser humano vai começar a usar o cérebro e se colocar no seu devido lugar de criaturinha insignificante e vai parar de querer explicar tudo! “Só sei que nada sei”, vamos admitir nossa ignorância! Quando não tiver explicação (ou não encontraram ainda a explicação), não precisa ficar inventando, por favor!!

  23. Emerson disse:

    Se Chico Xavier nada psicografou, se veio tudo da cabeça dele, então era um gênio e merecedor de respeito maior ainda. Deveria ganhar um Nobel de Literatura e ocupar cadeira de honra na Academia Brasileira de Letras! Eu já li centenas de livros e não me vejo apto a escrever um sequer… Se ele foi mesmo o autor dos livros, não imagino por que os atribuiu aos espíritos e deixou de ganhar rios de dinheiro, de receber as maiores homenagens literárias. Se ter uma biblioteca é indício de que ele é o autor dos livros que psicografou, a variedade e riqueza de sua obra é indício muito mais veemente de que os reais autores foram os espíritos que as assinaram.

  24. Sirio Cunha disse:

    Assim, se alguem tem duvida da integridade deste homem, é pq tem inveja, pis foi um dos maiores vendedores de livros, reunia multidoes,e viveu e morreu sem cohecer luxo nem bem estar.

  25. […] possuía “vasta” biblioteca Segundo consta, sua “vasta” biblioteca chegou um dia a possuir cerca de 500 livros e revistas, com obras em inglês, francês e […]

  26. Cícero Gabriel Cardoso Soares disse:

    Muito bem. A hipótese de psicografia (escrita ditada por espíritos) é bastante implausível.
    Agora, você quer me dizer que após trabalhar de dia como datilógrafo, Chico Xavier ia às escondidas à sua estante, lia e decorava diversas citações de sua coleção de Seleções, e à noite, sem conferir anotações, sem revisar, sem reescrever, sem Google, sem dicionário, ele escrevia de pronto quatro obras em um único ano (1939) do nível do romance histórico “Há 2000 anos”, “A caminho da luz”, contos imitando o estilo de Humberto de Campos e, de quebra, um monte de poemas em diversos estilos bastante fieis ao de autores mortos, “Lira Imortal”.

    O mesmo acontece em 1941: Lendo às escondidas no intervalo do almoço, ele vai e escreve “O Consolador”, obra profunda, mas em sua manga, sem ninguém notar, estavam escondidas centenas de dados históricos para o fabuloso e extenso romance “Paulo e Estêvão”. No intervalo desses capítulos ele escreveu mais centenas de mensagens evangélicas estilo Campos e mais um de poesias, coisa fácil, imitar o estilo de Casemiro Cunha.

    Em 1944 ele estava com a macaca, porque os almanaques Bertrand pariram três romances do peso de “Renuncia”, o surpreendente “Nosso Lar” e “Os Mensageiros”.
    Para não ficar pouco, mais um livro de imitações de Casemiro Cunha, que ele decorava de dia, e não esquecia uma vírgula à noite, porque as rimas e a métrica são irreprocháveis.
    Sem trocar uma palavra! Sem fazer uma correção!

    E assim ao longo de 75 anos… Tenha paciência, meu caro. Vamos desancar Chico Xavier. Mas arranjemos uma teoria melhorzinha que essa.

    • Rafael disse:

      Cícero como assim? Tinha sempre um vigia junto com o Chico Xavier? Ele não poderia escrever consultando um livro ao lado da folha em que usava sua caneta?

      Também não se tratavam de histórias copiadas e coladas, ele podia lembrar vagamente de algumas coisas e inventar outras. Ou pegar um fato histórico só pra misturar em algo inventado pra ter um pouco de veracidade. Não?

  27. André disse:

    [red]O autor do artigo se esqueceu do principal: O fato de que Chico não ficou com um centavo sequer do dinheiro arrecadado com as vendas dos livros psicografados; Ao invés disso, teve a proeza de doar EXATAMENTE TUDO a instituições de caridade, o que garante uma forte evidência de que ele não foi um charlatão.
    Não obstante, o autor cita no artigo o sobrinho de Chico Xavier que lhe acusa de charlatanismo. No entanto, o autor não cita que o mesmo sobrinho era alcoólatra e que culmina anos mais tarde num manicômio.[/red]

  28. Yacov Kadowski disse:

    Como diria G.K Chesterton: “O problema de não acreditar em Deus é que acaba-se acreditando em qualquer bobagem”

  29. Yacov Kadowski disse:

    Monteiro Lobato um dia declarou: “Se Chico Xavier produziu tudo aquilo por conta própria, merece quantas cadeiras quiser na Academia Brasileira de Letras”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *