MENU

Imagem do Universo via Hubble

O Caso Andreasson é uma fraude, diz Bob Luca...

12 de fevereiro de 2007 Comments (10) Views: 2839 Ceticismo, Ciência

Imaginando a décima dimensão (?)


Clique na imagem acima para visitar o sítio do livro de Rob Bryanton “Imagining the tenth dimension”, completo com uma apresentação (em inglês) muito “didática” indo da primeira até a décima dimensão. Mas é preciso muita cautela, porque a forma como Bryanton procura explicar o conceito de dimensões e as implicações que sugere são muito provavelmente inapropriadas. Para um artigo um tanto mais rigoroso sobre o tema, do professor de matemática Bryan Clair e em bom português, confira: Espíritos, Arte e a Quarta Dimensão.

Tags: ,

10 Responses to Imaginando a décima dimensão (?)

  1. Amendoim disse:

    Einstein VS Quântica, capitulo final!!!
    Isso de 10 dimensões é absurdo.
    O tempo é infinito, não adianta imaginar um fim ou começo do tempo, pois começar e terminar em si são ações e por isso dependem do tempo.
    As possibilidades são finitas, temos a impressão que são infinitas por serem absurdamente numéricas. Assim todas as possibilidades já ocorreram e vão ocorrer novamente, em uma linha reta, ou seja, apenas em 4 dimensões. Mas mesmo que você discorde disto, basta saber que se um universo tiver a mesma origem o seu “final”(decorrer) será o mesmo, assim já eliminamos todas as dimensões que se referem a destinos diferentes. Ao analisarmos a possibilidade de diferentes origens do universo, não é possível, uma vez que também não há inicio do tempo. A única possibilidade é imaginarmos acontecimentos paralelos. Mas o que formou nossa realidade também formou as paralelas tendo assim o mesmo começo e por conseqüência o mesmo decorrer, sendo assim a mesma realidade. Somente pelo fato de ter começo já mostra que essas dimensões estão confinadas a 4ª(tempo). No caso do ser bidimensional, ao observar o balão crescendo, indica que ele esta no espaço 2D mais o tempo sendo assim um ser 3D. Assim o exemplo de ver o garoto crescer não pode ser usado para dizer que o tempo não pode ser observado corretamente por nós.
    Na teoria do caos vemos que os acontecimentos presentes são conseqüências dos acontecimentos passados. O que da fundamento ao escrito acima.
    As dimensões são um conceito abstrato que criamos para nos orientarmos na realidade. Matematicamente podemos simular infinitas dimensões. Não quer dizer que hajam infinitas dimensões.
    Tentar distorcer a linha do tempo como foi mostardo, não é possivel, uma vez que não há a quinta dimensão. Pois afirmar que existem outras possibilidades para os acontecimentos é diser que eles não são totalmente dependentes dos acontecimentos passados, absurdo. Mesmo que você discorde, não é possivel coltar no tempo e alterar o passado pois isso mudaria o futuro e impediria de voltar e mudar(pelo menos mudar do mesmo modo). Além do mais se você analiza em mais de 4 dimenções deve ver o tempo como um todo, por isso não pode haver acontecimentos durante o tempo, uma vez que todos os acontecimentos devem estar contidos no tempo em si. Isso ocorre devido ao fato de quando olhamos a linha do tempo esquecemos de que aquilo já são os acontecimentos em si e temos uma ilusaão pois ao olharmos a linha que graficamente representa o tempo, o tempo real continua passando.

  2. broz disse:

    na minha opinião que acho que todos deveriam seguir e sem questionar.È que nunca haverá a 10 dimensão, que são só 4 provadas ciêntificamente e com toda razão não tem como duvidar.

  3. anonimous disse:

    para aqueles que ainda acham que acreditar em números e ‘verdades cientificamente provadas’ é algo diferente de acreditar em ‘explicações trancedentais’ (v.g., Deus, criacionismo e a incapacidade do homem em obter um conhecimento verdadeiro sobre a realidade a não ser por revelações epifânicas), deixo a seguinte divagação a respeito do ‘tempo’ (a 4ª Dimensão): se existe o tempo zero, ou seja o momento em que as coisas acontecem, que é um momento instantaneo (o tempo que um dedo leva para tocar o tampo da mesa não parece instantaneo, mas o momento em que ocorre o toque, esse momento é instantâneo); então não existe passagem de tempo. Não há tempo transcorrido (não há passado nem futuro), só um constante momento instantâneo (presente) que encerra dentro dele todos os infinitos momentos instantaneos que ocorrem (pois, isso percebemos, cada fenomeno ocorre de forma instantânea). Isso pois, conforme a matemática, zero somado a zero (mesmo que infinitamente) resulta em zero, e como todos os fenomenos ocorrem em ‘momentos instantaneos’, não temos um segundo após o outro no desenvolver da passagem do tempo, mas sim zero segundo após outro zero segundo. Sendo assim, o tempo não se desenrola como nos parece acontecer; e se nossa existencia é baseada em espaço-tempo (4D), nossa existencia é questionavel em termos matemáticos, lógicos,…, racionais, etc (os mesmos termos, a mesma linguagem que me permitiu formular a hipótese do ‘instantaneo temporal’).

  4. batata frita disse:

    este comment e’ em resposta ao Broz…

    tudo deve ser questionado, nada surge por acaso…

    se as pessoas nao se questionassem nao se saberia d’onde e´que vinha o Big-Bang, nem como e’ que o mundo surgiu…

    *

    esta e’ a minha opiniao, ninguem e’ obrigado a ter uma igual…

  5. Alexandre Fatalla Branco disse:

    O que aconteceu com o meu comentario não foi aprovado? Se não,porque motivo….eu deixei meu e-mail.

  6. Carlos disse:

    o tempo não passa, o tempo acontece…..

  7. Marcos Felipe disse:

    Olá a todos. Sobre os comentários de “Amendoim”, cabem alguns pontos a serem considerados:

    ————————————————————————
    “O tempo é infinito, não adianta imaginar um fim ou começo do tempo, pois começar e terminar em si são ações e por isso dependem do tempo.”
    ————————————————————————
    “Começar” e “terminar” podem até sugerir ações no tempo, mas isso não si aplica a “começo” e “fim”. Por exemplo, um vetor; tem sua origem, começo, e seu destino, fim; não é necessário recorrer a conceitos relacionados ao tempo aqui. E, por fim, procure se informar melhor sobre a teoria do Big Bang; faz parte da própria teoria admitir o momento dessa explosão como tempo 0 (A não ser sua adaptação a um universo cíclico, como na teoria das cordas)

    ————————————————————————
    “Mas mesmo que você discorde disto, basta saber que se um universo tiver a mesma origem o seu “final”(decorrer) será o mesmo”
    ————————————————————————
    Não necessariamente. Lembre-se que na física quântica não se trabalha com resultados determinados, mas com probabilidades. Assim, digamos que um elétron tenha 50% de chance de inverter seu spin após um determinado processo. Assim, seria razoável pensar(embora não seja aceito por alguns cientistas) que a linha do tempo se bifurcaria, formando duas realidades novas a partir do mesmo estado inicial. Logo, a 5° dimensão seria, nessa linha de raciocínio, a que conteria todas essas possibilidades.

    ————————————————————————
    Ao analisarmos a possibilidade de diferentes origens do universo, não é possível, uma vez que também não há inicio do tempo.
    ————————————————————————
    A questão sobre início do tempo já foi discutida. Sobre diferentes origens, porque não considerar as possibilidades de origem diferente, como um big bang com maior energia, ou com uma certa carga, ou um momento angular? Caberia à 6° dimensão conter todas essas possíveis origens.

    ————————————————————————
    Mas o que formou nossa realidade também formou as paralelas tendo assim o mesmo começo e por conseqüência o mesmo decorrer, sendo assim a mesma realidade.
    ————————————————————————
    Quem disse que as leis físicas são constantes até mesmo fora do nosso universo? Isso é um conceito seu. As possibilidades de universos com leis físicas diferentes não são descartáveis. Aí entraria a 7° dimensão, que conteria os possíveis universos dentro de todas as possibilidades de leis físicas.

    Agora, a partir da 8° dimensão, aí sim, achei o raciocínio forçado, já que todo o resto continuaria sendo formado de universos de leis físicas distintas, todos ainda cabendo na 6°dimensão.

    Só pra concluir e deixar claro, o que digo aqui não corresponde a minha opinião pessoal; particularmente, eu considero o número de dimensões do universo uma questão de adequação a um modelo, não uma realidade metafísica do universo; na verdade, tudo o que achamos que sabemos sobre o universo não passa de um monte de impressões sensoriais processadas pelos nossos cérebros. Mas defendo aqui o modelo ao qual a página se refere no tocante à consistência (na verdade superficial, pois a partir da 5° dimensão, por motivos que não convém explanar aqui, não se trata mais de dimensões num sentido geométrico adequado), só ficando muito inconsistente a partir da 9° dimensão. Espero ter contribuído pelo menos um pouco com a discussão desse assunto.

  8. fred disse:

    nossa 10 dimensões???
    – nem em 2 consigo resolver no papel imagina 10 reais….

    – e o governo descobre como ir ate as outras 9 vai querer cobrar IPTU.. com certeza…!!!

  9. Nelson cravo disse:

    Existem alguns curiosos que se preocupam com a forma como o tempo passa. Na verdade a passagem do tempo, assim como a compreensão da existência do mesmo, apenas tem haver com as muitas e variadas dimensões que funcionam em relação ao cosmos. Quando alguém quer ter como padrão todas as coisas existentes na terra para explicar as coisas do espaço infinito, simplesmente está a penetrar num sistema que nunca chegara compreender seja o que for.

  10. Adolfo Offmann disse:

    O Carlos que deu uma resposta acima, – de que o tempo não passa, – está absolu – tamente certo. O tempo não passa. Quem passa somo nós. Adolfo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *