MENU
greatest-fights-george-foreman-vs-muhammad-ali-.gif

Fantasma de “Michael Jackson” assombra Muhammad Ali e George...

dekamimi14.jpg

Minhocuçu (e outras minhocas titânicas)

1 de maio de 2009 Comments (17) Views: 5178 Fortianismo

Criatura estranha em Doha

dohacreature

“Uma figura misteriosa parecida com um ser humano foi vista em um estacionamento de Corniche em Doha [Qatar], de acordo com o relato publicado em um jornal local em árabe [Al Watan]. O relato é baseado na declaração de uma senhora árabe expatriada que disse ter visto a estranha figura perto da estátua de Oryx enquanto caminhava na área. Citando a mulher, o jornal disse que ela capturou a imagem apesar de estar terrivelmente assustada. ‘Ela foi logo cercada por muitas pessoas que também atestaram o fato que ela havia visto. Mas a criatura logo desapareceu de vista quando tentaram se aproximar dela’, o relato informou”. [Gulf Times: Mysterious figure ‘spotted’]

A fotografia é interessante, apesar de parecer um desenho. A criatura lembra um curioso animal que, principalmente quando pequeno, também tem grandes olhos brilhantes esbugalhados e aparência humanóide. Afinal, é um primata. É o “Aie-Aie” (Daubentonia madagascariensis) natural da ilha de Madagascar:

aieaie

Há, no entanto, diversas diferenças anatômicas entre a “figura misteriosa” de Doha e o adoravelmente estranho Aie-Aie. Isto porque, como um leitor de Cryptomundo notou, a “figura misteriosa” era apenas um brinquedo:

dohatoy

O caso é digno de nota não apenas por ser a oportunidade de apresentar o curioso Aie-Aie (clique para um vídeo), bicho real muito mais interessante que a figura misteriosa, mas também para lembrar como explicações das mais simples e prosaicas estão comumente na origem de fotografias de criaturas monstruosas.

Apenas para relembrar alguns exemplos recentes, há o “Djinn de El-Khaimah”, na verdade apenas uma escultura de uma atração na Inglaterra; o infame caso internético do esqueleto humano gigante na Arábia, parte de um concurso de Photoshops; ou uma criatura com cabeça humana e corpo animalesco, simplesmente uma série de vídeos virais para um festival.

Em todos estes exemplos, pode-se notar que jornais e veículos de mídia árabes estiveram envolvidos na disseminação destes “mistérios” duvidosos. Seria a cultura árabe mais crédula? Talvez, mas não por coincidência são boatos e distorções originadas de países sem liberdade de imprensa. É triste constatar que não apenas boatos ridículos encontrem repercussão – isso ocorre mesmo na liberdade completa de informação na Internet – mas que os leitores de jornais provavelmente jamais conhecerão os esclarecimentos a respeito.

Aprecie o direito de saber que uma foto ridícula na Internet era mesmo apenas um brinquedo de gosto questionável. É algo que só mostrará seu valor quando estiver em falta. [via Erueru, Cryptomundo]

Tags: , , , , , ,

17 Responses to Criatura estranha em Doha

  1. marcelo disse:

    “Em todos estes exemplos, pode-se notar que jornais e veículos de mídia árabes estiveram envolvidos na disseminação destes “mistérios” duvidosos. Seria a cultura árabe mais crédula?”

    A divulgação de tais coisas pela mídia não torna as pessoas de determinado país mais crédula ou não. A mídia expõe tais coisas e as pessoas lêem só isso.

    Quanto a credulidade que tal aquela que surgiu nos países altamente industrializados e que por terem nascido nesses países se transformou em “fenômeno”. É estou falando da mitologia Ovni que bebe na fonte de todas as tradições e as reveste com uma roupagem tecnológica.

    Mitologia tida como plausível por alguns “céticos” por aí.

    ri ri ri

  2. Eiiiiiiiiiii!!!! Quero um bichinho orelhudo desses pra mim!!!!

    AEHuhuHUEauHAUehuHUAHUAHEUhuAEUhUHAE

  3. Eduardo Vianna disse:

    Estimados Kentaro Mori e companheiros de conversa.

    Prestei muita atenção às linhas finais desse seu post, e, de fato, os poderes instituídos já perceberam que é hora de procurar dar um basta à livre difusão editorial que se pode fazer pela internet, porque isso significa poder político — desgraçadamente eles sabem disso muito melhor do que nós. Está aí o famigerado projeto de lei do senador Azeredo (o “AI-5 digital”, como dizem alguns), que pretende, entre outras coisas, criminalizar redes abertas na internet. Um dos pretextos é o combate à pedofilia, como se tal espécie de coisa não compreendesse uma questão de interesse policial extremamente específica (inteligência policial e repressão) e de saúde pública (prevenção do abuso sexual de ciranças baseada em apoio psiquiátrico a pedófilos que ainda não se tornaram criminosos, de tal maneira que estes pudessem se sentir seguros para procurar ajuda, sem medo de serem linchados; desnecessário dizer que a CPI da pedofilia não conta com a consultaria de uma comissão científica que se prestasse à consideração desse assunto). Pois muito bem, haverá em São Paulo, no dia 14 de maio, às 19h30, uma manifestação na Assembléia Legislativa de São Paulo, plenário Franco Montoro, contra a Lei Azeredo. É preciso dizer que essa lei, se aprovada nas duas instâncias do Legislativo, impedirá o livre uso de equipamentos digitais (restrição aos softwares livres), além de transformar os provedores pequenos ou grandes numa espécie de polícia privada, sob tutela do Judiciário. E, como não poderia deixar de ser, a Lei Azeredo acarretará um aumento progressivo dos preços já absurdos que nós pagamos para ter acesso à banda “larga”, exatamente para restringir o acesso. Quem quiser participar da mobilização será muito bem-vindo, e conhecerá gente interessantíssima que está considerando a questão do uso público de tecnologias livres como uma das premissas para a construção da verdadeira liberdade de opinião e expressão em nosso país.

    Há também um Abaixo Assinado contra a Lei Azeredo. Os interessados podem dar a sua assinatura pelo sítio do Centro de Mídia Independente (CMI-Brasil), cujo endereço é http://www.midiaindependente.org. É possível ainda, por esse sítio, inteirar-se de todos os pormenores do PLC 89/03, assim se chama o projeto assinado por Azeredo.

    Abraços fraternais e muito obrigado.

  4. marcelo disse:

    Mídia independente org fazendo de tudo para que pedófilos não sejam encontrados.

  5. Eduardo Vianna disse:

    Alô, Marcelo.
    Ando com cada vez mais vontade de me dirigir a você, embora você quase nunca tenha um tempinho para me responder.
    É o seguinte: você tem algum fundamento para procurar convencer alguém, com a devida clareza, de que a Lei Azeredo de fato tem como foco o combate aos crimes praticados pela internet, por exemplo a difusão da pedofilia? Em caso afirmativo, que fundamento seria esse? E vamos combinar que essa tua acusação, de que alguém está conscientemente trabalhando para que pedófilos não sejam encontrados, é no mínimo gravíssima. Vejamos o que você tem a dizer sem tanta leviandade.

  6. marcelo disse:

    É simples esse veículo de “comunicação” ( mídia indigente ) é entre outras, patrocinado pela Fundação Ford.

    Fundação essa que sabemos ser maçonica e os maçons tem um plano de metas para a mudança de comportamento.

    Agora que praticamente conseguiram implantar a idolatria do gayzismo estão partindo para o plano que visa colocar a pedofilia na ordem do dia.

    Para isso precisam veicular o máximo de casos para que as pessoas fiquem chocadas, depois parte-se para a etapa onde esse crime é exposto como uma “doença” e que os “acometidos” precisam de tratamento médico, depois que o público ingênuo aceitar tal tolice parte-se para a virtual liberação dessa nojeira.

    Quanto a você dizer que eu disse que esse lixo de site ( mídia indigente ) age de forma consciente para a não criminalização da pedofilia não é verdade , agem inconscientemente já que são todos uns alienados pela propaganda esquerdista que recebem desde a mais tenra idade. São autômatos treinados para aceitar as tolices que a mídia doutrinada pela ONU anteriormente aceitou e difundiu como os acéfalos que são.

    Quanto a Lei em si foi criada para perseguir esses malditos estupradores de crianaças.

  7. marcelo disse:

    É simples esse veículo de “comunicação” ( mídia indigente ) é entre outras, patrocinado pela Fundação Ford.

    Fundação essa que sabemos ser maçonica e os maçons tem um plano de metas para a mudança de comportamento.

    Agora que praticamente conseguiram implantar a idolatria do gayzismo estão partindo para o plano que visa colocar a pedofilia na ordem do dia.

    Para isso precisam veicular o máximo de casos para que as pessoas fiquem chocadas, depois parte-se para a etapa onde esse crime é exposto como uma “doença” e que os “acometidos” precisam de tratamento médico, depois que o público ingênuo aceitar tal tolice parte-se para a virtual liberação dessa nojeira.

    Quanto a você dizer que eu disse que esse lixo de site ( mídia indigente ) age de forma consciente para a não criminalização da pedofilia não é verdade , agem inconscientemente já que são todos uns alienados pela propaganda esquerdista que recebem desde a mais tenra idade. São autômatos treinados para aceitar as tolices que a mídia doutrinada pela ONU anteriormente aceitou e difundiu como os acéfalos que são.

    Quanto a Lei em si foi criada para perseguir esses malditos estupradores de crianças.

  8. Eduardo Vianna disse:

    O CMI É FINANCIADO PELA FUNDAÇÃO FORD???!!????!!
    Ai, Marcelo, eu nem vou pedir a você que dê alguma prova, alguma ínfima pista que seja, em favor desse gritante absurdo que você escreveu.
    Caramba, menino, devo admitir que você não pára de me surpreender.

  9. […] veículos de mídia de países sob ditaduras islâmicas são fonte de rumores absurdos, como a Criatura de Doha comentada […]

  10. […] é apenas um pequeno boneco de plástico.  O caso lembra a comoção sobre outra “criatura misteriosa” no Qatar, que também era apenas um brinquedo.Como já havíamos notado, não é mera coincidência que o […]

  11. Antonio disse:

    Deu preguiça de ler a matéria, mas esse não é o ai-ai?? Um marsupiau com o dedo grande pra pega cupim?

  12. mario lechtenbohmer disse:

    que inocencia so uma criança acreditaria nesta fotyo

  13. isso deve ser um aye-aye mutante

  14. tudo por causa dum simples aye-aye

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *