Destaques

Published on agosto 20th, 2009 | by Kentaro Mori

15

Arthur Conan Doyle, Espiritualismo e Fadas

por Donald E. Simanek

splash42 paranormal fortianismo destaques

Enquanto muitos dos livros de Arthur Conan Doyle estão disponíveis na Internet e são dedicados muitos websites a ele e seu trabalho, há escassa menção da aceitação crédula de Doyle do espiritualismo, fadas e outras idéias ocultas. Este é um pequeno esforço para sanar essa omissão.

O espiritualismo "moderno" começou nos Estados Unidos no meio do século XIX. Especificamente, surgiu no oeste do estado de Nova Iorque, uma região conhecida por historiadores sociais como uma região de fervor religioso particular e um terreno fértil para muitas seitas religiosas. Foi chamado de "distrito infectado" ou o "distrito já queimado" [burned over district]. O espiritualismo nasceu no fervor religioso fértil de Swedenborgianos imigrantes, Mesmeristas e outras religiões, um clima de pensamento receptivo a idéias espiritualistas. 

Religiões tradicionais prometiam vida eterna, mas em uma era de ciência emergente que exigia evidência física verificável, muitas pessoas desejaram evidência tangível das alegações da religião, particularmente da alegação de uma vida após a morte.

 

 



foxhome3 paranormal fortianismo destaques

foxhome paranormal fortianismo destaques

A casa Fox foi movida para o campo espiritualista em Lily Dale, NY,onde posteriormente queimou até a fundação.

A casa Fox, de um cartão postal do século 19

Tal evidência aparente surgiu em Hydesville, Nova Iorque, em 1848, em uma casa modesta que tinha uma reputação de ser assombrada. Ali ocorreu o evento que lançou o movimento conhecido como "espiritualismo moderno" para distingui-lo de convicções históricas mais antigas sobre uma vida após a morte. 

A família Fox tinha três filhas adolescentes que diziam ouvir barulhos estranhos de estalos à noite. As meninas pensaram que um fantasma poderia estar produzindo os barulhos, assim elas tentaram responder batendo as mãos. Elas rapidamente evoluíram para um código para se comunicar com o fantasma de um mascate que tinha visitado a casa há muito tempo e tinha sido assassinado lá. Um esqueleto achado posteriormente no porão parecia confirmar a história. Naturalmente isto atraiu muita atenção local. 

foxsistrs paranormal fortianismo destaques
As irmãs Fox.

As garotas Fox se tornaram celebridades instantâneas. Elas demonstraram sua comunicação com o espírito usando palmas e estalos, escritura automática e depois até mesmo comunicação por voz, enquanto o espírito tomava controle de uma das meninas. 

Logo outros, agora conhecidos como médiuns, imitaram isto e começaram a se comunicar com os mortos, cobrando pelos seus serviços. Foram administradas sessões em quartos escuros ou semi-escuros com participantes sentados ao redor de uma mesa. Às vezes a mesa balançava e se inclinaria, participantes (sentados) poderiam sentir uma brisa fria em suas faces, flores frescas (até mesmo fora de estação) às vezes se materializavam no ar e apareciam na mesa. Instrumentos musicais poderiam tocar misteriosamente. O médium às vezes falava, sob controle de um espírito, retransmitindo mensagens da pessoa querida falecida. Outros métodos de comunicação com espíritos incluíram escritura em recipientes lacrados, imagens formadas sobre pratos fotográficos que haviam sido mantidos em invólucros lacrados e imagens pintadas que gradualmente apareciam em telas previamente em branco. 

Céticos suspeitaram que tudo isto não era nada mais que enganação e fraude inteligente. No entanto, crença na habilidade para se comunicar com os mortos cresceu rapidamente, tornando-se uma religião organizada chamada Espiritismo. O Espiritismo floresceu bem no século XX, e ainda existe hoje. 

Suspeitas de que os fenômenos de sessões eram fraudulentos foram reforçadas quando Margaret Fox confessou a fraude. No dia 21 de outubro de 1888, Margaret apareceu frente a uma audiência de 2000 pessoas para demonstrar como ela tinha produzido os estalos de espírito fraudulentamente. Usando meias, em uma plataforma pínea pequena seis polegadas sobre o chão, Margaret produziu estalos audíveis por todo o teatro estalando as juntas de seus dedões! Doutores da audiência vieram ao palco para verificar a fonte do som. 

seance4 paranormal fortianismo destaques
Cartum satírico de manifestações físicas durante uma sessão espiritualista.

Margaret confessou que ela e a irmã usaram este e outros métodos para produzir os estalos. Às vezes elas usaram uma maçã em um fio, batendo no chão longe de vista atrás da mobília. Sua confissão mostrou que todo o movimento espiritualista estava fundado em um evento fraudulento. 

Os espiritualistas ficaram ultrajados com a revelação de Margaret. Eles simplesmente se recusaram a aceitar sua validez. Henry J. Newton, o presidente da The First Spiritual Society de Nova Iorque disse: 

A idéia de alegar que aqueles "estalos" não vistos podem ser produzidos com juntas dos pés! Se ela diz isto, até mesmo respeitando as próprias manifestações dela, ela mente! Eu e muitos outros homens de verdade e posição testemunharam as manifestações dela e de suas irmãs muitas vezes sob circunstâncias nas quais era absolutamente impossível que houvesse a minima fraude.

Margaret escreveu uma história assinada que apareceu em The New York World, em 21 de outubro de 1888. Ela disse:

O Espiritualismo é fraude e enganação. É um ramo da prestidigitação, mas tem que ser estudado minuciosamente para alcançar a perfeição. 

doyle c paranormal fortianismo destaques
Sir Arthur Conan Doyle (1859-1930)

Sir Arthur Conan Doyle, criador do Sherlock Holmes fictício, era um crente convicto no espiritualismo. Ele era um daqueles que não aceitaria a confissão de Margaret. Ele respondeu: 

Nada que ela poderia dizer sobre aquele assunto vai muda
r sequer um pouco a minha opinião, nem irá mudar a de qualquer um que tenha sido convencido profundamente de que há uma influência oculta nos conectando com um mundo invisível.

O mágico Harry Houdini, um showman continuamente alerta a oportunidades para auto-promoção, expôs publicamente os truques mediunísticos em seus shows de palco e escreveu folhetos se opondo a médiuns fraudulentos. Mesmo assim alguns espiritualistas afirmaram que Houdini possuía poderes espiritualistas genuínos, recusando-se a aceitar as próprias declarações de Houdini de que só enganação estava envolvida em suas ilusões de palco. 

Arthur Conan Doyle dedicou um capítulo inteiro de seu livro The Edge of the Unknown para argumentar em detalhe que Houdini tinha poder psíquico genuíno, mas não admitia. Curiosamente, Doyle e Houdini permaneceram amigos, apesar dos confrontos públicos a respeito do espiritualismo. Talvez eles compartilhassem uma apreciação do valor da auto-promoção pública. 

Doyle era um crédulo ingênuo em vários tipos de tolice. Ele não só acreditou no espiritualismo e todos os fenômenos de sessões espíritas, mas também acreditou em fadas. 

Em 1917, duas meninas adolescentes em Yorkshire produziram fotos que tinham tirado de fadas em seu jardim. Elsie Wright (6) e sua prima Frances Griffiths (10) usaram uma máquina fotográfica simples e dizia-se que não possuíam qualquer conhecimento de fotografia ou truques fotográficos.

houdini2 paranormal fortianismo destaques
O Mágico Harry Houdini (Erich Weiss) (1874-1926). Cartaz, da Biblioteca de Congresso.


fairies paranormal fortianismo destaques
Frances e as Fadas, julho de 1917, foto tomada por Elsie. Máquina fotográfica Midg Quarter a 4 pés, 1/50 segundos., dia ensolarado. 

Fotografia No. 1, acima, tirada em julho, mostrava Frances no jardim com uma cachoeira no plano de fundo e um arbusto no primeiro plano. Quatro fadas estão dançando no arbusto. Três têm asas e uma está tocando um instrumento longo parecido com uma flauta. Frances não está olhando para as fadas logo à frente dela, mas parece estar posando para a câmera. Embora a cachoeira esteja borrada, indicando uma velocidade de obturador lenta, as fadas, saltando no ar aparentemente, não estão borradadas. 
Aqui está um olhar mais detalhado a este quadro. 


cottin1c paranormal fortianismo destaques

Fotografia No. 1. (detalhe) Esta fotografia e as quatro que se seguem foram providas pela Fundação Educacional James Randi. Estas estão enquadradas para mostrar os detalhes importantes claramente. 


cottin2c paranormal fortianismo destaques

Fotografia No. 2, tirada em setembro, mostra Elsie sentada no gramado estendendo sua mão a uma gnomo amigável (em torno de um pé de altura com asas) que está pisando adiante sobre a larga bainha da saia dela. 


Peritos fotográficos que foram consultados declararam que nenhum dos negativos tinha sido forjado, não havia nenhuma evidência de dupla exposição e que um borrão leve de uma das fadas na fotografia número 1 indicava que a fada estava se movendo durante a exposição de 1/50 ou 1/100 segundos. Eles pareciam não sequer entreter a explicação mais simples de que as fadas eram recortes de papel simples fixados nos arbustos, balançando ligeiramente com a brisa. Doyle e outros crentes também não estavam aborrecidos pelo fato de que as asas da fada nunca mostravam borrões de movimento, até mesmo na imagem da fada calmamente posada de pé em pleno ar. Aparentemente asas de fada não funcionam como as asas de um beija-flor. 

Quase ninguém pode olhar para estas fotografias hoje e aceitá-las como qualquer coisa que não fraudes. A iluminação nas fadas não combina com a das meninas. As figuras das fadas têm uma aparência plana, de recorte. Mas espiritualistas e outros, que preferem um mundo de magia e fantasia, aceitaram as fotografias como evidência genuína para fadas. 

Três anos depois, as meninas produziram mais três fotografias. 


cottin3c paranormal fortianismo destaques

Fotografia No. 3 "Francis e a Fada Saltando" mostra um perfil ligeiramente borrado de Frances com a fada alada suspensa em pleno ar bem em frente ao nariz dela. O fundo e a fada não estão borrados. Hmmm… 


cottin4c paranormal fortianismo destaques

Fotografia No. 4 mostra uma fada de pé no ar oferecendo uma flor para Elsie. Bem, de pé em um galho talvez, já que as imagens da fada estão a uma distância interminável da máquina fotográfica. 


cottin5c paranormal fortianismo destaques

Fotografia No. 5 "Fadas e seu Banho de sol" é a única que parece ter sido uma dupla exposição acidental ou deliberada. 


As meninas disseram que não podiam fotografar as fadas se qualquer outra pessoa estivesse olhando. Ninguém mais poderia fotografar as fadas. Havia só uma testemunha independente, Geoffrey L. Hodson, um escritor Teosofista, que alegou ver as fadas e confirmou as observações das meninas em todos os detalhes. 


doyle s paranormal fortianismo destaques Arthur Conan Doyle 

Arthur Conan Doyle não apenas aceitou estas fotografias como genuínas, ele até escreveu dois panfletos e um livro que atestavam a autenticidade destas fotografias, incluindo muito folclore de fadas adicional. O livro dele, A Vinda das Fadas [The Coming of the Fairies], ainda é publicado, e algumas pessoas ainda acreditam que as fotografias são autênticas. Os livros de Doyle são leitura muito interessante até mesmo hoje. A convicção de Doyle no espiritualismo convenceu muitas pessoas de que o criador de Sherlock Holmes não era tão brilhante quanto a criação fictícia dele. 

Alguns pensaram que Conan Doyle estava louco, mas ele defendeu a realidade de fadas com toda a evidência que pôde encontrar. Ele se opôs aos argumentos dos descrentes. Na realidade, os argumentos dele soam surpreendentemente semelhantes sob todos os aspectos a livros atuais promovendo a idéia de que seres alienígenas nos visitam em OVNIs. Robert Sheaffer escreveu um artigo inteligente traçando estes paralelos de forma maravlihosa. 

Com o passar dos anos persistiu o mistério. Só alguns fanáticos acreditaram que as fotografias eram de fadas reais, mas o mistério dos detalhes de como (e por que) elas foram feitas contin
uou fascinando os estudantes sérios de brincadeiras, fraudes e enganações. Quando as meninas (já adultas) foram entrevistadas, suas respostas eram evasivas. Em uma entrevista da BBC em 1975 Elsie disse: "Eu lhe contei que elas são fotografias de invenções de nossa imaginação e é nisso que vou insistir". Em 1977 Fred Gettings tropeçou em evidência importante enquanto trabalhava em um estudo de ilustrações de livro do começo do século XIX. Ele achou desenhos por Claude A. Shepperson no livro infantil de 1915 que as meninas poderiam ter facilmente possuído, e que eram, sem dúvida, os modelos para as fadas que apareceram nas fotografias. 


fairy1 r paranormal fortianismo destaques

Ilustração para o poema de Alfred Noyes "Um Feitiço para uma Fada" ["A Spell for a Fairy] em Princess Mary’s Gift Book por Claude Shepperson. (Hodder e Stoughton, sem data, c. 1914, pág. 101ff). Compare as poses destas figuras com as de três das fadas na Fotografia No. 1. As figuras foram rearranjadas e detalhes dos vestidos foram alterados, mas a origem das poses é inconfundível.


Um fato curioso é que neste livro, uma compilação de contos e poemas para crianças por vários autores, há uma história, "Bimbashi Joyce" por Arthur Conan Doyle! Contudo ele nunca indicou que sabia que a imagem fonte para as fadas em uma das fotografias estava em um livro para o qual ele tinha contribuído. 

inclouds paranormal fortianismo destaques
Cartum de Punch mostrando Doyle com sua cabeça nas nuvens, acorrentado a sua criação fictícia, Sherlock Holmes.

Elsie e Frances e o Sr. Hodson ainda estavam vivendo em 1977, e continuaram aderindo à história deles, afirmando a autenticidade das fadas e as fotografias. Então, em 1982 as garotas admitiram, em entrevistas com Joe Cooper, que tinham forjado as quatro primeiras fotografias. 

Como muitos tinham suspeitado desde o princípio, as meninas haviam usado recortes de papel de desenhos de fada. Nenhuma grande habilidade fotográfica foi requerida, entretanto as fotografias mostram boa composição artística. Elsie tinha habilidade artística, e tinha até mesmo trabalhado durante alguns meses na loja de um fotógrafo retocando fotografias. Mas as meninas não fizeram nenhum retoque nestas fotografias. O mais simples dos meios, só recortes de desenhos de fadas presos no matagal foi tudo que foi exigido para enganar mentes crédulas e predispostas como as de Arthur Conan Doyle, Geoffrey Hodson, e Edward Gardner. Muitas das cópias destas fotografias que foram circuladas foram suspeitas de terem sido "melhoradas" com retoques. Isto pode ser certamente verdade nas fotografias que foram preparadas para publicação em livros, sendo o desejo o resultado mais claro possível na página impressa. Porém, aqueles que dizem que as imagens são "boas demais" para terem sido tomadas por fotógrafos amadores adolescentes está mostrando um preconceito não comprovado, não consistente com os fatos revelados por análise das fotografias originais. Alguns alegaram ver um "borrão" leve das imagens de fada, quando, na realidade, as fadas estão mais nitidamente definidas que as imagens das meninas. 

Em relação à credulidade de Conan Doyle, Gilbert Chesterton disse 

… há tempos me parece que a mentalidade de Sir Arthur é muito mais a de Watson que a de Holmes.

* * *

 

Bibliografia

This collection of references includes some incomplete entries, because I have not yet had time to check and confirm them, nor have I been able to consult some of them. They are included here for those readers who may wish to seek them through other library resources than are available to me.

  1. Doyle, Arthur Conan. "Fairies Phtoographed. An Epoch-Making Event." The Strand Magazine, Dec. 1920.

  2. "Fairies Photographed: Report by E. L. Gardner," The Strand Magazine, Dec. 1920.

  3. Doyle, Arthur Conan. The Coming of the Fairies. 1921. Hodder and Stoughton Ltd., 1928. Reprint paperback from Samuel Weiser, Inc., 734 Broadway, New York, N.Y. 10003.

  4. Doyle, Arthur Conan. The Edge of the Unknown. G. P. Putnam’s Sons, 1930. Chapter 1 "The Riddle of Houdini" gives Doyle’s opinion that Houdini was the greatest medium-baiter, and also the greatest physical medium, of modern times. The remainder of the book recounts stories of hauntings, ghosts, and apparently supernatural events.

  5. Gardner, Edward L. Fairies, The Cottingley Photographs and their Sequel. The Theosophical Publishing House Ltd. 1945. Still in print in 1974.

  6. Gettings, Fred. Arthur Rackham. Studio Vista, p. 84.

  7. Gettings, Fred. Ghosts in Photographs. Optimum Publishing Company Limited, 1978. p. 67-72. This book has a good account of the Cottingley fairy photos, with pictures. Gettings discovered that the Shepperson drawings were the source used by the girls.

  8. Randi, James. Flim-Flam! The Truth About Unicorns, Parapsychology, and Other Delusions. Lippincott & Crowell, 1980. Chapter 1, "Fairies at the Foot of the Garden" is one of the best accounts of this whole affair.

  9. "Photographing the Fairies," Daily Sketch, Dec. 23, 1920.

  10. Cooper, Joe. The Case of the Cottingley Fairies. Robert Hale, 1990.

  11. Cooper, Joe. "Cottingley: At Last the Truth." The Unexplained, No. 117, pp. 2338-40, 1982. E-text copy.

  12. "Fairies: Fun or Fake?" Fate, Feb. 1977.

  13. Steve Szilagi. Photographing Fairies (A novel.)

  14. Scheaffer, Robert. "Do Fairies Exist?" The Zetetic (The Skeptical Inquirer), 2, 1. (Fall/Winter 1977) p. 45-52. Compares the Cottingley fairy case to reports of UFO sightings. Reprinted in Paranormal Borderlands of Science, Kendrick Frazier, ed. Prometheus Books, 1981, p. 68-75.

  15. New Scientist, 79, p. 1115. "Fairy photos."

  16. Willis, Chris. Skeptic (U.K), 10, 1:14. "Cottingley fairies."

  17. Huntington, Tom. "The Man Who Believed in Fairies", Smithsonian, September 1997, p. 105-114.

  18. Hitchens, Christopher. "Fairy Tales Can Come True", Vanity Fair, October 1997, p. 204-210.

  19. Sir Arthur Conan Doyle and his belief in spiritualism, from a spiritualist perspect
    ive.

  20. The Hydesville events by a spiritualist minister.

  21. Chris Redmond’s Sherlockian Holmepage has links to just about every web site about Sherlock Holmes.

  22. Parascope has a short account of the Cottingley Fairies.

  23. Arthur Conan Doyle fools magicians with dinosaur film.

  24. Houdini page from the Library of Congress.

More documents and links about hoaxes may be found on Donald Simanek’s Page.

Tags: , , , , , , , , , ,


About the Author

+



15 Responses to Arthur Conan Doyle, Espiritualismo e Fadas

  1. laysa says:

    eu acredito em fadas! tanbem tenho uma estoria real.tudo começa na casa de minha ávo;Eu estava ajudando a ela a plantar algumas flores em seu jardin e tirando algumas fotos;-Nossa! vó as fotos estão lindas(disse eu é claro).-vou revelar as fotos no computador de tia.então ue fui revelar as fotos.O tempo passou e eu lá.-ufa!finaumente comseguir.Aqui vó as fotos.- Laysa elas es tão lindas;-È mesmo!- fica ai olhando as fotos e eu vou plantar umas flores.Quando eu estava plantando as flores ue tinha escutado vozes vindo detras de umas das flores quando eu fui ver era duas fadas.Eu fiquei de boca aberta quando eu vi aquilo!-Nossa!disse eu.-s-são duas fadas-Se esconde é uma humana!falou uma das fadas-Esperem eu não vou fazer mal;-Ata é o que todos dizem.-Mas acredite em mim não vou fazer mal!Logo depois elas apareçeram-Oi! garota;porfavor nos descupem porsermos mau educadas ficamos com medo.-Não tem problema;eu entendo.-bem eu sou a Laysa e vcs?-eu sou a Ketyling e essa é a minha amiga Jheny!Dis oi.-oi Laysa praser em conhece-la.-olá Jheny!Suas flores são lindas-Obrigada!-posso perguntar uma coisa?-pode-È que só existe fadas ou tb tem ninfas-Tb exis te ninfas… Dai come samos a conversar ea nos conhecer.E hojé eu conheço praticamente uma comunidade enteira de fadas.

  2. laysa says:

    como eu ja disse eu ACREDITO em FADAS.Na verdade;Eu passei a acreditar em fadas depois que eu assistir o filme (O ENCANTO DAS FADAS).E foi depois disso que eu conhecir as fadas Ketyling e Jheny!

    • gabrielle says:

      ooi laysaa como ja disse eu acreditoo em vc ta quero fazer um riual para ver as fadas e ate ser sua mellhor amiga rs
      mais acredito em vc e nas fadas tbem mil bjus!

  3. fred says:

    não acredito em fadas….elas mentem.. inventam… chega de cair no “conto de fadas”

    - bando de maloqueiras da floresta…!!!!

  4. jade safirah says:

    as fadas em frances e elis foram desenhadas po elas mesmas em papeis e colocadas no ambiente pregado na grama na arvore nos galhos e etc. eu acredito em fadas, mais isso ai e completamente falsso!

  5. gabrielle says:

    ola,seei que muintos naum acreditam em FADAS pois bem…neste universo existem 8 planetas a terrae grande e tenho certesa que a gente naum estamos sozinhos neste universo e planeta…eu acredito de coracao na laysa pois deus naum fez so a gente mais tbem outros seres que nao conhecemos mais talvez em breve conheceremos bjus para todos e todas!

  6. lu e bell says:

    eu acredito em fadas e minha amiga tambem nós acreditamos mais ainda quando assistimos o encanto da fadas! eu e ela já vimos uma fada! basta acreditar! quem não acredita não ve elas! bjos lu e bell

  7. Mairon says:

    Hahahah o comentário do fred foi foda,muito bom.

  8. Eu não acredito em fadas eu sei que existe Deus e o diabo e que o diabo usa de diverssas formas para nos afastar do que é de DEUS. e até em Ajo de luz ele pode se tranformar ! pois ele já foi um! imagina em seres pequenos e que fazem travessuras! Eu acredito em DEUS e que ele tem poder, ele é onipotente onipresente e posso converssar com ele a onde eu estiver e serei ouvida!

  9. hax2020 says:

    Pô to com medo do Encanto das Fadas, quem vê esse filme vê essas criaturas!

  10. Chris says:

    Está na cara que essas fotos são uma falácia. Nem precisa entender de desenho, ou fotos. é só analisar as bordas das fadas e nota-se a característica bidimensional dos rostos delas e os rabiscos grossos nas roupas e asas demonstrando ser desenhos.
    E acreditar em fadas por causa de um fime????? É de se esperar de pessoas totalmente inocentes intelectualmente, impressionadas pela magia do cinema.

  11. bryan says:

    gente, essas fotos são forgadas, tenho artigos que mostram que 70 anos depois dessas fotos serem tiradas as meninas confirmaram que eram forjadas, e qualquer fotografo pode dizer claramente que essas fotos são uma mentira!

  12. FADA.COM says:

    Olha pessoal, estou farta desse povo que fica dizendo q não acreditam em fadas.. eu nem sou mentirosa… kkkk estou aqui.. me adicionem no facebook… sou uma fada moderna… aqui na mata já tem wifi e tudo hehehe

  13. Sandro says:

    Tenho algumas colocações para fazer sobre o post aqui:
    Primeira,é muito interessante ver que o criador de uma das mentes mais racionais e `matemáticas` de todos os tempos(Sherlock Holmes) possa ter ingenuamente(como era bem comum na época)acreditado que seres como fadas(só então encontradas na Cinderela,Peter Pan e contos homônimos)que são miudinhas e tem asas existissem de verdade.Provavelmente uma das explicações para que Arthur Conan Doyle não tivesse indicado a semelhança dos desenhos de fadas do livro que ele contribuiu com seu conto para o caso das meninas é devido justamente ao fato de acreditar nelas e que pudessem ser do modo como estavam desenhadas no livro tal como é a figura de Jesus Cristo com cabelos longos e barba onde ,apesar de não houver testemunhas de que sua aparência fosse de fato essa,as pessoas acreditem que assim ele fosse.
    Só completando,é interessante ver também que as fraudes espiritualistas antigas tais como as mesas girantes e as fadas aqui representadas constituíssem truques tão simples como recortes de papel presos em galhos e arbustos durante a fotografia,sendo ‘base’ para ‘provas’ de existência de um mundo espiritual no qual até mesmo Arthur Conan Doyle,criador do metódico e frio Sherlock Holmes,tivesse sua adesão.
    Abraço a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑