Ciência pileus-1-900.jpg

Published on agosto 24th, 2011 | by Kentaro Mori

38

Novo Fenômeno Natural tem Nome: Crown Flash

Novos vídeos de um  fascinante fenômeno foram capturados na Singapura no último dia 14 de agosto de 2011, e prontamente partilhados na rede em alta definição. O usuário “abrigatti” descreve o registro:

“Estava ao lado da piscina na Singapura, quando vi algo estranho nos céus. Quando olhei para cima vi estranhas nuvens dispararem luz e vapores enquanto elas se alteravam esporadicamente. Podia ver que a nuvem de tempestade estava se formando, mas o show de luz visual me intrigou. Então peguei meu iPhone e gravei isto”.

O segundo vídeo permite uma visão um tanto mais detalhada, e pelo visto a melhor já feita do fenômeno:

No mês passado havíamos abordado em CeticismoAberto como este novo fenômeno natural, sugerido pelo engenheiro William Beaty e encontrado em vídeos diversos pela rede poderia ser explicado.

Seriam algo relacionado a parélios e nuvens pileus, onde os cristais de gelo no topo de nuvens de tempestade se realinhariam rapidamente – em conjunto, em velocidades superiores à do som — em resposta quase imediata às mudanças dos campos elétricos de tempestades próximas.

pileus 1 900 fortianismo ciencia
[Nuvem pileus]

Desde então, Beaty adicionou novas especulações em sua página, e recebemos em correspondência pessoal mais confirmações do fenômeno. Ao final de nosso artigo perguntávamos por que o fenômeno ainda não havia sido explorado academicamente, ou mesmo na literatura alternativa.

Resulta que ele já foi descrito, como nos apontou o belga Wim Van Utrecht. Em uma correspondência à revista Nature em 1971, John Gall e Maurice Graves descrevem um “Possível Novo Fenômeno Meteorológico Chamado Crown Flash”:

2 de Julho de 1970, Ann Arbor, Michigan: Enquanto observávamos uma nuvem de tempestade, “No e logo acima do pico de uma célula de tempestade uma massa de nuvem pareceu passar por mudanças bruscas de luminosidade durando vários segundos de cada vez… O fenômeno continuou a ocorrer repetidamente em intervalos de 30-60s durante os próximos 15 ou 20 minutos, fornecendo a base para a seguinte descrição. O aumento no brilho repentino começou ao mesmo tempo que os raios na massa principal da nuvem, mas continuou depois que o flash do raio havia acabado. Tinha a aparência de um facho estendendo-se como uma onda para cima e para fora da região logo a oeste do pico da nuvem cúmulo, lembrando uma exibição em leque da aurora boreal. Durou uma fração substancial de um segundo com cada raio. Em uma ou duas ocasiões tinha a aparência de um anel luminoso movendo-se rapidamente para fora e cima do pico do cúmulo. Nestas ocasiões, observou-se claramente que se estendia além da nuvem e em direção ao céu azul. Uma sombra linear, aparentemente causada por uma das massas de cúmulo, pareceu alterar sua posição subitamente para cima ou para baixo em cada ocorrência do evento”.

A referência havia sido compilada por William Corliss, conhecido estudioso coletando anomalias relatadas na literatura científica. Utrecht encontrou diversas outras referências descrevendo o fenômeno datando desde o fim do século 19, e que agora sabemos ter sido batizado de “Crown Flash”, e que podem ser lidas na versão em inglês desta nota.

O britânico Martin Shough também notou que nos anais de um congresso científico realizado em 1999 (PDF), há menção à súbita mudança na luminosidade de nuvens associada a tempestades elétricas. Que teriam sido… observadas por satélites! E uma das explicações, de fato “a única explicação viável” à qual os cientistas chegaram para explicar o evento foi aquela apontada por Beaty em sua página: “o realinhamento de cristais de gelo como resultado da dinâmica de cargas associada com grandes eventos de relâmpagos positivos”.

Há pouco, Utrecht nos avisou ter encontrado um artigo do periódico da Sociedade Meteorológica Americana (PDF), em que a observação de Gall e Graves do Crown Flash é mencionada, bem como a explicação a ele, em linha com a sugestão de Beaty, mas indicada pelo professor Bernard Vonnegut, publicada nada menos que em 1965!

“A teoria de Vonnegut sugere a seguinte explicação ao fenômeno crown flash. Acima da faixa de derretimento, a nuvem é composta primariamente de cristais de gelo, comumente na forma de placas, agulhas ou colunas hexagonais. Na ausência de um campo eletrostático forte, a orientação dos cristais de gelo é governada primariamente pela gravidade e forças aerodinâmicas dentro da massa da nuvem. Durante uma tempestade, a carga começa a se separar dentro da nuvem. Na influência de um campo eletrostático assim formado, os cristais de gelo aceitam um momento de dipolo induzido. (…) Quando a descarga ocorre, a corrente tende a relaxar os campos nas nuvens rapidamente, com um drástico realinhamento subsequente dos cristais de gelo. Uma mudança na distribuição de luz sobre a superfície da nuvem ocorre enquanto os cristais de gelo, agindo como pequenos espelhos, mudam seu ângulo de reflectividade da luz solar incidente. Um observador no ângulo apropriado perceberá o efeito como um flash de luz”.

Apesar de descrito como um “possível novo fenômeno” em 1971 e já ter uma explicação física indicada em 1965, até onde sabemos não havia nenhum registro filmográfico de um crown flash. A Internet, Bill Beaty, usuários do Youtube e os pesquisadores incluindo Utrecht podem merecer o crédito por serem os primeiros a registrar, e então a reconhecer este novo fenômeno em vídeo.

O que seria realmente notável: nem tudo que surge no Youtube é falso. De fato, esta poderosa ferramenta de compartilhamento de vídeos, que agora podem ser capturados por centenas de milhões de tudo de inusitado que vejam, pode finalmente ter capturado um fenômeno descrito há séculos mas que havia escapado das câmeras mesmo por décadas após ter sido descrito por cientistas.

O que não significa que tudo que surja no Youtube deva ser verdadeiro – de fato, existe a possibilidade de que o recente vídeo na Singapura seja falso, apesar de (ou mesmo exatamente por que) combina com as descrições na literatura acadêmica.

Contudo, a literatura, combinada com diversos vídeos independentes fornece cada vez mais apoio à aceitação de que o Crown Flash foi capturado, e que podemos vê-lo em alta definição, dias depois de capturado quase do outro lado do mundo, pela Internet.

- – -

[Com agradecimentos a Bill Beaty, Martin Shough e Wim Van Utrecht. Tristemente, William Corliss, grande compilador, faleceu no mês passado]

Tags: , , , ,


About the Author

+



38 Responses to Novo Fenômeno Natural tem Nome: Crown Flash

  1. Adriano says:

    Só acho o título ruim, pois quem disse que o fenômeno é novo? pode existir há bilhões de anos…

  2. Mauricio says:

    “Até quemfim” um artigo que é neutro e não é agressivo….
    Seria interessante ter mais artigos desse tipo do que os que você tenta destruir a todo custo o que algumas pessoas acreditam. . .

  3. Magno says:

    Esse fenômeno não é raro na região tropical.
    Como moro na região tropical, já tive a oportunidade de observa-lo por diversas vezes quando está se formando as cumulonimbus. Na verdade nunca dei muita atenção, achava que era o reflexo do sol que mudava com o movimento da nuvem.
    Nunca imaginei que essa coroa fosse formada por raios.

  4. Alvaro Rexs says:

    Não vão me dizer que só a partir de hoje as nuvens começaram a dar chiliques?

    Adorei o: “O que seria realmente notável: nem tudo que surge no Youtube é falso.”

    Pois o que é falso e o que é verdadeiro caminha sobre um liame chamado Mori, Kentaro Mori!

  5. Macc says:

    Interessante, ja podem usar isso no proximo “Livro azul” do OVNIS

    Imaginem:

    -testemunha: “Vi um objeto de trinta metros de diametro, metálico e quando ele desceu, sairam uns seres e…”

    -Dr. Condon: Estava nublado?

    -testemunha: estava.

    -Dr. Condon: Pode parar por ai… acredite em mim, o que a senhora viu só um é Crown Flash, caso encerrado!

  6. Raizen says:

    boa explicações a respeito de alguns fenomenos…

    Gostaria de ler algum artigo em que realmente não há explicação plausível.

    por exemplo:

    http://www.youtube.com/watch?v=hObI12DD3-Y

    Boa tarde.

  7. Rodrigo Aguiar says:

    Interessante esta frase:

    “Ao final de nosso artigo perguntávamos por que o fenômeno ainda não havia sido explorado academicamente, ou mesmo na literatura alternativa.”

    Talvez por não possuir aplicação direta na rotina das atividades da grande população, porém, o estudo é válido como catalogação científica.

  8. Alvaro Reis says:

    Só uma perguntinha…

    Essas luzes nas nuvens não é uma forma de tentar explicar o fenômeno de Nüremberg não, não é?

    Pq se for eu começarei a acreditar em teorias da conspiração! E teoria das brabas!!!

  9. Nihil Lemos says:

    Me recuso a assistir um vídeo onde o legendador não sabe nem escrever “experiência”.

  10. ddragoonss says:

    São os Illuminatis usando o HAARP que estão causando isso para que a Nova Ordem Mundial se estabeleça em 12 de dezembro de 2012 e provoque o Apocalipse trazido por Nibiru e pela inversão dos polos magnéticos.

    Ou talvez sejam apenas luzes no céu mesmo.

  11. Nihil Lemos says:

    Grandes bostas o vídeo. Se isso fosse tão revelador não estaria postado no Youtube. Serviço criado por maçons-illuminatis-skull&bones-americanos. Quer um fato mais revelador do que esse?

  12. Adriano says:

    Marcelo,

    porquê eliminar 2bilhões de pessoas? o que isso mudaria exatamente e como seriam beneficados? quem seriam as 2 bilhões? existe algum monumento explicando de onde seriam? tipo 10% América do Sul, 40% África, etc?

    Existe alguma data oficial para isso ocorrer?

    Existe algum monumento desses com alguma previsão que tenha acontecido?

  13. Nihil Lemos says:

    Quando as pessoas vão aprender que suástica NÃO é um símbolo nazista…
    http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/e/ec/Buddhistswastika.jpg

  14. Nihil Lemos says:

    Adriano,

    porquê eliminar 2bilhões de pessoas? o que isso mudaria exatamente e como seriam beneficados? quem seriam as 2 bilhões? existe algum monumento explicando de onde seriam? tipo 10% América do Sul, 40% África, etc?

    Existe alguma data oficial para isso ocorrer?

    Existe algum monumento desses com alguma previsão que tenha acontecido?

    Resposta: Não.

  15. ddragoonss says:

    É assim que funciona, alguém escreve algo, esse algo é verdade. Não precisa de mais nada. Se alguém escreveu, é porque é verdade.
    Só não entendo se em pedra vale mais? Calendário vale mais?

    Conspiracionistas parecem a mim quando criança, que ficava angustiado pensando que o mundo ia acabar porque no calendário só tinha até 31 de dezembro, se não tava lá, então não existiria o próximo dia porque o calendário e os dias estavam ligados. Culto a carga bem besta, mas eu era apenas uma criança.

    A diferença é que eu cresci e percebi que é o oposto, a coisa escrita é gerada pelo mundo real, não o oposto, não existe “death note” ou escrita magica, não é por estar escrito que vá acontecer ou já aconteceu.
    Papel(ou pedra, que seja) aceita tudo.

    E depois ainda reclamam quando são motivos de chacota, mas é mera infantilidade aceitar algo só e somente porque foi escrito. Pedra da Georgia ou calendário maia não precisa de explicação alguma, não é porque “está escrito em pedra” que tenha algum valor ou vá acontecer.
    Não vou ficar repetindo “Ônus da prova” e “argumento da ignorância” pra gente já crescidinha que é chato.

  16. Otto Arantes says:

    Fugindo do tópico mas falando sobre o vídeo…

    ELES VIVEM. Tenho dito.

  17. Nihil Lemos says:

    Pensei que o artigo fosse sobre um fenômeno atmosférico.

  18. Nihil Lemos says:

    Repito: o artigo é sobre um fenômeno atmosférico.

  19. IgnisFattus says:

    Ai, fala sério… Falar que o fenômeno dos “Relâmpagos globulares” é novo, isso é bobagem, eles sempre existiram. Tenho um livro com relatos de pessoas que viram e foram queimadas por eles, e tem o caso de uma famosa mulher que morreu em seu quarto supostamente incendiado por um relâmpago globular!!! E essa história dos “Illuminatis” é apenas uma sociedade fracassada!!!

  20. Renegado says:

    Parece que há um diferencial de potencial entre as duas nuvens, parece que estão tentando equivaler suas cargas.

  21. marcelo says:

    “Repito: o artigo é sobre um fenômeno atmosférico.”

    Me impeça de escrever o que eu quiser.

    Falando sobre esse fenômeno e daí? Os “céticos” vão dizer que todos os OVNIS são produto de fenômenos naturais não explicados?

    É claro que muito do que dizem ser naves de aliens que moram no fundo do oceano pacífico é pura má interpretação, má fé, mas é lógico que há naves criadas pelos maçons para perpretar a Mentira OVNI.

    Quanto a mentira do 11 de setembro eu só digo que as turbinas de 6 toneladas do suposto avião que colidiu contra o prédio não deixaram marca nenhuma na parede, aliás fotos da época mostram apenas um buraco demais ou menos 4 metros de diâmetro. Nada de marca de turbinas.

  22. Nihil Lemos says:

    É claro que muito do que dizem ser naves de aliens que moram no fundo do oceano pacífico é pura má interpretação, má fé, mas é lógico que há naves criadas pelos maçons para perpretar a Mentira OVNI.

    Você sabe o que é um ovni?

  23. Nonato says:

    vejam este video: http://minilua.com/maiores-misterios-humanidade-50/
    resolve aí óh tu que tentas tudo!

  24. Adriano says:

    Nossa que vídeo!

  25. Nihil Lemos says:

    Se o Nonato está desafia do é porque ele sabe realmente o que é. Não é verdade?

  26. Muito interessante esse fenômeno, se for verídico mesmo espero poder presenciá-lo algum dia.

  27. Nihil Lemos says:

    E só para lembrar vocês esse ano ( 2011 ) no dia 11 do més 11 os maçons illuminatis preparam uma surpresa para a humanidade.

    Já fiz essa previsão aqui mesmo no CA.

    ri ri ri

    Estou aguardando, Marcelo. Estou aguardando.

  28. l2Ca says:

    Áaa sim!..as nuvens começaram a dar “tiuh tchu” de uns poucos tempos pra cá..é que antes elas não estavam afim de aparecer em filmagens..e se ja foi inventado um nome para tal, pra que duvidar da explicação?

  29. Nihil Lemos says:

    19:20 e até agora nada :)

  30. Nihil Lemos says:

    Cadê a previsão do Marcelo? HAHAHAHA!

    Cade os seus Illuminatis agora? Depois dessa terá de ter muita cara de pau para aparecer de novo.

  31. Nihil Lemos says:

    Relaxa que já tirei screen shot. Como podemos ver AQUI.

    Quando ele aparecer vou cobrar.

  32. Alfredo Bernacchi says:

    Eu percebi o rastro do holofote partindo da Terra iluminado as nuvens. Conta outra!…
    abç

  33. Daniel Flores says:

    parece marca de creme dental.

  34. NFMJ says:

    Tomemos muito cuidado com as palavras, pensamentos e entendimentos.
    Fatos e contra-argumentos devem ter padrões, simplesmente negar ou acreditar em um cientista poe-se incorrer em parcialidade.
    Abraço.

  35. Joao says:

    Trecho da explicação ” Durante uma tempestade, a carga começa a se separar dentro da nuvem.” Muito legal, o unico problema com o video é que não há nenhuma tempestade ali, nenhuma descarga eletrica, nada disso. Eu estou vendo um belo céu azul ali…

    Temos um problema, parece que os fatos não se encaixam na teoria…

  36. Falcon says:

    prefiro cientistas à céticos, pois tem a cabeça mais arejada para tecer cenários, do que descontrui-los.

    • Sapus Gorduchus says:

      Céticos são tendenciosos e negacionistas, são apaixonados pela negação, rejeitam possibilidades teóricas sempre que as mesmas tenham sido antecipadamente cogitada pelos espiritualistas. Quando não tem jeito, eles admitem os fatos mas fingem que nunca afirmaram que aquilo não existia.

      A psicologia dos céticos é voltada para a negação e viciada na ferramenta da ridicularização de hipóteses e de autores de hipóteses. É impossível dialogar sinceramente com um cético: ele sempre tenta se esquivar de perguntas usando a ferramenta da ridicularização.

  37. Pingback: Ceticismo Aberto é indicado na Imagem Astronômica do Dia (APOD) da NASA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑