Ceticismo

Published on julho 22nd, 2009 | by Kentaro Mori

44

O Manto "Milagroso" e o Pensamento Crítico

splash56 paranormal ceticismo

José Luis Calvo, publicado pela ARP Sociedad para el avance del pensamiento crítico 

Introdução

O magnífico artigo de Luis Alfonso Gámez sobre a falta de provas históricas da existência do índio Juan Diego, aspecto que por si só devia ter feito a Igreja pensar sobre o inconveniente de sua beatificação, talvez não baste para convencer alguns de vocês que possam ter lido obras sobre o tema em que se sustenta a impossibilidade de que a efígie de Guadalupe seja obra humana. Posto que a imagem existe, elas asseguram, temos uma prova não documental da veracidade do Nican Mopohua e por conseguinte um testemunho irrefutável de um acontecimento sobrenatural.
O que há de certo nisto? Para determinar a questão vamos proceder a uma análise das afirmações desse tipo contidas na obra mais acessível ao leitor espanhol, El misterio de la Virgen de Guadalupe de Juan José Benítez. As citações que faremos dela correspondem à edição publicada na coleção Biblioteca J. J. Benítez, Editorial Planeta DeAgostini, Barcelona, 2.001.
Quero advertir previamente que não vou procurar questionar a existência ou não de fenômenos sobrenaturais. Não é tarefa da história determinar tal coisa, mas sim unicamente investigar se o suposto feito milagroso apresenta provas suficientes de sua existência real. A interpretação em explicação sobrenatural que se queira ou não fazer é independente do acontecimento histórico ou de sua invenção.
Da mesma forma, a ciência tem a obrigação de submeter à análise a pretensão de que um objeto material é inexplicável porquanto não pode ser obra humana. Novamente, a crença pessoal não está comprometida pelo resultado desse exame crítico. Assim, que ninguém veja as seguintes palavras como um ataque à sua fé, a qual eu respeito, embora como ateu evidentemente não compartilhe.
Uma pintura impossível?
O primeiro mistério que o Sr. Benítez apresentará é o relatório realizado pelo químico austríaco Kuhn, prêmio Nobel em 1936. O conhecido ufólogo navarro diz: "Já em 1.936, um químico – um prêmio Nobel – havia realizado o que foi, sem dúvida, a primeira e última análise direta da suposta pintura do manto." (Pág. 48) Contudo nas páginas seguintes explicará em que consistiu a "análise direta" que violou as mais elementares normas do procedimento científico. Para começar não existiu um protocolo para controlar o recolhimento de amostras para sua análise. Singelamente, o abade da basílica presenteou o bispo de Saltillo, Felipe Cortés, com alguns fios supostamente procedentes do tecido original. Este, passado algum tempo, entregou dois fios ao metalúrgico Sodi Pallarés que, por mediação do professor de alemão Hahn, as enviou ao doutor Kuhn. Nenhum desses passos teve nenhum tipo de controle, o que, por si mesmo, desvirtua qualquer resultado obtido.
A conclusão do químico austríaco foi que nos dois fios entregues não havia restos nem de colorantes vegetais, animais ou minerais, isto é, que não haviam sido pintados por nenhuma técnica existente no século XVI. Surpreendente, mas menos se levarmos em conta que pretensão idêntica existiu sobre o Santo Sudário de Turim até que o doutor McCrone, recentemente falecido, se encarregou da análise. A experiência neste caso demonstrou que os restos de determinados pigmentos só apareciam com o uso de técnicas muito avançadas. Outra irregularidade no caso da análise do químico é que se citam as conclusões mas não a metodologia do experimento. Os pró-aparicionistas que o Sr. Benítez segue não explicam se foram empregados reativos químicos (e se assim foi, quais), microscopia (e se assim foi, com que aumentos trabalharam…) ou espectrografia, o que a priori parece a opção mais provável posto que foi por este motivo que lhe foi concedido o Nobel. Não obstante, desde essa data a espectrografia avançou o suficiente para que seja muito arriscado continuar repetindo os resultados de uma análise com coleta de amostras claramente defeituosa e sem confirmação ulterior por causa da negativa da Igreja Católica em permitir uma investigação em profundidade sobre o suposto manto. Além disso, como veremos em tempo, as investigações realizadas de forma parcial não só não apóiam os resultados do austríaco como os desmentem por completo.
Assim, através de uma investigação mediante fotografia infravermelha realizada por Smith e Callagan estes asseguraram que a Guadalupana havia sido repintada e retocada em várias ocasiões. Portanto devem existir pigmentos no manto salvo que pensemos que as restaurações também foram milagrosas. A intenção do Sr. Benítez de conciliar estes fatos mediante uma imagem inicial inexplicável sobre a qual foram realizados retoques humanos, seguindo os autores anteriormente citados, não resulta crível. Aceitemos como mero exercício teórico a realidade do prodígio. Que pintor teria se atrevido a usar seu pincel para retificar uma imagem celestial? Porque não se trata somente de um conserto de zonas deterioradas mas sim que, por exemplo, as mãos foram encurtadas, possivelmente para que parecessem as mãos de uma mestiça ou indígena cujos dedos são mais curtos que os das representações góticas européias. Também se acrescentaram (segundo Smith e Callagan) o anjo, a Lua, as bordas douradas do manto, os raios solares, os adornos da túnica, os braceletes… É claro que não apenas se acrescentou, também se suprimiu uma coroa dourada. (Pág 84-105)
Assim, o que resta da suposta efígie milagrosa original? "Acima de qualquer dúvida, as fotografias infravermelhas provam que o azul do manto e o rosa da túnica são originais e que nunca foram retocados nem sobrepintados. E mais: permaneceram imunes ao tempo apesar dos quatro séculos e meio transcorridos" (Pág. 104)
Vamos por partes. Os acréscimos são tais ou formam parte da imagem original? Aqui o Sr. Benítez incorre em auto-contradição com a seguinte descrição que considera como parte do Nican Mopohua e, além disso, quase contemporânea do suposto feito milagroso:

<<Seu véu, por fora, é celeste; cai bem em sua cabeça; em nada cobre seu rosto; e cai até seus pés, dobrando-se um pouco pelo meio: tem toda sua franja dourada, que é um pouco larga, e estrelas de ouro por toda parte, as quais são quarenta e seis.
Sua cabeça se inclina para a direita; e em cima de seu véu, está uma coroa de ouro, de figuras aprofundadas até acima e largas até embaixo.
A seus pés está a lua, e cujas pontas vêm até acima. Ergue-se exatamente em meio delas e de igual maneira aparece em meio do sol, cujos raios a seguem e rodeiam por todas partes. São cem os resplendores de ouro, uns muito largos, outros pequeninos e com figuras de chamas: doze circundam seu rosto e cabeça; e são ao todo cinqüenta os que saem de cada lado. Junto deles, ao final, uma nuvem branca rodeia as bordas de sua vestidura. Esta preciosa imagem, com todo o demais, está sobre um anjo, que medianamente acaba na cintura, enquanto descobre; e nada dele aparece até seus pés, já que está dentro da nuvem.
Acabando-se os extremos da roupagem e do véu da Senhora do céu, que caem muito bem em seus pés, por ambos lados os colhe com suas mãos o anjo, cuja roupa é de cor vermelha, a que se adere um pescoço dourado, e cujas asas estendidas são de plumas ricas, largas e verdes, e de outras diferentes.
>>(Pág. 34) 

Se como se pretende na página 34 essa fosse a descrição contemporânea da imagem como é que nas páginas 84-105 os elementos origin
ais se convertem em adições posteriores? Qualquer das explicações para esta incoerência seria prejudicial para o "milagre": se a descrição do Nican Mopohua fosse errônea, perderia seu caráter de testemunho fidedigno, algo tanto mais grave quando a historicidade da aparição se baseia neste texto de forma quase exclusiva. Se por outro lado o estudo de Smith e Callagan tivesse sido mal realizado já não haveria razão para supor que não estamos diante de uma pintura.
O Sr. Benítez tenta salvar esse problema afirmando que: "Em resumo, se o documento mais antigo de que dispomos hoje, e no qual já se faz uma exaustiva descrição da imagem da Senhora de Guadalupe, remonta aos anos 1545 ou 1550, isso quer logicamente dizer que os retoques e acréscimos tiveram que ser executados sobre o original entre estas datas e 1531, data das aparições." (Pág. 112) Não obstante, se esquece de que o texto do Nican Mopohua assegura: "…se desenhou nele e apareceu de repente a preciosa imagem da sempre Virgem Santa Maria, Mãe de Deus, da maneira que está e se guarda hoje em seu templo do Tepeyác, que se chama Guadalupe." (Pág. 31) De forma que novamente voltamos a nos encontrar com a mesma incongruência, o texto é errôneo ou a equivocação está no estudo dos norte-americanos.
Mas a verdade é que não existe tal necessidade de escolher. O Sr. Benítez erra ao considerar que essa descrição é parte do Nican Mopohua, erro que se deve à sua consideração de que o Huei Tlamahuicoltica (publicado em 1.649) de Lasso da Vega é o mesmo que o Nican Mopohua. Não é seu único erro sobre este aspecto. Resulta muito curiosa sua afirmação de que: "Tiveram que se passar alguns anos, contudo, para que o relato de Valeriano – escrito originalmente em náhuatl – fosse traduzido ao castelhano. O ajuste foi obra do bacharel Luis Lasso da Vega, que o enviou à imprensa em 1649." (Pág. 18) Na realidade a obra de Lasso da Vega, como se pode deduzir facilmente pelo seu título, está escrita em náhuatl. A tradução ao castelhano foi obra de outro Luis, Luis Becerra Tanco em 1.666. Ainda que o Huei Tlamahuicoltica contenha, pela primeira vez em uma obra impressa, o Nican Mopohua também apresenta acréscimos da mão de Lasso da Vega. A descrição que o Sr. Benítez cita é um deles. Portanto, a única coisa que essa descrição prova é que em torno de 1.649 a imagem já tinha esse aspecto.

fig1 paranormal ceticismo

Figura 1

É possível delimitar um pouco mais a questão de se foram realizadas repinturas e quando? Comecemos pelo Nican Mopohua. Nele se afirma que a imagem se formou tal e como se conservava nesse momento. Quando foi esse momento? Ainda que por questões filológicas se considere que é bastante anterior à obra de Lasso da Vega e que foi escrito no século XVI, a data exata de sua composição é um mistério. Embora os partidários de sua historicidade (por certo, ignorando que é uma obra literária) acreditem que foi redigido em torno de 1.540 isso é impossível uma vez que o suposto milagre (ou aparição) não teve lugar até 1.555. Assim se atesta nos Anais de Juan Bautista, no sermão do Padre Bustamante (que considera em 1.556 que a devoção era nova) e na carta do virrei Martín Enríquez. Todos eles coincidem em que foi nessas datas que começou a devoção à Guadalupana, contradizendo a afirmação do Nican Mopohua de que teve lugar em 1.531 e explicando o paradoxo que supõe que a testemunha do prodígio do manto, o bispo Zumárraga, negara em 1.547 que em sua própria época se produziram milagres. É porque o anônimo escritor deste texto (ainda que se atribua a Antonio Valeriano não há provas de sua autoria) alterou as datas e introduziu como personagem Zumárraga (falecido em 1.548) deve ser entendido bem como uma confusão, bem como uma ficção literária. A crítica textual moderna encontrou claros paralelismos entre o Nican Mopohua e as narrações da aparição de sua homônima em Extremadura. Tampouco o que poderíamos chamar de "milagre das flores" é algo desconhecido na hagiografía contemporânea. Um exemplo dele pode ser encontrado na vida do franciscano Diego dalcalá. Tanto é assim que alguns investigadores contemporâneos consideram que o Nican Mopohua, embora tenha sido escrito por alguém pertencente à cultura náhuatl, é uma adaptação de um texto em castelhano.
Porém, a inutilidade do Nican Mopohua como fonte dado o número de erros históricos que contém não supõe que estamos condenados a não poder submeter a crítica as afirmações de Smith e Callagan, tanto as relativas a retoques parciais como as relacionadas com a misteriosa preservação do rosto, o manto e a túnica. A primeira é inegável. 

fig2 paranormal ceticismo

Figura 2

Basta observar cópias antigas da imagem (fig. 1) e compará-las com o original atual (fig. 2) para ver que, efetivamente, a Virgem aparecia coroada e que hoje a referida jóia desapareceu. Até mesmo se sabe a data e o porquê desta modificação. 

Em janeiro de 1.887 começou-se a falar da coroação da Guadalupana. Parte do clero da Basílica se opôs a esta pretensão porque se a imagem "divina" já estava coroada, que necessidade havia de que fosse coroada pelos homens? Em junho desse mesmo ano quando se procedia para efetuar algumas fotografias da imagem se descobriu que a coroa havia desaparecido. Segundo confessou em seu leito de morte o pintor Rafael Aguirre, o autor da eliminação foi seu professor, José Salomé Pina por obrigação do clero que desejava que se celebrasse a coroação da Virgem. Uma vez suprimido o obstáculo, em 12 de outubro de 1.895 se procedeu à cerimônia com o consentimento do papa Leão XIII.
Outros aspectos, como o suposto acréscimo de raios, meia lua, anjo… pelo contrário não podem determinar-se com tanta claridade como pretendem os norte-americanos que consideram que essas alterações se produziram para encobrir os danos sofridos pelo tecido na inundação de 1.629. Não obstante a figura 1 está datada de 1.606 e já apresenta os ditos elementos. Se realmente são acréscimos têm que datar de uma época anterior. Além disso é preciso notar que Smith e Callagan parecem estar incorrendo em um erro ao considerar que as zonas que apresentam uma deterioração inegável são os acréscimos enquanto que a que permanece aparentemente incólume é a original. O problema é que nenhuma parte do manto está livre de danos. Para comprovar isto basta comparar a fig. 2 com a fig. 3, uma cópia realizada pelo pintor Correà em finais do século XVII e que levou a cabo sua intenção de ser fiel ao original até o ponto de que, segundo seu discípulo Cabrera, realizou uma reprodução exata do desenho utilizando um papel de seda. Como podemos ver, as cores clarearam no original muito mais que na reprodução dada sua menor antigüidade. Por último, recentemente vieram à luz pública fatos que demonstram que, embora os norte-americanos tivessem razão em algumas de suas afirmações, se equivocaram gravemente em outras. Logo voltaremos ao tema.

fig3 paranormal ceticismo

Figura 3

A ausência de pigmentos segundo Kuhn e a imagem intacta e inexplicável (ao menos em parte) de Smith e Callagan não são os únicos motivos pelos quais o Sr. Benítez duvida do caráter humano desta efígie. Também cita: "Era quase impossível que um manto de <<fio>> de maguey – que tem uma duração máxima de apenas uns vinte anos – tivesse se conservado intacto, e com aquela vitalidade de cores, depois de 450 anos… Ali, em efeito, havia algo muito raro.&
quot; (Pág. 53) 
O silêncio é quebrado
Durante séculos questionar a autenticidade da aparição e do milagroso ayate tem sido a melhor forma de encontrar problemas. Desde o padre Bustamante, que teve que enfrentar uma investigação em 1.566 por ter assegurado publicamente que a pintura havia sido realizada pelo índio Marcos e por duvidar dos milagres atribuídos a ela, até o padre Sevando Teresa de Mier que depois de ter qualificado a história da aparição como "lenda" esteve a ponto de ser linchado em pleno século XIX. Assim não é estranho que Joaquín García Icazbalceta, o maior dos historiadores mexicanos do século XIX, hesitou quando o arcebispo do México lhe pediu, em fins do século XIX, que escrevesse sobre este tema. Só quando o arcebispo pediu como amigo e o ordenou como autoridade religiosa ele aceitou fazê-lo. O resultado foi o mais célebre dos alegados anti-aparicionistas e cujo conteúdo, realmente explosivo, D. Joaquín pediu que não fosse feito público até que finalmente foi divulgado à imprensa.
Poderíamos pensar que isso era coisa de outros tempos, mas ainda hoje é uma postura incômoda como poderia testemunhar o abade da basílica de Guadalupe, padre Schulenburg, que depois de tornar pública sua opinião de que a história de Juan Diego era uma lenda se viu pressionado a apresentar sua renúncia. De meios pró-aparicionistas exaltados chegou-se inclusive a acusá-lo de racista e a dizer-se barbaridades tais como que por sua origem alemã ele depreciava os que não eram brancos. O escândalo foi enorme tanto mais porque se estava preparando a ascensão aos altares do indígena.
A polêmica, entretanto, teve um aspecto positivo. Prestou-se maior atenção a tudo relacionado com a efígie e, como fruto disto, foram tornadas públicas informações que até o momento haviam permanecido ocultas. Citaremos três delas publicadas no semanário mexicano O Proceso por Rodrigo Vera, um jornalista especializado no tema do guadalupanismo:
Em 1.947 e 1.973 a pintura da Virgem foi restaurada por D. José Antonio Flores Gómez.
Na entrevista ("Um restaurador da guadalupana expõe detalhes técnicos que desmistificam a imagem." Por Rodrigo Vera. O Proceso nº 1.343) afirma: "Uma restauração implica pintar as partes danificadas, não toda a imagem, já que isso já uma repintura, que é outra coisa. De forma que pintei uma parte da túnica. Mas não as estrelas estampadas nela porque já estavam repintadas." Para a restauração usou pinturas "a base de água. Era obrigado. Tinha que ser das solúveis em água e não óleo porque são as que se usaram originalmente. Daí porque se desprenderam tão facilmente." "Descobri que a tela não é de ixtle, como se diz, pois o ixtle tem uma trama muito tosca, muito rústica, com um cordel muito grosso. Ao invés, a imagem Guadalupana está pintada sobre uma trama muito fina, como a que se produz do algodão." "Antes de mim, outros restauradores já haviam dado retoques à imagem. Isso eu notei desde a primeira vez que intervi. E estou seguro de que outros intervieram depois de mim."
Em 1.982 D. José Sol Rosales realizou um estudo técnico da pintura a pedido do abade Schulenburg que estava preocupado com a evidente deterioração que a imagem sofria. O conteúdo do relatório que elaborou ("A análise que o Vaticano ocultou." Por Rodrigo Vera. O Proceso nº 1.333) é: A imagem está pintada "sobre uma tela de linho e cânhamo" "Tradicionalmente é dito que esta obra foi executada sobre o tecido nu; isto é totalmente falso, pois é evidente a exame ocular a presença de uma preparação de cor branca, de uma grossura que poderia considerar-se média e aplicada irregularmente." "A pintura é a executada usando diversas variantes da técnica modernamente conhecida como temple; uma delas, a usada no manto e roupagem, foi empregada no séc XVI com o nome de aguazo, deriva das técnicas na pintura das chamadas sargas e pressupõe realizar a pintura sobre o tecido ligeiramente umedecido para facilitar a fixação da cor." "O negro seguramente é um negro de fuligem usado tradicionalmente em todas as épocas… O branco é, com toda segurança, sulfato de cálcio… Os pigmentos azul e verde são, com muita probabilidade, óxidos básicos de cobre… As terras são óxidos de ferro… Como pigmentos vermelhos, além do óxido de ferro vermelho, se usava o vermelhão, composto de enxofre e mercúrio, e o vermelho da cochinilha mexicana." "Com um exame ocular, auxiliado de luz rasante e com luzes ultravioletas, se detectam diversas áreas de repinturas em zonas importantes… Também se detectam repinturas no fundo, manto e ao longo da união dos tecidos."
De tudo isto, se informou ao Vaticano e mais concretamente o cardeal Sodano. ("Mãos humanas pintaram a guadalupana." Por Rodrigo Vera. O Proceso nº 1.332) Em uma de suas cartas, o abade Schulenburg assegurou: "… e nos demos perfeita conta de que reunia todas as características de uma pintura feita por mão humana, com a deterioração própria da antigüidade da mesma imagem. O dito exame crítico enviamos a essa seda apostólica como um sinal de honestidade e de amor à verdade." "O consultor histórico do Vaticano nem sequer mandou analisar a imagem da guadalupana para comprovar que, efetivamente, foi feita por um pintor do séc XVI e não produto de um milagre."
Em 1.999, o cardeal Rivera Carrera, arcebispo do México e destacado pró-aparicionista, pediu ao microbiólogo Leoncio Garza-Valdés (conhecido por sua errônea impugnação da datação por C14 do Santo Sudario de Turim falseada, segundo ele, pela existência de microorganismos nas amostras) que realizasse uma investigação sobre o tecido. Segundo D. Leoncio ("A guadalupana: três imagens em uma." Por Rodrigo Vera. O Proceso nº 1.334) empregando técnicas de fotografias com luz ultravioleta e infravermelha com material muito mais moderno que o de Smith e Callahan, descobriu que há três imagens sobrepostas, uma primeira completamente diferente da atual com um menino Jesus nu nos braços e idêntica a um relevo em madeira situado no monastério de Guadalupe em Extremadura. Está datada (a pintura) em 1.556 e firmada com as iniciais M.A. Marcos Aquino? A segunda é muito similar à atual, mas com o rosto com traços mais indígenas. A terceira é a que conhecemos.
Não obstante, é preciso notar que seus dois acompanhantes na investigação, o Dr. Guilberto Aguirre e o fotógrafo Lester Rosebrook discordaram dessas conclusões no artigo "Test of faith" John MacCormack. San Antonio Express-News de 2 de junho de 2002. O Dr. Aguirre assegurou: "[o] Dr. Garza-Valdes e eu temos as mesmas imagens, mas nossas conclusões são completamente diferentes. Eu não posso encontrar ninguém que concorde com o Dr. Garza-Valdes." "Além disso, ele alega não apenas ver duas outras pinturas, mas um bebê Jesus nu nos braços da Virgem, assim como as iniciais M.A. e a data 1556. Eu estudei essas fotos, mas não vejo essas coisas."
Como podem ver, independentemente de que novas investigações confirmem ou não os aspectos mais "espetaculares" da investigação de Garza-Valdés (e, considerando que desde o início ele reconheceu que seu interesse por investigar a guadalupana residia em que a editora Doubleday lhe havia proposto escrever um livro sobre este tema, me atrevo a sugerir que não se confirmarão nunca) ainda assim ficaram bastante claros alguns aspectos que contradizem as afirmações contidas no livro do Sr. Benítez. A imagem é uma pintura, realizada em um suporte de linho e cânhamo, com o uso das técnicas e os pigmentos conhecidos no séc XVI. Seu estado de conservação não é bom considerando terem sido realizadas distintas restaurações e repinturas que afeta
ram também à zona que supostamente estava livre delas. Os "acréscimos" não são identificados como tais pelos restauradores.
Com tudo isso, as pretensões de sucessos "inexplicáveis" desaparecem e poderíamos devolver a Virgem de Guadalupe ao lugar que lhe corresponde por direito próprio: o de uma magnífica obra de arte, símbolo de uma nação admirável por muito conceitos e emblema da fé católica de muitos mexicanos (e de outras nacionalidades), se não fosse porque ainda resta um tema por explicar, as figuras humanas nos olhos da Virgem.
Os olhos da Guadalupana

fig4 paranormal ceticismo

Figura 4

Ainda que em boa lógica já não seja necessário, uma vez que devolvemos a pintura da Guadalupana à categoria de obra humana as afirmações sobre este tema ficam privadas de base, dada a importância que lhe concede o Sr. Benítez, acho conveniente dedicar algum espaço adicional a refutar a afirmação de que nos olhos da Virgem de Guadalupe podem-se contemplar (depois de processos de ampliação) uma série de figuras humanas, algo certamente inexplicável.

Segundo reconhece o escritor navarro, sua fonte neste caso é uma obra mexicana: "O título me atraiu desde o primeiro momento: Descobrimento de um busto humano nos olhos da Virgem de Guadalupe. Opiniões médicas e outros estudos científicos. Os autores – Carlos Salinas e Manuel de la Mora – apresentavam naquela brevíssima reportagem algumas fotografias e documentos sinceramente incríveis, a figura, em efeito, de um homem com barba na córnea do olho direito da imagem que se venera atualmente na basílica de Nossa Senhora de Guadalupe, no México (Distrito Federal)." (Pág. 12)

Tudo isso resulta impressionante, ou talvez não? De imediato, segundo nos informa o próprio Sr. Benítez, a primeira pessoa de que se tem noticias que avistara algo nos olhos da Guadalupana foi Alfonso Marcué em 1.929. Pôde observá-lo ao examinar algumas fotografias que acabara de realizar. O Sr. Salinas também avistou em uma fotografia em branco e preto (realizada por Jesus Cataño em 1.946) no ano de 1.951 embora depois tenha podido confirmá-lo ao natural. O problema é que segundo o Sr. Benítez, entre as fotografias tomadas por Manuel Ramos em 1.923 e as de Marcué de 1.929 foi realizada uma restauração secreta do rosto da Virgem. A intervenção afetou "os olhos. Acrescentaram-lhe tais sombras nas zonas inferiores, que os olhos parecem desorbitados. O olho direito foi o mais prejudicado. Parece inclusive como se tivesse sido golpeado." (Pág. 125) Tais descobrimentos se realizaram, portanto, depois de uma restauração e em uma zona em que se detectava uma intervenção pouco afortunada.

fig5 paranormal ceticismo

Figura 5

Não obstante, alguém poderá argumentar que é possível que a zona concreta do olho em que se localizou a figura não tenha sido modificada. De fato, pode ser. Abandonarei momentaneamente a obra do ufólogo espanhol para ir à sua fonte, a obra anteriormente citada dos Srs. Salinas e de la Mora (Editorial Tradição S.A. Segunda edição. México D.F. Fevereiro de 1.980). Em uma das diversas opiniões técnicas que contém o Dr. Torroella afirma: "A nós oftalmólogos não nos corresponde dizer se a imagem de nossa Senhora de Guadalupe é ou não uma obra sobrenatural e nem sequer se as figuras que vemos em seus olhos são realmente figuras ou simples acúmulos de pintura, essa é matéria para outros especialistas." (Pág. 10)
Essa frase me fez pensar que as afirmações concernentes às figuras nos olhos da Guadalupana eram falseáveis. Bastaria para isso demonstrar que eram produto de uma acumulação de pintura. Dado que na obra citada (e que é extensamente reproduzida pelo Sr. Benítez na sua nas páginas 168-204) se explica com extensão a maneira com que o Sr. Salinas descobriu a figura, não era difícil reproduzir o experimento, mas com duas diferenças: a fotografia inicial seria uma das tomadas por D. Manuel Ramos em 1.923 (antes da restauração do rosto) e buscaria figuras humanas em outras partes da pintura que não fossem os olhos.

fig6 paranormal ceticismo

Figura 6

Os resultados estão diante de vocês. A figura 4 é a fotografia inicial, a 5 uma seleção de um fragmento no qual mantive parte do rosto para que possam apreciar em que zona aparecem as "pessoas" (com uma silhueta em branco para que sejam percebidas mais facilmente) e a 6 uma ampliação delas. Com um pouco de imaginação, poderão ver um grupo de três pessoas, à esquerda um homem com barba, no centro uma mulher gritando e à direita outro homem (este mais borrado). Tudo isto tem um nome, pareidolia, a tendência de ver formas conhecidas em algo amorfo. Quando brincávamos de dizer com que se parecem as nuvens, estávamos fazendo o mesmo que esses investigadores guadalupanos e os resultados eram tão pouco científicos quanto esses.
Contudo, nada disto é assim para o Sr. Benítez que conclui seu livro com uma comparação entre o Santo Sudário de Turim e a imagem da Virgem de Guadalupe: "… parece como se o <<alto estado maior>> dos céus tivesse escondido neste velho ayate do século XVI outro ás… Um triunfo destinado – como no caso do tecido que se conserva em Turim – aos homens do século XX." (Pág. 306) Com todos meus respeitos aos crentes no "alto estado maior dos céus", se estes são os ases que ele possui, que mão de cartas!

- – -

Notas do editor CA: Muitos erros podem ter ocorrido no processo de tradução ao português, para qualquer dúvida ou citação mais rigorosa sobre o conteúdo recomenda-se fortemente a conferência do original. Se você identificar qualquer erro de tradução e/ou ortografia, por favor, avise-nos para que possamos corrigi-lo assim que possível.
O artigo foi traduzido com a autorização do autor, José Luis Calvo, e o consentimento da ARP-SAPC, aos quais devemos nossos sinceros agradecimentos.

Tags: , , , ,


About the Author

+



44 Responses to O Manto "Milagroso" e o Pensamento Crítico

  1. wander savino says:

    muitas palavras e nem uma explicação,apenas citações de outros pesquisadores ;temperatura do manto,pupilas contráteis,manto de 500 anos,etc…escolha outra tarefa;nesta vc é primário.a existencia por si só já nos faz eternos;quem não reconhece a capacidade limitada da nossa mente perante os mistérios do universo aceita a própria condição de idiota , se condena a insignificancia e se confere a condição de Deus ,dono da verdade e acima de mentes muito mais poderosas como a do próprio Jesus.Após sua morte voce perceberá o quão idiota voce passou a vida se esforçando pra ser.

    • Reginaldo araujo says:

      Concordo. O comentarista sequer explicou (à luz da ciência e do método, como afirma) cmo poderia estar na pupila da imagem aas figuras. Sequer as mostrou. Tergiversou muito e não mostrou suas fontes de pesquisa. Obrigado

  2. rita amorim says:

    idiotas sao os que acreditam em qualquer coisa!!! tem muita fraude nessas coisas de religiao, pois e’ uma coisa para manipular as pessoas. O sdr humano tem sede de ser imortal. Tem-se que ir com muito cuidado com essa historia, pois tem muita coisa ridicula que ouco!

  3. Wesley says:

    A vida seria bem mais facil se nos livrasemos do pesado fardo da ignorancia humana. Fé é quando acreditamos em um poder maior. Os cientistas e diversos especilialistas tentam sempre provar que Deus não existe e que nos decendemos de macacos. Macacos são vocês seres de inferior intelecto que não acreditam no que é obvio, quando a ciência não tem nada de concreto a apresentar, coloca em vista o que muitos outros tentaram e não conseguiram. E outros ceticos ignorantes sem nem noção do que dizem chamam os credulos de idiotas.

    • Júnior says:

      Você fala da ignorância humana, Wesley? Pois tente se livrar da sua primeiro… Em momento algum a teoria da evolução diz que descendemos de macacos e sim que o homem e o macaco descendem de um ancestral comum… Não deixe mais que seu amigo imaginário coloque uma venda em seus olhos!

  4. Pingback: Milagres e Falácias | deus me odeia.

  5. EDSON ALVES says:

    Exames apuradíssimos foram feitos por oftalmologistas de primeira linha, e nos olhos de Nossa Senhora aparecem 12 pessoas, nos dois olhos.
    Que pintor faria isso?
    Imagens mostram claramente a imagem do Bispo ZUMARRAGA, comprovado por uma pintura de seu rosto.
    Como a mesma imagem do olho esquerdo seria pintada no direito também?
    Como a cena que está no olho de Nossa Senhora também agora é vista no olho do índio JUAN DIEGO só que no ângulo de visão dele?
    São perguntas de fatos e não de invenção, acontece que quem não acredita em nada simplesmente ignora os fatos.
    Como a configuração exata do céu do méxico naquele dia ficou exatamente gravada no manto?
    Eu acredito em Nossa Senhora, pois ela foi escolhida por DEUS para ser a mãe terrena de seu filho, o salvador do mundo, não pode ser uma pessoa qualquer.

  6. Pingback: O Efeito CSI e o Milagre Católico de Guadalupe | CeticismoAberto

  7. Alllam says:

    Acreditar é mais fácil do que pensar. Daí existirem muito mais crentes do que pensadores.

    • Frederico says:

      Muitos comentários e poucas respostas, o maior interesse da veracidade do milagre de Guadalupe e de qualquer outro do catolicismo é a própria Igreja e para se comprovar um milagre não é tão fácil assim. Vocês ateus acham que a Igreja e nós católicos comprometidos com a verdade somos idiotas, me digam porque majgore ainda não foi reconhecida pelo Vaticano, porque não existem provas suficientes, a Igreja usa a ciência ela criou a ciência. Ser cetico é uma coisa mas burro é outra. Estude mais veja os testes realizados pela nasa, entre outros testes modernos. Que Deus vos abençoem nas suas ignorancias.

    • observador says:

      “Acreditar é mais fácil do que pensar.” Você não sabe como é difícil para o homem acreditar verdadeiramente.

  8. Faust says:

    Existe uma contestação completa a este texto aqui:

    http://oepnet.sites.uol.com.br/resposta_criticasguadalupe.htm

  9. Gerardo Barros Teixeira Júnior says:

    Tem que levar em consideração que a Igreja Católica sempre está 100 anos atrazada da realidade atual! Teve épocas em que Papas tinham filhos, mandavam matar em nome de Deus e ainda vendia entradas para o Céu que só os ricos podiam comprar! Na época dessa história da Virgem exisitia muita falsidade dentro do catolicismo! E eu sou católico, acredito na Santíssima Trindade! Deus tá vendo tudo e que está mentido, inventando estóriasw, dentro ou fora da Igreja, vai ter que prestar contas com Êla!

  10. Felipe says:

    A despeito das críticas tecidas por alguns, este artigo é exitoso ao tratar desta questão com alteridade suficiente para se dizer científica. Contudo, não entendo ser este mesmo artigo absolutamente conclusivo. Todos sabemos – ou deveríamos saber – das infindáveis corruptelas engendradas pela Igreja Católica, na tentativa de se estimular a fé. Com má-fé, afirme-se de passagem. Existem muitos argumentos em desfavor da veracidade das afirmação da igreja: a estória do material para confecção do pano, os retoques grosseiros… Todavia, gostaria de analisar mais precisamente a presença de padrões nas imagens nos dois olhos em simetria. Gostaria de saber a exata probabilidade e confiabilidade dessas supostas figuras. Em suma, o que elucidaria a questão seriam pareceres minuciosos capazes de confirmar ou não a existência de padrões e “coincidências” nos olhos.

  11. helder ribeiro duarte says:

    bobo e aquele que nao consegue enxergar a presença de um deus vivo, atraves do manto de guadalupe. alguns tentam desacredita.lo, porem a devoçao so aumenta em todo o mundo. que do alto dos ceus, a nossa mae nos envie mais sinais de sua presença entre nos. eis nosso conforto e nossa fe.

  12. Pingback: SANTO SUDÁRIO « Fórum Ateus do Brasil

  13. Carlos Mello says:

    Eu acredito em tudo que eh relacionado a Virgem Maria e Deus e pronto!
    Ah! eu tambem acredito em Papai Noel, duendes, discos voadores, Adao e Eva, Lobisomens, vampiros, etc. Amo crendices, quer dizer Deus. Amem.

  14. Paulo Cesar Tadeu Ramos says:

    Estive no México em 1999, estive na Basilica de Guadalupe, fiquei por horas observando, admirando e pedindo a Deus sabedoria e discernimento para entender aquela imagem, aquela aparição. Senti Deus me perguntando: Voce faz o que o seu coração manda? Em pensamento respondi: Sim. Novamente senti a mesma voz de Deus me ordenando: Então segue o que manda teu coração.
    Meu coração mandou acreditar em ti Maria e levar tua mensagem de esperança a quem pudesse alcançar e isto procuro fazer até hoje e peço-te forças para fazer até o ultimo dia de minha vida.
    Em 2001 afastei-me da igreja estava revoltado com tudo o que me havia acontecido. Pe. Constantino me pergunto porque me afastei, então lhe disse: Briguei com Deus. Ele então me perguntou: E que ganhou a briga? Então voltei para a igreja.
    Talvez muitos incredulos tenha brigado com Deus, faça um exame de consciencia, e peça para Deus falar com voce, se é que tem corasgem…
    Na paz inquieta de Jesus
    No silencio de Maria
    Desejo a todos Paz…muita Paz

  15. Marcus Holst Eliseire says:

    Isso não é ciência. Onde estão as provas materiais de todos estes fatos? Seria preciso uma investigação como aquela que foi feita no manto de Turim para avaliar a imagem. ‘Fulano’ disse isso, ‘beltrano’ disse aquilo não serve como evidência de coisa nenhuma. Só serve para causar confusão a respeito do assunto. Acho difícil acreditar na história, ou estória. Mas o que eu acho não é fato científico.

  16. Rodrigo says:

    As pessoas novamente acreditando em bezerro de ouro? Não é a ciência/incrédulos que devem provar que o objeto não é “celestial”, são vocês que querem apresentar como provas tal objeto.
    Me digam uma coisa. Já ouví brincadeiras como “vocês ateus dizem: Deus, se existe mova esta pedra — mas Deus todo poderoso não precisa provar que existe”, enfim, nenhum ateu sai pelas igrejas dizendo aos camaradas que eles estão errados, que são idiotas e ignorantes por achar que existe um Deus e da mesma forma, a ciência não está por aí a “desfazer” os mitos como que querendo que Deus não exista. Ela pode desfazer mitos mas sua principal preocupação é obter indícios de que existe um Deus. Agora vamos lá, sem meias respostas como ‘mistério da fé’ ou ‘ele é tudo e se auto criou’ me digam quem criou Deus? Porque eu tenho respostas, para qualquer religião o próprio Ser Humano inventou deuses. Isso é remoto, histórico, tão antigo que a explicação de um raio era a contrariedade de um Deus. E isso não foi dito por apóstolo, profeta ou iluminado, isso foi dito por pessoas comuns. Agora quem quer autentificar algo que prove. Deus veio do nada? Criou-se o universo num lugar inexistente? Qual é o propósito da existencia de Deus? Ele simplesmente existe porque quer, ou porque quer nos proteger?!?! (Dele mesmo eu diria pois dizimou povos que contrariaram suas ordens mas não pune seu “lado oposto” o dito “Coisa ruim”. Melhor nem falar sobre como Ele é contraditório. Hipoteticamente supostamente fez o homem ‘abalável’, deu apenas uma vida a ele, permitiu um ser tão poderoso como ‘Coisa ruim’ fazer tentações ao pobre homem e no fim dos tempos, aquele pobre homem será julgado e poderá ser punido eternamente. Eu diria um sonoro palavrão seguido de: como Você é bom conosco! — isso se eu acreditasse mas acho que alguns devem dizer isso quando analisa com calma os acontecimentos e as circunstâncias.)

    Um abraço a todos!

  17. Marcel says:

    Algo muito grandioso lhe será mostrado para que assim você acredite. Tem alguns pontos que, convenientemente, não foram citados em seu artigo, como, por exemplo, a reflexão do mapa das constelações no manto que coincide exatamente com o posicionamento visível do céu naquele dia em que o manto foi “pintado”… Veja que, inclusive por estudos astrológicos, o manto demonstra essa precisão.. Qual a explicação “científica” para isso? Quem sabe um dos bispos ou padres em uma missão na América Central em meados de 1530 fosse astrônomo para instruir um pintor a fazer isso… Mais ainda, essa análise só pode ser feita no final do século XX porque os cálculos para datar o posicionamento estelar são extremamente complexos e, sem auxílio de computador, quase impossíveis de serem realizados… Enfim, melhore sua pesquisa antes de contestar o que cientistas renomados e sérios concluíram, por mais de 40 anos de estudos, se somados todos os já realizados sobre esse Sagrado Manto. Que a paz esteja contigo! “Ecce venio, Ecce ancilla”

  18. andrew says:

    para quem duvida de Nossa Senhora de Guadalupe assistam ao documentario o History chanel sobre Ela, tem no youtube em 4 partes (Guadalupe – [1 de 4] – Provas Cientificas do Sobrenatural – Entidade Misteriosa)e me digam que duvidas e o q mais precisam saber para acreditar

  19. giselle says:

    gente vamos parar de se preocupar com coisas tolas o unico que morreu na cruz por nos foi Jesus!o unico santo foi ele que veio na terra e nao pecou o resto e resto!nao precisamos de interssesores para receber curas e milagres ele Jesus nosso pai nos escuta quando oramos a ele e opera os milagres!todo joelho se dobrara e todo lingua confesara que SO Jesus Cristo e o senhor!

    • MANOEL says:

      Não foi Jesus que disse: Ninguém irá ao Pai senão por mim? Porque ficam inventando santos e aparições de Marias ( que pedem construções de basílicas). Está em texto biblico que irã ao Pai por intermédio de alguma aparição?

  20. regina says:

    Allan, os maiores pensadores eram crentes, cristãos e cheios do Espirito Santo.
    Deus não precisa provar nada, mas, como É Deus, tem dó de nos, pobre ignorantes, que pretendemos pedir contas a Ele das coisas que Faz… Querido , olhe para este Manto Sagrado e compare com o Sudário. Dentro deste manto bate o coração do Homem que foi envolto neste tecido, que já dura mais de 2000 anos. É a mesma “radiação” que fez os dois desenhos: É Deus nos dando mais uma chance de acreditar que Ele pode TUDO.
    Fique em paz.

  21. João Luis C. Stolbz says:

    Interessante: Morei na India durante 15 anos (Nova Dehli) trabalhando para um multinacional holandesa e tive oportunidade de aprender alguma coisa de seu idioma local (Embora 90% das vezes só nos comunicassemos em inglês), bem como tive acesso à religião e cultura locais. É incrível como eles também tem lá seus milagres, feitos sobre-humanos, aparições, etc…, só que realizados por outros deuses (Vishnu, Lord Ganesh, Shiva, etc…). Quase 100% das pessoas jamais ouviram falar em Jeová (deus cristão), jesus, virgem maria, etc.. Me questiono: Por que será que a virgem Maria não aparece para eles para revelar que o único e bondoso deus é jeová e que os deuses deles não merecem confiança, ao invés de aparecer para pessoas do ocidente que já são cristãos ? Simples senhores: Pelo mesmo motivo que os deuses deles só se revelam para eles, ou seja, são produtos culturais, são lendas e mitos de uma cultura específica. Tente, qualquer um desses crentes que invadem esse site para fazer pregação, se imaginar como um hindu, nascendo na India e recebendo toda a carga da cultura local. Certamente não cresceria acreditando em jeová, jessus, maria e toda essa balela, mas certamente acreditaria nos deuses deles e não comeria carne de vaca, que é um animal sagrado para eles, e não para nós, ocidentais. Portanto pessoal, é tudo representação mítica de cada cultura, se vocês tem as relíquias de vocês para adorar (Todas obras humanas, obviamente), eles também tem as deles, em muito maior profusão e também criadas por homens, mas tentar meter essa verdade na cabeça deles é o mesmo que tentar meter na cabeça de vocês (Malhar em ferro frio), pois não importa que provas se apresente a um crente, pois eles não quer saber de nada, ele só quer alimentar a sua terrível necessidade de acreditar em algo e assim tentar dar algum significado a suas vidas. É isso, em resumo…
    Abaraços a vocês

    • observador says:

      São Tomé. Consta que seu martírio se deu por ordem do rei de Milapura, na cidade indiana de Madras, no ano 53 da era cristã.

    • Alberto says:

      João Luis C. Stolbz, parabéns pela forma com que você expõe os seus pensamentos, suas idéias são claras, lógicas e demonstram que você é um cara que pensa. Infelizmente, são poucas as pessoas que param para analisar as coisas, ao invés apenas de reproduzir, o que a sua cultura lhe impõe.

    • Thiago says:

      Uma coisa é um milagre comprovado outra coisa são milagres alegados.

  22. Sergio says:

    Quanta perda de tempo entre crédulos e incrédulos !
    Claro que há coisas que a ciência não explica, e, pelo jeito, sempre haverá.
    Nunca mais gastarei meu tempo neste site !

  23. valeria says:

    concordo com o sergio,o homem perde tanto tempo em explicar as coisas que muitas vezes o tempo passou e ele não apreciou a vida.sou catolica mas não muito religiosa(não vou a missa a um tempão), não gosto de me influenciar pela opinião este ou daquele, li varios sites sobre este tema (pros e contras) e na minha humilde ignorancia, cheguei a seguinte conclusão, não sei de onde vim, não sei se a minha vida é castigo ou benção, não sei para onde vou se para o inferno ou o ceu. Sei que a alguma coisa que não compreendo que me leva a seguir em frente mesmo não sabendo o meu futuro,e que apesar dos momentos ruins, quero mais e viver, e não preciso de cientistas nem de ateus, nem mesmo de religiões para me fazer respeitar todos.Não importa de que religião, sexo ou seja lá o que for, vamos viver e deixar que cada um viva da melhor forma que lhe traga a felicidade.

  24. Mario Umetsu says:

    Interessante o texto, mas rico em citações, pobre em provas, comparado aos dos fanáticos religiosos. Mas por esse conteúdo interessante, gostaria de ver explanados os vários outros fatos relacionados ao caso Guadalupe pelo mesmo autor de hoje, como a explosão de uma bomba dentro da capela aos pés da imagem, resultando em detonação do prédio, apenas uma deformação no crucifixo próprio à bomba e quase nenhum dano ao tecido em questão.

    Aguardo ansioso!

    Obrigado, Mario Umetsu.

  25. Cléber da Cruz says:

    O cientista José Aste Tonsmann, engenheiro de sistemas da Universidade de Cornell e especialista da IBM no processamento digital de imagens, dá três motivos pelos quais as treze imagens nos olhos da Virgem de Guadalupe não podem ser obra humana: Primeiro, porque elas não são visíveis para o olho humano, salvo a figura maior, de um espanhol.Segundo, não se consegue averiguar quais materiais foram utilizados para formar as figuras. Toda a imagem da Virgem não está pintada, e ninguém sabe como foi estampada no manto de Juan Diego.Em terceiro lugar, as treze figuras se repetem nos dois olhos e o tamanho de cada uma delas depende da distância do personagem em relação ao olho esquerdo ou direito da Virgem. Esse engenheiro ficou seriamente comovido ao descobrir que, assim como os olhos da Virgem refletem as pessoas diante dela, os olhos de uma das figuras refletidas, a do bispo espanhol Zumárraga, refletem por sua vez a figura do índio Juan Diego abrindo sua tilma e mostrando a imagem da Virgem.Qual o tamanho desta imagem? Um quarto de mícron, ou seja,um milímetro dividido em quatro milhões de vezes.Quem seria capaz de pintar uma figura de tamanho tão microscópico? E ainda mais no século 16… São vários cientistas renomados, inclusive da NASA se servindo da ciência e a mesma ciência provando que REALMENTE houve um milagre.E esse camarada que escreveu esse artigo, porque não citou o episódio da BOMBA POTENTE colocada pelo anarquista espanhol Luciano Perez no dia 14 de novembro de 1921 que estava dentro de um arranjo de flores e foi colocada ao lado da imagem de Guadalupe que ao explodir causou estrago à tudo que estava perto.Uma cruz metálica que ficou dobrada, até hoje se conserva no templo como testemunha do poder da bomba, mas A IMAGEM DA VIRGEM de GUADALUPE NÃO SOFREU DANO ALGUM.Realmente, não existe PIOR ATEU do que aquele que mesmo diante de provas científicas e fatos incontestáveis NÃO QUER ACREDITAR QUE SE TRATA DE UM MILAGRE e depois nós cristãos católicos somos burros e ignorantes que acreditam em qualquer coisa fantástica.

  26. Pingback: Bule Voador » Congresso Humanista: O Efeito CSI e o Milagre Católico de Guadalupe

  27. luiz camacho says:

    ACREDITO QUE ESTE BLOG VAI SER COMO REMEDIO ” CALA-TE CETICO ”

    http://temaspolemicosigreja.blogspot.com.br/2010/08/nossa-senhora-de-guadalupe.html

    • Geotecton says:

      O segundo site indicado pelo senhor Luiz Camacho não passa de propaganda religiosa.

    • MANOEL says:

      O primeiro site então, de fanatismo religioso. Onde o padre Quemedo diz que Jesus não voltará…Que os milagres só acontecem na Igreja Católica..Que todo mudo será católico..e outras babaquices do tagarela com ´péssima dicção. Se quer assuntos científicos, procure a especialista em assuntos de guadalupe, que contesta cientificamente:Dra. Jeanette Favrot Peterson (Department of History of Art and Architecture
      University of California, Santa Barbara

  28. Glaucio Ferretti says:

    Paz e Bem!

    Em primeiro lugar, venho aqui dizer a todos os céticos sobre seus artigos:
    Apesar de serem convincentes para a maioria dos que não acreditam em Deus, vejo que nada mais passam de pessoas que querem que tudo seja realmente como acreditam. Pois, até aonde sei, um bom exemplo, sobre o Milagre de Lanciano, é que NENHUM de vocês foram até a Itália analisar as tais relíquias! Entretanto, fazem pouco caso, das análises científicas, pois, o que na verdade não passam de um bando de pessoas que não tem o que fazer, e ficam simplesmente dizendo no que as pessoas acreditam, seja mentira! Duvido que se um de vocês fossem analisar o que realmente dizem não existir, se teriam coragem em colocar no seu blog suas descobertas (caso vocês comprovassem que tudo o que refutam, é verdade)! E não divulgariam no blog! Porque não querem descer do salto… Não darão o braço a torcer. Afinal é mais fácil dizer que não “não existe”, do que pesquisar investigar, buscar a verdade, confirmar!

    Bem, fica o recado aos senhores Ateus, que duvido que tenham coragem de publicar minha argumentação, pois se não fizeram pesquisas, relatórios e tiverem realmente provas que VOCÊS são os autores das pesquisas, de nada adiantam vocês escreverem ou publicarem, pois além de não terem a menor credibilidade, não passam de meras pessoas revoltadas com suas vidas, e culpando tudo e a todos pelo que de ruim passam em vossa existência, e já que não são felizes nas suas, querem desacreditar pessoas a terem esperança num mundo melhor…! Que existe realmente a conversão! Que a vida após a morte é real, e que a Ressurreição é a bandeira a ser seguida e enviada! Pena que vocês blasfemem o nome do Senhor Jesus, pois, como sabem um dia todos morreremos, e aí veremos se no dia de suas mortes, se vocês terão paz de espírito… Vocês que sempre ofendem as pessoas com suas blasfêmias ao Pai, ao Filho, e ao Espírito Santo numa palavra: A Santíssima Trindade, e ao Verbo Encarnado: o Senhor Jesus, e aos santos, e a Santa Madre Igreja de Deus. Mas não se preocupem! O Senhor é por demais misericordioso, assim como São Paulo (que no mínimo, vão dizer que ele não existe), mudou radicalmente sua vida, pregando a Ressurreição e o amor de Deus, a todos! Pra vocês, é melhor as pessoas se odiarem ao invés de se perdoarem e de amarem uns aos outros! Melhor as guerras que destroem vidas! Para que dizer a um drogado que Deus o ama, já que Ele não existe, não existe vida após a morte, para que então ele ter esperança em se recuperar. Afinal, “Ame, seus inimigos” (Mt 5, 44), é na verdade, uma afronta a vocês… Pois pra vocês, aonde já se viu “amar os inimigos”!?

    Pois sem a Caridade, a Esperança é perdida, e a Fé é morta!

    Portanto, sei que vocês irão rir de tudo o que escrevo! Mas lembre-se: que tudo o que escrevem não é novidade… E muitos que escreveram, ou duvidaram e que se converteram, foram felizes pela luz da Verdade… E os que morreram nessa apostasia foram às pessoas mais infelizes da face da Terra! Infelizmente, não adianta escrever mais… Mas aqui é isso: No dia que, vocês tiverem exames, pesquisas arqueológicas, científicas vinda de vocês mesmos, aí poderão descredibilizar a Bíblia, a Tradição e o Magistério da Igreja! Pois, para aqueles que acreditam em Deus, não é necessária nenhuma explicação; para aqueles que não acreditam em Deus, nenhuma explicação é possível!
    Se não tiverem essas pesquisas, não forem em busca da Verdade, apenas não passam de meninos e meninas mimados, querendo apenas se mostrar e se dizerem diferentes, das demais pessoas, pensando que são os donos da Verdade, quando que na verdade, são apenas uns infelizes, que nada mais querem que todos sejam infelizes como vocês!

    E por fim, mesmo que não acreditem o Senhor vos ama, mesmo que blasfemem contra Ele, no final o amor Dele é infinitamente maior, do que aquilo que vocês vomitam em seu péssimo blog!
    Que a Paz de Deus esteja com todos vocês

  29. Kélvin says:

    Vocês, que se dizem céticos e por isso mais inteligentes que os outros, não aceitariam argumentos de analfabetos religiosos. Pois bem, a mesma coisa é certos “cientistas” questionarem um Nobel de Química! Não que ele esteja livre de erros, mas ninguém daria tais declarações arriscando sua credibilidade se não tivesse realmente verificado de todas as formas (ou todas as formas possíveis para a época) os fatos.

  30. Márcio Rodrigo says:

    Engraçado é que eles não divulgaram a imagem do ventre de Maria brilhando quando a lei do aborto foi aprovada, também não dizem que a imagem não está exatamente no pano, mas sim alguns milímetros à frente, que foi jogada uma bomba ao lado da imagem, capaz de entortar uma cruz (de ferro ou bronze, não me lembro), entre INÚMEROS OUTROS FATORES!!!

  31. Alesson Ernane says:

    A única coisa que os inimigos da Igreja devem fazer quanto ao manto de N. Sra. de Guadalupe é PROVAR QUE ELE É FALSO! Provem! E o caso tá encerrado!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑