MENU

O Guerrero Negro da ufologia

Sinalizadores e as Luzes de Phoenix

13 de novembro de 2007 Comments (13) Views: 2253 Ceticismo, Ufologia

Carl Sagan sobre visitas extraterrestres

“Se nós mesmos estamos explorando nosso sistema solar, se somos capazes, como somos, de enviar nossas próprias espaçonaves não apenas a outros planetas em nosso sistema solar como além de nosso sistema solar, para as estrelas, então seguramente outras civilizações, caso existam, milhares ou milhões de anos mais avançadas que nós, devem ser capazes de alcançar a viagem espacial interestelar muito mais facilmente.

E em nenhum momento nego tal como uma possibilidade. Eu enfatizaria que a economia de esforço é muito maior para a comunicação por rádio que através da comunicação direta por espaçonaves interestelares. Eu argumentaria que você pode transmitir sinais a milhões ou bilhões de mundos simultaneamente, rapidamente, de forma barata, de uma forma que seria mesmo a uma civilização muito avançada muito mais difícil e oneroso fazer através de espaçonaves interestelares.

Contudo, eu certamente não excluiria a possibilidade de que a Terra está sendo ou já foi visitada. Mas precisamente porque tanto está em jogo, precisamente porque esta é uma questão que engloba emoções poderosas, nós devemos neste caso exigir apenas os mais escrupulosos padrões de evidência“. — de “The Varieties of Scientific Experience”, ou “As Variedades da Experiência Científica“.

Tags: , , , ,

13 Responses to Carl Sagan sobre visitas extraterrestres

  1. Nélson K. disse:

    Bom dia,

    Queria fazer uma colocação, será que Sagan sabia do que falava em termos de Ondas de Rádio ?

    Sabemos faz muito tempo atrávez de Einstein e mais recentemente de Brian Greene (O Universo Elegante) que uma Nave pode, em teoria, dobrar o espaço-tempo e assim cruzar enormes distâncias no espaço-tempo bastando para isso encontrar uma forma de estabilizar o “buraco de minhoca”.

    Porém, será que “ondas de rádio” tenham essa mesma propriedade ? Por que até onde sei (e não sei tanto, mas sei um pouco) ondas de rádio demoram milhares de anos para irem de uma estrela até a outra, pois vão da maneira convencional, ou seja, do ponta “a” ao ponto “b”, sem usar a técnica da “dobra”.

    Por isso, talvez Sagan tenha falado algo sem muito sentido… alguém tem alguma luz para por nesse assunto ?

    Talvez seja sim mais fácil virem as naves que as ondas de rádio…

    Um bom dia a todos,

    Nélson,

    • jose carlos disse:

      Bom o sr. Carl, com certeza sabia mais do que todos nós, acho ainda que ele talvez tenha tido contato com alguem de fora da nossa terra, seja por radio ou por contato. Tendo em vista que os EUA não iriam gastar milhões para apontar atenas para o espaço atoa.

  2. Felipe Machado disse:

    Sempre admirei Sagan por ser um cético (?) moderado, um homem de visão, mas parece que nesse caso infelizmente ele pisou um pouco (ou muito) no campo da especulação.

    Até onde sabemos, é mesmo mais fácil as naves chegarem antes das ondas de rádio.

    Naves podem utilizar de “buracos de minhoca” para dobrar o espaço-tempo e ir de uma galáxia a outra em segundos (parece doideria, mas foi Einstein que começou com isso).

    Já ondas não. E, se existem ondas capazes de viajar em velocidades superiores a essas, não as conhecemos e não podemos as utilizar, infelizmente.

    Sagan errou, mas ainda o admiro por ter sido um homem de ciência moderado, nem cético, nem místico, apenas exigente.

    Obrigado por este espaço maravilhoso, espero pela aprovação.

  3. Carlos Magno disse:

    Que fazer quando há centenas de depoimentos de que as naves espaciais estão rondando o planeta nos mais variados tipos, há vídeos à respeito, e os céticos estão se apegando aos casos de farsas para tornar exceções em regras?

    Que fazer quando há vídeos mostrando entrevistas com homens reconhecidamente íntegros, que tiveram experiências com extra-terrestres, e um desses vídeos faz abordagem de um militar americano que em missão oficial lutou contra grays ou reptilianos, teve partes do corpo mutiladas por raios e que por isso teve cancer, e a mídia controladora busca ignorar? Por que, por exemplo, não dar dimensão mundial a esse caso e estudá-lo como merece?

    Será que milhares de pessoas dos mais longínquos lugares do planeta estarão todos tendo, de repente, alucinações coletivas?

  4. Rodrigo Estanislau disse:

    Sr. Mori

    Uma situação curiosa aqui podemos ver, sem dúvida. A mesma rigidez científica que o sr. prega contra revistas, publicações, em grupos de discussão, etc, está sendo agora aplicado em sua própria “casa” por outras pessoas.

    Curiosamente, alguns anos atráz, este sítio tinha apenas comentários do tipo “sei-lá, essa sereia aí não tá com nada”, ou “q esqueleto gigante, issu eh brinkedinho”, hoje o sr. atraiu pessoas com aparente conhecimento para refutar uma boa parte de seus artigos. Vejo nos últimos comentários que os comentaristas muitas vezes supereram o autor em muito em termos de conhecimento.

    Mas isso é ruim ? Claro que não. É ótimo.

    Vejo este exemplo de Sagan… eu mesmo não imaginaria ele falando tamanha balela – dizer que ondas de rádio seria mais prático na comunicação que naves espaciais – seria melhor ele ter tido que seria mais desejável… científicamente não tá com nada essa afirmação dele. Acho que antigamente não apareceria ninguém refutando o artigo, oxalá alguém com coragem para refutar Sagan, o mestre :-)

    Bom, escrevi com muita boa vontade, espero a aprovação e vejo isso tudo como algo muito bom.

  5. Mori disse:

    Caros,

    “Dobrar o espaço-tempo” é apenas uma idéia, e de fato, não é nem mesmo _teoricamente_ viável!

    Mesmo buracos de minhoca são uma possibilidade teoricamente incerta. Possibilidade, aliás, impulsionada pelo próprio Sagan, que sugeriu ao físico Kip Thorne que elaborasse a idéia para o romance “Contato”. Confiram:
    http://www.ceticismoaberto.com/ciencia/contatosagan.htm

    Ainda que estas possibilidades fossem confirmadas teoricamente de forma segura, criá-las de forma prática envolveria gastos de energia gigantescos — maiores do que toda a energia que jamais utilizamos até o momento.

    Enquanto isso, através de ondas de rádio, nós mesmos já atingimos sistemas estelares a dezenas de anos-luz de distância. E mesmo sem dedicar esforço para tal: fazemos isso inadvertidamente, a custo zero!

    É a isso que Sagan se referia. Embora comunicações por rádio de fato estejam limitadas à velocidade da luz, são muito pouco dispendiosas, e mesmo uma civilização avançada consideraria a opção como uma alternativa custo-benefício muito vantajosa.

    Lembrando, mais uma vez, que até o momento nossa ciência não permite sequer _teoricamente_ que algo viaje mais rapidamente que a luz. Tudo o que se lê a respeito é ficção ou, na melhora das hipóteses, especulação científica.

    Sagan não era infalível. Na primeira Guerra do Golfo, no início dos anos 90, por exemplo, previu que a queima dos poços de petróleo por Saddam Hussein provocaria grandes mudanças no clima da região. Essa previsão, como se sabe, provou-se incorreta — a fumaça teve pouco impacto climático.

    Mas estava certo em muitos outros pontos, e o argumento que sugere aqui é um deles.

    Cordiais abraços e agradecimentos pela leitura e comentários!

  6. Felipe Machado disse:

    Boa Noite,

    Imagine a seguinte situação: uma civilização BEM próxima da nossa, digamos 10 milhões de anos luz, o que é bem perto no espaço sideral, resolve mandar mensagens pra nós.

    Eles precisariam:

    1. Acertar que estariamos aqui 10 milhões de anos depois para receber as ondas, e aptos para tal.

    2. As ondas teriam que não sofrer interferências. O espaço está cheio de meteoros, planetas, luas, nebulosas. Se as ondas batessem ou passassem perto de astros com gravidade seriam distorcidas.

    3. As ondas teriam que ser enviadas por um longo tempo para garantir que ao menos uma parte chegaria intacta.

    4. As ondas teriam que ser mandadas por um período gigantesco para garantir que a espécie que povoa a Terra (nós) estariamos aptos a receber, por exemplo… uns 100 milhões de anos ? Só os dinossauros foram extintos há 65 milhões de anos. Mas vamos ser otimistas, eles acertaram na primeira tentativa, e recebemos o sinal que eles enviaram 10 milhões de anos atráz direto…

    5… então eles teriam que esperar mais 10 milhões de anos para ouvir nossa resposta: total super otimista = 20 milhões de anos.

    Isso considerando: uma civilização muito próxima, ondas enviadas e recebidas intactas, civilizações desenvolvidas no tempo certo e na época certa (10 milhões de anos atráz no planeta origem, e agora aqui na Terra, exatamente), sem necessidade de milhões de anos de tentativa “esperando” uma espécie evoluir…

    Acho que esperar um contato via rádio é possível, mas seria mesmo um acaso, poderia até ser uma tentativa de algum outro povo tentando se comunicar, em alguma época possivelmente muito remota (milhões de anos… talvez bilhões…). Fragmentos de mensagens, talvez. Seria talvez até romântico e triste…

    Comunicação direta via rádio é ficção até onde sabemos. Mais ficção do que a dobra espaço-tempo. Cada vez mais físicos de renome consideram viável em teoria (Einstein e Brian Greene são apenas 2 exemplos), mas todos sabem que isso só depois de muito tempo e pesquisa.

    Obrigado,

  7. […] Carl Sagan sobre visitas extraterrestres – excerto de Carl Sagan […]

  8. JRG disse:

    Posso lhes dizer que viajar de estrela para estrela com naves mecânicas é impossivel, mas a alma sim ela viaja, “mais rapido que a luz e tudo que possa imaginar” para que isso seja possivel temos que evoluir ciêntificamente e espiritualmente, depois é tudo muito fácil!
    Um abraço!

  9. Mark disse:

    Só uma pequena correção no post do felipe machado, 10 milhões de anos luz não é perto, a via láctea tem de 80 a 100 mil anos luz de diâmetro (de braço a braço, valor aproximado). Se fosse para recebermos respostas de sinais de rádio, seriam bem mais perto que isso, pena que elas não viajam mais do que 2 anos-luz, depois disso, viram ruído

    http://bitaites.org/no-mundo-da-lua/as-emissoes-radio-afinal-sao-de-curta-distancia

  10. paulo6jr disse:

    ORAÇÃO DO CÉTICO
    Carl Sagan que estais no ‘Cosmos’,
    santificado seja o Vosso nome,
    Venha a nós, ao Vosso reino,
    seja feita a Vossa vontade
    assim na ‘Nasa’ como no ‘Cosmos’.
    O Ceticismo nosso de cada dia nos dai hoje.
    Perdoai os nossos ‘Criticismos’
    assim como nós perdoamos os nossos ‘Credores’,
    e não nos deixeis cair em ‘Negação’,
    mas livrai-nos do mal.
    Amém.

  11. aristeu paulo lopes disse:

    eu adorava assistir Carl Sagan……

  12. David disse:

    Eu acredito que a Terra já foi visitada incontáveis vezes por extraterrestres. E também acredito que a tecnologia deles é infinitamente superior à nossa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *