Fortianismo 4657053554_ccf901edb5_o.jpg

Published on junho 1st, 2010 | by Kentaro Mori

72

Explicando as crateras na Guatemala

4657053554 ccf901edb5 o fortianismo

A Guatemala está sofrendo neste exato momento com uma grave crise provocada por duas calamidades naturais: a erupção do vulcão Pacaya em 27 de maio, e a tempestade tropical Agatha no último dia 29. A tempestade causa mais transtornos, com 30.000 refugiados, 120.000 evacuados e 92 mortos até o momento. Você pode ajudar as vítimas destas calamidades através desta lista de centros de apoio, ou em doações diretas a “Un Techo Para Mi País”.

Em meio à tragédia, pode parecer frívolo abordar supostos fenômenos insólitos, mas é nosso objetivo aqui mencioná-los justamente para esclarecê-los, para que sejam vistos na devida perspectiva sem desviar a atenção e ajuda de que nossos hermanos precisam.

O primeiro evento estranho foi a morte de um jornalista, atingido na cabeça por uma pedra lançada pelo vulcão Pacaya. A notícia pode soar bizarra, mas o complemento deve obliterar qualquer consideração insólita: “Dois cinegrafistas escaparam da chuva de pedras, mas sofreram ferimentos leves”. Não foi apenas uma pedra lançada que vitimou o jornalista, foi uma dentre uma chuva de pedras. “Na Guatemala há 288 vulcões, dos quais oito registram atividades”, termina a cobertura do G1: Pedra lançada por vulcão em erupção mata jornalista na Guatemala.

O segundo evento é o surgimento de uma enorme cratera na Zona 2 na cidade de Guatemala, visto na imagem que inicia este texto. A imagem é surpreendente: calcula-se que tenha 150 30 metros de profundidade e 40 20 metros de diâmetro. Sua aparente perfeição também pode provocar todo tipo de especulação, como provocou em 2007.

Sim, como o jornalista Antonio Martínez Ron lembra, outra cratera praticamente idêntica, apenas um pouco menor, com 100 metros de profundidade, também surgiu na mesma região há dois anos. Abaixo, a cratera anterior:

4657514771 4574c38b76 b fortianismo

No caso anterior, a explicação é a mesma para nova cratera: chuvas intensas e redes de esgoto rompidas erodiram o terreno, provocando enormes cavernas subterrâneas até que o topo por fim cedeu. No caso de 2007 os relatos davam conta (em inglês) do som da água e esgoto ao fundo. Ainda aguardamos relatos detalhados sobre a cratera recente, que também deve ter torrentes de água em seu fundo.

Este fenômeno geológico é conhecido por erosão kárstica (em inglês). Algumas das maiores cavernas no mundo, como Optymistychna na Ucrânia com mais de 200km de extensão, foram esculpidas por este processo, em que a rocha é dissolvida pela água levemente ácida.

É um fenômeno natural descrito pela geologia há mais de um século, e especulações absurdas como “túneis de discos voadores”, como a vista no vídeo abaixo, só prejudicam a conscientização sobre o problema.

“Embora a repetição do fenômeno convide a pensar no pior, esta circunstância não quer dizer que a cidade de Guatemala esteja a ponto de ser tragada pelo abismo ou algo assim. Trata-se simplesmente de uma zona propensa a este tipo de falhas, que são as mesmas que dão lugar aos conhecidos cenotes de outras partes da América”, escreve Ron. “Em todo caso, um estudo geológico do subsolo seria apropriado para evitar, na medida do possível, futuros acidentes”. [via Fogonazos, BoingBoing]

01 full 600 fortianismo

Atualização 13/06/2010: Desde o início do mês a enorme cratera na Guatemala continua intrigando muitos, o que não é ajudado pelos relatos conflitantes vindos de autoridades locais – sobrecarregadas como devem estar com uma série de emergências. No Brasil, pouco após publicarmos nosso texto, o G1 continuou sua cobertura notando como o Buraco da Guatemala intriga geólogos brasileiros, apoiando a explicação que mencionamos inicialmente de que, “para especialistas, rochas calcárias foram dissolvidas pela água”. A matéria no entanto também citou o professor da UFRN, Thomas Campos, que “acredita que estrutura construída pelo homem cedeu”. Para Campos, isso explicaria o formato circular do buraco, um cilindro “quase perfeito”, como muitos notam.

Enquanto isso, outro geólogo, desta vez norte-americano, dava uma terceira opinião, de certa forma intermediária. Segundo Sam Bonis, do Dartmouth College, disse ao Discovery News e à National Geographic, o enorme buraco não teria sido criado como um poço artificial antigo que foi depois tampado, como sugeriu Campos. Por outro lado também não seria erosão kárstica tradicional de rocha calcária, formando dolinas.

06 full 600 fortianismo

Para Bonis, o buraco seria “resultado de piping”. Todo o solo da região seria composto a uma profundidade de centenas de metros por nada menos que uma espécie de pedra-pome compactada, rocha vulcânica de densidade muito baixa, frágil e que se desfaz facilmente com água. Enquanto a erosão kárstica comum que forma dolinas ocorre com águas de chuva naturais dissolvendo rocha calcária, o que ocorre na Guatemala é algo análogo mas diferente: água de tubulações artificiais, esgotos, erodindo um solo que não é calcário. “Parece-se com uma dolina sim”, Bonis nota, mas não existe um termo geológico preciso para o mecanismo que formou o buraco. Ele sugere então que é “resultado de piping”.

Há pouco, duas novas informações dão maior apoio aos comentários de Bonis. Além de dar as dimensões corretas à cratera – 20 metros de diâmetro por 30 metros de profundidade – pesquisadores da Defesa Civil descobriram uma “zona fraturada” próxima à parede da cratera, uma fenda. E então, finalmente pude ver esta fotografia do buraco:

002 full 600 fortianismo

Confira mais imagens, de uma série de 14, no Christian Science Monitor. A imagem acima é a mais relevante: note como ao fundo da cratera parece haver uma galeria para onde a água é direcionada. Mais do que isso, note no canto superior esquerdo como filetes de esgoto caindo por canos quebrados já erodiram bastante as paredes do buraco. Indicam, como Bonis havia notado, que não é rocha calcária e sim um solo muito macio e que poderia ter sido erodido fácil e rapidamente pelo rompimento de tubulações.

Continuamos atentos a maiores explicações e confirmações, mas corrigindo nossas informações iniciais – sobre o tamanho da cratera, e sobre a natureza da rocha – ressaltamos como embora ainda haja o que explicar, a cratera não é nem foi um grande mistério. Como no caso anterior, o solo foi erodido pelo rompimento de tubulações de esgoto, em uma região com solo frágil de origem vulcânica. [com agradecimentos ao professor José Ildefonso e @pedruivo]

Atualização 06/07/2010: Corrigimos informações em um novo texto sobre o caso: “Mais explicações sobre os buracos gigantes na Guatemala“. As crateras não envolveram erosão kárstica, e foram ao invés resultado de piping, da sobrecarga e problemas com o sistema coletor de águas.

Tags: , ,


About the Author

+



72 Responses to Explicando as crateras na Guatemala

  1. Bom em ponta grossa no paraná tem um parque onde possui varias crateras bem parecidas com essas e são chamadas de Furna e tem a mesma formação, devida ao efeito das aguas e é lindo e aberto a visitação ao publico vale muito a pena dar uma pesquisada :D

    • Rodrigo says:

      Até ouvi falar que lá no Buraco do Padre, existe uma ligação subterrânea cheia de água que vai sair na Lagoa Dourada. Falam que um cavalo caiu nesse buraco e reapareceu na lagoa…não sei direito. HEHE. Mas é realmente bem bonito lá.

  2. Pedro says:

    Não estou confirmando que são coisa extra-terrestre ou absurdos assim, mas a parede da cratera parece diferente. A página do Wikipedia que mostra a erosão kárstica mostra também exemplos de lugares onde esse efeito ocorreu. Aqueles locais são diferentes desse. Parece que as paredes são mais lisas nesse caso da Guatemala do que nos exemplos mostrados.

  3. Dav7 says:

    incrível!

    eu fugia da cidade :P

  4. Fabian says:

    2012, a profecia Maia.

  5. Olá Mori, e o interessante que esse tipo de relevo, Kárstico, não é exclusividade da Terra, pesquisadores da equipe da sonda Cassini, trabalhando em colaboração com aficionados da unmannedspaceflight.com, podem ter descobertos relevo cárstico e Estruturas de Dissolução em Titã, lua de Saturno.

    http://entrononentro.haaan.com/sistema-crstico-em-tit/

  6. Val Valiant Thor says:

    Como engenheiro geotécnico, tenho que dizer que, por mais convincente que pareça a explicação através da erosão cárstica, é muito improvável seja esta a explicação real. Erosões como esta não apresentam formatos circulares e, tãopouco, que se estendem metros abaixo com um certo prumo.
    A primeira coisa a se perguntar é: pra onde foi o solo que estava abaixo dessas fendas? Foi abduzido? Pela sua explicação parece que sim… Mas leia até o final que irão compreender melhor.

    Na literatura, raramente estas erosões alcançam tamanha proporção, principalmente quanto a sua profundidade. O cenário observado no subsolo é bem típico, com fendas visíveis e, muitas vezes, estalactites em cavernas interligadas.
    Portanto, antes de sair afirmando que não é nada insólito (pois realmente não é), utilize de argumentos corretos para que suas demais refutações não sejam desvalorizadas.

    Para uma avaliação melhor, precisaria de uma visita a campo ou de fotos melhores. Ao meu ver, assim de antemão, acredito que o processo esteja relacionado a outro fênomeno – o piping, mas em grande escala. Esse processo que ocorre devido a movimentação da água em grandes velocidades no subsolo cria certos canalículos que, consequentemente, diminuem a resistência a compressão do solo, já que este foi TRANSPORTADO com a água para locais adjacentes. Com o tempo, grandes fendas são criadas no subsolo, deixando-o totalmente instável.
    O formato circular da cratera (na superfície) está relacionado ao estado de tensões do solo que, na Guatemala, deve ser pré-adensado (já sofreu grandes esforços no passado) e homogêneo, de maneira que o formato circular indica um rompimento pontual (muitas vezes no centro do círculo) e as mesmas partículas de solo, a uma certa distância do centro, sofrem a mesma força de tração, pois o solo quer se mover para baixo (já que lá fundo existem fendas).
    Ultrapassado a resistência a tração destes locais limites (que deve ser a mesma para todos estes pontos no limite do círculo), há o rompimento do solo.
    Como o subsolo já está instável e, geralmente, fissurado (pois as partículas de solo foram transportadas junto com a água), há o desmoronamento.

    Não abusei de termos técnicos ou outros aprofundamentos porque não é o caso. Caso queiram mais informações, podem entrar em contato por email ou pesquisar sobre os temas citados. Veja também o assunto Circulo de Mohr e Resistência a Tração e Compressão do solo.

    Abraço

    • Mori says:

      Do que eu entendi, na erosão kárstica o material rochoso não é abduzido, ele é dissolvido e levado junto com a corrente de água levemente ácida que causa a erosão.

      No texto eu também citei como no caso de 2007 era evidente a ação da água e esgoto porque em verdade os corpos das vítimas foram encontrados boiando no fundo da água. Estes detalhes eu não coloquei no texto mas estão na referência da NatGeo.

      Penso que estes elementos deixam evidente que o caso recente possui a mesma explicação. Caso esteja errado, corrigirei o texto, mas não vejo evidência de tal até agora. Vale repetir: o caso anterior foi explicado por um modelo kárstico. Estariam errados os especialistas naquela ocasião?

    • Lisiane says:

      Olá Val!
      Sou geológa e fiquei realmente perplexa com esses dois eventos ocorridos na Guatemala. Não consegui encontrar explicações coerentes nem do ponto de vista geológico nem antrópico.
      Mas gostei muito da sua teoria e de tudo que pesquisei a respeito do assunto é a mais convincente que encontrei!
      Nesse caso as causas estariam relacionadas tanto a litologia do local quanto a intervenção humana (devido as formas geométricas). Valeu
      abços

    • Carlos Braga says:

      Como geólogo, concordo com o Thor e com o professor Bonis, citado. Caso clássico de piping.
      Mori, recomendo retirar do texto o termo “resultado de encanamento” que me parece uma tradução literal e, neste caso, inadequada para “resultado de piping”, termo que normalmente não é traduzido.
      Um abraço!
      Carlos Braga

    • Li says:

      Apreciei muito seu parecer técnico sobre o fenômeno e como leiga no assunto, diante da surpreendente ocorrencia mundial, especulo. Gostaria se possível, de uma explicação para compreender o porque de um fenomeno como esse ser também utilizado no filme 2012 conforme uma explicação de que o geomagnetismo se alterando, ocasionaria fenomenos não distintos destas ocorrencias mundiais. Sou gratissima se puder fazer sua consideração tecnica.

  7. Val Valiant Thor says:

    Bom… rocha é uma coisa. Solo é outra totalmente diferente.
    É absolutamente improvável que trate-se rocha dissolvida num caso destes!
    Depois me repasse as informações que os especialistas relataram. Lá no link elas se resumem em duas linhas. E uma delas (a mais importante pra mim), não foi colocada aqui. E trata-se justamente do fenômeno piping que eu citei, mas em escala maior, a partir da ação humana:
    “The removal of groundwater can also leave gaps underground that can lead to sinkholes”

    E não fui sarcástico quanto ao termo absuzir não e, muito menos, menosprezar seu trabalho. Só quis entrar no clima anti-insólito que você mesmo colocou no desenrolar do texto. Talvez não tenha sido claro nesse ponto. Desculpe-me por qualquer coisa.

    Vou averiguar melhor a geologia e a natureza o solo/subsolo guatemalteco. Mas gostaria muito de ter informações de reais dos especialistas. E não aquela que foi editada e, talvez, dita por profissional que atua no ramo… Mídia é dose!

  8. Val Valiant Thor says:

    No site da NatGeo – http://migre.me/KVXG – tem o parecer do hidrogeólogo James Currens, que também aponta para o piping (apesar dele não ter usado esse termo téncnico):

    “Sinkholes are natural depressions that can form when water-saturated soil and other particles become too heavy and cause the roofs of existing voids in the soil to collapse.”

    A intenção é só ajudar a esclarecer mais ainda os pontos ainda obscuros. Abraço

    • Mori says:

      Boa, Pedro. Eles citam ambas explicações, sendo que a de 2007 é mesmo erosão kárstica, pelo que entendi. Agradeço as informações que partilhou. Vou esperar mais um pouco e atualizo o texto seja com confirmação da explicação que mencionei, seja com a explicação alternativa, que também envolve esgotos rompidos.

  9. Amigos, desculpem minha absoluta ignorância técnica sobre o assunto, mas a perfeição geométrica desse mega-buraco é de arrepiar!

    Nem uma ponte – que é reta e feita por mãos humanas – quando desaba fica com suas bordas tão regulares!

    Mas nesse caso são dezenas de metros de profundidade em uma cratera de aproximadamente 40 metros de diâmetro em forma perfeitamente cilíndrica!

    Sinceramente é muito difícil acreditar que a natureza e as leis da física possam ter criado esse evento ao simples acaso.

    É o que penso.

    Obrigado e abraço a todos.

  10. ilham says:

    Interessante é que agora mesmo o governo da Guatemala declarou que precisa fazer estudos para chegar a uma conclusão sobre o fenômeno. Mal a notícia foi veiculada vc tirou uma explicação do bolso. Não é que ela não seja plausível, mas eu acredito que este afã explicativo leva a enganos e é tão leviana quanto a dos que falam em extraterrestre e tais. Quando já temos todas as respostas prontas dificilmente avançaremos no conhecimento.

    • Mori says:

      Eu citei a explicação ao caso anterior, com os argumentos que a sustentam. O próprio governo apoiou tal explicação, são algumas agências de notícias que por vezes reportam a declaração de que estudos precisam ser feitos para chegar a um melhor entendimento como se isso contrariasse de pronto a tese mais clara mencionada de início. Não contraria.
      Dizer que é tão leviana quanto sugerir que são buracos de bases extraterrestres é exagero.

  11. yannick says:

    Provavelmente a saturação da argila devido às chuvas intensas tenha propiciado este fenômeno mas há definitivamente um problema de cavidades no sub-solo.

  12. Eduardo Wagner says:

    Creio que o buraco ai, ou técnicamente falando, dolina de abatimento, foi causadao não só por um só processo, e sim um conjunto de processos (como o pipping já mencionado aqui, falhas e direcionamento na rocha cárstica do local, mais a ação da água) que agiram ao longo do tempo, talvez tenha muito pouco a ver com as chuvas de agora que caem lá neste momento, pois pode se observar que área é amplamente impermeabilizado. Mas há de se fazer uma prospecção no local, para averiguar até a possibilidade de existência de uma caverna que estava confinada no cárste ali.
    No Brasil há vários registros de cavernas que foram identificadas após o abatimento do solo formando estas dolinas.
    Nada de sobrenatural ou 2012…..

  13. Fameli says:

    Ou vocês são cegos ou não querem acreditar na verdade.
    Ta na cara que foi o Godzilla, bobinhos.

    PS. Eu fico com a teoria do Piping pelo que eu pesquisei, porém no primeiro caso acredito que seja Erosão Kárstica.

  14. Ísis says:

    O impressionante aspecto visual da cratera nos faz perder um pouco de lógica e duvidar de explicações racionais para essa formação. Se formos pensar e formar generalizada tudo na natureza, de certa forma, parece extremamente perfeito (mas não necessariamente é). Não devemos nos deixar enganar pela falta de confiança na “casualidade” lógica da natureza. Mas de qualquer forma seria apropriado mais estudos sobre a cratera com o objetivo de se obter um maelhor esclarecimento.

    Beijos!

  15. Marcelo S says:

    http://relances.blogspot.com/2007/03/buraco-que-apareceu-na-capital-da.html

    2007

    “no Sábado dia 24 de Fevereiro “2007″ na capital da Guatemala — Bairro San Antonio, no norte da Cidade da Guatemala(…) Segundo explicou aos jornalistas Óscar Sánchez, porta-voz dos Bombeiros Voluntários da cidade da Guatemala, abriu-se uma imensa rachadura de mais de 20 metros de largura e 150 metros de profundidade. ” ”

    ———–
    2010
    pelo menos 60 M de profundidade por “”20 M”" de largura ,

    Cilíndrico , em que lugar do mundo é produzido pela água formas cilíndricas ???? como mesmas semelhanças ???? se foram as águas porque as fotos não mostram nem lama nas ruas , nem umidade nas paredes do buraco ???

    notem que dá para ver claramente em ambos os buracos que escorre água somente nos canos quebrados , e d´apara ver onde a água alcança , ou seja , d´apara medir que tempo que ela escorreu ,e só foi depois que os canos foram quebrados .

    e se foi água ou galerias de esgoto toda aquela terra teria que ir para algum lugar , e certamente que entupiria e seria visível assim como ocorreu no metro de são paulo , notem tbm que a parte não parece ser areia , logoi que existe uma camada de areia que é amarela e existe outra camada abaixo que é cinza , em ambos os casos , aquilo seria areia ou rocha ??? que marcas são aquelas que se apresentão em ambos os buracos ???

    Pesquisem isso a fundo , isso merece mais que uma explicaçãozinha dessas sem pé nem cabeça , toneladas de “areia” ou rochas não somem , se elas foram dissolvidas então ao fundo do buraco serão encontradas e haverá um lugar onde esteja cheio de “areia” ou rochas , mais normal e devido a chuvas isso não foi !!!

  16. Fernando Ramos says:

    Podemos dizer que sou um apaixonado por ovnilogia e fenómenos análogos e recorro muito ao “Ceticismo Aberto” para esclarecer algumas dúvidas.
    Digamos que antes de me decidir pela origem de um fenómeno/caso, levo em linha de conta o que aqui é exposto porque, achava, era isento e apresentava os factos tal qual eles são.

    No entanto, e depois de ler a explicação de Val Valiant Thor e da Lisiane, especialistas na área e de me aperceber que afinal de contas o autor deste site retem informação importante para de alguma forma manipular a informação que apresenta de modo a que a mesma seja mais condinzente com a linha de pensamento do site, fico um pouco confuso quanto a futuras explicações.

    Isto não é uma critica, pois continuo a ter em linha de conta o que aqui é escrito, mas gostava de sentir que no futuro este erro (retenção de informação pertinente) não ia existir e que a pesquisa sobre as explicações eram mais do que simples consultas apresadas sobre o assunto.

    Quanto ao buraco acho-o também estranho relatiavamente À veritcalidade e geometrialidade do buraco.
    No entanto a explicação dada pelo Val Valiant Thor é lógica.
    O centro do terreno, sem apoio inferior abate e o terreno que está À volta abate também com centro no abatimento inicial.
    Não vejo qualquer estranheza neste fenómeno.

    Aliás, para os defensores da teoria da entrada dos OVNIs através desses buracos, pensem duas vezes e digam porque é que “eles”iriam fazer uma entrada no meio de uma cidade onde todos os podessem ver… coisa que parecem evitar.

  17. João Ferrari says:

    Buracos geometricamente perfeitos? Paredes lisas?
    Só em fotos de longe…
    Procurem no google mesmo por imagens de perto e verão a irregularidade das paredes e a disformidade desse ‘circulo perfeito’.

  18. Mathold says:

    A cidade da Guatemala é praticamente cercada por vulcões, e no dia 28/05/10, um deles entrou em erupção, foi o Pacaya. Dêem uma olhada na imagem:
    http://img59.imageshack.us/img59/2980/guatemalaw.jpg
    Como podem ver, esta imagem foi feita através do GoogleEarth, e apresenta ao fundo 4 vulcões. O que entrou em erupção é o da esquerda, o que aparece com umas nuvens em cima.
    Autoridades da Guatemala estão falando que as cinzas do vulcão podem ter influído na abertura da cratera (vide matéria http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/06/cinza-vulcanica-pode-ter-influido-na-cratera-da-guatemala-afirma-governo.html).
    Gostaria de saber o que vocês acham sobre isso.

  19. artista says:

    (Explicação) Carste – Dolinas

    Dolinas são depressões fechadas de formato aproximadamente circular, formadas pela dissolução da rocha no terreno abaixo dela ou também por desmoronamento do teto de cavernas. No caso das dolinas por desmoronamento, se ocorrer o evento no teto da caverna pode-se criar uma abertura de acesso às cavernas.

    As dolinas variam muito de tamanho, de pouco mais de um metro de diâmetro e pequena profundidade a grandes crateras com centenas de metros de diâmetro, podendo atingir grandes profundidades. Uma vez que as dolinas são formadas pela ação da água em estratos de sustentação, é comum que elas sejam recobertas por solo e vegetação. Em alguns casos, se o solo for suficientemente impermeável, elas podem se manter parcialmente inundadas, originando pequenos lagos. Em alguns casos essas aberturas dão acesso a galerias inundadas que aparentam ser lagos, embora sejam apenas uma parte de uma galeria freática ou de uma caverna

  20. A explicação do fenômeno foi ótima.
    Lendo os comentários percebi que tem muita gente dizendo “tá mas cadê a terra e o solo que esmoronaram?”.

    A resposta é bem simples: os buracos nçao surgiram agora, do nada, eles se formaram ao longo dos meses ou anos, assim a terra que um dia estava ali também foi sumindo aos poucos, ao longo desses mesmos meses ou anos. Por fim sobrou apenas o teto, que desmoronou devido as fortes chuvas recentes.

    Um fenômeno parecido deu origem aos famosos buracos azuis, quando a água das geleiras de tempos glaciais fez o teto de cavernas desmoronarem e darem origem a buracos perfeitamente circulares.Exemplos desse tipo de acontecimento NATURAL podem ser visto em Belize, ali pertinho da Guatemala. Nessa região o surgimento desses poços, por assim dizer, são comuns a milhares de anos.

    E se alguém disser que a natureza nunca produziria algo tão perfeito, eu então pergunto se são os alienígenas responsáveis pelos flocos de neve e suas formas perfeitas e complexas.

  21. Horacio says:

    Se fosse um fenomeno geológico comum ele já teria sido identificado desde 2007, quando se formou a primeira cratera, de proporções estranhamente semelhantes à atual.

    Já se saberia por exemplo da existência de cavernas ou outras condições semelhantes do sub-solo da região.

    Outra indicação de que não se trata de um fenomeno geológico comum é a falta de documentação, pelo menos até agora, sobre crateras de aspectos tão simétricos em outros lugares.

  22. mandinha says:

    bom eu acho estranho essas duas crateras,levando para o sobrenatural acho que seria um mega tunel ou abertura que leva para baixo onde pode existir varias coisas,bom a segunda imagem não tem um buraco e sim , como se fosse um tunel gigante ,uma area escavada, diferente da primeira imagem que ver um tunel gigante.e vcs achão se for alguma coisa estranha as altoridades falaram algo do respeito,lembresse que tudo sobrenatural e escondido assim como os ovnis entre outros.

  23. Pingback: Crateras na Guatemala podem ter origem na ação humana, diz cientista » Ceticismo.net

  24. Val Valiant Thor says:

    Bom, pesquisei mais um pouco por aqui e tenho novas informações.

    Não se trata só de um fenômeno exclusivamente, como o piping ou a erosão cárstica… Acredito que seja vários fatores que atuaram juntos.

    1) EROSÃO CÁRSTICA
    Realmente o substrato rochoso da Guatemala (a dezenas de metros de profundidade) pode apresentar uma natureza que favorece a erosão cárstica. Mas isso só nas camadas BEM profundas. Porém, ocorrências como esta, de proporção gigantesca como a noticiada, não acontece assim da noite pro dia. Nem em meses. Nem em anos…

    A erosão cárstica deve ter ocorrido durante milhares e milhares de ano lá no subsolo Guatemalteco. Com a dissolução da rocha, foram criadas cavernas que, obviamente, deixam a capacidade de sustentação do subsolo um pouco comprometida quando comparada com a situação inicial. Mas… esta situação permaneceu INSTÁVEL. O solo nas camadas sobrejacentes se acomodaram, e ali podiam permanecer em equilíbrio…

    …até a atuação HUMANA entrar em cena. Que será explicado na terceira parte.

    2) O SOLO DA GUATEMALA
    As camadas do subsolo guatemalteco geralmente são argilosos (esta informação precisa ser confirmada para o local da cratera. Solos dessa natureza, apresentam partículas de solo muito fina (muito, ma MUITOOO mais fina que uma areia), criando o que chamamos de microporos. Estes microporos e a composição mineralógica da argila faz com que este tipo de solo apresente uma ALTA agregação entre as partículas (ou seja, um solo difícil de se romper, vamos dizer).
    Quando NÃO há a presença da água, este solo perde resistência substancialmente.

    3) A RETIRADA E A MOVIMENTAÇÃO DÁ AGUA
    Como eu já expliquei antes, a movimentação da água em determinadas velocidades (“altas”) favorece o fenôemno piping – onde pequenas partículas de solo são carreadas e, assim, são criados pequenos canalículos que também comprometem o equilíbrio da massa de solo. Vale lembrar que esse fenômeno favorece erosões de ESCALA MENOR.

    Se houver a retirada de água do subsolo (como há indícios que ocorria na região), a movimentação da água é forçada, geralmente impulsionada pela ações de bombas que aumentam a velocidade da água. Esse processo ao longo do tempo, vão criando vazios no solo que, se ele estiver abaixo do nível freático, sempre estarão preenchidos com água, que é a responsável por ajudar na sustentação das paredes de solo destas pequenas crateras.

    Masssssss… se houver a retirada de água em GRANDE ESCALA, o nível freático é rebaixado (já que a quantidade de água que entra no solo é menor da que é retirada).
    Desta forma, os vazios antes preenchidos com água agora não simples vazios, sem anda! Desta forma, toda a massa de solo nas camadas sobrejacentes irão criar um esforço muito grande que, possivelmente, irá desestruturar o solo do subsolo.

    Quando há o colapso do solo num ponto crítico, normalmente uma parte ao redor deste também é desestabilizada, caindo em direção ao ponto que rompeu.

    MINHA TEORIA é que ocorreu tudo o que eu disse acima.
    A erosão cárstica provavelmente já estava lá no subsolo e acredito que seja um fator ESSENCIAL para a cratera.
    O piping por si só FAVORECE a ocorrência, mas não é um fator ESSENCIAL.
    A retirada de água em GRANDE ESCALA é um fator ESSENCIAL e favorece o piping (que não precisa ter ocorrido).
    O rebaixamento do nível freático (por retirada de água) foi o que possivelmente foi o que LEVOU a essa catástrofe.

    Abraço

  25. Val Valiant Thor says:

    Eu errei no segundo parágrafo da explicação sobre a EROSÃO CÁRSTICA.

    “Mas… esta situação permaneceu INSTÁVEL. O solo nas camadas sobrejacentes se acomodaram, e ali podiam permanecer em equilíbrio…”

    Na verdade é ESTÁVEL ao invés de INSTÁVEL.

  26. alexandre pontes says:

    formulações tecnicas são muito usadas nesse contexto, no entanto percebo que existe uma certa resistencia em visualizar a forma apresentada nas imagens. Paredes alinhadas, cimetria, a não umidificação do solo no interior da cratera, visto os vazamentos do esgoto nas paredes desta em detrimento do resto dela. Afirmo em dizer que aquilo foi ¨feito¨ não de maneira nutural. Isto me lembra a construção do eurotunel, ou alguma mina escavada em algum tempo atras.

  27. João Ferrari says:

    Belissima materia, Val! VALew :p

    Para muitos, é mais facil acreditar em mitos do que pesquisar…

  28. Val Valiant Thor says:

    Mesmo com minha boa vontade, depois dessa explicação aqui – http://307.to/lyI – algumas das minhas hipóteses foram por água abaixo. =)

    Pelo visto não existem crateras no subsolo, o que descarta a erosão cárstica dita no começo.

    A extração de água ainda é dúvida. No caso de 2007 essa explicação se encaixaria melhor.

    E as camadas de solo argiloso, na região, devem ser apenas lamelas, uma vez que só falam sobre a tal “areia vulcânica”.

    As chuvas torrenciais causam sim uma sobrecarga no solo. O problema é que SEMPRE causou. Algo lá no subsolo já estava comprometido.

    Vamos aguardar as investigações do radar de penetração para melhores conclusões.

  29. Pingback: Rato de Biblioteca » Blog Archive » Semana do Rato

  30. Otacilio says:

    Alguém se lembra daquelas crateras do filme do Quarteto Fantástico??
    Ou do buraco do flme 300??

  31. wtf says:

    Me parece q as pessoas estão cada vez com menos capacidade de pensar, de analisar, e principalmente relacionar fatos.
    Qualquer coisa é sobrenatural. Imagino a decepção de vários cientistas que dedicam suas vidas a pesquisar como as coisas funcionam para que várias e várias pessoas simplesmente resumam qualquer evento a uma palavra “sobrenatural”?

    Até parece q ninguém deixa a água escoar na pia e percebe a estrutura circular e afunilada q se forma. Parece que ninguém usou uma ampulheta e vê coisa semelhante acontecer com areia. Até parece que ninguém estudou geografia primária e não sabem que a terra não tem um interior completamente maciço.

    dá até desgosto ver tanta ignorância em uma época em que as informações estão disponíveis a quase todos, há somente alguns cliques e bom censo de distância…

  32. Mori moon says:

    Isso é coisa de Satanás.

  33. bom sou geógrafo e como eu falei (onde fui o primeiro a comentar no post) era so ter pesquisado sobre o fenómeno de ponta grossa no parana vcs iam chegar a essa conclusão bem mais rápido AhAhAHAHAHha, MAS …

  34. Francisco Boni Neto says:

    A explicação mais simples, que exige menos elementos teóricos, certamente é que alguma substância não-material, não-física e não-mensurável causou o buraco material, físico e mensurável. Pode ser ectoplasma.

    Outra explicação um pouco mais simples é a de que extraterrestres causaram isso.

    rá.

  35. raph says:

    Admito que parecia muito uma cena de quadrinhos de superherói, mas obviamente as fotos a uma distância menor e com maior resolução do que há dentro do buraco demonstram que se trata de um fenômeno geológico… Uma pena, não foi desta vez que achamos o Toupeira ou o Quarteto Fantástico.

  36. Val Valiant Thor says:

    É… agora as coisas estão tomando corpo. Mas mesmo assim, ainda não acho que esta é a versão final para o caso.

    Por mais “macio” que um solo seja e, portanto, suscetível a erosão (mesmo que estes não sejam os termos mais cabíveis), existe uma GRANDE diferença entre um solo que está EXPOSTO (como encostas de taludes) e uma massa de solo que está no interior, que está confinado.

    Quando o solo está EXPOSTO, principalmente sem a cobertura vegetal, e há a movimentação da água por sua superfície, existe SIM uma grande facilidade de desagregação das partículas expostas. Estas partículas eventualmente serão desagregadas do restante do conjunto e, assim, carreadas pela água. Isso criará veios no solo (erosão linear) que, por sua vez, deixam uma situação propícia para a formação de uma erosão em escala maior (erosão laminar, ravinas e vossorocas).

    Lembrando: este é um caso onde existe uma superfície EXPOSTA (não confinada) para a água escoar. Ás vezes, o solo nem precisa ser “macio”, basta haver uma interação entre as partículas de solo e a água para que ele se desagregue mais fácil (vários tipos de argila são assim).

    Por outro lado, quando temos um solo confinado isso NÃO É VÁLIDO. Precisamos lembrar que durante um tempo gigantesco (milhões de ano), esse solo vem passando por diversos processos que vão, aos poucos, alterando-o para chegar até o que vemos hoje. Um dos fenômenos essenciais para a formação de qualquer solo é a movimentação de água no seu interior. Mas o que isso quer dizer?
    Isso quer dizer que neste local aí da foto, o solo recebeu por inúmeras vezes a percolação da água. Isto naturalmente foi ocasionando uma série de processos que caracterizam como o solo é hoje(ex: partículas mais finas são levadas junto com a água através dos vazios que existe entre os grãos – os poros).

    Portanto, o que me intriga é o seguinte: Porque o fluído (água ou esgoto) que provém do vazamento dos canos, teria que causar essa suposta erosão no interior do solo? Ao meu ver, a explicação do “resultado de encanamento” ainda é incoerente sob a perspectiva que foi apresentada.

    E já que existe uma galeria no fundo da cratera, penso em um caso mais simples, apesar de não saber a natureza dessa galeria (é natural? foi construída? se sim, como?).

    Se for natural, vamos pensar o seguinte:
    Esta galeria seria como um grande encanamento, mais ou menos como um túnel, onde a parede é solo. Normalmente, essa galeria recebe uma quantidade de água que QUASE nunca preenche toda sua seção. Portanto, somente a parte inferior da mesma pode ir sofrendo processos de alteração.
    Porém… quando existe uma aporte de água muito grande devido a chuvas intensas (como foi observado dias antes do ocorrido), essa galeria pode chegar a um ponto que estará totalmente preenchida. Nesta ocasião, a movimentação da água exercerá uma força tangencial nas partículas que estão na parte superior da galeria, podendo desagregá-la. Com o tempo, essa parede da galeria pode se tornar instável e, assim, ceder.
    Se isso ocorresse, toda massa de solo viria abaixo e seria levada pela água existente na galeria, que continuaria se movimentando…

    E agora?

  37. Val Valiant Thor says:

    Mori, acho que é preciso um ajuste no texto.

    Enquanto você falava de “efeito de encanamento” (!?) e logo em seguida mostra filetes de esgoto caindo verticalmente você se refere a uma coisa, a qual não fazia muito sentido do ponto de vista que mostrei no comentário acima.

    Após a correção da tradução para o fenômeno “piping” (que venho falando desde o primeiro comentário), a foto dos filetes de água não fazem mais sentido. Os canalículos formados pelo piping não são na direção vertical, como dá a entender olhando o que você escreveu.

    Eles seguem a direção em que a água se movimenta no subsolo com grande velocidade, devido a um alto gradiente hidráulico. O fluxo descendente de água (infiltração seguido de percolação) não corresponde ao piping. O piping ocorre na direção horizontal com variações angulares (descendentes ou ascendentes) dependendo do caso.

    Acho que ficou faltando alguns trechos importantes da explicação técnica do Sam Bonis!

    • Mori says:

      Eu imagino que a cratera não se formou pela erosão direta, isto é, da mesma forma que os filetes de água cavando as paredes da cratera. Suponho que o piping criou um (ou vários) canais até a galeria subterrânea, até que o solog ruiu de uma vez, e como o solo era frágil e uniforme, ruiu no cilindro regular. Mas é só um palpite.

      A explicação do Bonis citada pela National Geographic não menciona o piping ser horizontal, ou pelo menos eu não a entendi… Thor e outros geólogos, caso possível, por favor, escrevam um parágrafo complementar e/ou corretivo, eu o inserirei no texto agradecendo desde já.

  38. Val Valiant Thor says:

    Ok!
    Mas não sou geológo, sou Eng. Geotécnico (Eng. Civil especializado em Geotecnia).
    Logo mais te mando algo.
    Abrç

  39. Ícaro Motta says:

    Mori, queria que você pesquisasse mais sobre a primeira imagem que você postou sobre o buraco. Essa foi a mesma imagem usada pelo G1, mas parece não ser real ou pelo menos não totalmente real. Mostrei essa foto para meus professores de 3D e eles falaram com a maior certeza que essa foto foi tratada em algum programa de edição de fotos (photoshop) pois os tiles da texturas se repetiam e etc. etc. etc.

    Será que o pessoal do G1 para ter uma foto melhor sobre um fato poderia editá-la num photoshop e perder a veracidade?

  40. Dhiego says:

    Que palhaçada!!!

    Crente diz: Foram os ETS que fizeram o buraco.

    Cetico diz: Não foram os ETS que fizeram o buraco.

    Se isso realmente aconteceu (desculpem a minha ignorância mas ate agora nao tinha visto esta notícia), por que nao fazer perguntas do tipo:

    Como ajudar as pessoas que perderam suas casas?

    Alguem veio a morrer neste acontecimento?

    Pessoas sofreram e ninguem se importa com isso, ao inves disso criam especulacoes e deixam de procurar solucoes!

    • luiz says:

      Claro que ajuda! \Descobrir o que originou isso ajuda a saber se, onde e quando novos desastres como esse vão ocorrer e evitar que mais pessoas sejam afetadas!

  41. Val Valiant Thor says:

    Dhiego,
    Se você estiver precisando de um tênis novo, por acaso você vai na padaria procurar um?

    Já pensou que, talvez, você entrou num blog onde a abordagem é outra?

  42. Chamem os X-Man ! says:

    Isso parece coisa do Surfista Prateado. =)

  43. Bella says:

    Acho interessante o esforço de vcs em pesquisarem o assunto sempre tentando encaixar nos moldes da geologia e da fisica e deixando de fora os relatos de povos antigos dessas regiões de mundos subterrâneos. Podem dizer o que quiserem, que é erosão kartisca, piping, agua de enchente, etc…não muda o fato de que está lá e até agora ninguém deu uma unica explicação convicente e definitiva. O mais engraçado a meu ver é tentarem a todo custo atribuir isso à ação humana recente mesmo que como disse alguém em um comentário anterior, não haver nada relatado e detalhado em algum trabalho cientifico por aí, que tenha sido documentado e que mostre uma simples imagem idêntica a essas que agora vemos. Por que será? Não acho que sejam extraterrestres, mas sim ação humana e bem antiga, como tuneis. Alguém discorda? Provem que não são túneis. Alguém foi lá pessoalmente conferir com os próprios olhos ou tudo que acham aqui tem por base apenas relatos de terceiros?

  44. Bella says:

    Só pra terem uma vaga idéia de que por trás disso tudo tem bem mais coisa do que terra desmoronando vejam uma profecia de parravicini:

    .
    8- La nave anfibia interplanetaria enseñará la existencia de canales habitables en el interior de la Tierra. Ella se sumergirá en el Polo Sur y aparecerá en el Polo Norte, ¡solo en instantes! (año 1960)
    .
    8 – A nave anfíbia interplanetária demonstrará existência de canais no interior da Terra habitável. Ela vai mergulhar no Pólo Sul e aparecer no Pólo Norte, apenas em momentos! (1960)

    Humanos sempre são arrogantes mesmo e acham que explicam tudo. Aguardem novas emoções nesse planeta. ;)

  45. Pingback: Mais explicações sobre os buracos gigantes na Guatemala | CeticismoAberto

  46. Magno says:

    Não sou especialista nesse assunto, mas a meu ver, me parece muito com um poço aberto artificialmente, quero dizer: Se fosse uma erosão em um terreno que não tivesse sido manipulado (ou seja, um terreno totalmente natural), esse buraco jamais teria se formado de forma cilíndrica com as paredes totalmente verticais, dado as sua dimensão e profundidade.
    Não estou formando nenhuma hipótese ou teoria sobre como poderia ter acontecido, mas
    acredito que para esse solo ruir nesse formato, teria que ter sido anteriormente cavado cilindricamente e posteriormente fechado com um tipo de solo mais fraco (ou permeável)que o das paredes, para que podesse encharcar e ruir somente somente esse material.Fica sempre a pergunta: Pra onde teria sido levado todo esse material? encontraram as ruinas das contruções que afundaram juntas com esse material? Porque concreto não dissolve com agua.
    Essa análise desse acontecimento está me parecendo só uma meia sola pra explicar o que aconteceu.

  47. amanda says:

    Realmente é o fim do mundo! jesus esta voltando

  48. tiago says:

    imagina o tamanho da minhoca que fez isso…

  49. Flavio_gsg says:

    Eu sei oqueé (rsrsrs) isso pode ser uma ação iluminatti, quem pode garantir que esses buracos não são uma especie de tumulo gigante pra enterrar as milões de pessoas que os iluminatis estão planejando exterminar com a intenção de reduzir a população mundial? não foi assim que fizeram com os judeus nos dias de hitler? cavaram  enormes buracos e enteram ali centenas de corpos, quem sabe não estão planejando fazer o mesmo agora!

  50. Luizinho-7171 says:

    171 purim! Montagem virtual. Buraco de uma fossa aumentada em não sei qtas vezes! 
    Nem ets,  nem demonios, nem surfistas prateados fariam algo tão cilindrico assim como
    uma montagem virtual… Até parece real!

    • Teste says:

      Vc é retardado mesmo… é real sim, só não se sabe o motivo de ser assim. Vá lá ver antes de falar, que imbecil burro…

    • Nicholasfolescu says:

       amigo isso não e montagem, 3 pessoas morreram com isso, é apenas uma indagação num solo podre e desmanchando + o trabalho do ser humano igual um abismo sugando as pessoas!

  51. Alexandre says:

    Foi motivo pelo projeto HAARP…

  52. Lane says:

    Nossa é um absurdo com tantas explicações sobre o assunto ainda há gente que acredita que é montagem a pelo amor de Deus burrice tem limite como vocês aguentam esse tipo de gente aqui comentando em admiro vocês. um abração a materia tá ótima parabéns!!!

  53. Marcos says:

    Pelo que estou vendo, os comentários está cheio de pessoas entendidas. Uns falam que foi isso! Outros falam que foi aquilo! outros dizem que dissolveu, o solo, outros é engenheiro e afirmam é isso aqui etc. tem é muito rintintin. Mas ninguém resolve porra nenhuma. É todo mundo igual a politico, só fala e não resolvem nada. Comentem agora como é que vão fechar o buraco, ou se o povo irão abandonar o lugar, ou se algum entendido já está viajando para a guatemala para resolver o problema. Não conseguem resolver as enchentes do Brasil, e querem opinar sobre o buraco alheio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑