Uma Mensagem de Fé em Despeñaderos

ARCHI_58891

rosary “A foto foi capturada durante o batismo de Valentino Mora. No momento em que o padre Osvaldo Macaya joga água, o líquido forma um terço. A história começou em 10 de outubro, quando o bebê de pouco mais de um mês, filho de Erica Mora, uma mãe solteira de 21 anos, foi batizado. A foto tem reforçado a fé dos locais, que vão à casa de Erica para tocar o bebꔝ. [cadena3]

O próprio padre não parece muito feliz com a história:

“A fotógrafa, [María Silvana] ficou muito feliz [ao descobrir a imagem] e logo todo o povoado estava sabendo a respeito. Não aprecio esses sinais, eu me atenho aos sacramentos. Justamente o evangelho desta semana diz: “˜esta geração perversa e malvada pede um sinal, e não lhe será dado outro porque tem o sinal de Jonas e aqui há alguém mais que Jonas, fazendo referência à morte de Jesus na Cruz para a salvação de todos”, diz o padre Macaya.

A imagem é definitivamente uma mensagem de fé, pelo menos quando circula como uma corrente de email exortando os destinatários a rezar com seus terços. Que é como a recebi.

A foto em si mesma não é necessariamente mensagem de fé, e pode ser compreendida como apenas um exemplo do comportamento curioso da água em movimento, congelada pela câmera. Ironicamente, também se deveu aos movimentos da mão do padre, que é assim responsável direto pelo “sinal”.

Note como a água não está de fato formando um laço de terços. Há água preenchendo o interior do laço. A cruz em si mesma é por sua vez uma aglutinação de gotas d”™água, que honestamente parecem uma cruz invertida. Qualquer um familiar com fotografia em alta velocidade já deve ter visto imagens similares.

Ou talvez ainda mais interessantes, como esta:

Como os cinegrafistas notam, é fabuloso como a forma descontínua com que a gota dágua diminui ocorre a todo o momento. Apenas não conseguimos vê-lo devido à sua rapidez. Não é algo dependente do movimento da mão de um sacerdote ou mesmo de pareidolia. Acontece a todo o momento como resultado da interação de diversos fenômenos físicos, da tensão superficial da água à gravidade.

Pense em bilhões e bilhões de gotas dágua, como pequeno terços, caindo em rios e mares, tornando-se cada vez menores, como bonecas russas, em um ritmo determinado. É como se estivessem sendo contadas tão rapidamente que nenhum ser humano poderia fazê-lo.

Eu prefiro esse rosário. A Natureza não precisa de preces. [dica de Eustáquio Patounas, vídeo via cgr v2.0]

12 comentários sobre “Uma Mensagem de Fé em Despeñaderos

  1. Mário César M. de Araújo disse:
    12 novembro, 2009 às 6:37 am

    Pior: olha o formato da cabeça do moleque”¦ HEHEHE

    O que te lembra? :^)

    kkkk tbm fikei intrigado com issu

    é um ete manooo…que coisinha feiaaaa…..
    e msm assim a mae fala,,olha que grassinha de bebe o meu!!! ^^

  2. “Eu prefiro esse rosário. A Natureza não precisa de preces” a frase não eh sua mais vc cito ela.

    1° Nós fazemos parte da natureza, essa frase jah se contradiz.

    2° O q te faz pensar q nós humanos somos mais importantes/melhores q a natureza???

    Quanto a foto, um rosário eh soh um simbolo, não tem valor algum e como vc msmo mostrou eh apenas o movimento natural da agua.

    “A foto tem reforçado a fé dos locais, que vão à casa de Erica para tocar o bebê”

    e isso mostra como somos facilmente manipulados….

  3. Para quem acredita em cobras falantes, um diabo que parece ser mais razoável que o próprio deus e virgens dando a luz… um rosário na cabeça de um guri é como sorvete em festa de criança.

  4. Já ví tantas imagens sagradas em pães, pedras, manchas de umidade nas paredes e outras cositas que as pessoas acreditam por preguiça.
    Sem querer ofender, mas me parece que os crentes, os mais engajados em seus credos, nunca dispôem de tempo sufuciente para pensar antes de simplesmente
    chamar os vizinhos para rezar em frente a uma mancha causada por goteira.
    Rosário, terço ou sei lá o quê na cabeça de um gurizinho é o sinal de que o deus deles protege as mães solteiras… como resultado, teremos mais crianças nascidas de milagres. “Eu era virgem antes desse guri aparecer, não sei bem de onde.”

  5. o terço não é formado pela água coisa nenhuma, o terço é de verdade. o padre o tinha na mão na hora do batismo. notem que dá para peceber que o padre seguro o terço junto com a concha bem no alto da mesma com o polegar!!!

  6. Se prestarem ateção, verão que o terço ou rosário é do padre, ouve apenas uma feliz ou infeliz coincidência quando se derramou a água, dando a impressão de se formar o terço, nada mais que isso.

  7. voce falou o obvio
    .
    Alias, gostaria de destacar sua contradição no texto:

    ” Ironicamente, também se deveu aos movimentos da mão do padre, que é assim responsável direto pelo “sinal”.’

    “Não é algo dependente do movimento da mão de um sacerdote ou mesmo de pareidolia. ”

    enfim…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *