O Vaticano e os ETs: uma não-notícia

Ufólogos e entusiastas saudaram com grande entusiasmo as declarações do diretor do observatório Astronômico do Vaticano, José Gabriel Funes, sobre a compatibilidade entre a crença em Deus (o católico) e nos extraterrestres. Ufólogos não são bruxos, e a crença em alienígenas se separa assim de idéias pagãs como quiromancia ou astrologia (em que boa parte dos católicos continua acreditando, de toda forma). Um ufólogo recentemente chegou mesmo a mencionar tal “abertura” do Vaticano como um sinal de que os tempos estariam mudando.

Infelizmente, há uma má notícia a dar: a declaração de Funes não é nenhuma notícia. Como Luis Alfonso Gámez nota, o antigo diretor do observatório astronômico do Vaticano, George Coyne, já havia declarado praticamente o mesmo, tão cedo quanto no ano de 1992. Há dezesseis anos atrás. Não apenas isto, em 2002 Coyne voltaria a fazer novos comentários sobre como a existência de civilizações extraterrestres não era um grande problema teológico da ICAR.

Funes sucedeu a Coyne em 2006, e talvez a única novidade aqui é que tenha demorado pouco mais de um ano para renovar a apólice de seguros da Igreja para quando a astronomia descobrir sinais conclusivos de que não estamos sós.

Na ufologia, contudo, não é nenhuma novidade que os próprios ufólogos distorçam e esqueçam completamente a história e contexto de notícias que sim, deveriam ser relevantes a sua área. Se você se pergunta como poderiam ter esquecido que a declaração de Funes não é inédita, basta lembrar do festival que foi feito com as declarações de Corrado Balducci, supostamente “teólogo do Vaticano”.

No caso de Balducci ufólogos também foram capazes de “esquecer” que o próprio havia feito declarações sobre ETs anos antes. E nem foi preciso que as fizesse outra vez: bastou que elas fossem divulgadas novamente, para que fosse criada uma “nova notícia”.

Ufólogos não têm perpesctiva histórica de sua própria área, e saúdam eternamente o “contato” ou “abertura” final, que nunca chegam. A prática, deliberada ou não, é necessária para manter o público (e talvez os próprios ufólogos) interessados. Como o tubarão de Spielberg, é a música anunciando o monstro, que raramente é visto, que nos prende à poltrona.

10 comentários sobre “O Vaticano e os ETs: uma não-notícia

  1. É verdade, Marcel. Oficialmente o Vaticano não se pronunciou a respeito. São apenas declarações de astrônomos (não astrólogos) oficiais do Vaticano, mas estes de fato não falam em nome da ICAR a respeito de suas posições doutrinárias.

    O astrônomo oficial do Vaticano, contudo, não é um astrólogo tampouco apenas mais um padre. É o astrônomo oficial do Vaticano. Suas declarações sim são uma indicação de qual pode ser a posição oficial da ICAR.

    A referência à “apólice de seguros” é uma inferência de minha parte. Membros eclesiásticos, em minha opinião, antecipam eventuais eventos que possam afetar a ICAR e sem surpresa tomam medidas a respeito.

  2. Lembro que há alguns anos li no JB que o Papa João Paulo II declarara admitir a reencarnação.

    Emitiu uma opinião pessoal, não falou pela Igreja – acho que ele tem essa liberdade. E não se tocou mais no assunto.

    Se um papa pode “pular a cerca” e externar seus pensamentos, mesmo contrariamente aos dogmas, ceticismos ou calhamaço teológico, sem maiores conseqüências, por que não astrônomos e teólogos ligados ao Vaticano? São particularidades.

  3. Vai procurar nos arquivos do JB que você certamente irá encontrar. Não sei se você já ouviu falar: JB é Jornal do Brasil, um dos matutinos mais respeitados do país.

    Dou-lhe uma dica, saiu em primeira página.

    Boa sorte bobalhão.

  4. Carlos Magno, vc acredita que tudo que um jornal publica é verdade?
    Vc nunca encontrou jornalistas colocando na boca de pessoas palavras que elas não disseram?
    Vc acha que a reportagem de um jornal é a fonte mais confiável para conhecer as convicções de uma pessoa?
    O papa publicou muitos documentos, e mesmo livros, além de autorizar biografias a seu respeito, em vários deles ele emite suas opiniões. Vc pode por favor nos mostrar ao menos 1 destes em que ele declara admitir a reencarnação?

  5. João Paulo II era um homem inteligente, logo era muitíssimo lógico ele crer na reencarnação.

    Paulo, se você justificar porque não acredita na reencarnação, (você não acredita, não é mesmo?) me esforçarei por achar o jornal de que falei.

  6. Carlos Magno, acho que vc não entendeu o que escrevi.Pedi para vc me mostrar entre os centenas de documentos que o próprio papa escreveu ou autorizou em seu nome, pelo menos 1 em que ele admitisse a reencarnação.
    Se um jornal publicou tal notícia, devemos considerar que um jornal pode eventualmente, por diversas razões, cometer um engano (elaborar uma notícia para sair dentro de algumas horas, pela pressa, pode levar vários riscos de erro).
    Entre a evidencia sistemática de n documentos rigorosamente elaborados e fiscalizados pelo próprio autor e pessoas de sua confiança e 1 engano localizado de um redator que teve muito pouco tempo de conferir ou revisar, ou submeter ao autor, não tenho dúvidas que o pensamento do papa não é a favor da reencarnação.
    Como João Paulo II foi um homem inteligente, se ele acreditasse na reencarnação, pela relevância do conceito, ele iria buscar n oportunidades de afirmar e registrar suas convicções e não ter que esperar contar por um eventual lapso de 1 redator para que suas idéias fossem conhecidas.
    Quanto à relação entre inteligência e crença, a associação que vc fez não é tão óbvia. Sabemos que há pessoas inteligentes (premios Nobel por exemplo)tanto ateus como de diferentes crenças. Existem outros fatores que influenciam as crenças: sociais, culturais, psicologicos, ideológicos, históricos, experiencia de vida de cada um, etc

  7. Eu tenho certa e relativa – para não dizer muita dificuldade – em entender muitos posts de CA como este e a maioria de suas respectivas manifestações de apoio ou não na seção ‘comentários’.

    Sempre me pergunto onde querem chegar.
    Parece-me que CA e parte de seus discípulos e correligionários odeiam ufólogos, ufologia e extraterrestres colocando-os, sem parcimônia, num mesmo latão de lixo. “Depondo assim negativamente contra a ufologia séria, joga todos os eventos na mesma classe das alucinações coletivas'(Roberto silvestre em http://www.viafanzine.jor.br/site_vf/ufovia/lua.htm.)”

    Eu me pergunto o porquê disto. Ou deve ser a minha idade, e/ou a baixa qualidade da minha formação educacional, e/ou meu provável baixo QI e/ou os intencionais artifícios de escrita e estrutura textual repleta de metáforas, retóricas e sofismas talvez ‘estrategicamente’ usados para absolutilizar o pensamento cético através de sua ‘verdade científica e dúvida inquiridora’.

  8. De fato o Papa João Paulo II pode realmente ter dito que acredita em reencarnação, embora eu não tenha lido o tal arquivo do JB. Sou católico convicto, creio nos dogmas da Igreja, e por isso mesmo sei tambem que papa só é infalivel em materia de fé e costumes, porem nada o impede de expressar suas opiniões como cidadão, que embora sendo papa ele não deixa de ser. De fato todos os homens se reencarnarão, “todos os homens ressussitaram, todas as almas se reunião aos corpos”). Portanto todos os homens se reencarnaram nos seus proprios corpos…
    Quantos aos ets, Deus tem a liberdade de criar quantos seres ele tiver vontade, pois ele é o eterno criador do universo, e isso é incontestavel. No entanto nada tira do ser humano o direito de ser doimagem e semelhança de Deus. Pelo simples fato de que Nosso Senhor Jesus Cristo ser Homem Deus não ET DEUS.

    Aristides Pereira da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *