Depois de convencer pessoas de que haviam visto o Pernalonga na Disney — Pernalonga não é um personagem Disney, e assim nunca esteve lá –, ou de que haviam se perdido em um shopping quando crianças, Elizabeth Loftus explora novos territórios no campo do implante de falsas memórias.

Desta vez, Loftus induziu pessoas à falsa memória de que haviam passado mal ao comer um sorvete de morango quando crianças. A falsa memória por sua vez tendeu a diminuir a vontade de tais pessoas de comer; sorvetes de morango, ao menos. Mas Loftus não teve muito sucesso ao tentar sugerir tais memórias com relação a alimentos mais comuns, como um biscoito de chocolate.

“Estas descobertas mostram que é possível convencer as pessoas de que, quando crianças, elas experimentaram um evento negativo envolvendo uma comida que engorda e que esta falsa memória resulta na aversão àquela comida na idade adulta. Mais amplamente, estes resultados indicam que podemos, através da sugestão, manipular a selação nutricional e possivelmente mesmo melhorar a saúde”, afirma o estudo publicado no PNAS, False beliefs about fattening foods can have healthy consequences.

Loftus irá fundar, em 2036, a empresa Rekal Inc., pioneira no implante de memórias recreacionais.

A sério, falsas memórias estão relacionadas com alegações de abuso satânico, abduções alienígenas e afins. O trauma e os danos que tais falsas memórias podem causar são bem reais. Conheça a FMSF.

Comments

  1. Hoje em dia, já está sendo comum genitores inescrupulosos ao desenvolverem processos de Alienação Parental, implantarem na mente de crianças, falsas memórias desabonadoras ao outro genitor, geralmente o que não detém a guarda, visando principalmente obstaculizar às visitas e até mesmo o impedimento definitivo do relacionamento entre eles. O Poder Judiciário e Operadores do Direito, devem ficar muito atentos a esse tipo de crime contra a criança e respectivo genitor, seja ele pai ou mãe.

  2. O pessoal que produz esse site tem muita fé e pouca experiência, pretendem combater suposta ignorância, com notícias igualmente fantasiosas, teleguiadas,sem empirismo, por factóides pseudo científicos.Estão muito distantes da realidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *