MENU
teletubbies-1.jpg

Positivamente Enganados: Os Mitos e Erros do Movimento do...

Himmelserscheinung_ber_Nrnberg_vom_14._April_1561f.jpg

Novo Fenômeno Natural Faz Luzes Dançarem no Céu

17 de junho de 2011 Comments (76) Views: 11642 Ceticismo, Destaques, Paranormal

Você foi Cutucado por Deus

touched_by_his_noodly_appendage

Artigo de Daniel Loxton, publicado em Skepticblog
Tradução gentilmente autorizada

O pioneiro cético Isaac Asimov (um dos fundadores do CSICOP, hoje CSI) produziu uma biblioteca tão impressionante de livros (mais de 500!) que suas múltiplas autobiografias foram apenas pontuações. Eu tenho três autobiografias de Asimov na biblioteca Junior Skeptic. Às vezes, apenas por diversão, pego uma ao acaso, abro-a e leio as primeiras duas páginas que vejo à minha frente. Toda vez que faço isso, sem falta:

  1. leio algo engraçado;
  2. aprendo algo interessante e;
  3. sinto um post no blog surgindo pronto em minha cabeça.

Isto certamente aconteceu quando li a história de Asimov de sua experiência pessoal com a premonição psíquica ou a intervenção divina – na forma de um literal cutucão no ombro.[1]

Asimov-Cover2Como contado em I. Asimov [um trocadilho entre a abreviatura de seu nome e “Eu. Asimov” em inglês], a história tomou lugar em uma tarde de 1990. Asimov estava dormindo em um leito privado de hospital (onde estava sendo tratado por sérios problemas cardíacos). Sua esposa Janet havia voltado para casa para alguns afazeres domésticos, deixando Asimov sozinho em seu quarto trancado.

Então algo estranho aconteceu. Asimov recordou: “Eu estava dormindo e então um dedo me cutucou. Eu acordei, é claro, e olhei assustado para ver o que havia me acordado e por que motivo”.

Ele examinou o quarto bem claro, iluminado pelo Sol. Estava vazio. A porta estava trancada e com correntes. O banheiro estava vazio. Não havia ninguém no armário. Era um verdadeiro mistério intrigante, envolvendo um quarto trancado, muito parecido com aqueles sobre o qual ele comumente escrevia. Sua mente se apressou sozinha a chegar a uma solução:

“Por mais racionalista que seja, não havia forma pela qual pudesse evitar pensar que alguma influência sobrenatural havia interferido para me dizer que algo havia acontecido com Janet (naturalmente, meu maior medo). Eu hesitei por um momento, tentando combater a ideia, e se envolvesse qualquer outra pessoa que não Janet, eu realmente teria deixado a ideia de lado. Mas eu liguei para ela”.

Felizmente, sua esposa atendeu prontamente. Ela estava bem.

“Aliviado, eu desliguei o telefone e parei para considerar o problema de quem ou o que havia me cutucado. Teria sido apenas um sonho acordado, uma alucinação? Talvez, mas pareceu absolutamente real”.

Ao final, ele descobriu o que havia acontecido: envolvido em seus próprios braços, Asimov havia conseguido cutucar a si mesmo no ombro. Mistério solucionado.

Mas imagine, ele refletiu, que as coisas tivessem se desenrolado de outra forma.

“Agora suponha que no exato momento em que me cutuquei, Janet, por alguma coincidência absolutamente sem significado, tivesse tropeçado e machucado seu joelho. E suponha que eu tivesse ligado e ela houvesse reclamado e dito, ‘Eu acabei de me machucar’.

Teria eu resistido ao pensamento de uma interferência sobrenatural? Eu espero que sim. No entanto, não posso estar seguro. É o mundo em que vivemos. Corromperia os mais fortes, e não imagino que eu seja o mais forte”.

A Persuasão da Experiência Pessoal

É fácil ver como a experiência visceralmente convincente de Asimov poderia tê-lo persuadido, e Asimov foi honesto o suficiente para admiti-lo. Afinal, aconteceu durante uma doença ameaçadora, próxima do final de sua vida, em uma época em que ele estava obcecado com a morte. (Em uma nota relacionada porém mais leve, Asimov teve um sonho ao redor dessa época em que ele chegou, surpreso, no Céu. Depois de discutir com um anjo que o saudou a respeito de haver um engano em permitir a entrada de um velho ateu, Asimov ‘pensou por um momento e então se voltou ao anjo escrivão e perguntou: ‘Há alguma máquina de escrever por aqui que eu possa usar?’’[2]).

Eventos como a premonição de Asimov são uma força inexorável a favor da crença sobrenatural: humanos são facilmente confundidos, e se agarram facilmente a explicações sobrenaturais; experiências deste tipo são imensamente poderosas; e as implicações das crenças sobrenaturais podem ser muito, muito sedutoras. É muita coisa para resistir.

Como Asimov perguntou em uma [edição da revista] Skeptical Inquirer em 1986:

“Você gosta de ideia de morrer, ou de que alguém que você ame morra? Você pode culpar alguém por convencer-se de que há algo como uma vida eterna e que essa pessoa verá todos aqueles que ama em um estado de felicidade perpétua?

Você se sente confortável com as incertezas diárias da vida, sem nunca saber o que o próximo momento trará? Você pode culpar alguém por convencer-se de que pode alertar e se precaver contra estas incertezas ao ver o futuro através da configuração das posições planetárias, ou da disposição de cartas de baralho, o padrão de folhas de chá ou eventos em sonhos?” [3]

Isaac Asimov era um cético, um racionalista, um cientista por formação (sem mencionar “o maior educador de ciência de nosso tempo, e talvez de todos os tempos”, como foi saudado pelo editor da Skeptical Inquirer, Kendrick Frazier [4]). Ainda assim, um engano trivial o levou muito perto da fronteira da crença sobrenatural – tão próximo que ele tomou uma atitude levado por esta crença. Apenas para estar seguro.

A história de Asimov não é incomum, mesmo entre céticos. Por exemplo, James Randi (outro dos fundadores do CSICOP) uma vez acordou e descobriu-se flutuando no teto, olhando para baixo e vendo seu corpo, dormindo em sua cama. Esta experiência deixou Randi não apenas impressionado, como convencido. Foi, ele disse, “uma experiência muito forte para mim. Eu realmente acreditei, pela evidência apresentada a mim, que havia tido uma experiência fora do corpo que se ajustava à descrição que ouvimos tantas vezes”. No entanto, depois lhe foi  mostrada evidência clara de que seu vôo astral não poderia ter ocorrido literalmente, mas deve ter sido ao invés um sonho ou alucinação. Durante sua experiência fora do corpo, Randi interagiu com sua gata Alice enquanto ela estava deitada sobre o lençol de cor chartreuse. Depois lhe foi mostrado que a gata estava trancada do lado de fora, e o lençol chartreuse estava na lavanderia – não em sua cama. [5] Sem o acaso de que elementos físicos não combinavam com sua experiência, “eu teria agora que dizer a vocês que, até onde sabia, havia tido uma experiência fora-do-corpo”. Mas e quanto àqueles que viveram um episódio assim sem o benefício da experiência investigativa de Randi – ou seu golpe de sorte [com a gata]? “Se não tiverem uma evidência convincente do contrário”, Randi refletiu, “o que os impedirá de dizer ‘Estou absolutamente seguro de que tive uma experiência extra-corpórea’? … Por favor, considere isto cuidadosamente, e não se esqueça, porque é um bom exemplo de que mesmo um arqui-cético poderia ter sucumbido”.

Muito de meu próprio trabalho enfatiza o mesmo ponto: é compreensível que tantas pessoas boas e inteligentes acreditem em coisas estranhas. De fato, é mais que compreensível; é comumente razoável. Para muitas pessoas em muitas situações, o paranormal é a melhor explicação que têm para os fatos à sua frente.

E quando esses fatos incluem experiências diretas e pessoais que parecem inexplicáveis… Bem, as palavras de Asimov se aplicam a mim também:

Corromperia os mais fortes, e não imagino que eu seja o mais forte”.

Nem de longe.

– – –

Referências

  1. Asimov, Isaac. I. Asimov. (Bantam: New York, 1994.) p. 14
  2. ibid. p. 337 – 338
  3. Asimov, Isaac. “The Perennial Fringe.” Skeptical Inquirer. Vol. 10. Spring, 1986. p. 212
  4. Frazier, Kendrick. “A Celebration of Isaac Asimov: A Man for the Universe.” Skeptical Inquirer. Vol. 17. Fall 1992. p. 30
  5. Randi, James. “A Report from the Paranormal Trenches.” Skeptic magazine. Vol. 1, No. 1. 1992. p. 25. Transcrito de uma palestra dada na Caltech em 12 de April de 1992.

Tags: , , , ,

76 Responses to Você foi Cutucado por Deus

  1. Uma pessoa pode acordar cutucando o próprio ombro? Isso me parece tão absurdo quanto ser tocado por um anjo. Por outro lado, Randi ganha dinheiro (e muitíssimo dinheiro) “desvendando mitos”, se ele admitisse uma experiência fora do corpo, perderia seu público e seu meio de vida. Logo, para ser cético, não se pode acreditar nele.

    • Nihil disse:

      Acho que você não entendeu o contexto do artigo.

      • Bem, algumas vezes os pastores me perguntam: “Você já leu a Bíblia?” Eu respondo: “Já, mas não concordo com você”. Aí eles costumam dizer: “Ah, é que você leu, mas não compreendeu…”

      • Nihil disse:

        Eu também não concordo com o que os pastores acham ou deixam de achar sobre a Bíblia. Mas o James Randi, cético e racionalista como é, provavelmente sabe o que ele passou. Eu mesmo acordo de sobressalto de vez em quando porque estava convencido que estava a cair de uma grande altura, mas sempre vejo que não passava de um sonho desagradável.

      • ” Mas o James Randi, cético e racionalista como é, provavelmente sabe o que ele passou”… Cético, racionalista e que ganha dinheiro com isso. Onde há interesse, pode haver fraude. Como confiar no Randi? Imagine que um dia ele apareça e admita que teve uma experiência fora do corpo (não estou dizendo que elas existam, só estou levantando uma hipótese), se, por hipótese ele disser que agora deixou de ser racionalista e cético, provavelmente ele perderá muito dinheiro, não acha? Então, como se pode confiar nele?

    • Juliano disse:

      Sério que tu acha mais fácil um anjo te tocar do que tu se cutucar? Teu dedo existe e teu ombro também. Movimentos involuntários durante o sono são extremamente comuns. Mas beleza…

  2. joao disse:

    acho possivel… outro dia acordei de um sonho pq estava extremamente dificil me locomover no sonho, estava envolto no lençol da cama (no sonho)… acordei e notei q estava dormindo em cima dos dois braços, completamente enrolado pelo lençol! rs

  3. Kentaro, parabéns por outra matéria excelente e inspiradora! Adoro os livros do Asimov, mas encontro dificuldade em encontrá-los onde vivo. Sempre que puder, nos dê um gostinho destas autobiografias do Bom Doutor, em conjunto com o seu discurso sensato.

  4. Desmond disse:

     De fato a auto-sugestão é algo poderoso. Mas a atitude de considerar que todos que dizem terem tido experiências “sobrenaturais” são ou burros ou maliciosos ou estão enganando a sí mesmos é não só dogmática e autocentrada como anti-científica e ofensiva.

     Não duvido em nada que Randi tenha tido um sonho, ou que Assymov tenha cutucado a sí mesmo. São coisas muito possíveis. Mas não deixam impossíveis as experiências extra-corpóreas.

     É, de fato, algo louvável ensinar às pessoas que existem explicações mais simples e mais lógicas para o que elas confundem com “sobrenatural”, mas é no mínimo repreensível fazer um julgamento de valor encima disso. É malicioso e destrutivo. Por favor, não o faça novamente.

     Afinal, ninguém gosta quando alguém começa a questionar maliciosamente as crenças dos céticos de que a razão consegue explicar o mundo. (E, bem, usar a razão para explicar a razão não é muito diferente de usar a fé para explicar a fé. Se qualquer uma delas estiver errada, ainda assim consegue se dar à pretensão de explicar-se a sí mesma como certa ^^).

  5. Nihil disse:

    Se deus existe ou existiu o seu nome seria Isaac Asimov.

  6. João Santos disse:

     p { margin-bottom: 0.21cm; }

    Uma médica teve um
    grave problema de saúde e estava em coma, sendo monitorada no CTI
    de um hospital – não recordo se no Rio ou S.Paulo – quando deixou
    de apresentar sinais vitais – morte clínica. Todavia voltou à vida,
    para surpresa dos seus colegas. Posteriormente, já recuperada,
    contou uma dessas experiências de quase morte (EQM). Disse que
    entrou numa espécie de túnel luminoso e visitou uma velha tia
    religiosa e muito querida, a qual não via há muito tempo, lá no
    Rio Grande do Sul, relatando o seu estado de saúde, mas que estava
    sentindo-se bem. Todos ficaram então surpresos, pois essa mesma
    senhora havia telefonado momento antes da sua “ressurreição”,
    contando a mesma história e perguntando se ela estava bem, e que
    tinha orado muito por ela. A médica, antes cética, não contava com
    essa incômoda coincidência. Se o Isaac Asimov fosse vivo talvez
    pudesse lhe dar uma boa cutucada.

  7. Rafael disse:

    Muito interessante, comecei a ler Asimov recentemente e estou adorando. Essa experiência dele é curiosa, eu odeio mesmo é dormir com a mão na cabeça. Minha mão sempre tenta me matar enquanto durmo, resultando em pesadelos muito desagradáveis… coisas da vida hehe

  8. heliza lara disse:

    Ele até pode dizer que cutucou a si mesmo dormindo. Mas eu devo acreditar nele? De forma nenhuma.E a história se torna ridícula simplesmente por dizer que num quarto de hospital havia correntes. Ao menos crie uma história mais real senhor Assimov ( dead ).

    Me censura panaca.

  9. Que grande história boba quarto de hospital com correntes.

  10. newton silva disse:

    Não seria uma má tradução do google? Seriam com “correntes de vento”? Talvez Asimov estava drogado. Dizem que cardíacos têm alucinações. E céticos também.

  11. LEx disse:

    Já tinha escrito isso em outro artigo, mas vou repetir aqui.

    Certa vez tive uma violenta reação a um componente do DORFLEX (Citrato de Orfenadrina). Eu só tomo remédios em casos extremamente necessários, como neste caso, havia acabado de sair de uma cirurgia de 8Hrs a qual tive pinos e placas de titânio implantado em minha coluna (kkk, um dos pequenos acidentes que tive), disseram que foi uma reação somada com a morfina, assim, entrei em um estado de total alienaçã da realidade por 5hrs, achei de fato que tinha morrido. Quando acordei, já na sala de recuperação, olhei em volta e o primeiro pensamento que tive foi: “Vixe! Morri! Esse bagulho de vida após a morte realmente existe!”, no mesmo minuto meu pai entrou no quarto, e novamente o em milésimos de segundo pensei: “Oloco, meu pai morreu também!”… Só então percebi o que estava acontecendo…. Acho que todos pensamos assim e agimos de forma estranha dependendo da situação, assim com os crente também fazem ao duvidar do “poder divino”. Mas é interessante o fato de por alguns instantes eu me coloquei em uma situação que estava total e absolutamente contra a tudo que eu “tenho certeza” que é real!

  12. Marciobala disse:

    Coisinha boba: Qual a diferença de quem torce pro time A dos que torcem pro time B?
    Nenhuma…. todos são torcedores, fanaticos ou não. O que muda é que alguns gostam do A e outros do B.

    Vocês céticos são iguais aos crédulos… ao invés de “adorarem” algo “surreal” vocês idolatram os Céticos famosos. Como eu disse, não muda nada.

    Qual o problema de alguem querer se “iludir” com o “pastor da esquina” ? Isso incomoda muito, não é? Porque? Assim como existe picaretas na religião existe picaretas nos “circulos ceticos”. Ou vocês são todos santos?

    As pessoas buscam ajuda aonde quer que apareça, isso não é novidade. Então porque se preocupar com o dinheiro que estão “doando” para igrejas e cultos?
    Convenhamos… isso de falar, “Isso é errado, ficam dando dinheiro pro pastor picareta.”, não faz de vocês pessoas melhores. Vocês não estão preocupados com o que é certo ou o que é errado. Ateismo não deixa de ser uma religião. Vocês expalham sua idéia assim como um pastor/padre faz. . .

    Acreditar em Deus não é “não ser culto” ou muito menos “não inteligente”. Não muda nada. Se você se sente bem acreditando nesses homens ceticos e ateus, problema seu… Assim como existem pessoas q se sentem bem acreditando no contrario…

    O problema é que isso se transforma em fanatismo….

    Eu acredito em Deus, sempre acreditei…. somos tão insignificantes, não sabemos nada. Somos primatas ainda… e não tem porque achar que somos superiores só porque não acreditamos em Deus….

    Não tem como provar que Deus não existe… existem mais provas do contrário.

    Como nasceu o universo e a realidade? ….. teve uma explosão e…. e antes disso!? Como que aparece “DO NADA” infinitas constelações e estrelas e planetas com uma infinidade de detalhes e atomos e protons ….. isso tudo veio do nada?!

    Deus não é o velhinho de pijama, sentado em uma nuvem, com barba branca e auréola…

    Como eu disse, não acreditar em Deus não faz de você alguêm superior… sinto muito…

    Continuem idolatrando humanos burros e cegos . . . Isso é bem racional….

    • LEx disse:

      Acreditar em Deus não tem nada a ver com inteligência, tem a ver com idiotice. Que diga os Cientologistas…
      __________________________

      “Não tem como provar que Deus não existe… existem mais provas do contrário.”
      Qual provas? Nós? A obra prima de Deus? Macacos sem pelos….
      ______________________

      “Como nasceu o universo e a realidade? ….. teve uma explosão e…. e antes disso!? Como que aparece “DO NADA(…)”
      Tua lógica acaba aqui… Se os crentes não aceitam a teoria do Big Bang, como podem aceitar um Deus que também surgiu do nada? Tinha um pontinho branco lá e derrepente se tornou Deus – O Fudidão (como uma pipoca)! Mata romanos e afoga todo tipo de vida na terra, só se salva quem segue um velho louco esquizophrenico que constuiu um barco movido a metano… Sei não….

      • D. R. disse:

        Só se forem os crentes Criacionistas (aqueles que acreditam que o mundo não tem mais de 10 mil anos) que não acreditam no Big Bang, não a Igreja Católica:

        ” Poucos sabem, mas foi um padre, Georges Lemaître (1894-1966), quem propôs a teoria do Big Bang. Em 1927,
        baseando-se em cálculos com a então recente teoria da relatividade geral, o jesuíta belga enfrentou
        Einstein e a comunidade científica da época para propor seu modelo cosmológico.
        É lamentável, portanto, que hoje fundamentalistas combatam a teoria do Big Bang como se
        fosse contrária ao relato bíblico do Gênesis. Até mesmo porque a exegese
        católica moderna também não vê problemas de incompatibilidade entre o Big Bang e
        o relato bíblico. O termo Big Bang vem do inglês e significa, ao pé da
        letra, ?grande bum?. Foi criado pelo astrofísico Fred Hoyle, que acreditava no
        universo estacionário, para ridicularizar a teoria. Acabou dando-lhe o nome. O
        primeiro a vislumbrar teoricamente a expansão do universo foi o russo Alexandrer
        Friedman, mas ele morreu logo e seguida e seu trabalho era essencialmente
        matemático, não físico. Foi o trabalho desenvolvido independentemente pelo padre
        Lemaître que ganhou destaque. A teoria prevê que o universo surgiu da explosão
        de um átomo primordial, infinitamente pequeno, quente e denso. Os físicos
        acreditam que antes do Big Bang não faz sentido falar na noção de tempo e nem de
        espaço. Depois dele, o cronômetro começou a correr e o universo a se expandir,
        crescendo sempre e sempre. Lemaître teve muita audácia para divulgar seu
        modelo. A comunidade científica no início do século XX acreditava num universo
        estacionário, ou seja, parado e sempre do mesmo tamanho. Conforme o modelo
        cosmológico newtoniano. O próprio Einstein acreditava nisso e diminuiu o
        trabalho de Lemaître dizendo que ?seus cálculos estão corretos, mas seu
        conhecimento de física é abominável?. Entretanto em 1929, o astrofísico
        americano Edwin Hubble provou observacionalmente que as galáxias estavam todas
        se afastando umas das outras. Exatamente como o jesuíta havia previsto, por
        meios teóricos, apenas dois anos antes. Esta prova era contundente e o sábio
        físico alemão voltou atrás. Einstein e Lemaître proferiram várias palestras
        juntos e numa delas, de pé depois de aplaudir, Einstein disse que aquela era ?a
        mais bela e satisfatória explicação da criação? que ele já ouvira. Tendo
        sua contribuição amplamente reconhecida, Lemaître foi homenageado por muitos
        órgãos científicos, e também por vários cientistas de renome. Mais do que isso,
        em 1936 o próprio papa Pio XI o indicou para a Pontifícia Academia de Ciências.
        E em 1960 recebeu do papa João XXIII o título de Monsenhor. …”.
        Alexandre
        ZabotFísico,
        mestre e doutorando em Astrofísica

      • Babalu disse:

        bacana

      • Babalu disse:

        bacana

    • Franciscodog disse:

      “Coisinha boba: Qual a diferença de quem torce pro time A dos que torcem pro time B?Nenhuma…. todos são torcedores, fanaticos ou não. O que muda é que alguns gostam do A e outros do B.”Esse é justamente um dos argumentos dos céticos  sobre as religiões”Vocês céticos são iguais aos crédulos… ao invés de “adorarem” algo “surreal” vocês idolatram os Céticos famosos. Como eu disse, não muda nada.” 
      Tem uma diferença grande em acreditar no surreal e idolatrar alguma pessoa, posso ser católico e idolatrar o Papa, por exemploo, ou ser espírita e idolatrar o CHico Xavier, ou ser tenistaq e idolatrar o Guga”Qual o problema de alguem querer se “iludir” com o “pastor da esquina” ? Isso incomoda muito, não é? Porque?”  Do ponto de vista individual nada.  Como somos seres sociais, movidos pela empatia e esírito de grupo a maioria das pessoas se preucupa com seus semelhantes, e por issonão gostamde ver alguém ser prejudicado.

      “Assim como existe picaretas na religião existe picaretas nos “circulos ceticos”. Ou vocês são todos santos?” 
      Existem picaretas e toda a raça humana, céticos, religiosos, jogadores de futebol…

      “As pessoas buscam ajuda aonde quer que apareça, isso não é novidade. Então porque se preocupar com o dinheiro que estão “doando” para igrejas e cultos? ”  
      COmentei acima
      “Convenhamos… isso de falar, “Isso é errado, ficam dando dinheiro pro pastor picareta.”, não faz de vocês pessoas melhores.” 
      Concordo

      “Vocês não estão preocupados com o que é certo ou o que é errado.”
      Vocês quem?

      ” Ateismo não deixa de ser uma religião”
      Você estava falando de ceticismo, isso não é a mesma coisa que ateísmo.  Fora que atéismo é apenas a não crença em divindades, não é uma religião na acepção do termo.  A não ser que você ache que careca é cor de cabelo.
      .
      “Vocês expalham sua idéia assim como um pastor/padre faz. . .”Não entendi, divulgar uma idéia torna quem divulga em religião?
      “Acreditar em Deus não é “não ser culto” ou muito menos “não inteligente”. Não muda nada.”
      Perdi essa parte, alguém afirmou que era?

      ” Se você se sente bem acreditando nesses homens ceticos e ateus, problema seu… Assim como existem pessoas q se sentem bem acreditando no contrario…” 
      Concordo”O problema é que isso se transforma em fanatismo….”
      ?”Eu acredito em Deus, sempre acreditei….” Todos tem direito a crença

      ” somos tão insignificantes, não sabemos nada”
      Sabemos cada vez mais, mas quanto mais sabemos mais queremos descobrir

      “. Somos primatas ainda… e não tem porque achar que somos superiores só porque não acreditamos em Deus….” 
      Concordo”Não tem como provar que Deus não existe… ”
      Difícil provar a não existênicas de algo, inclusive Deus,embora reconheça que alguns Ateus ditos Fortes achoa que isso é possível

      “existem mais provas do contrário.” 
      Quais são?”Como nasceu o universo e a realidade? ….. teve uma explosão e…. e antes disso!?”
      1) O Big Bang não foi uma explosão 2) O Big Bang não foi necessariamente o início de tudo, apenas do Universo como conhecemos 3) ninguém tem muita certeza de muita coisa anterior ao chamado tempo de  Planck, apesar das inúmeras hipóteses 4) se admitir-se que o próprio tempo surgiu com oBig Bang talvez não se possa falar num “antes disso”

      “Como que aparece “DO NADA” infinitas constelações e estrelas e planetas com uma infinidade de detalhes e atomos e protons ….. isso tudo veio do nada?!”
      Continuem idolatrando humanos burros e cegos . . . Isso é bem racional….Nenhuma das hipóteses cosmológicas mais aceitas assume o Nada Ontológico e o surgimento do Nada.

      “Deus não é o velhinho de pijama, sentado em uma nuvem, com barba branca e auréola…” Isso é sua opinião, tem muita gente que acredita nisso
      “Como eu disse, não acreditar em Deus não faz de você alguêm superior… sinto muito…” Concordo”Continuem idolatrando burros e cegos… Isso é bem racional” 
      Idolatrar algo ou uma pessoa tem sempre seu lado irracional, admirar é mais fácil e mais racional.  quem são os burros e cegos que você se refere?

  13. simplesmente a melhor coluna que eu já li no ceticismo aberto… parabéns…

    @603e43668b920f55d1c30420932e4504:disqus: o texto fala exatamente sobre o porque as pessoas acreditam em coisas que para um cético, são absurdas. e até entende o porque disso. não vejo razão para essa tua defesa de que “as pessoas procuram ajuda onde quiserem”. ISSO É EVIDENTE! todos são livres pra acreditarem no que quiserem, desde que a sua religião fique consigo mesmo, sem enfiar goela abaixo dos outros. e quanto a idolatrar humanos, francamente, vai querer comparar? o que os céticos sentem por Asimov, Randi, Sagan, Dawnkins etc. é no máximo respeito e admiração, e não medo como comumente vemos nos crentes em deidades.

  14. “Como nasceu o universo e a realidade? ….. teve uma explosão e…. e antes disso!? Como que aparece “DO NADA” infinitas constelações e estrelas e planetas com uma infinidade de detalhes e atomos e protons ….. isso tudo veio do nada?!”

    @603e43668b920f55d1c30420932e4504:disqus : em relação ao teu raciocínio acima. ok, perefeito. digamos que o universo é extremamente complexo e não pode ter sido originado do nada. mesmo isso, são conjecturas, mas tudo bem, partamos do princípio de que o universo não pode ter surgido do nada. a tua explicação, pelo que entendi no quote acima, é que deus deveria estar no início do processo. porque algo tão complexo, não pode ter se formado sozinho. ok? mas para formar o universo, tu concorda comigo, que o próprio deus deve ser mais complexo ainda certo? então, segundo O TEU PRÓPRIO RACIOCÍNIO INICIAL, é impossível que deus tenha surgido do nada, então ele deve te sido criado por algo mais complexo ainda. entende onde isso vai (ou não vai) chegar? a um vórtice infinito de seres/entidades/forças cadas vez mais complexos criando-se sistematicamente. onde tu vê lógica nisso?

    • Marciobala disse:

      Lógica? Você sabe de tudo? Porque é tão dificil aceitar de que não somos a raça ou o ser vivo mais inteligente do universo?

      Você chega a ser preconceituoso … de uma forma diferente … mas é…

      • Não é uma questão de preconceito. É uma questão de que não temos uma troca de informação com nenhuma raça mais inteligente que a nossa (ainda que alguns religiosos digam o contrário).
        E pode até ser que não sejamos os mais inteligentes do universo (na verdade, é bem provável), não sabemos de tudo, e, infelizmente, não sabemos de alguém que saiba (bom, pelo menos alguém que fale objetivamente, ao invés de metáforas), então explicamos as coisas da melhor forma que podemos. E goste você ou não, esta é a melhor forma que temos para explicar as coisas que conhecemos. Delegar essa tarefa a uma entidade que sequer fala claramente conosco não parece uma maneira muito racional de conseguir uma resposta.

  15. Antonio Andrada disse:

    Não vou me alongar e
    nem discutir filosofia…

    Este é um ótimo
    artigo, pois em sua simplicidade nos mostra os mecanismos
    psicológicos pelos quais os “ditos céticos do CSICOP” chegam a
    suas conclusões, não pelo fato mas pela crença em suas cosmologias
    materialistas.

    O artigo é uma versão
    enfeitada do axioma “irracional”: “A explicação mais simples
    é sempre a correta” ou de seu desenvolvimento: “ideias
    extraordinárias tem que ter evidencias extraordinárias”.

    Gostaria que os céticos
    também usassem a massa cinzenta e se lembrassem que em ciência:
    “uma evidencia pode corroborar duas ou mais hipóteses” o que
    implica diretamente em “explicações mais complexas só serão
    corroboradas com experimentação mais complexa” ou até mesmo que
    “Uma teoria só é EXTRAORDINÁRIA porque é comparada com outra,
    aqui a hipótese do “dedo que cutuca sozinho” é muito
    EXTRAORDINÁRIA se comparada com a hipótese da viagem astral”

    O que tudo isto quer
    dizer, que precisamos de mais do que opiniões para tratar qualquer
    assunto de maneira racional. E não podemos reduzir todo e qualquer
    fenômeno ao universo de nossas experiencias pessoais. É por isso
    que Asimov está onde lhe cabe, na prateleira de ficção científica
    e randi nunca vai “aceitar” um fenômeno paranormal e vai
    inventar qualquer “desculpa esdrúxula” “mais simples” para
    não reconhece-lo, mesmo que esta não passe de mera opinião.

    Me lembro do Inquérito
    Livro Azul nos EUA onde muitos relatos de OVNIs foram “explicados”
    como “luz da lua refletindo o gás do pântano” ou “alucinação
    coletiva pelo calor” e por ai vai a prosa cética.

    É por isso que a
    metodologia da ciência deve ir bem além de achismos e experiencias
    pessoais que se ligam as opiniões de um indivíduo (não é isso que
    prega o racionalismo científico?). Um caso é um caso em si mesmo,
    por mais investigado que seja, para tirarmos conclusões abrangentes
    temos que estuda-lo em conjunto com outros casos. E quantos
    “mistérios” ainda não tem uma explicação racionalista,
    uma lista que encheria facilmente bem mais de 500 obras.Assim,
    muito menos do que “racionalistas” Asimov e Randi em seus
    exemplos, são apenas  “reducionistas”, e acreditam
    que um exemplo pessoal mal entendido se aplica para o entendimento de
    processos amplos que eles mesmos classificaram “chamaram” de
    “sobrenatural”. Não podemos duvidar que coisas simples
    aconteçam, mas que coisas complexas também aconteçam, se não
    fosse assim, a própria ciência não teria se desenvolvido.

    E no final, apesar de
    uma argumentação lógica das partes, continuamos sem explicação
    para as “ilusões” de Randi ou as “alucinações”
    dos que veem OVNIs ou para o “dedo mágico” de Asimov que
    está acordado enquanto o corpo dorme!

    E fica mesmo uma
    forçação de barra “explicacionista” e generalizadora que
    foge da ideia de ciência, não por acaso este parece ser o único
    motivo de terem chegado a conclusão que chegaram, um cientificismo
    “rápido” é a saída dos céticos para “explicar não
    explicando nada” os fenômenos desconhecidos. A fonte de sua fé,
    apenas suas crenças em uma explicação trivial que afinal não foi
    confirmada por nada mais.   O que tem de valor cientifico
    neste artigo eu não entendi, são testemunhos de opiniões e
    percepções levadas ao absurdo de querem explicar a crença em
    fenômenos muito mais complexos. Asimov certamente não concordaria
    com este artigo, por sua criatividade não ficaria apenas em suas
    explicações mais simples, Asimov merece mais que isto, Randi e suas
    “alucinações”, por outro lado, posso entender, quer mesmo
    é trivializar o inexplicável, motivos e interesses não lhe faltam.
    Nem acredito que tenha tido esta experiencia de fato, penso que
    inventou mesmo! Porque acreditar em Randi. Sejamos céticos com os
    ditos céticos e vamos ver que “verdades se revelariam”. 

    Por fim, mais um texto
    sem ciência, emitir sua opinião pessoal sobre uma experiencia, não
    basta (tenho ouvido tanto isto por aqui, mordam a lingua) não
    podemos confundir isso com evidencia do que realmente se passou, o
    que em “verdade” podemos nunca conhecer. 

    Ps:Só responderei
    comentários de resposta acompanhados de argumentos.

     

    • Bspossi disse:

      kkkkkk andrada, vou usar ma própria frase deles:
       Não alimente os trols”
       A palavra FÉ por exemplo, não possui TRADUÇÃO para o latim, que origina grande base da nossa liguistica atual(mesmo o inglês), o curioso é que temos a palavra FÉ, que no nosso entender significaria “CRER”, o que ESTA ERRADO, a palavra fé significa um sentimento, muito além do crer, os gregos, os hebreus a conheciam, e possuam palavras de igual significado em seu vocabulario, já os romanos…
       …no latim a palavra não possuia tradução, e este é o FATO
       CRER=FÉ??? ERRADO, não temos nenhuma palavra em nosso moderno vocabulario que tenha o mesmo significado, vou repetir NENHUMA PALAVRA, nem mesmo uma expressão como “crer no sagrado” tem a mesma conotação de fé.
       Se uma palavra, de 2 letras pode causar isso tudo, imaginem um cutucão?
       Para Isimov, o cutucão foi o ato involuntário do seu próprio dedo.
       Para Bento XVI o cutucão seria o ato de Deus impulsionando seu dedo(caso ele percebesse que fosse seu proprio dedo, ele nem sequer questionaria de quem é o dedo)
       Pela fé de um é uma analise, pela fé de outro é outra analise.
       Nem sei quantas vezes eu lí sobre vários ateus que a beira da morte se tornaram crentes, e também é muito fácil de se explicar, pois talvez nos momentos finais sua ALMA(aquela que pesa aproximadamente 21 gramas) busque algum porto-seguro, que sua mente se negue a aceitar, mais a alma, ou melhor uma vontade muito maior que sua razão o faça.
       Como a ciencia também não pode explicar VONTADE, então seria algo que como uma reação bio-quimica em cadeia que gera pulsos eletro-magneticos em uma area temporal do cerebo é que ocasiona esta sensação, bom, tá, então por favor, reproduza em laboratório!
       Como a ciencia também não explica o ato involuntário, então vamos a mesma reação, na realidade, o que os céticos mais gostam é de se utilizar dester termos para explicar o inexplicável(ato involuntário, fenomenos naturais, entre outros)
       

    • LEx disse:

      Antonio Andrada,
      (Cadê o artigo que o Mori te intimou a fazer? Não perderia esse duelo por
      nada!)

      Não precisa me responder…
      Na verdade o cético é um ser IDIOTA (Gregamente falando), age por si, sem se
      preocupar com alienações. Se existe ou não Deuses, Alienígenas ou Fatasminhas
      Camaradas por aí, não deveria fazer diferença para nós, céticos. Porém… Há
      uma força “sobrenatural” que age sobre nós todos, que se chama instinto de
      preservação, da mesma forma que tu não consegue enfiar uma agulha no seu olho,
      nós, céticos, não conseguimos consentir com crendices de sentido duvidoso, digo
      duvidoso porque não temos fé, ou temos certeza de algo ou temos a coragem de
      admitir que estávamos errados, ao contrário do zealot, que independente da
      prova que administramos o crente nunca ficará satisfeito se isso for contra sua
      fé. Pense bem, estamos sendo dominados pelas culturas religiosas a mais de 40k
      anos, e nada mudou, nada melhorou e nada aconteceu, o pouco que “evoluímos” foi
      graças a ciência e aos cientistas coerentes.

       

      Você cita constantemente o conhecimento empírico, pois bem, toda e
      qualquer ciência se baseia no empirismo, você como Mestre em Arqueologia
      deveria saber, o primeiro ponto da pesquisa é a observação do problema, e a
      segunda é qual a influência deste problema no que ocorre no ambiente, e só
      depois partimos para a teorização, aplicação e resultados, assim sendo, tudo parte
      da visão empírica, parece contraditório, mas a ciência não versa sobre tudo que
      existe, mas versa sobre tudo que conhecemos e eu não conheço nenhum alien, não conheço ninguém que tenha escondido um e olha que eu conheço muita gente….

       

      Você também diz para que os céticos usem a massa cinzenta! Ok, usamos,
      usamos também os olhos, os ouvidos e o mais importante, provavelmente usamos Córtex
      Pré-frontal de maneira diferente, uma vez que é a região do cérebro em processamos
      o aprendizado (cognição e associação) e as emoções, ou seja, em quanto nós,
      idiotas céticos usamos nossos processadores para somar, vocês, crentes o usam
      para dividir, se partem em emoções e se perdem na objetividade.

       
      Quando eu era criança (isso a muito tempo) fui obrigado a fazer o tal catecismo, fui expulso no “terceiro livrinho” por não concordar com o que a Irmã Delvina falava, isso é nato…

      • AA disse:

        Quanto ao artigo, me ofereci a publicar um artigo sem editoração do conteúdo pelo site (achei pouco 10.000 caracteres para falar de PaleoSETI e argumentei isso) O Mori recusou e não apresentou motivos justos, agora ta num tal de ataque ad hominem e me bloqueou de comentar no site, pode?

         Eu só queria que parassemos com essas “disputas ” improdutivas e falassemos de conhecimento. Concordo contigo, eu tambem não gosto balancem muito forte o chão onde piso, fora isso, brincadeiras a parte fazem parte de um fórum, tenho certeza que nunca ofendi ninguem.

  16. Antonio Andrada disse:

    Meu Zeus, o autor Daniel Loxton
    é um editor algo inominável (pra lá de Lovecraft) chamado “Skeptic Junior (seção
    as
    crianças de 10 páginas “ciência ligado
    dentro
    da
    revista Skeptic).” Agora enganando pobres criancinhas sobre o que é ciencia!O que foi, os argumentos céticos não funcionam mais em adultos bem informados!!!Além disso Daniel foi
    um “pastor silvicultural durante 10 anos no Alaska” deculpe a ignorancia, o que seria isso? Vender idéias cientificistas de Não cientistas pra crianças, perai né gente, ai é demais.

    • Anônimo disse:

      Para alguém formado em veterinária na Fundação de Ensino Octávio Bastos, desprezar um pastor sivicultural é um tanto inapropriado.

      Deixando claro que não pretendo desmerecer a FEOB. Apenas ressalto sua bazófia.

      • AA disse:

        Acabou o argumento de vez heim Mori, para falar de ciencia acho estranho um pastor silvicultural?

        Sou Médico Veterinário pela Fundação de Ensino Octávio Bastos sim e…,

        Foi minha primeira formação, e ela abriu as portas para trabalhos que fiz em paleontologia de mastofauna pleistocênica na Fundação Museu do Homem Americano- FUMDHAM, isto há uns 5 anos atras. Sou também medico veterinário concursado do município em que resido, e…….

        O que isto tem a ver com meus argumentos?

        Agora estou me formando em Arqueologia numa Federal, participo de projetos de pesquisa e escrevo artigos academicos como qualquer outro jovem pesquisador, edito uma revista científica para estudantes arqueólogos e professores, e……..

        pelo menos eu falo do que entendo, ciencia, na área que estudei.

      • AA disse:

        ha sim, Mori “desbloqueie” meu acesso para que eu possa comentar ao site, coisa feia heim, me lembro de quantas vezes você se gabou de não censurar o conhecimento, pega mal isso.

      • Anônimo disse:

        Não censuro conhecimento. Censuro abusos. Você ainda pode comentar usando outros nomes, como está fazendo.

    • LExCaMel disse:

      OFF:
      Antonio Andrada,
      Deixe o Open de lado e use algum bloco-de-notas (não sei o seu Linux tem) para escrever seus textos, ou formate eles como TEXTO (.txt) no próprio Open.

  17. Felipe disse:

    Essas historinhas copiadas do google, de conversão porque o paciente ressucito são historia sem nomes ou locais não convencem ninguem é a mesma coisa que a freira que disse que foi curada pelo papa joão paulo: um humano que virou santo…
    Ou seja não inventa historia não viu joão santos, essas pessoas que tu citou nem existem.

    • Kau Rosa disse:

      todos eles existem sim procure seus nomes no google 

    • João Santos disse:

      Você não me conhece, nem eu lhe conheço. Nem sei se você existe ou a recíproca. Mas entra em contato com o dep. de jornalismo da Globo e pede para resgatar essa reportagem. Leia com atenção para não se equivocar, o que você entende por conversão? Quem mencionou pastor, padre, papa, guru, Sagan, Eistein…Não creio piamente em nenhum deles, pelo menos não são absolutos para mim. Tenho minhas próprias ideias e conceitos, não costumo ficar sob dogmatismos, embora o pensamento de mentes brilhantes possam me servir de substrato. 

  18. Perpeon disse:

    Se estiver sonhando com uma pena e tentar olhar fixamente todos os detalhes dela (a intricada rede de fios) não conseguirá. Existe possibilidade de definir se o que se está vivendo é real ou apenas sonho/ilusão: existe um nível de detalhamento e precisão muito grosseiro nas ilusões.

    Posso garantir que caso realmente mergulharem numa outra realidade, não terão como duvidar. Saberá quando a complexidade do que vêem não podem ser criação apenas de um cérebro.

    • LExCaMel disse:

      Concordo sobriamente…
      Algumas mentes podem criar até Deuses. Quanto a realidade, cada um tem a sua, tudo vai depender de um ponto de referência, um daltônico por exemplo, tem a realidade diferente do normal (anormal). Um “fritante” então, nem se fala…

      Outro dia estava lendo soubre os psicopatas e como eles veêm a realidade, se for como dizem que é, é assustador… Então, nada tem a ver com nada.

      Tome um chá de cogumelo que tu vai entender o que falo….kkkkkkk

  19. D. R. disse:

    Não sei se foi isso que aconteceu com Asimov; mas já aconteceu comigo, algumas vezes, de dormir encima do braço e este ficar adormecido e perder a sensibilidade; acordava de noite com um braço que parecia de outra pessoa encima de mim; e eu jogava assustado ele para longe de mim e o mesmo voltava; na primeira vez, deu muito medo até perceber que era o meu próprio braço.

    Mas tenho de concordar com o Antonio Andrada, não podemos generalizar apenas porque conosco não foi algo sobrenatural. Mesmo porque, já aconteceram algumas coisas comigo (acredito que com muitos) que não posso julgar que foram apenas meras coincidências. Por isso vou colocar novamente aqui um comentário que fiz em outro artigo: 

    Eu também já tive esse tipo de ‘sonho’; quando viajava para São Paulo, quando o ônibus parava no posto, geralmente eu dormia no ônibus com o sol na cara; e várias vezes me vi flutuando entres os bancos do ônibus e tudo parecia real; então, eu pensava que tinha acordado e me via sentado de novo, mas ainda estava sonhando; isso umas três vez, e cada vez o cenário parecia mais real; até acordar de verdade. Realmente, o cérebro tem uma capacidade incrível; às vezes, eu só percebia por alguns pequenos detalhes nos bancos do ônibus. Chegou um tempo que eu estimulava esse tipo de auto-hipnose; mas, geralmente, não sei porque, a gente começa sentir e sonhar com coisas estranhas e pavorosas!

    Tenho também um conhecido que vivia vendo pornografia na tv, internet, etc. e fazendo coisas erradas; e, segundo ele, um dia o cálice da ira de Deus caiu sobre sua cabeça e ele passou a sentir que sua alma estava no inferno; ele sentia um calor imenso mesmo no frio, sentia cheiro de enxofre e gosto de enxofre na boca, ouvia sons terríveis no forro de sua casa sobre a sua cabeça onde quer que estivesse, suas mãos ficaram meias dormentes e insensíveis; ficou com um pavor imenso de Deus. Ele sentia como que seu corpo estivesse aqui, mas a sua alma estivesse no inferno. Então, ele caiu em depressão e desespero, pois achava que já estava condenado. Então, levaram ele num padre exorcista, ele se confessou e voltou para a Igreja. Por incrível que pareça, nunca mais sentiu isso!

    Uma vez sonhei com um lugar e com uma cena que aconteceu de verdade depois de um ano do sonho; e não era ‘deja vu’! A maioria das pessoas sempre tem um ou outro caso meio sobrenatural para contar; sempre há vários relatos estranhos sobre esse tipo de coisa; mas, muitas vezes, é apenas o cérebro mesmo. Eles chamam isso de ‘pisadeira’, o corpo fica paralisado, a gente tenta gritar mas não consegue; principalmente quando se dorme com o estômago cheio e de barriga para cima. Uma vez li uma explicação que faz sentido; quando a gente dorme, o cérebro normalmente desativa os músculos para que não fiquemos sonâmbulos durante o sonho; e quando acordamos neste estado e o cérebro ainda não ativou os músculos, parece que tem um espírito maligno bem mais forte do que a gente segurando nossos membros e apertando a nossa garganta para não gritarmos; então, a pessoa entra em desespero. Já tive isso também algumas vezes e é realmente uma sensação terrível!

    • LExCaMel disse:

      Certa vez dormi com o pinto dobrado, acordei com ele formigando, achei até que não fosse meu… Pensou? Acordar de madrugada com um pinto no meio da suas pernas que não é seu? Cara! Corri, acendi a luz e vi que o bagulho era meu mesmo, fiquei tão feliz que acabei por ter uma ereção…. Quem sofreu foi minha esposa…

      (cada uma…)

  20. Perpeon disse:

    Dormir encima do braça só me fez acordar parecendo que ele era um pedaço de pau. E o pior é que depois dava uma caimbra (formigamento ou algo mais esquisito) dos diabos nele.

  21. flavio disse:

     Quando alguém está andando na rua e vê um gnomo correndo na sua frente, o que ele faz?
     1. Chora, entra em posição fetal dizendo a si mesmo: eu não vi nada, eu não vi nada…
     2. Surpreende-se e pensa: EU SABIA, bem que Shakespeare disse: “há mais coisas entre o céu e a terra do que prega nossa vã filosofia” (ou diz: “bem que vovó dizia”). 
     3. Procura alguém que esteja próximo e diz: Você viu aquilo?

     Sabemos que todas abordagens são possíveis, mas qual a maioria de nós teria?
     Assumindo que somos seres com bom senso, teríamos a terceira reação. 
     Está na quintessencia do ser humano não se deixar levar por meras experiências pessoais, qualquer fato é ou não relevante dependendo de como você QUER que seja:
     Se quero ser melhor que aqueles que não viram, tomo minha alucinação por realidade sem necessidade de opiniões divergentes.
     Se quero comprovar se realmente aconteceu, busco uma generalidade: se algo é, pelo menos a MAIORIA ABSOLUTA das pessoas podem percebê-lo.

    • LExCaMel disse:

      Eu tomaria a atitude mais lógica nessa situação, me internaria em uma clínica para loucos.

      • flavio disse:

        Aí que tá, não seria lógico concluir de pronto que está louco, mas procurar as causas que o levaram a ter a alucinação: desidratação, ilusão de ótica, sugestionamento hipnótico, etc…
         Não seria ilógico também imaginar que era realmente um gnomo…:)
         Caso fosse comprovada sua existência, mostrá-lo a dezenas, ou melhor, centenas de pessoas, todas descrevendo características aproximadamente iguais no bicho.
         O ônus de qualquer prova está na evidência geral, como nos postulados matemáticos, quem pode provar que a menor distância entre dois pontos é uma linha reta?Ninguém, mas para fins práticos não podemos colocar de outra forma (embora teoricamente Einstein tenha sugerido os buracos de verme, teoria sempre é teoria até que se prove o contrário, não importa de quem venha).

    • Reinaldo disse:

      Eu diria: Caramba! que fantasia bem feita! estão fazendo algum filme por aqui?

    • Mauz disse:

      Eu diria: “Chega de cogumelos (por enquanto)!”

    • Adair disse:

      Eu responderia;putz fumei maconha estragada de novo

  22. João santos disse:

    O Jornal da Band está tratando do tema EQM – Experiencias de Quase Morte, nesta semana (6 a 8 de julho 2011) , com depoimentos diversos, inclusive do Lars Grael (que era cético) e da médica que pode ser a mesma do meu comentário abaixo, em 06/18/2011 01:48 PM.

  23. janiobrasil5 disse:

    Tem de se tomar bastante cuidado com a mente, os nossos pensamentos bambeiam na hora da imaginação. A investigação antes de tuco como fez ASIMOV é bastante inteligente, o não deixa-se enganar, e a pura verdade é que muitos estão enganados por que não pensaram direito e não viram o gato, ou os próprios braços. Abraços..

  24. janiobrasil5 disse:

    Tem de se tomar bastante cuidado com a mente, os nossos pensamentos bambeiam na hora da imaginação. A investigação antes de tuco como fez ASIMOV é bastante inteligente, o não deixa-se enganar, e a pura verdade é que muitos estão enganados por que não pensaram direito e não viram o gato, ou os próprios braços. Abraços..

  25. João Santos disse:

    A reportagem mostrou que os relatos são semelhantes em todo o mundo, mas não são exatamente iguais. A novidade é que agora há provas de que muitas dessas pessoas, alem de estarem observando seus corpos enquanto tentavam reanimá-las, descreveram detalhes de pessoas, trajes, objetos, movimentos, expressões, etc. durante o tempo em que estavam clinicamente mortos. Isso ainda não tem explicação, mas quem quiser se habilitar é só entrar em contato com os “cientistas” do fenômeno.

  26. […] Você foi cutucado por Deus […]

  27. Robertoluizmattar disse:

    ROBERTO LUIZ MATTAR (BAURU) diz :  ACREDITO QUE O NOSSO CRIADOR – DEUS – NÃO TEM A NOSSA FORMA E NEM DEDO .= JOÃO EVANGELISTA DISSE NO APOCALIPSE QUE VIU DEUS E ERA UMA COISA INDESCRITIVEL (NÃO TINHA FORMA DE HOMEM )- ETC. BEM COMO ACREDITO QUE TODOS NOS HUMANOS (TALVEZ ATÉ OS EXTRAS -OU INTRA TERRESTES ????) SEJA XIPADOS COMO NÓS . – NÃO EXISTE QUERER (SÓ NO PENSAMENTO) SO VIVEMOS DIA A DIA . E TODOS OS DIAS ASSIM AQUELES QUE JÁ PASSARAM ESTÃO PROGRAMADOS PELO CRIADOR . – PORISSO APROVEITEMOS TODOS OS DIAS COMO FOSSEM OS ULTIMOS DAQUELES QUE PODEM SER QUE VIRÃO.=NINGUEM FAZ O QUE QUER SENÃO NA VONTADE E PROGRAMAÇÃO DO GRANDE CRIADOR. –  RELAXEM E DIVERTAM (NEM QUE SEJA NA IMAGINAÇÃO).- QUANTO O AMIGO QUE SENTIU CUTUCAR SOZINHO NO QUARTO : DEVEMOS LEMBRAR QUE EXISTE O ANDAR DE CIMA  MUITA GENTE (ESPIRITO) QUE NÃO SUBIRAM E QUEREM SE COMUNICAR AQUI EM BAIXO. – CONTINUEMOS REZANDO E LOUVANDO O NOSSO CRIADOR TODOS O DIAS , PORQUE SÓMENTE ELE É DONO DE NOSSA PROGRAMAÇÃO.= NOSSA TERRA DEVE TER BILHÕES E BILHÕES DE DIAS ROTAÇÃO.- E AQUI DO JEITO QUE CONHECEMOS NÃO VAI SOBRAR UM.- ahahahahahaha .

  28. s.maria disse:

    Quero relatar algo que aconteceu com o meu pai .Nós somos uma familia cristã.
    Meu pai trabalhava em um escritório de uma empresa. Certa vez, estava sentado , mexendo em alguns papéis que estavam sobre a mesa , quando uma voz ecoou em sua mente , que saisse de lá imediatamente. Aquilo foi como ordem, tanto que na mesma hora ele se levantou e saiu de lá. Em poucos segundos , após ele sair daquele
    local , parte do teto , de concreto, veio abaixo , caindo sobre a cadeira , a mesa , ou seja justamente no local onde ele se encontrava. 

  29. s.maria disse:

    Sou cristã. Creio em Deus , e no seu filho  Jesus Cristo, como Salvador do mundo.
    Sempre  oro para que Deus guarde e proteja os meus filhos. Nunca vou me esquecer de um sonho , que tive há uns 13 anos atrás com o meu filho, que na época tinha uns 9 anos. No sonho , eu me encontrava no alto , e olhando para baixo, via o meu filho, andando numa bicicleta , pequena , de cor branca , numa rua perto aqui de casa,
    que cruza com uma outra rua bastante movimentada , onde transita muitos onibus: e ele estava indo em direção a essa rua perigosa. Ele vestia uma camisa bege e um short florido , que ele tinha nessa época.  Enquanto via toda essa cena, senti que havia um ser do meu lado , que passou essa mensagem: “Não o deixe andar de bicicleta, pois ele vai cruzar essa rua , e vai ser atropelado! Acordei assustada com esse sonho. Conte  o sonho para ele , o qual fez pouco caso.  Na minha ignorancia , escondi aquele conjunto de roupa , pensando:”enquanto ele não vestir essa roupa , o sonho não poderá se realizar. Ficou um bom tempo escondida essa roupa , até que depois de algum tempo , ele  achou , e a vestiu. Isso foi de manhã. Quando eu o vi assim trajado, levei um susto, e me lembrei do sonho! Fiz ele se lembrar também .
    Ele fez pouco caso de novo. Quando foi a tarde , mais menos as 4 horas, um coleguinha grita pelo seu nome no portão . Olhamos pela janela. Era um amiguinho seu, em uma bicicleta branca , pequena , e lhe diz: Vamos brincar na rua tal( a rua do sonho) comigo? Eu empresto a bicicleta para voce. Meu filho olhou para mim , e depois para o amiguinho e disse bem sério :Não!

  30. s.maria disse:

    Sei que Jesus Cristo existe,pois já senti o seu espírito,e sei o quanto Ele é maravilhoso, bondoso,  o melhor amigo intímo que podemos ter.Ele é cheio de felicidade, compreensão ,e amor por todos nós , crendo Nele ou não.
    Quero relatar mais uma experiencia que tive´´ certo dia de manhã. Eram mais ou menos umas 8 ou 9 horas da manha , quando senti a presença  de um anjo , chegar bem perto de mim. Nessa hora parecia que não se encontrava em mim , de tanta alegria e extase , e senti aquela voz meiga na minha mente :” Vai no mercado, compra carne moída , e leva para a Maria. Essa maria , é uma amiga minha , que também ama muito
    o Senhor Jesus.  Levantei-me , tomei meu café , fui até o açougue , comprei a carne , e me dirigi até a sua casa. , e lhe disse o que havia ocorrido . Ela começou a chorar , e me contou, que de manhã ao se levantar , abriu a geladeira , e viu apenas 2 chuchus (pois seu marido na época estava desempregado) e olhou para os céus e disse: Senhor, ah se eu tivesse nem que fosse um pouco de carne moida , para misturar com esses chuchus!

  31. Mesrine disse:

    Sou um cristão cético, e não acredito nessas coisas sobrenaturais e afins.
    Porem uma vez algo me incomodou muito.
    Estava eu sozinho em casa, assistindo tv na sala, e levei um tapa na parte de cima da minha cabeça, fiquei assustado na hora, porque como já disse eu estava sozinho e não tenho animais de estimação em casa.

    Minha experiência na verdade não foi uma cutucada, foi um tapa, mas até hoje não tenho nenhuma explicação lógica sobre o que aconteceu.

  32. jaspion disse:

    -paralisia do sono

    quando estamos dormindo nosso cérebro desativa os movimentos voluntários do nosso corpo, para durante o sono, evitar que nosso corpo se machuque.
    porém alguns movimentos continuam a existir.
    e pouco antes de acordar abrimos os olhos e temos alucinações,mas não conseguimos acordar 100% 

    creio que foi o que aconteceu ao Asimov.

  33. Lane disse:

    interessante o texto e é isso msm, quando os elementos do mundo material não comprovam o contrário de uma experiência “irreal” somos levados a crer nessa experiência! Que nós possamos buscar fatos do contexto para garantir o discernimento necessário do que se passou. Bom dia!

  34. Um Dez Crente = Beto disse:

    O existir não faz sentido…a vida tem o caminho do acaso. Somente seres errantes se adaptam a um universo que se modifica a cada momento.

    ..Somos moscas na vidraça.

    Como animais o cérebro da espécie humana das savanas evoluiu para instinto de sobreviver, não será capaz de entender o universo.

    “O vigor intelectual de uma pessoa é medido pela capacidade de suportar dúvidas.” José Ortega

    Cuidado com mente humana ela criou papai Noel e outro mitos (alma, espírito, karma, etc.). Todos eles são mera criação humana. (fique tranquilo que é impossível destruir coisas imaginárias)

  35. João Santos disse:

    O site ficou confuso, sem graça e sem nexo. Não há mais as discussões, réplicas et cetera.

  36. Marcelo Pontes disse:

    A Religião é o ópio do Povo, bem dizia Marx. Na verdade, a religião é um mero negócio, e muitos espertalhões vivem disso, sejam pastores, obreiros, ministros, ou seja lá como se chamem.
    Uma pessoa inteligente não pode acreditar em religião, visto que religião nenhuma jamais provou nada sobre assunto nenhum.

  37. PAm disse:

    Gente sem moral pra interpretação… Vou contar uma história:
    Certa vez estava dormindo e com o braço em baixo da cabeça (como ‘travesseiro) só que a uma certa altura da noite, de tanto ficar dobrado, meu braço adormeceu… e como reação instintiva do corpo, ele se ‘levantou’ e minha mão encostou no meu rosto, estava muito fria. Concluindo: óbvio que levei um ‘susto’ com aquela mão gelada, mas ao retirá-la percebi que estava tocando a mim mesma e que a mãe era minha, se fosse um ‘fanático por fantasmas’ ia levar um susto tão grande que ia achar que foi um ‘espírito’ de um falecido pedindo ajuda. hehehe. O artigo só quis exemplificar (e relatar) como, certos acontecimentos podem ser interpretados de maneira diferente, apenas levados por conclusões que se baseiam na crença das pessoas que são acometidas. claro que Isaac estava certo, mas qualquer pessoa extremamente religiosa sequer iria racionar sobre o fato e ia se apegar à respostas ‘religiosas’
    Bjos criaturinhas!

  38. PAm disse:

    Linha 6: substituir mãe por “mão”
    ops!

  39. Leandro disse:

    O artigo só mostra que mesmo os céticos podem ter experiencias estranhas, ao contrário do que muitos crentes afirmam quando dizem que só somos céticos porque não sentimos ou não tivemos esta ou aquela experiencia pessoal.
    Segundo não vi generalização no artigo. Dizer que esta é uma explicação não é dizer que é a única explicação.

  40. Olhando para o céu disse:

    Se a ciência usa como combustivel a curiosidade, entâo, a alma usa o que para saciar sua ânsia?

  41. artur disse:

    Olá – camaradas “cépticos”…

    Conto-vos aqui a seguinte história:

    …Depois de ler num livro de raja-ioga, do escritor Willian Atkinson (iogue Ramacharaca), uma receita para tentar experimentar a possibilidade de confirmar por mim próprio, que a auto-percepção pessoal – ou eu – pode ser dissociada do cérebro…

    «« Deitei-me de costas – inteiramente só – num quarto às escuras, fechado à chave por dentro, concentrando-me em tentar relaxar a musculatura esquelética o máximo possível, evitando adormecer.

    Passado um tempo indefinido, um vulto, que eu supus ser um amigo, com quem eu conversara sobre o assunto, apareceu por trás da minha cabeça encostada à parede, induzindo-me uma paralisia corporal, horrivelmente desagradável.

    Esse vulto, enfiou as mãos dentro do meu cérebro e pressionou, ou cortou, uma bolinha que lá está dentro:

    Imediatamente a paralisia desapareceu e eu senti-me a mergulhar através da cama onde estava deitado, como se ela fosse líquida.

    Levantei-me do chão, supondo que tinha caído. Olhei para a cama e vi com um certo espanto, que lá estava deitado, um corpo luminoso, igual àquele que eu vejo, quando me olho ao espelho.

    Perante esse fenómeno – imediatamente, pensei – a experiência resultou: o sr. Atkinson, deu-me uma informação assombrosamente correcta. »»

    Um abraço – artur

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *