MENU
MIB_JamesNeff.jpg

Homens de Preto: O mistério de Albert Bender

fa_248_battlela1a_970.jpg

Fotografia da “Batalha de Los Angeles” era retocada

7 de março de 2011 Comments (49) Views: 4324 Ufologia

AlieNação: Líder Afro-americano Anti-semita organiza Congresso OVNI

610x

Artigo de Alejandro Agostinelli, publicado em Factor 302.4
Tradução gentilmente autorizada

“Nação do Islã” (NOI, em inglês), Louis Farrakhan, organizou um congresso em Illinois, Chicago, intitulado “A Verdade sobre a existência dos Objetos Voadores Não-Identificados”. Qual a relação do islã com os extraterrestres? Vamos por partes.

A NOI aproximou-se da ufologia sul-americana depois de uma visita da chamada Madre Taineta, viúva de Elijah Muhammed – profeta fundador e líder da NOI até sua morte em 1975 – aos escritórios no México do ufólogo Jaime Maussán, mundialmente conhecido por mostrar na televisão imagens de balões de aniversário e fraudes, conseguindo altos picos de audiência apresentando-os como “evidências de visitas extraterrestres”.

No ano passado, em seu programa “Tercer Milenio”, Maussán explicou que os seguidores de Muhammed estavam para organizar um grande encontro internacional para exigir que o governo libere a “informação secreta” sobre os OVNIs, invocando uma suposta amizade entre Taineta, Farrakhan e o presidente Barack Obama.

O ufólogo mexicano sugeriu convidar a seu colega brasileiro, A.J. Gevaerd, editor da revista UFO no Brasil, cujos genuínos méritos foram ter conseguido obter informação sobre OVNIs das Forças Armadas em seu país. “Gevaerd, prepare-se bem. Isto vai ser histórico”, teria dito Maussán.

Ao evento se somaram conferencistas como Piergiorgio Caria e Antonio Urzi da Itália, Roger Leir, Steve Colbern e Donald Schmitt dos Estados Unidos, todos apóstolos na primeira linha de defesa da realidade das visitas extraterrestres, e um cronista amigo de Maussán, Fernando Correa (que faz o papel de coadjuvante nas entrevistas junto a Maussán).

truthufosnoi

Segundo Gevaerd, Farrakhan ficou de boca aberta quando se inteirou dos detalhes da casuística OVNI brasileira e a abriu ainda mais quando soube que sua revista (e de Gevaerd) é “a mais antiga do mundo sobre o tema”. Isto é, mais antiga que a Flying Saucer Review, por exemplo. Estes exageros tornam obrigatório considerar com cautela as cifras de audiência (falam de 14 mil pessoas), mas pelas fotos se percebe que muitas pessoas compareceram ao “absolutamente gigantesco centro de convenções”. Ao que parece, nesse dia Farrakhan prometeu “obter a abertura dos arquivos dos Estados Unidos da América e de outros”.

Tanto Maussán como A.J. Gevaerd enfatizaram em suas crônicas que Farrakhan é uma personalidade influente dentro do atual esquema de poder americano e que “é um ativista dos direitos humanos conhecidíssimos e respeitado no país”, o que prenunciava que aquele Congresso seria “um acontecimento histórico”.

Pois bem, nem tudo o que dizem os ufólogos está correto nem contam eles a parte mais interessante da história. Não me refiro ao anti-semitismo doutrinário da religião de Farrakhan, motivo pelo qual há três anos não desfruta da amizade de Obama. Omitem que a inspiração que Farrakhan encontrou para organizar este Congresso tem estreita relação com as crenças apocalípticas da NOI.

Em fins de 1996, em seu boletim The Final Call, a NOI denunciou que o filme “Independence Day” era parte de uma conspiração contra seu movimento. “ID-4, a sigla do título, é uma referência biogenética a um inibidor que interrompe certos procedimentos evolutivos”, decodificavam. Os escribas do líder neo-muçulmano se alarmavam com o fato de que a alma mater do filme era “um gênio judeu” (o papel interpretado por Jeff Goldblum), enquanto denunciam que o espantoso disco alienígena foi copiado “da nave-mãe da NOI, um planeta armado com 1.500 sondas com bombas desenhadas para a destruição deste mundo”.

independence-day-movie1

Para a NOI, a nave se inspira em um “planetóide artificial” que o próprio Farrakhan afirma ter visitado em 17 de setembro de 1985. Naquela ocasião, enquanto visitava o México, o líder afro-americano foi abduzido por uma espécie de “roda” extraterrestre, onde manteve um encontro privado com o profeta Elijah Muhamad, quem lhe avisou que Ronald Reagan planejava invadir a Líbia de Muamar Kadhafi. Este louco assunto, cronologicamente, parece convergente com a atividade que desempenhava naqueles anos o ufólogo húngaro Colman VonKeviczky, quem também invocava vínculos estreitos com o então presidente dos Estados Unidos.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Muhammad foi capturado por atividades pró-japonesas. O prestígio do movimento foi afetado, mas depois da guerra se recuperou graças ao empuxo de um recruta conhecido como Malcolm Little, ou Malcolm X. Farrakhan, quem se uniu ao culto em 1950, foi acusado de gerar o clima de desprestígio que permitiu o assassinato de Malcolm X.

Visto de fora como um fanático, a popularidade de Farrakhan ascendeu quando aderiu à campanha do candidato democrata Jesse Jackson, a qual foi forçado a renunciar depois de chamar Hitler de “um grande homem” e ao judaísmo de “uma religião suja”.

Em 1985 a imprensa revelou que Farrakhan havia aceito um “empréstimo não reembolsável” de cinco milhões de dólares de Muamar Kadhafi. Apesar da má fama do líder líbio nos EUA, a NOI não perdeu simpatizantes. Pelo contrário, em outubro de 1995, Farrakhan convocou a cerca de um milhão de manifestantes em Washington D.C. para repudiar “o poder branco”. Seu discurso passou pela numerologia mística, a piramidologia egípcia e os saberes ocultos dos maçons.

815283e

Segundo a NOI, o final feliz de Independence Day é outra falsificação do futuro apocalíptico que nos espera, outro acobertamento do “judaísmo infiltrado em Hollywood”: por aqueles anos afirmavam que os extraterrestres iam ganhar, “e o triunfo será parte do juízo de Deus contra o homem branco”.

Outra afirmação de Maussán e Gevaerd que se derruba lendo os jornais é a relação de amizade entre Farrakhan e Obama, ou que o primeiro influi sobre o segundo.

“Condeno o racismo e o anti-semitismo em todas as suas formas e condenamos energicamente as declarações anti-semitas do ministro Farrakhan”, expressou Obama em janeiro de 2008. O líder da NOI, quem agora voltou a apoiar seu amigo líbio, advertiu: “Este é um problema da Líbia, e os líbios devem resolver seu problema”.

Farrakhan argumentou que se Kadhafi for processado por crimes de guerra, George W. Bush também deveria ser pelas guerras no Afeganistão e Iraque. “Será melhor que se prepare porque o que ocorre lá está chegando a sua porta”, aconselhou a Obama.

Bom, talvez sejam aqueles amigos que praticam a honestidade brutal. Mas cuidado: exercer uma honestidade extrema requer não omitir informação nem, muito menos, exagerar dados que não sintonizam com a realidade.

Vida longa a tudo aquilo que Farrakhan não deseja! Vida longa à ufologia!

***

Tags: , , ,

49 Responses to AlieNação: Líder Afro-americano Anti-semita organiza Congresso OVNI

  1. Adriano disse:

    Baixo nível o artigo. Se a análise é sobre o congresso ou seu teor os ataques “ad hominens” deveriam ser todos tirados e então não sobraria nada. Não se falou nada sobre o teor do congresso, idéias, apresentações, nada…só reclamando de quem montou o negócio…

  2. Nihil disse:

    Pedi para o Ockham passar a sua navalha nesse artigo e não sobrou nada. Ou seja, nada mais que um artigo sobre um maluco querendo fazer as suas maluquices.

    Um conselho para os seguidores da seita desse maluco.

    Diga não às drogas.

  3. Ricardo Mello disse:

    Esse Louis Farrakhan é um lunático que segue uma doutrina parecida com a do antigo líder do NOI o Elijah Muhammad. O cara acredita que Deus criou os negros e que os homens brancos surgiram de experiências feitas por um cientista maluco chamado de Yakub.

    Como alguém com essa mentalidade e credibilidade organiza um evento cujo o tema já é desacreditado?

  4. Adriano disse:

    Porque o tema é desacreditado?

  5. Felipe disse:

    É por esses e outros como urandir, que a ufologia é sempre dada como piada, só tenho uma coisa a dizer pra eles…

    Vão se ferra!

  6. celso ramols disse:

    não entendi este artigo e o teor do Congresso nada se comentou.

  7. Felipe disse:

    Pra quem não sabe o cara da foto é o kadhafi é o ditador da libia, logo ele é quem devia estar na cadeia… O cara ao invez de matar a fome do seu povo ou até parar de matar civis que prostestam por liberdade ele ta lá, rindo e se divertindo.

  8. Adriano disse:

    Felipe, seu comentário está confuso…Kadafi está aonde? :)

  9. […] su rival en Brasil, el escéptico Kentaro Mori, publicó mi artículo en portugués, Gevaerd me escribió: “Dime con quien andas y te diré quién eres”. Esta crítica por […]

  10. Fabio disse:

    A matéria cita personagens de credibilidade comprovada…

    É muita abobrinha!

  11. Fábio Gomes disse:

    Concordo com duas coisas: Farrakan é doido e Maussán tem nota zero de credibilidade.

    Agora, todos esses conferencistas internacionais que você citou aceitaram o convite sem saber 100% para o que era, e todos aceitaram o desafio de palestrar para um público que, em outra oportunidade, não teria contato com o assunto.

    Vocês precisam parar urgentemente de criticar o fenômeno UFO só porque são desafetos de ufólogos aqui do Brasil. Concentrar-se na fenomenologia não é, definitivamente, a de vocês.

    Para mim, os pseudo-céticos, como vocês, são tão doentes e fanáticos quanto aqueles que vêem discos voadores em todo lugar. A navalha de Ockham já cortou o bom senso de vocês faz tempo.

    • Monstro Adamus disse:

      Muito bem, Fábio.
      Aqui na Terra há três formas pensantes:
      1ª) Aqueles que se autointitulam CÉTICOS.
      2ª) Aqueles que veem discos voadores e EXTRATERRESTRES em tudo e em todos (GIORGIO TKSOUKLOS, por exemplo, em um programa do HISTORY CHANNEL).
      3ª) Aqueles que não se enquadram na 1ª e nem na 2ª forma, id est, pessoas sérias, maduras, cabeça e bolso resolvidos, nunca à espera de benesses e que tiveram experiências até hoje impossível de serem negadas pelo mundo científico. Quais experiências? Naves ou algo que o valha e que nada têm a ver com os nossos humildes aviõezinhos, jatos supersônicos, óvnis da área 51, balões atmosféricos, nuvens lenticulares, reflexos de faróis e demais aberrações oriundas de opiniões apressadas e ansiosas de pseudo-céticos. E daqueles que têm visto algo assim diferente, digo-lhes que sou um dos. E olhem que conheço a ciência de sobejo. E nesta fileira outros há como astronautas e mesmo cientistas mais modernos. Pesquisem com mais humildade. A quem ainda não pôde EXPERIENCIAR tais fenômenos, meus lamentos. Ser-lhe-á mais sensato “fechar o bico”.
      Mas … é assim mesmo: DUBITANDO AD VERITATEM PARVENIMUS (Duvidando, chegamos à verdade) e o CETICISMO ABERTO faz parte desse PROCESSO DEMOCRÁTICO.
      A VERDADE VIRÁ à TONA e não TARDA.
      Obrigado a todos do CETICISMO por ceder-me este espaço.
      (MONSTRO ADAMUS)

  12. Nihil disse:

    Fábio Gomes, reconheço a existência de OVNIs. Agora dizer que estes são veículos espaciais de alienígenas são outros quinhentos. Sobre a navalha de Ockham, eu a usei para comprovar que mais 90% do artigo é pura encheção de lingüiça.

  13. Fábio Gomes disse:

    Então, Nihil, é isso mesmo o que a Ufologia busca. Afinal, o que são esses objetos? Há várias hipóteses, nenhuma comprovada 100%, mas isso não justifica a abordagem mesquinha e ridícula deste site.

    Usou bem a navalha de Ockham…

  14. Nihil disse:

    Fábio Gomes, o que a ufologia faz a aeronáutica, física e meteorologia também fazem. E melhor. É raro ufólogos procurarem explicações naturais para casos facilmente explicáveis. Sei que existem, Mori, inclusive é um exemplo. (Mori, se eu estiver enganado me corrija ;))

    “Usou bem a navalha de Ockham…”

    Obrigado. Ela é minha amiga e me poupa tempo. :)

  15. Ricardo disse:

    Kentaro Mori é oportunista. Existem alguns artigos bons..bem evidenciados, porém existem alguns que os argumentos são carregados de negação e descrença do autor. Os artigos que contém boas evidências de farsas, já tinha sido evidenciados anteriormente por outros..Ou seja evidenciar coisas que ja foram evidenciadas faz do Sr. Mori nada mais que um transcritor pretensioso.

    Quem teve a paciência de olhar nos arquivos do site, dos primeiros posts até aqui, consegue notar, tão somente a evolução da arrogância do pseudoceticismo…que no passado sombrio apelava para posts sobre ‘sandálias da humildade’ (dúvidas? http://www.ceticismoaberto.com/geral/622/freakshow)

    To esperando até hoje a resposta para o desafio da farsa ‘Deus’ gostaria de ve-la evidenciada no site. (nota: não sou cristão)

    Mas provavelmente o autor deve ta esperando alguém evidenciar qualquer balela pra ele copiar e colar.

  16. Nihil disse:

    “To esperando até hoje a resposta para o desafio da farsa ‘Deus’ gostaria de ve-la evidenciada no site. (nota: não sou cristão)”

    Quando foi que o Mori disse que deus é uma “farsa”? (apesar de eu ACHAR que é). Acho que o ônus da prova cabe a quem afirma.

  17. Ricardo disse:

    Não falei que ele disse que deus era uma farsa..eu to dizendo. Tu ou o Mori possuem alguma prova da existência de deus? Até o momento é duvidoso como qualquer publicação a respeito de aliens.
    Aliás…se ele disse que o Chico Xavier estava mentindo…ele se meteu com religião..Então..aproveitando a carona..por que não tentar explicar isso? Ou vai dizer que o grande cético Mori acredita em deus?

    É piada né?

    Por isso que eu digo..ele é muito bom em evidenciar coisas que ja foram evidenciadas. ‘Deus’ seria um desafio..Mas poderiam sugerir outros, por que não?

  18. Mach disse:

    Ricardo, se você assume Deus como uma entidade espiritual, metafísica ou até simbólica, que só pode ser experimentado através da fé, então não há nada que a Ciência tenha a dizer sobre o assunto, simplesmente porque este não é um campo científico. A Ciência trabalha com empirismo, evidências e experimentação, não com conceitos e meros argumentos.

    Assim, por outro lado, se você disser que algum fenômeno desafia as leis da natureza só podendo ser explicado como um milagre de Deus, é possível utilizar o conhecimento científico para verificar a sua evidência, para talvez descobrirmos que tal fenômeno seja natural e explicável. Note que nem isso elimina o argumento da existência de um Deus, muitas religiões nem separam os conceito Deus e natureza.

    “Existem espíritos? O que é um espírito? O que pode ser definido como um espírito?” A Ciência se cala. “Fenômenos causados por espíritos? Espíritos se materializando? Comprovação científica da veracidade das psicografias?” Opa! Analisar evidências,este sim é um campo em que a Ciência é útil.

    Você pode muito dizer que Deus é um alienígena e que ele te abduziu e te levou para conhecer o paraíso no subsolo de Marte. Como provar que isto é uma farsa? Já imaginou se todo cético se pusesse a tentar provar a falsidade de tudo quanto é argumento fantástico sem evidência? Não é assim que funciona. Você é que terá que trazer a evidência (e precisará ser muito boa só para merecer atenção) e então ela poderá ser analisada científica e ceticamente.

  19. Ricardo disse:

    Como tu garante a veracidade das psicografias se elas estão diretamente ligadas a fé? Deus, em teoria (baseada em fé,claro) é um espírito. Como se põe em xeque psicografias e não deus? É fácil atacar o elo mais fraco…isso que eu to falando..o que se evidencia aqui são coisas batidas já por outros céticos…panelas penduradas em fios de nylon simulando ovnis.

    E a ultima parte do teu comentário é justamente isso…é a covardia de buscar evidenciar o que ninguém jamais fez. Mas se o caso é ser cético apenas onde é seguro ser…desse jeito..se baseando em evidencias anteriores..se resguardando pra não explorar outros argumentos ‘fantásticos’…deveriam chamar o site de agnosticismo aberto..pois pra mim fica cada vez mais claro que nem tudo é tratado da mesma forma aqui..e o benefício da dúvida (leia-se medo) é muito bem utilizado.

    O que me preocupa é a desinformação que o site provoca..pois eu tenho certeza que tem gente que se baseia 100% nas matérias aqui apresentadas. E muitos enxergam o Sr. Mori como um desbravador, um guerreiro incansável contra o mito. Mas como eu disse anteriormente…cético? Não. Transcritor.

  20. Leandro disse:

    Mash comentário perfeito! E Ricardo já está muito claro que o Mori busca ao maximo não abordar pontos religiosos. Acho até que ele respeitar demais essa linha. Normalmente o que ainda é abordado no site que envolvar fé é quanto ao espiritismo. Entretanto isso se deve ao fato de espiritas retratarem certos fenômenos como algo que concreto, uma pseudociencia.

    Outro ponto que você citou, provar Deus… isso é impossível. Veja por exemplo: Pedir que um fenômeno impossível fisicamente aconteça. Caso não ocorra um fenômeno isso não provaria que Deus não existe, porque como Deus ele pode fazer o que bem quiser.

  21. Nihil disse:

    1. A ciência não perde tempo com deus(es). Ela não é ateísta e nem teísta. Diria agnóstica.

    2. O Mori divulga o que está alcance dele. O site é dele e ele publica o que quiser. Eu sei qual artigo é relevante ou não. Esse artigo presente é a segunda opção.

    3. Desbravadores de verdade são James Randi, Basava Premanand, Penn & Teller, Padre Quevedo (quando o que está sendo divulgado não faz parte da religião católica). Ele realmente não faz parte desse grupo. Mas como já disse. Ele faz dentro dos seus recursos.

    4. Você tem alguma idéia de como se prova a existência ou não de deus?

  22. Ricardo disse:

    A questão de deus pode se encerrar simplesmente pela falta de provas…do mesmo jeito que outras questões religiosas abordadas aqui também deveriam ser encerradas..se não pode provar deus, por que provar psicografia, santo sudário e afins?

    É isso que eu to falando..como se tem evidência para uma questão religiosa X e para uma questão religiosa Y não?

    Do mesmo jeito que ele escreveu um texto sobre o chico xavier..ele poderia escrever um sobre deus, não?

    Não faz sentido explorar um parágrafo sobre um assunto e ignorar o resto.

    Mas como disseram ai..o recurso..a capacidade..só vai até onde é confortável. Não vejo nada inovador nesse site que faça do autor um cético respeitável.

  23. Adriano disse:

    Ricardo,
    não concordo com a forma com que você argumenta. Se o Mori colocasse mais temas, você poderia dizer que ele não falou de outros muitos, o material que merece uma visão cética é quase infinito, todo dia aparece uma bobagem.
    Religião e Deus mereceriam milhares de artigos, o Mori faz o que pode, e a meu ver, faz bem.
    Em todo caso cada um na sua,e se o site não traz nada de novo, não o frequente ou faça um bom artigo e mande para o Mori analisar,e, se gostar, publicar.

  24. Mach disse:

    Ricardo, deixe eu tentar explicar novamente. A Ciência trabalha com evidências, entende? Se não há evidências não há Ciência. O que você não entendeu é que um argumento pode vir acompanhado por uma evidência ou não. Um argumento sem evidência não cabe a Ciência e não tem como ser analisado por qualquer cético.

    Assim se o argumento for: “Deus existe”, não há nada que um cético ou um cientista possa dizer além de uma opinião pessoal, não porque o assunto seja desconfortável, mas porque não há evidência alguma para se trabalhar com o método científico. Não há o que ser analisado ou experimentado. O argumento poderias ser “Papai Noel existe” ou “Saci-Pererê existe” e daria na mesma. Se não há evidências não há Ciência, no máximo opiniões e para a Ciência e para os bons céticos, meras opiniões não são importantes.

  25. Mach disse:

    Mas se o argumento for: “Deus existe e aqui está uma foto dele” já seria uma evidência. Seria possível analisar a veracidade da foto, mas isso não significaria nada já que a foto poderia ser de qualquer um, talvez algum senhor distinto usando barba e roupas brancas. Significa que é uma foto de Deus? Não. É só uma evidência muito ruim e ninguém a levará a sério. É por isso que fotos de óvnis não causam muito euforia entre cientistas: até poderiam ser naves extraterrestres, mas também poderiam ter um monte de outras explicações bem mais prováveis. Uma simples imagem não é uma boa evidência.

    O motivo de o Espiritismo ser tão abordado por céticos, é pela grande quantidade de fenômenos que os espíritas alegam ser evidência da existência de espíritos. Dizer se existem ou não deuses e espíritos não cabe a Ciência, mas descobrir o que determinado fenômeno evidencia, sim.

    Céticos, por definição, são aqueles que analisam as evidências ao invés de apenas acreditar no argumento. Não se trata de “dar o benefício da dúvida”. O que existe para dar um aval sobre o que é verdade de forma arbitrária são as religiões, não a ciência.

  26. Fábio Gomes disse:

    hahahahahahahahahahahahaha

    Quando um comentário é “impopular”, é retirado do site! hahahahahaah

    Tive dois comentários “impopulares” retirados… patético! A verdade dói, né?

    Nihil, seu comentário “É raro ufólogos procurarem explicações naturais para casos facilmente explicáveis”… eu conheço alguns ufólogos, que não são pseudo-céticos, explicarem e muito bem “avistamentos” como fenômenos naturais. Exemplos: Paulo Poian, Gevaerd, Luciano Stanka, etc. Não precisa ser pseudo-cético para fazer isso.

    O que o Kentaro Mori faz é negar tudo. E isso é tão sem noção quanto falar que tudo é causado por discos voadores.

    É mais fácil ficar fazendo “copy / paste” do Klass do que investigar e pensar.

    E espero que você leia logo esse post, antes que ele fique “impopular” e seja proibido… hahaha… que ridículo!

    • Mori disse:

      O comentário não é retirado, basta clicar no link para vê-lo. E quem decide a popularidade de um comentário são os leitores do site. Qualquer um pode votar, apenas uma vez, e um comentário “impopular” pode voltar a ser exibido, por votação popular. Será inclusive destacado como “polêmico”.

      Outros veículos sobre a ufologia e paranormal sim limitam severamente a participação e o livre debate. Não aqui.

      Você reclama de dois comentários seus que, por votação popular de outros visitantes, não são exibidos por padrão. Há muitos outros que são exibidos. Talvez não por muito tempo. Quem decide isso não sou eu. Apenas implementei o sistema de votação porque julguei ser um meio-termo excelente entre preservar o máximo da liberdade de manifestação e ainda assim também oferecer um filtro em meio aos quase 20.000 comentários disponíveis.

  27. Fábio Gomes disse:

    Ah… é verdade. Olhei novamente e ele é apenas colocado em um modo “oculto”, mas é possível ver.

    Como nunca tinha visto esse modo de comentar, acabei por não perceber esse mecanismo.

    Obrigado pelo esclarecimento. E continuemos postando… abs.

  28. Fábio Gomes disse:

    Só uma dúvida, Mori: qual é o critério para ser colocado como impopular? É um número x de votos com o polegar para baixo ou alguma “diferença” entre polegar para cima e polegar para baixo? Certamente há um critério objetivo…

  29. Fábio Gomes disse:

    Bom, imagino que você tenha feito um estudo considerando o número de visitantes do site… então, 4 não é um número muito baixo se este site é muito visitado?

    De qualquer forma, é um critério objetivo.

  30. Fábio Gomes disse:

    Ah, outra dúvida: pode-se colocar “Não exibido por votação popular” se o “povo” é composto por 4 pessoas? Digo isso porque se ninguém aprovar e 4 pessoas desaprovarem, já deixa de ser exibido, correto?

    Tenho esta dúvida porque não considero 4 pessoas como “apelo popular”. Qualquer panelinha resolve a parada, e não uma população.

    Mas, claro, são só observações de quem não é da “panela”… como disse anteriormente, não deixa de ser um critério objetivo.

    • Mori disse:

      O sistema foi implementado há pouco tempo, daí o valor de corte baixo. Com o tempo, e o acúmulo de votos, ele pode ser aumentado, mas o mais provável é que eu implemente um sistema mais sofisticado de participação popular.

      “Panelas” podem manipular o sistema, claro. Nenhum sistema será invulnerável à manipulação. Se você conferir artigos polêmicos, contudo, verá que comentários tanto críticos como de apoio acabam votados como impopulares. E, como *repito*, comentários ocultados podem voltar a ser exibidos, bastando que a diferença de avaliações seja menor que 4.

  31. Fábio Gomes disse:

    OK. Muito obrigado pela explicação.

  32. Ricardo disse:

    Mach: “O motivo de o Espiritismo ser tão abordado por céticos, é pela grande quantidade de fenômenos que os espíritas alegam ser evidência da existência de espíritos. Dizer se existem ou não deuses e espíritos não cabe a Ciência, mas descobrir o que determinado fenômeno evidencia, sim. ”

    E quantos milhares de fenomenos os cristãos julgam serem obras de deus?

    Isso que tu disse não é desculpa..se quantidade de fenomenos alegados fosse parametro para investigação..deus estaria no top ten aqui. Vamo la..diluvio..pragas…torre de babel..

    O que aliás..a ciência estuda..e tenta provar que aconteceu por meios naturais..e não divinos.

    E ai? Pode ou não pode?

  33. Nihil disse:

    “O que o Kentaro Mori faz é negar tudo. E isso é tão sem noção quanto falar que tudo é causado por discos voadores.”

    Tem duas fotos, se não me engano, no arquivo que não têm explicação. E mesmo que tenha uma explicação essas não dadas como certa.

    Como já expliquei, Mori está fazendo o trabalho dele. Ele não tem os mesmos recursos de um James Randi da vida, considero até nobre publicar traduções de outros artigos, pois o que falta na nossa Internet são textos inteligentes que estimulam o senso crítico.

  34. Nihil disse:

    Ricardo e Mach, a discussão de vocês já está ficando incoerentes. Daqui a pouco vão querer colocar um mecânico para estudar hieróglifos egípcios ou um dentista para checar combustível de foguete. Não dá para colocar deus e ciência lado a lado. A maioria dos cientistas reconhecem que é inútil discutir isso, tanto os ateus como os teístas.

  35. Mach disse:

    Ricardo, já li vários textos neste site questionando a veracidade de milagres ou alegações de evidências comprovando a veracidade de algum trecho bíblico, como aquele em que Deus teria parado o sol ou quando encontraram o que seria a arca de Noé.

    Além disso, o principal argumento para a necessidade da existência de um Deus é o “design inteligente”. Este e o criacionismo só não são mais questionados por céticos porque o assunto já está muito batido e já não surge argumento novo do lado dos criacionistas, de forma que as refutações anteriores continuam valendo.

  36. Mach disse:

    “A maioria dos cientistas reconhecem que é inútil discutir isso”

    Nihil, primeiro pergunte: “Porque é inútil discutir isso?”, depois leia só o meu primeiro comentário.

  37. Ricardo disse:

    Nihil, a maioria dos seus comentários é apenas a defesa do Mori. Eu estou discutindo com o Mach numa boa aqui..ele apresenta o ponto de vista dele..e eu o meu. Você só entrou na história pra ser advogado do dono do site. Que o Kentaro só faz o trabalho dele, eu sei, o site é dele, ele posta o que quiser…como eu citei..posts nonsense como ‘sandálias da humildade’. Eu só questionei a posição dele como cético..que muitas vezes beira o pseudo ceticismo. Ao meu ver ele quase se obriga a refutar tudo, mesmo que sem evidencias suficientes (pendendo apenas para negação) apenas para manter a pose de cético destruidor de farsas. Só isso. Se eu tirar uma foto bebendo whisky e fumando charuto com um alien, ele vai fazer de tudo pra dizer que é mentira, mesmo o bizarro encontro realmente ter existido…baseando-se no preceito que como 99,9% (na visão dele) dos casos anteriores eram falsos, o meu também é.

    Aquela velha história de que..o garoto sempre mentia..quando falou a verdade ninguém acreditou.

    Sabe? Existe um vicio..

    Mas bem, é isso, me retiro da discussão..mesmo discordando da visão de ambos, Nihil e Mach, agradeço a paciência e cordialidade.

    Talvez eu seja um cético de céticos, mas sei que não sou o único aqui que discorda de alguns posts do Mori…

    (Quem sabe ele não se anima em fazer um post sobre ele mesmo?? Com Background, estudos, polêmicas…Seria no mínimo divertido)

    Abs

  38. Nihil disse:

    Eu nem sempre defendo o Mori. Tem uns artigos que são meio sem nexo. Mas gosto da maioria. Mas se não gostar não esconderei a insatisfação.

    Sobre deus, procurem ler Kant e Russell. Eles explicam melhor o meu ponto de vista. (estou sem saco de escrever para explicar na verdade, talvez esteja enjoado de tanto comentar).

  39. Rodrigo Aguiar disse:

    A questão não é ser cético, é ser coerente.

    É inconcebível que alguém com pensamento tão arcaíco seja considerado líder.

    Como um homem, pode se considerar de raça diferente (Afro-Americano), ou superior à outro homem (Anti-Semita), diante da insignificância da humanidade perante o universo.

    Nossa própria Estrela, comparada à Betelgeuse é um simples pixel vagando pelo universo.

    Isto nos reduz a simples nano-organismos parasitas que habitam uma partícula de poeira.

    Se cada tivesse consciência de seu lugar no universo seríamos grandes pelo valor coletivo, nunca pelo valor individual.

    Se Jesus não voltar, tamo fudid….

  40. Nihil disse:

    Então estamos, porque ele não vai voltar.

  41. Gil Cleber disse:

    Farrakhan parece doido de pedra, mas disse uma coisa certa: Bush deveria ser julgado por crimes de guerra.
    Quanto ao resto, é o resto…

  42. Marcelo disse:

    Louis Farrakhan agora não é mais amiguinho de Obama, tá bom conta outra.

    Enquanto cresce a pressão sobre a Casa Branca para que intervenha para deter a repressão sangrenta de Muamar Kadafi na Líbia, muitos comentaristas têm se perguntado por que Barack Obama tem sido cauteloso em suas críticas ao ditador, depois de o presidente americano ter apoiado com tanto fervor a saída do cargo do aliado americano Hosni Mubarak, no Egito.

    Mas Kadafi tem sido associado ao reverendo Jeremiah Wright, o conselheiro espiritual de Obama por mais de 23 anos.

    O ditador líbio também financia e apoia fortemente a entidade Nação do Islamismo* e seu líder, Louis Farrakhan. Obama tem ligações com Farrakhan e seu polêmico grupo. Até agora, autoridades da Casa Branca têm pedido para que a violência termine, mas têm aparentemente descartado qualquer ação unilateral na Líbia. Apesar de informações sobre Kadafi ter ordenado massacres que teriam matado centenas de civis nos últimos dias, Obama não pediu que Kadafi deixasse o cargo.

    A pressão tem aumentado para que Obama adote uma postura mais dura, com o presidente das comissões de relações externas do Congresso e do Senado pedindo que a Casa Branca imponha sobre a Líbia sanções econômicas que foram suspensas em 2004.
    Mas Obama tem diversas ligações estreitas com ativistas que têm relações com Kadafi.

    Jeremiah Wright, ex-pastor da igreja de longa data de Obama em Chicago, foi com Farrakhan visitar Kadafi, em 1984.

    Durante a campanha presidencial de 2008, o próprio Wright observou que a viagem poderia causar problemas para Obama.

    “Quando os inimigos de Obama descobrirem que em 1984 eu fui a Trípoli visitar [Kadafi] com Farrakhan, muito de seu apoio judaico vai secar mais rápido que uma bola de neve no inferno.”

    Farrakhan, amigo e associado próximo de Wright, foi financiado por Kadafi, inclusive com um empréstimo de 5 milhões de dólares, livre de juros, em 1985.

    Mais tarde naquele ano, Kadafi falou via satélite na Convenção do Dia do Salvador, realizada por Farrakhan, em Chicago, e segundo as reportagens disse a seus seguidores que estava preparado para dar armas para um exército negro nos Estados Unidos destruir “os brancos dos EUA”.

    Em outubro de 1995, Kadafi teria ligado para Farrakhan para parabenizá-lo pelo sucesso da Marcha do Milhão. Diz-se que Kadafi garantiu a Farrakhan que juntos iriam unir suas “capacidades e esforços para realizarem isto.”

    De acordo com informações de 1996 da agência de notícias da Líbia JANA, Farrakhan e Kadafi concordaram em trabalhar juntos para mobilizarem “os negros, árabes, muçulmanos e peles-vermelhas oprimidos” para ajudarem a reformar a política externa americana.

    Kadafi disse que antes de sua aliança com a Nação do Islamismo, seu “confronto com os Estados Unidos era como uma luta contra uma fortaleza a partir do lado de fora.”

    Ele afirmou que sua aliança com Farrakhan lhe dá “uma brecha para entrar nesta fortaleza e confrontá-la.”

    Farrakhan foi à Líbia para vários outros eventos. Em 1996 ele ganhou o Prêmio Kadafi de Direitos Humanos, que veio com uma recompensa de 250 mil dólares. Farrakhan aceitou o dinheiro, apesar das sanções dos EUA à Líbia.

    Obama ligado à Nação do Islamismo
    Wright e Obama teriam participado da Marcha do Milhão em Washington, a qual foi liderada por Farrakhan e outros proeminentes líderes negros, tais como Al Sharpton.

    O reverendo Willie Barrow, membro da equipe oficial da campanha de Obama para o diálogo religioso e forte aliado político de Obama, é amigo próximo de Farrakhan e um ferrenho apoiador da Nação do Islamismo.

    Farrakhan afirmou em uma entrevista de 2002 que se encontrou com Barrow para planejarem suas declarações de princípios para a Nação do Islamismo.

    O ativista marxista Cornel West, que é conselheiro de Farrakhan, também havia sido conselheiro da campanha de Obama em 2008 e é um associado próximo de Obama e seu amigo.

    Durante o período em que Obama frequentou a Igreja da Trindade Unida, pastoreada por Wright e que segue a polêmica ideologia da Teologia da Libertação Negra, a igreja de Chicago era abertamente aliada a Farrakhan e à Nação do Islamismo.

    Wright deu a Farrakhan seu Prêmio da Emancipação de 2007. Farrakhan deu várias palestras como convidado na igreja.

    Wright se envolveu em várias iniciativas de Farrakhan e o definiu como “uma das mais importantes vozes dos séculos 20 e 21” durante um discurso nacional para a mídia em abril, para o qual autoridades da Nação do Islamismo foram convidadas.

    Obama apareceu pelo menos três vezes na capa da revista Trumpet [A Trombeta], fundada por Wright. A revista, para a qual Obama concedeu uma longa e exclusiva entrevista ano passado, aclama regularmente Farrakhan.

    O rosto de Obama apareceu na capa de uma edição de 2006 da Trumpet, juntamente com a imagem de Farrakhan.

    Durante a campanha presidencial de 2008, surgiu uma foto de 2004 da esposa de Obama, Michelle, posando com Farrakhan e Barrow, conselheiro de Obama, durante um almoço para mulheres na Rainbow/Push Coalition, na qual Barrow tem o cargo de presidente emérito.

    Na foto com Michelle Obama está Khadijah Farrakhan, a esposa de Louis Farrakhan.

    Outra ligação de Obama com apoiadores de Farrakhan vem de David Axelrod, o principal estrategista político de Obama.

    Embora seja judeu, Axelrod está na comissão de finanças de St. Sabina, a paróquia católica de Chicago liderada pelo polêmico padre Michael Pfleger, um apoiador público de Farrakhan que deu ao líder da Nação do Islamismo oportunidade de falar várias vezes em sua paróquia.

    A Arquidiocese de Chicago removeu temporariamente Pfleger de suas responsabilidades em St. Sabina em 2008, depois de um sermão bastante divulgado, feito como convidado da igreja da Trindade, na qual Pfleger afirmou que Hillary Clinton chorou em público porque ela achava que ser branca lhe dava direito à nomeação presidencial democrata.

    Pfleger convidou Farrakhan para sua igreja várias vezes, inclusive para um sermão em maio de 2007, que foi a primeira aparição pública de Farrakhan desde que ele anunciou, em 2006, que estava sofrendo de câncer de próstata e estava seriamente doente.

    Consta que Pfleger passou horas com o líder da Nação do Islamismo durante sua doença. Pfleger já havia se engajado anteriormente em várias iniciativas de Farrakhan, incluindo um protesto contra o uso de armas em 2007.

    Com pesquisa de Brenda J. Elliott

    * Nota de Julio Severo: Nação do Islamismo é um movimento político e religioso de militantes negros americanos que mistura islamismo e nacionalismo negro. Eles pregam separação e independência política, econômica e religiosa de toda influência branca dos EUA, criando assim uma nação americana de dominância muçulmana e negra.

    Original: Obama’s mystery links to Gadhafi uncovered

  43. paulo disse:

    estou impressionado com tamanha criatividade. vai ganhar dinheiro no cinema. ahahahhhhaha

  44. roxxon valdez disse:

    alguns lances desse texto e idéias de farrakan:
    – será que foram alienígenas infiltrados na terra que esfolaram vivo o o grande khadafi? provavelmente klingons ou romulanos.
    – um heroi judeu salvou a terra no filme. isso é prova que o judaismo está infiltrado em hollywood. dá para rir. hollywood pertence aos judeus. os americanos é que estão infiltrados em hollywood com a cientologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *