É impossível olhar para a imagem acima (um MAV da Honeywell) e não lembrar primeiro de ficção científica, e então, de discos voadores, da ufologia. Décadas depois, avanços principalmente em sistemas de controle automáticos tornaram mini-discos voadores não só algo possível, como algo prático.

E se estes novos objetos voadores já empolgam entusiastas por suas formas bizarras, como as descritas nos “não-identificados”, um outro elemento pode fazê-los vibrar. Assim como as primeiras lendas sobre discos voadores, alguns destes veículos aéreos não-tripulados podem passar a retirar sua energia de linhas de transmissão de energia elétrica. É a idéia sugerida pelo laboratório de pesquisas da USAF. O que se vê pendurado abaixo, em uma concepção artística, não é um morcego gigante.

Enxergar tudo isso como corroboração das lendas de discos voadores pode parecer natural, mesmo bem convincente. Mas que especulações acabem eventualmente concretizadas pelos avanços da ciência e tecnologia não é por si mesmo prova de que tais especulações sejam algo real. Do contrário, você teria que acreditar que a Bruxa Malvada e seu Espelho Encantado existiram, e estaria vivendo literalmente em um conto de fadas.

Assim, a sugestão é que aprecie estas coincidências com moderação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *