MENU

Nosso lugar no mundo

Deus parou o Sol?

9 de agosto de 2009 Comments (0) Views: 1105 Ceticismo, Ufologia

A Triste História de Jeff

Aaron Sakulich, publicado em The Iron Skeptic
Tradução gentilmente autorizada

Ocasionalmente, eu tenho dúvidas sobre escrever estes artigos. Uma vez me senti muito mal, porque depois de um artigo sobre um caso de abdução uma senhora idosa me enviou uma longa carta explicando que ela era a alma reencarnada de um alienígena que morreu na queda do disco voador em Roswell. Eu me perguntei “É isto a que você chegou, atormentando velhinhas?”. Porém, ao final do e-mail dela, eu soube que tinha feito a escolha certa quando ela disse que trabalhou toda sua vida como uma professora de escola primária. E se eu não penso que OVNIs e monstros do espaço são reais, certamente não penso que as pessoas que acreditam que eles são deveriam tomar conta de doutrinar nossas crianças.

Hoje, pela segunda vez, refleti sobre escrever um artigo. Eu estava procurando referências a cobras aladas; há um punhado de casos onde criaturas espaciais ostentam insígnias em suas roupas com este emblema elegante. Eu tenho muito tempo em minhas mãos. De qualquer maneira, ao fazê-lo, encontrei o caso de um homem chamado Jeff. É um caso de horror e tristeza, e eu cheguei muito perto de não escrever sobre ele por razões que logo serão aparentes. Então me ocorreu que escrevendo, eu estaria fazendo a este sujeito um favor mais do que os entusiastas OVNI que acreditam que seu conto tem aspectos verdadeiramente sobrenaturais.

A história vem por cortesia de Joyce Murphy, proprietária de um website com histórias paranormais. Inesperadamente, um homem chamado Jeff lhe enviou sua história que “era muito bem escrita e consistente quando nós a recebemos, assim apenas os nomes foram alterados.”

Tem nove páginas de tamanho, mas um único parágrafo. Isso é aceitável ao relatar uma história de tal impacto emocional, a pessoa não tem tempo para gramática apropriada. O resumo da história (para a qual há um link ao término deste artigo, em inglês, role abaixo e abra-a em uma janela nova se desejar dar uma olhada) é que aliens do espaço assassinaram um homem na frente dos olhos de Jeff quando ele era jovem.

Uma noite, ele estava sentando em seu quarto escutando o rádio quando os cachorros dele começaram a se agitar. Olhando no céu, ele viu três objetos enormes que se pareciam com arranha-céus voadores. Assustado, ele fechou as cortinas e se afastou, mas foi golpeado então por algo que o paralisou totalmente. Momentos depois, um homem entrou no quarto dele, correndo. Eu o imagino como parecendo Desmond do seriado de TV Lost. Jeff o descreve como “… usando uma jaqueta azul-cinza e que ele tinha aproximadamente 1.80m de altura, cabelo preto ou castanho escuro curto como os feitos no exército. Ele era de porte médio, peso de 70 a 80kg mas muito atlético por sua aparência, e ele estava usando botas de combate.” Por razões que não estão completamente claras a mim, várias páginas depois ele chega à conclusão de que o homem estava na Força Aérea. De qualquer maneira, eu o chamarei simplesmente Desmond II para manter as coisas mais simples.

Desmond II disse bruscamente “Ajude-me, garoto!” e tentou chacoalhar Jeff, mas viu que Jeff estava paralisado. Olhando para baixo no corredor, ele disse “Meu deus, eles estão aqui!”. Essa seria a última coisa que ele diria.

Um raio de intensa luz amarela brilhou através da janela de Jeff e iluminou seu armário. Momentaneamente, duas criaturas que eram tão altas quanto o teto de Jeff (mais de dois metros) saíram de lá. Duas mais entraram por meios mais ortodoxos (a porta), entretanto uma destas era um anão com pouco mais de 1,50m. Ele parecia ser o líder, um Napoleão alien, se você quiser. Ele continua a descrever as criaturas de uma maneira até certo ponto mais sucinta que eu poderia fazer:
“A pele era lisa…. Eles estavam usando trajes justos cinzas como Spandex com capuzes, mas os capuzes não cobriam o pescoço. Eu quero dizer a frente do pescoço. Eu sei que isso não faz sentido mas cobria a parte de trás do pescoço e os lados, mas não a frente. Eu notei os olhos como os de um gato, as pupilas eram verticais – não redondas e os olhos eram como os nossos e não redondos e grandes como muitos descrevem… [os olhos] eram reais e cinzas e as pupilas negras. Eles não tinham nenhum nariz de verdade. Era mais como um crânio mas os buracos estavam mais separados e a boca deles era uma racha. Eu nunca vi orelhas mas havia elevações debaixo do capuz para indicar que algo estava lá…. No tórax do baixinho estava um emblema – um V com uma cobra alada e olhos em risco – sem perna ou braços – só asas. Eu não estou brincando. Eu nunca vi os pés deles. – Só as mãos que tinham 4 dígitos – não 5 como nós.”

De qualquer maneira, os monstros espaciais foram rapidamente ao trabalho. Um próximo do alien Napoleão tirou um objeto de metal “como um rifle” e atirou em Desmond II no rosto com um raio de luz amarela. Naturalmente, a face de Desmond II foi totalmente explodida. Ele caiu morto, a pele em sua face queimada, ensangüentada, e os olhos completamente brancos. Jeff, naturalmente, ficou enojado e nervoso, mas o que podia fazer? Estava paralisado. Além disso, eu quero dizer, aquele rifle explode faces.

De qualquer maneira, os aliens foram todos embora, com exceção do alien Napoleão, que surgiu e agarrou Jeff pelo pescoço. Ele disse algo, mas não com a voz. Jeff ouviu as palavras em sua mente, embora ele não se lembre do que eram. Ou ele não pôde entendê-las, não está claro. De qualquer maneira, o Napoleão pareceu muito, muito bravo, então ele agarrou seu cadáver com a face explodida e partiu. Lugares para ir, essas coisas. O tempo inteiro, a família de Jeff estava dormindo na casa.

Este é o fragmento do conto de Jeff que eu encontrei originalmente em um compêndio de abduções alienígenas em 1982. Mas há mais, muito mais.

Jeff, naturalmente, tinha medo. Ele não foi para a escola por um par de semanas, e ele diz que ficou bastante doente, inclusive com uma erupção cutânea onde o alien o tocou. A vida dele procedeu depois mais ou menos sem incidentes até quando ele se casou com sua segunda esposa e trabalhando ocasionalmente como um guarda de segurança para uma loja onde haviam ocorrido muitas tentativas de invasão. Às vezes, ele veria um brilho vermelho em um campo perto, e tinha a impressão de que eram eles. Ele e sua esposa começaram a sentir como se estivessem sendo constantemente vigiados; embora ele superasse isto, ela nunca o fez. Ele desenvolveu um caroço estranho no lado de dentro de sua boca que ele especula (depois que Murphy menciona para ele em uma parte realmente estranha da história) ser um implante alienígena. Uma vez a cada par de meses ele tira uma agulha e drena várias seringas de fluido do caroço. Eca.

Adicionalmente, ele informa ter aproximadamente duas semanas de tempo perdido, junto com a esposa dele onde eles acordariam no meio da noite, no meio de lugar algum, e não sabendo como chegaram lá. Há um pulo estranho no conto original aqui, e diz que na primavera de 1968 ele estava em uma nave com a forma de um bumerangue e lhe foi mostrado como o motor funciona, assim como uma tela que é descrita em termos suspeitamente semelhantes aos da tela na torre de comando de Jornada nas Estrelas. Mas eu não posso dizer se este é um erro de copiar-e-colar de Murphy, ou se 1968 é um erro tipográfico que deveria dizer 1988, ou o que for. Mas a história é de todo tão estranha que isso dificilmente importa.

Eu estaria sendo negligente se, como os entusiastas OVNI, eu lhe contasse essa história sem mencionar algumas coisas bem relevantes sobre ela.

O primeiro par de páginas de seu conto tem pouco a ver com OVNIs. Jeff começa detalhando uma vida bastante desagradável com sua mãe e seus vários padrastos de curto-prazo, alguns dos quais batiam nele; seu pai que não gosta
dele e pensa que ele é filho de outra pessoa de qualquer maneira; o alcoolismo de seus pais; seus próprios problemas com o álcool, embora ele diga que não sejam tão ruins; sua expulsão do Corpo de fuzileiros navais depois de ser seriamente ferido; as mortes inesperadas de vários amigos e parentes; e um bufê de problemas com suas esposas, tudo isso faz aparições na história. É uma história de quebrar o coração, e eu espero que se ele esteja lendo isto, que Jeff não pense que eu o estou perseguindo ou o atormentando por alguma razão. Ele passou por momentos muito difíceis, e eu não sou um psicólogo, mas depois de ler sua história, penso que parece evidente que viver uma vida cheia de horrores entorpecedores poderia talvez explicar este incidente melhor que extraterrestres usando um boné em uma face em seu quarto.

Ao término de sua nota sobre a história, Murphy escreve: “Por favor mantenham este homem em seus pensamentos e se você possuir qualquer informação que o ajudaria, por favor nos ligue”. Eu tenho um pouco de informação de que ele passou por horas difíceis, e precisa de um pouco de ajuda e alguém para falar. Duvido que isso seja o tipo de informação que eles querem, Jeff e os vários entusiastas OVNI com quem ele tem entrado em contato estão esperando que alguém possa identificar Desmond II, ou por que os monstros estão aqui e o que eles querem.

Talvez eu esteja errado. Como eu disse, não sou um psicólogo. Eu nem mesmo sei muito sobre sentimentos (eu sempre senti que um homem só deveria se sentir com raiva ou faminto, ou alguma combinação desses sentimentos. Agora mesmo, eu tenho fome). Também sou bastante ignorante socialmente, e minha habilidade para interagir com outros seres humanos de qualquer modo significante, profundo é… atrofiada. Mas o fato de que das nove páginas de sua carta, aproximadamente sete falem sobre seus infortúnios passados e aproximadamente uma seja um argumento para que outros por favor falem com ele, enquanto a descrição dos OVNIs e criaturas do espaço é bem secundária, me faz querer saber se este não é um caso de uma mente que foi levada talvez muito longe pela tragédia.

De qualquer maneira, se não for essa, quais outras explicações existem? Bem, eu penso que sonhos lúcidos são um bom candidato. Eu quero dizer, arranha-céus voadores apareceram em cima da casa dele, horríveis monstros-gatos-homens fizeram o resto da família dele (mas não ele) dormir, magicamente caminham através de sua parede, impiedosamente atiram em uma figura de herói em frente aos seus olhos e então o encaram furiosamente. Eu não sei de você, mas o enredo básico para meus pesadelos é que monstros horrorosos inimaginavelmente poderosos que não podem ser detidos cometem atos horríveis enquanto eu não tenho nenhuma chance de conseguir ajudar e fico lá desamparado. Eles são mais sobre a impotência face a vilania que qualquer outra coisa.
Mas ninguém jamais engole esta explicação. Na realidade, agora que eu a mencionei, provavelmente serei jogado na mesma categoria que o pessoal do “paralisia do sono responde por todas as histórias de abdução alienígena”. Ainda que eu nunca tenha visto qualquer um fazer essa afirmação com a palavra “todas”, os entusiastas OVNI me asseguram que eles existem.

Assim, espere. Que evidência física nós temos? Como tantas coisas, um grande nada. É a questão de se você está ou não disposto a acreditar na palavra de um homem anônimo da internet. E se você está, eu sou um rei deposto da Nigéria, e cara, tenho uma transação financeira muito interessante para você.

Jeff alega que há evidência física na forma de um grande caroço dentro de sua boca. Ele também diz que nunca vai ter o caroço examinado, ele simplesmente o continuará drenando com uma agulha por si mesmo. Ele também faz uma afirmação estranha. Ele diz que quando era um menino, o avô de um amigo, que trabalhava em uma usina de gás natural, contou-lhe uma história de ver um OVNI de perto uma vez. Quando o homem morreu, Jeff pôde se mudar para a casa do homem, onde ele achou álbuns de recortes com centenas de fotografias em close de espaçonaves. Infelizmente, os parentes do homem os levaram, os destruíram, e agora odeiam Jeff. Assim, eu imagino que não há nenhuma chance de que vejamos qualquer evidência fotográfica tão cedo.

O que mais há? Nada. Uma história que eleva um número grande de perguntas sobre o autor, que ninguém jamais encontrou, e sobre quem não conhecemos nada além do conteúdo de seus e-mails. Evidência física que ele não deixará ninguém ver. Evidência fotográfica que desapareceu convenientemente. A mesma velha fórmula OVNI.

Seja que como for, Jeff, eu não estou dizendo nada disto com uma malícia deliberada. Sua história é demais, mas você provavelmente é um sujeito normal. Um sujeito com problemas. Eu lhe sugiro encontrar alguém com quem conversar e resolver esses problemas. E entusiastas OVNI, quando alguém lançando tantos sinais de advertência assim contatar vocês, eu lhes sugiro que indiquem a mesma coisa, em lugar apenas repetir sua história, acreditar nela e deixá-los mais distantes da ajuda de que precisam. Caramba, passem o chapéu e consigam um psiquiatra ao sujeito. Eu posso ajudar com alguns dólares.

Nos vemos por aí.

– – –

Tags: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *